09 de maio de 2013 em Saúde

Especialistas da OMS e Opas reúnem-se com secretária municipal de Saúde

A reunião foi realizada na última terça-feira (7) para firmar parcerias


Na pauta, soluções para melhorar a prevenção e tratamento da Sífilis congênita e de gestante (Foto: Kaio Machado)

Na última terça-feira (7), Socorro Martins, a titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), recebeu a médica Nathalie Broutet, da Organização Mundial de Saúde (OMS) e chefe do Department of Reproductive Health and Research (Departamento de Saúde e Pesquisa em Saúde Reprodutiva da OMS), e Rodolfo Gomez, gerente da Family Health and Life Course/Pan American Health Organization (Saúde Familiar e Curso da Vida da Organização Pan-Americana de Saúde). Na pauta estava o estabelecimento de parceria destas instituições internacionais com a Prefeitura da Fortaleza e apresentação de proposta de um projeto de treinamento à distância para profissionais da atenção primária que trabalham diretamente na prevenção e tratamento da sífilis congênita e de gestantes.

“Nosso trabalho, agora, é implementar novos processos e conseguir transformar o tratamento que hoje é dado para a sífilis. Para isso, precisamos identificar os gargalos, mudar a qualidade do nosso pré-natal e criar uma consciência com o cidadão para o perigo da doença”, explicou a secretária Socorro Martins.

A proposta apresentada oferece aos profissionais envolvidos com o atendimento e tratamento dos casos de sífilis identificados uma atualização sobre o problema, capacitação, além do acesso a novos protocolos que envolvem o tema. A ideia também foi apresentada para a Universidade de Fortaleza (Unifor) que, inclusive, pode ser inserida no processo de treinamento à distância.

Estão entre as ações que a SMS propõe para a problemática da sífilis: discussão com os profissionais de Saúde sobre a situação epidemiológica da doença em Fortaleza; capacitação para todos os profissionais de atenção primária para o diagnóstico precoce e tratamento, bem como no atendimento emergencial no caso de anafilaxia; e aquisição de kits de emergência para todas as unidades e de testes rápidos para diagnóstico de HIV e sífilis, além de geladeiras para acondicionamento, para todas as unidades.

Nathalie Broutet mostrou entusiasmo diante da nova política de saúde do Município e afirmou que acredita nessa e em outras parcerias ao longo da gestão. Já Rodolfo Gomez declarou que a implantação das novas medidas da SMS e a efetivação da parceria traria para a atual situação da sífilis em Fortaleza uma saída rápida e efetiva.

Os especialistas estrangeiros participaram, em Fortaleza, nos dias 6 e 7 de maio, do Seminário Internacional de Prevenção da Transmissão Vertical da Sífilis. O evento foi promovido pelo mestrado em saúde coletiva da Unifor, em parceria com a Secretaria de Saúde do Município de Fortaleza.

Especialistas da OMS e Opas reúnem-se com secretária municipal de Saúde

A reunião foi realizada na última terça-feira (7) para firmar parcerias

Na pauta, soluções para melhorar a prevenção e tratamento da Sífilis congênita e de gestante (Foto: Kaio Machado)

Na última terça-feira (7), Socorro Martins, a titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), recebeu a médica Nathalie Broutet, da Organização Mundial de Saúde (OMS) e chefe do Department of Reproductive Health and Research (Departamento de Saúde e Pesquisa em Saúde Reprodutiva da OMS), e Rodolfo Gomez, gerente da Family Health and Life Course/Pan American Health Organization (Saúde Familiar e Curso da Vida da Organização Pan-Americana de Saúde). Na pauta estava o estabelecimento de parceria destas instituições internacionais com a Prefeitura da Fortaleza e apresentação de proposta de um projeto de treinamento à distância para profissionais da atenção primária que trabalham diretamente na prevenção e tratamento da sífilis congênita e de gestantes.

“Nosso trabalho, agora, é implementar novos processos e conseguir transformar o tratamento que hoje é dado para a sífilis. Para isso, precisamos identificar os gargalos, mudar a qualidade do nosso pré-natal e criar uma consciência com o cidadão para o perigo da doença”, explicou a secretária Socorro Martins.

A proposta apresentada oferece aos profissionais envolvidos com o atendimento e tratamento dos casos de sífilis identificados uma atualização sobre o problema, capacitação, além do acesso a novos protocolos que envolvem o tema. A ideia também foi apresentada para a Universidade de Fortaleza (Unifor) que, inclusive, pode ser inserida no processo de treinamento à distância.

Estão entre as ações que a SMS propõe para a problemática da sífilis: discussão com os profissionais de Saúde sobre a situação epidemiológica da doença em Fortaleza; capacitação para todos os profissionais de atenção primária para o diagnóstico precoce e tratamento, bem como no atendimento emergencial no caso de anafilaxia; e aquisição de kits de emergência para todas as unidades e de testes rápidos para diagnóstico de HIV e sífilis, além de geladeiras para acondicionamento, para todas as unidades.

Nathalie Broutet mostrou entusiasmo diante da nova política de saúde do Município e afirmou que acredita nessa e em outras parcerias ao longo da gestão. Já Rodolfo Gomez declarou que a implantação das novas medidas da SMS e a efetivação da parceria traria para a atual situação da sífilis em Fortaleza uma saída rápida e efetiva.

Os especialistas estrangeiros participaram, em Fortaleza, nos dias 6 e 7 de maio, do Seminário Internacional de Prevenção da Transmissão Vertical da Sífilis. O evento foi promovido pelo mestrado em saúde coletiva da Unifor, em parceria com a Secretaria de Saúde do Município de Fortaleza.