30 de novembro de 2017 em Segurança Cidadã

Comitê Internacional da Cruz Vermelha visita Secretaria da Segurança Cidadã de Fortaleza

A instituição está na Capital cearense para iniciar o programa "Acesso Mais Seguro" em parceria com a Prefeitura de Fortaleza


Visita Cruz Vermelha
Gestores da Sesec e Cerif receberam a delegação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha nesta quarta (29/11)

Representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) visitaram, na tarde desta quarta-feira (29/11), a sede da Secretaria da Segurança Cidadã da Fortaleza (Sesec) para conhecer a estrutura e os projetos da pasta. A instituição está na Capital cearense para iniciar o programa "Acesso Mais Seguro" em parceria com a Prefeitura de Fortaleza. "A nossa ideia é treinar e acompanhar os profissionais e os equipamentos que atuam em áreas de situações de violência", explicou Filipe Tomé, chefe adjunto da delegação regional da CICV.

Durante o encontro articulado por meio da Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas (Cerif), a delegação conheceu o trabalho desenvolvido na Sesec e conversou com coordenadores e gestores da pasta. Estavam presentes o secretário da Sesec, Azevedo Vieira, o secretário-adjunto, Paulo Duarte, o diretor-geral da Guarda Municipal, Rômulo Reis, o coordenador da Defesa Civil de Fortaleza, Cristiano Ferrer e o coordenador adjunto da Cerif, Cláudio Nelson. A CICV é uma organização humanitária, independente e neutra, que se esforça em proporcionar proteção e assistência às vítimas da guerra e de outras situações de violência.

O programa "Acesso Mais Seguro" busca reduzir o impacto da violência sobre os serviços básicos e seus profissionais que atuam em áreas vulneráveis à violência, além de facilitar o acesso dessa população aos serviços públicos. Após o treinamento, a metodologia é multiplicada para que seja adotam medidas de autoproteção e protocolos de segurança para casos de emergência. De acordo com Filipe Tomé, em Fortaleza, o programa atuará nas áreas da Saúde, Educação, Assistência Social e Juventude. "Antes de iniciarmos os trabalhos, precisamos entender como funciona as políticas de segurança da cidade", ressaltou.

O titular da Sesec destacou a importância do programa. "Estamos de braços abertos para apresentar nossos resultados e projetos. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha é uma das instituições mais respeitadas e tem experiência em desenvolver ações em áreas mais expostas à violência. Sem dúvida, será mais um ganho importante para Fortaleza", afirmou.

A metodologia do Acesso Mais Seguro já foi replicada em 12 cidades brasileiras, entre elas Rio de Janeiro, Porto Alegre e Florianópolis. O projeto foi implementado em 2009 com foco nos profissionais em territórios vulneráveis do Rio de Janeiro e apresentou excelentes resultados. Na região Nordeste, Fortaleza será a primeira a receber a parceria do Comitê. Segundo o chefe adjunto da delegação da CICV, após ser assinado o termo de cooperação técnica com a Prefeitura, a previsão é que o programa tenha início no primeiro semestre de 2018.

Comitê Internacional da Cruz Vermelha visita Secretaria da Segurança Cidadã de Fortaleza

A instituição está na Capital cearense para iniciar o programa "Acesso Mais Seguro" em parceria com a Prefeitura de Fortaleza

Visita Cruz Vermelha
Gestores da Sesec e Cerif receberam a delegação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha nesta quarta (29/11)

Representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) visitaram, na tarde desta quarta-feira (29/11), a sede da Secretaria da Segurança Cidadã da Fortaleza (Sesec) para conhecer a estrutura e os projetos da pasta. A instituição está na Capital cearense para iniciar o programa "Acesso Mais Seguro" em parceria com a Prefeitura de Fortaleza. "A nossa ideia é treinar e acompanhar os profissionais e os equipamentos que atuam em áreas de situações de violência", explicou Filipe Tomé, chefe adjunto da delegação regional da CICV.

Durante o encontro articulado por meio da Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas (Cerif), a delegação conheceu o trabalho desenvolvido na Sesec e conversou com coordenadores e gestores da pasta. Estavam presentes o secretário da Sesec, Azevedo Vieira, o secretário-adjunto, Paulo Duarte, o diretor-geral da Guarda Municipal, Rômulo Reis, o coordenador da Defesa Civil de Fortaleza, Cristiano Ferrer e o coordenador adjunto da Cerif, Cláudio Nelson. A CICV é uma organização humanitária, independente e neutra, que se esforça em proporcionar proteção e assistência às vítimas da guerra e de outras situações de violência.

O programa "Acesso Mais Seguro" busca reduzir o impacto da violência sobre os serviços básicos e seus profissionais que atuam em áreas vulneráveis à violência, além de facilitar o acesso dessa população aos serviços públicos. Após o treinamento, a metodologia é multiplicada para que seja adotam medidas de autoproteção e protocolos de segurança para casos de emergência. De acordo com Filipe Tomé, em Fortaleza, o programa atuará nas áreas da Saúde, Educação, Assistência Social e Juventude. "Antes de iniciarmos os trabalhos, precisamos entender como funciona as políticas de segurança da cidade", ressaltou.

O titular da Sesec destacou a importância do programa. "Estamos de braços abertos para apresentar nossos resultados e projetos. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha é uma das instituições mais respeitadas e tem experiência em desenvolver ações em áreas mais expostas à violência. Sem dúvida, será mais um ganho importante para Fortaleza", afirmou.

A metodologia do Acesso Mais Seguro já foi replicada em 12 cidades brasileiras, entre elas Rio de Janeiro, Porto Alegre e Florianópolis. O projeto foi implementado em 2009 com foco nos profissionais em territórios vulneráveis do Rio de Janeiro e apresentou excelentes resultados. Na região Nordeste, Fortaleza será a primeira a receber a parceria do Comitê. Segundo o chefe adjunto da delegação da CICV, após ser assinado o termo de cooperação técnica com a Prefeitura, a previsão é que o programa tenha início no primeiro semestre de 2018.