08 de setembro de 2022 em Saúde

Campanha de vacinação contra Poliomielite e de Multivacinação é prorrogada até 30 de setembro

Objetivo é atualizar cadernetas de vacinação e ampliar a cobertura das campanhas de polio, sarampo e influenza


Seguindo a orientação do Ministério da Saúde (MS), a Prefeitura de Fortaleza vai prorrogar as Campanhas Nacionais de Vacinação contra Poliomielite e a de Multivacinação para crianças e adolescentes até o dia 30 de setembro. O prazo inicial da campanha que começou em 8 de agosto era até essa sexta-feira (09/09).

A aplicação das vacinas acontece nos 116 postos de saúde da capital, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30. Nos fins de semana e feriados, os postos Paulo Marcelo e Messejana, funcionam de 8h30 às 16h30.

A coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli, alerta para a importância de evitar-se o retorno das doenças que são preveníveis. Segundo ela, “não se vacinar, além de colocar em risco a própria saúde, coloca em risco também a saúde de seus familiares e de outras pessoas do seu convívio, contribuindo para aumentar a circulação de doenças. Vacinar é prevenir, imunizar e cuidar”.

Poliomelite

A poliomielite, também conhecida por paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e provocar ou não paralisia. A paralisia infantil não existe cura, portanto a única forma de prevenção é a vacina. Desde 1988, o Ceará não registra casos de poliomielite, mas o vírus continua circulando pelo mundo.

A vacinação tem estratégias diferenciadas para crianças menores de um ano e para faixa etária de 1 a 4 anos de idade. Durante a campanha, todas as crianças menores de 4 anos devem comparecer às salas de vacinas para receber uma dose contra poliomielite. A depender do esquema vacinal registrado na caderneta, a criança poderá receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

Entenda o esquema vacinal
1ª dose: aos 2 meses através de injeção (VIP)
2ª dose: aos 4 meses através de injeção (VIP)
3ª dose: aos 6 meses através da injeção (VIP)
1º reforço: 15 meses (1 ano e 3 meses) por meio da vacina oral (VOP)
2º reforço: menores de 4 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), por meio da vacina oral (VOP)

Multivacinação

Já na campanha de Multivacinação, o objetivo é atualizar e/ou completar os esquemas das crianças e adolescentes (de 0 até 14 anos 11 meses e 29 dias) com os 19 tipos de vacinas que protegem contra diversas doenças.

Vacinas disponibilizadas para crianças
BCG; Hepatite B; Poliomielite (VIP – inativada e VOP - atenuada); Rotavírus; Pentavalente; Pneumocócica 10; Meningocócica C (conjugada); Febre Amarela; Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Varicela; Hepatite A; Tríplice Bacteriana (Difteria, Tétano e Coqueluche); Papilomavírus humano (HPV).

Vacinas disponibilizadas para adolescentes
Hepatite B; Dupla bacteriana (Difteria e Tétano); Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Papilomavírus humano (HPV) e Meningocócica ACWY (conjugada), conforme esquema vacinal.

Balanço

Desde o inicio da campanha até o dia 7 de setembro, 29.023 crianças de 1 a 4 anos foram vacinadas contra pólio. Entre 5 a 14 anos, 43.158 foram vacinadas para regularizar a caderneta.

No dia “D”, que ocorreu no dia 20 de agosto, 5.568 crianças receberam a vacina VOP e/ou VOP e 16.347 crianças e adolescentes foram imunizados. Ainda neste dia, 8.774 pessoas também compareceram as unidades e receberam algum imunizante. Soldatelli explica que por ser uma campanha de atualização do esquema vacinal, não há meta fixa.

A meta definida pelo MS trata-se da vacina de rotina que deve ser de 95% para Poliomielite. “O intuito da campanha é que todas as crianças fiquem protegidas”.

Até junho deste ano, os índices de vacinação em Fortaleza seguem em torno de 67% a 73%, na cobertura média das principais vacinas ofertadas do calendário vacinal para crianças (BCG, pentavalente, DTP, poliomielite e tríplice viral).

