25 de abril de 2022 em Saúde

Fortaleza apresenta ações de reforço no atendimento pediátrico da Rede Municipal de Saúde

Medidas, como ampliação e readequação de leitos, estão sendo implantadas devido ao aumento dos atendimentos de doenças respiratórias nos últimos meses


grupo de pessoas numa sala de entrevista
As medidas foram apresentadas em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (25/04) (Foto: Thiago Gaspar)

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (25/04), na Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), a titular da Saúde de Fortaleza, Ana Estela Leite, apresentou ações de reforço nos atendimentos e internações pediátricas da rede, elaboradas a partir do aumento dos atendimentos de doenças respiratórias observados nos últimos meses.

“Os sintomas começam com um resfriado, que pode virar uma pneumonia bacteriana grave. Temos casos que evoluíram para um derrame, casos que necessitam de procedimento cirúrgico e até internação em UTI”, alertou Ana Estela Leite.

Entre as ações em execução, a Prefeitura de Fortaleza está aumentando o número de leitos, por meio da contratação de leitos de retaguarda na rede contratualizada, além de promover a readequação e reestruturação de espaços para ampliar a capacidade de acolhimento no Hospital da Criança. Também foi autorizada a ampliação da contratação de plantonistas pediátricos nas UPAs municipais. Os 116 postos de saúde estão acolhendo casos de baixa complexidade e garantindo a vacinação, como forma de garantir a proteção das crianças de doenças que podem ser evitadas por meio de vacinas.

Aumento de casos

Durante o início do ano, foi verificado um aumento no número de atendimentos e internações pediátricas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e no Hospital da Criança de Fortaleza (HCF). De janeiro até o último domingo (24/04), foram registrados 50,8 mil atendimentos nas seis UPAs municipais, um aumento de 155% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 19,9 mil atendimentos.

Em relação às internações no Hospital da Criança, foi registrado um aumento de 43% entre 2021 e 2022. Este ano, 957 crianças foram internadas na unidade. Em relação aos atendimentos no HCF, o aumento registrado foi de 50%, com 16,2 mil em 2021, e 24,4 mil em 2022.

Hospital da Criança

Para garantir o acolhimento deste público, alguns espaços do Hospital da Criança foram readaptados. 40 leitos cirúrgicos da unidade foram readequados para leitos clínicos. Ao todo, a unidade possui 104 leitos, entre os de observação e cirúrgicos. Além disso, sete leitos foram reestruturados para funcionar como Unidade de Tratamento de Urgência (UTU).

O HCF tem perfil assistencial para casos de média complexidade e contempla laboratório de análises clínicas, exames de raio-x e fisioterapia hospitalar. A unidade, em parceria com a rede estadual, têm recebido demandas de cirurgias pediátricas advindas do Hospital Infantil Albert Sabin, por meio da regulação de leitos municipais.

UPAs

Nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), foi autorizada, caso haja necessidade, a ampliação da contratação de plantonistas pediátricos. As seis UPAs de Fortaleza geridas pelo Município, além do atendimento adulto, possuem um pediatra plantonista em cada unidade e realizam atendimento pediátrico de urgência e emergência 24h por dia, todos os dias.

Sopai

Na rede contratualizada, o Município ampliou os leitos de retaguarda na Sociedade de Assistência e Proteção à Infância (Sopai). De 60 leitos, o Município agora conta com 174 para internação pediátrica.

Postos de saúde

Além do Hospital da Criança e das UPAs, Fortaleza realiza atendimento médico nos 116 postos de saúde, nos casos de baixa complexidade. Durante a coletiva, a secretária executiva de Atenção à Saúde e Desenvolvimento Regional da Sesa, Tânia Mara, reforçou a necessidade de a população buscar as unidades. “É importante que a população busque os postos de saúde no início dos sintomas para garantir um tratamento efetivo e evitar sobrecarregar os hospitais com casos leves”, orientou.

Endereços dos 116 postos de saúde

Vacinação infantil

A secretária da Saúde de Fortaleza destacou, ainda, a importância primordial da vacinação. “Algumas dessas bactérias que levam a doenças respiratórias graves podem ser combatidas através de vacinas disponíveis na rede pública. Nós estamos fazendo a nossa parte com essas ações, mas precisamos do apoio integral dos principais envolvidos, que são os pais e cuidadores das nossas crianças”, reforçou Ana Estela.

