01 de agosto de 2013 em Educação

Alunos da rede pública de Fortaleza voltam às aulas

No segundo semestre, também serão retomadas as ações do programa de correção de fluxo escolar em alfabetização 


Para os alunos do 1° ao 9° ano, a volta às atividades foi antecipada em três dias e teve início já na segunda-feira, 29 de julho

A primeira semana de agosto marca o recomeço da rotina de pais e crianças em idade escolar. Para os alunos da rede pública municipal, o início do segundo semestre tem um significado especial, já que graças ao Pacto pela Educação, que reorganizou o calendário escolar, eles tiveram a oportunidade de desfrutar das férias no período normal de julho, assim como as demais escolas.

Para os alunos do 1° ao 9° ano, a volta às atividades foi antecipada em três dias e teve início já na segunda-feira, 29 de julho, compensação estabelecida pelo Pacto da Educação. Já para a Educação Infantil e para a Educação de Jovens e Adultos, as aulas tiveram início nesse 1° de agosto.

No retorno às aulas, os estudantes de escolas públicas da Capital também tiveram o primeiro contato com os 326 novos diretores e vice-diretores, empossados no último dia 15 de julho na abertura da III Conferência Municipal da Educação.

Na Escola Mozart Pinto, no bairro Benfica, o clima entre pais e alunos foi de empolgação. “A gente percebe que eles estão animados e com saudades da escola, tanto que nos primeiros dias a frequência dos alunos já estava normal, perto dos 100%”, afirma a diretora da escola, Luci Sabino. No primeiro momento, os professores dedicaram parte do tempo às dinâmicas grupais que fortalecem os laços entre a comunidade escolar e só então prosseguiram com o conteúdo normal das aulas.

Nesse segundo semestre, também serão retomadas as ações do programa de correção de fluxo escolar em alfabetização com alunos do 3º ao 5º ano, que atualmente trabalha com 12.700 crianças nessa faixa etária que não atingiram o nível desejado de leitura e escrita no período adequado.

“Estamos reiniciando as atividades em toda rede municipal de ensino com força total na perspectiva de atingir as metas estabelecidas pela gestão municipal nesse primeiro ano, que é organizar a rede e estabelecer relações de confiança com os profissionais em torno do propósito maior que é elevar os índices de aprendizagem dos nossos alunos”, ressaltou Dóris Leão, coordenadora do Ensino Fundamental da SME.

Com o pacote de R$ 512 milhões em obras para a educação lançado pelo prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e pelo secretário da Educação, Ivo Gomes, no último mês de julho, as perspectivas para os alunos da rede pública da Capital são as melhores possíveis.

Entre as medidas estão a reforma de escolas, a implantação de 91 Centros de Educação Infantil e 35 escolas de tempo integral (sendo seis readaptadas), a aquisição de 40 novos ônibus, a construção de 49 quadras poliesportivas e da Academia do Professor, a criação do departamento de segurança escolar municipal, o novo fardamento, que inclui mochila com material escolar e sandália para o aluno e também a implantação de um cinturão digital com fibra ótica, o que proporcionará internet de alta velocidade.

Alunos da rede pública de Fortaleza voltam às aulas

No segundo semestre, também serão retomadas as ações do programa de correção de fluxo escolar em alfabetização 

Para os alunos do 1° ao 9° ano, a volta às atividades foi antecipada em três dias e teve início já na segunda-feira, 29 de julho

A primeira semana de agosto marca o recomeço da rotina de pais e crianças em idade escolar. Para os alunos da rede pública municipal, o início do segundo semestre tem um significado especial, já que graças ao Pacto pela Educação, que reorganizou o calendário escolar, eles tiveram a oportunidade de desfrutar das férias no período normal de julho, assim como as demais escolas.

Para os alunos do 1° ao 9° ano, a volta às atividades foi antecipada em três dias e teve início já na segunda-feira, 29 de julho, compensação estabelecida pelo Pacto da Educação. Já para a Educação Infantil e para a Educação de Jovens e Adultos, as aulas tiveram início nesse 1° de agosto.

No retorno às aulas, os estudantes de escolas públicas da Capital também tiveram o primeiro contato com os 326 novos diretores e vice-diretores, empossados no último dia 15 de julho na abertura da III Conferência Municipal da Educação.

Na Escola Mozart Pinto, no bairro Benfica, o clima entre pais e alunos foi de empolgação. “A gente percebe que eles estão animados e com saudades da escola, tanto que nos primeiros dias a frequência dos alunos já estava normal, perto dos 100%”, afirma a diretora da escola, Luci Sabino. No primeiro momento, os professores dedicaram parte do tempo às dinâmicas grupais que fortalecem os laços entre a comunidade escolar e só então prosseguiram com o conteúdo normal das aulas.

Nesse segundo semestre, também serão retomadas as ações do programa de correção de fluxo escolar em alfabetização com alunos do 3º ao 5º ano, que atualmente trabalha com 12.700 crianças nessa faixa etária que não atingiram o nível desejado de leitura e escrita no período adequado.

“Estamos reiniciando as atividades em toda rede municipal de ensino com força total na perspectiva de atingir as metas estabelecidas pela gestão municipal nesse primeiro ano, que é organizar a rede e estabelecer relações de confiança com os profissionais em torno do propósito maior que é elevar os índices de aprendizagem dos nossos alunos”, ressaltou Dóris Leão, coordenadora do Ensino Fundamental da SME.

Com o pacote de R$ 512 milhões em obras para a educação lançado pelo prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e pelo secretário da Educação, Ivo Gomes, no último mês de julho, as perspectivas para os alunos da rede pública da Capital são as melhores possíveis.

Entre as medidas estão a reforma de escolas, a implantação de 91 Centros de Educação Infantil e 35 escolas de tempo integral (sendo seis readaptadas), a aquisição de 40 novos ônibus, a construção de 49 quadras poliesportivas e da Academia do Professor, a criação do departamento de segurança escolar municipal, o novo fardamento, que inclui mochila com material escolar e sandália para o aluno e também a implantação de um cinturão digital com fibra ótica, o que proporcionará internet de alta velocidade.