Campanha de vacinação contra Poliomielite e de Multivacinação é prorrogada até 30 de setembro

Objetivo é atualizar cadernetas de vacinação e ampliar a cobertura das campanhas de polio, sarampo e influenza

Seguindo a orientação do Ministério da Saúde (MS), a Prefeitura de Fortaleza vai prorrogar as Campanhas Nacionais de Vacinação contra Poliomielite e a de Multivacinação para crianças e adolescentes até o dia 30 de setembro. O prazo inicial da campanha que começou em 8 de agosto era até essa sexta-feira (09/09).

A aplicação das vacinas acontece nos 116 postos de saúde da capital, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30. Nos fins de semana e feriados, os postos Paulo Marcelo e Messejana, funcionam de 8h30 às 16h30.

A coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli, alerta para a importância de evitar-se o retorno das doenças que são preveníveis. Segundo ela, “não se vacinar, além de colocar em risco a própria saúde, coloca em risco também a saúde de seus familiares e de outras pessoas do seu convívio, contribuindo para aumentar a circulação de doenças. Vacinar é prevenir, imunizar e cuidar”.

Poliomelite

A poliomielite, também conhecida por paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e provocar ou não paralisia. A paralisia infantil não existe cura, portanto a única forma de prevenção é a vacina. Desde 1988, o Ceará não registra casos de poliomielite, mas o vírus continua circulando pelo mundo.

A vacinação tem estratégias diferenciadas para crianças menores de um ano e para faixa etária de 1 a 4 anos de idade. Durante a campanha, todas as crianças menores de 4 anos devem comparecer às salas de vacinas para receber uma dose contra poliomielite. A depender do esquema vacinal registrado na caderneta, a criança poderá receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

Entenda o esquema vacinal
1ª dose: aos 2 meses através de injeção (VIP)
2ª dose: aos 4 meses através de injeção (VIP)
3ª dose: aos 6 meses através da injeção (VIP)
1º reforço: 15 meses (1 ano e 3 meses) por meio da vacina oral (VOP)
2º reforço: menores de 4 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), por meio da vacina oral (VOP)

Multivacinação

Já na campanha de Multivacinação, o objetivo é atualizar e/ou completar os esquemas das crianças e adolescentes (de 0 até 14 anos 11 meses e 29 dias) com os 19 tipos de vacinas que protegem contra diversas doenças.

Vacinas disponibilizadas para crianças
BCG; Hepatite B; Poliomielite (VIP – inativada e VOP - atenuada); Rotavírus; Pentavalente; Pneumocócica 10; Meningocócica C (conjugada); Febre Amarela; Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Varicela; Hepatite A; Tríplice Bacteriana (Difteria, Tétano e Coqueluche); Papilomavírus humano (HPV).

Vacinas disponibilizadas para adolescentes
Hepatite B; Dupla bacteriana (Difteria e Tétano); Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Papilomavírus humano (HPV) e Meningocócica ACWY (conjugada), conforme esquema vacinal.

Balanço

Desde o inicio da campanha até o dia 7 de setembro, 29.023 crianças de 1 a 4 anos foram vacinadas contra pólio. Entre 5 a 14 anos, 43.158 foram vacinadas para regularizar a caderneta.

No dia “D”, que ocorreu no dia 20 de agosto, 5.568 crianças receberam a vacina VOP e/ou VOP e 16.347 crianças e adolescentes foram imunizados. Ainda neste dia, 8.774 pessoas também compareceram as unidades e receberam algum imunizante. Soldatelli explica que por ser uma campanha de atualização do esquema vacinal, não há meta fixa.

A meta definida pelo MS trata-se da vacina de rotina que deve ser de 95% para Poliomielite. “O intuito da campanha é que todas as crianças fiquem protegidas”.

Até junho deste ano, os índices de vacinação em Fortaleza seguem em torno de 67% a 73%, na cobertura média das principais vacinas ofertadas do calendário vacinal para crianças (BCG, pentavalente, DTP, poliomielite e tríplice viral).