25 de novembro de 2013 em Saúde

Casos de dengue na Regional I reduziram de 4.141 para 653 em um ano


Peça de fantoches alertou as crianças sobre as formas de se prevenir contra a dengue na praça do Carlito Pamplona

Em 2013, foram 8.458 casos de dengue confirmados em Fortaleza. Destes, 653 foram verificados em moradores da Regional I. Em 2012, Fortaleza registrou 39.049 casos da doença. Do total do ano passado, 4.141 foi o equivalente aos casos apontados na Regional I. Ou seja, nesta área, houve, em um ano, a redução de 3.488 casos de dengue.

Nos dois últimos relatórios anuais da Secretaria Municipal de Saúde, Barra do Ceará e Jardim Iracema estão entre os quatro bairros da Regional I com maior número de casos de dengue. Apesar disso, na Barra do Ceará, em 2012, foram registrados 813. Neste ano, diminuiu para 96. No Jardim Iracema, ano passado, houve o registro de 506 casos. Em 2013, 69.

“A quadra chuvosa menos intensa e o trabalho assertivo e muito rigoroso do município em nome do combate à dengue reduziram, em um ano, os casos confirmados da doença em mais de 30.000 na nossa cidade. As pessoas estão mais conscientes. Assim, nosso trabalho preventivo para a próxima quadra de chuvas começa com mais força”, contou o educador em saúde da Regional I, Hélio Alves.

Na Regional I, são encontrados focos de dengue principalmente em tanques, tambores, cisternas e cacimbas. Segundo o supervisor geral de endemias da Regional I, Edberto Lima, a secretaria está realizando mapeamento de depósitos equivalentes aos citados anteriormente para que haja novos alojamentos de peixes betta, uma vez que se alimentam das larvas do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue

Dia D de Combate à Dengue

A última sexta-feira (22/11) foi o Dia D de Combate à Dengue. A praça do Carlito Pamplona e seus arredores, localizados na Regional I, foram alguns pontos onde a Prefeitura de Fortaleza realizou ações para conscientizar a população sobre a importância de se prevenir contra a doença.

A ação realizou blitz educativa em semáforos, palestras e exposição de maquetes contendo o ciclo de vida do Aedes aegypti. Houve distribuição de material informativo, visitas domiciliares, afixação de cartazes. Além de encenação de peça de fantoches, a Regional I ofertou exames, testes de glicemia, verificações de pressão e apresentações de roda de capoeira.

“As orientações que recebi na pracinha são todas colocadas em prática lá em minha casa. A luta contra a dengue deve ser diária”, disse o comerciante Raimundo Nonato, de 58 anos, morador do Carlito Pamplona.

 

Casos de dengue na Regional I reduziram de 4.141 para 653 em um ano

Peça de fantoches alertou as crianças sobre as formas de se prevenir contra a dengue na praça do Carlito Pamplona

Em 2013, foram 8.458 casos de dengue confirmados em Fortaleza. Destes, 653 foram verificados em moradores da Regional I. Em 2012, Fortaleza registrou 39.049 casos da doença. Do total do ano passado, 4.141 foi o equivalente aos casos apontados na Regional I. Ou seja, nesta área, houve, em um ano, a redução de 3.488 casos de dengue.

Nos dois últimos relatórios anuais da Secretaria Municipal de Saúde, Barra do Ceará e Jardim Iracema estão entre os quatro bairros da Regional I com maior número de casos de dengue. Apesar disso, na Barra do Ceará, em 2012, foram registrados 813. Neste ano, diminuiu para 96. No Jardim Iracema, ano passado, houve o registro de 506 casos. Em 2013, 69.

“A quadra chuvosa menos intensa e o trabalho assertivo e muito rigoroso do município em nome do combate à dengue reduziram, em um ano, os casos confirmados da doença em mais de 30.000 na nossa cidade. As pessoas estão mais conscientes. Assim, nosso trabalho preventivo para a próxima quadra de chuvas começa com mais força”, contou o educador em saúde da Regional I, Hélio Alves.

Na Regional I, são encontrados focos de dengue principalmente em tanques, tambores, cisternas e cacimbas. Segundo o supervisor geral de endemias da Regional I, Edberto Lima, a secretaria está realizando mapeamento de depósitos equivalentes aos citados anteriormente para que haja novos alojamentos de peixes betta, uma vez que se alimentam das larvas do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue

Dia D de Combate à Dengue

A última sexta-feira (22/11) foi o Dia D de Combate à Dengue. A praça do Carlito Pamplona e seus arredores, localizados na Regional I, foram alguns pontos onde a Prefeitura de Fortaleza realizou ações para conscientizar a população sobre a importância de se prevenir contra a doença.

A ação realizou blitz educativa em semáforos, palestras e exposição de maquetes contendo o ciclo de vida do Aedes aegypti. Houve distribuição de material informativo, visitas domiciliares, afixação de cartazes. Além de encenação de peça de fantoches, a Regional I ofertou exames, testes de glicemia, verificações de pressão e apresentações de roda de capoeira.

“As orientações que recebi na pracinha são todas colocadas em prática lá em minha casa. A luta contra a dengue deve ser diária”, disse o comerciante Raimundo Nonato, de 58 anos, morador do Carlito Pamplona.