Como forma de garantir a proteção das crianças de doenças imunizáveis, ou seja, que podem ser evitadas por meio de vacinas, Fortaleza antecipou a campanha de vacinação do sarampo e influenza desde o dia 12 de abril. O público, que seria contemplado a partir de maio, já tem acesso aos imunobiológicos nos 116 postos de saúde de segunda a sexta-feira, e em dois postos (Paulo Marcelo e Messejana) aos finais de semana e feriados.

Além das duas vacinas da campanha, são ofertadas, nas 116 unidades, 14 vacinas de rotina para as crianças: BCG, Hepatite B, Rotavírus, Pentavalente, Pólio Inativada, Pneumocócica 10 Valente, Meningite C, Tríplice Viral, Hepatite A, Varicela, Pólio Oral, Tríplice Bacteriana (DTP), Febre Amarela e, também, HPV.

O Município também segue vacinando crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. Até o último domingo (24/04), foram aplicadas 149.042 primeiras doses e 61.206 segundas doses especificamente neste público.

Fortaleza apresenta ações de reforço no atendimento pediátrico da Rede Municipal de Saúde

Medidas, como ampliação e readequação de leitos, estão sendo implantadas devido ao aumento dos atendimentos de doenças respiratórias nos últimos meses

grupo de pessoas numa sala de entrevista
As medidas foram apresentadas em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (25/04) (Foto: Thiago Gaspar)

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (25/04), na Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), a titular da Saúde de Fortaleza, Ana Estela Leite, apresentou ações de reforço nos atendimentos e internações pediátricas da rede, elaboradas a partir do aumento dos atendimentos de doenças respiratórias observados nos últimos meses.

“Os sintomas começam com um resfriado, que pode virar uma pneumonia bacteriana grave. Temos casos que evoluíram para um derrame, casos que necessitam de procedimento cirúrgico e até internação em UTI”, alertou Ana Estela Leite.

Entre as ações em execução, a Prefeitura de Fortaleza está aumentando o número de leitos, por meio da contratação de leitos de retaguarda na rede contratualizada, além de promover a readequação e reestruturação de espaços para ampliar a capacidade de acolhimento no Hospital da Criança. Também foi autorizada a ampliação da contratação de plantonistas pediátricos nas UPAs municipais. Os 116 postos de saúde estão acolhendo casos de baixa complexidade e garantindo a vacinação, como forma de garantir a proteção das crianças de doenças que podem ser evitadas por meio de vacinas.

Aumento de casos

Durante o início do ano, foi verificado um aumento no número de atendimentos e internações pediátricas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e no Hospital da Criança de Fortaleza (HCF). De janeiro até o último domingo (24/04), foram registrados 50,8 mil atendimentos nas seis UPAs municipais, um aumento de 155% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 19,9 mil atendimentos.

Em relação às internações no Hospital da Criança, foi registrado um aumento de 43% entre 2021 e 2022. Este ano, 957 crianças foram internadas na unidade. Em relação aos atendimentos no HCF, o aumento registrado foi de 50%, com 16,2 mil em 2021, e 24,4 mil em 2022.

Hospital da Criança

Para garantir o acolhimento deste público, alguns espaços do Hospital da Criança foram readaptados. 40 leitos cirúrgicos da unidade foram readequados para leitos clínicos. Ao todo, a unidade possui 104 leitos, entre os de observação e cirúrgicos. Além disso, sete leitos foram reestruturados para funcionar como Unidade de Tratamento de Urgência (UTU).

O HCF tem perfil assistencial para casos de média complexidade e contempla laboratório de análises clínicas, exames de raio-x e fisioterapia hospitalar. A unidade, em parceria com a rede estadual, têm recebido demandas de cirurgias pediátricas advindas do Hospital Infantil Albert Sabin, por meio da regulação de leitos municipais.

UPAs

Nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), foi autorizada, caso haja necessidade, a ampliação da contratação de plantonistas pediátricos. As seis UPAs de Fortaleza geridas pelo Município, além do atendimento adulto, possuem um pediatra plantonista em cada unidade e realizam atendimento pediátrico de urgência e emergência 24h por dia, todos os dias.

Sopai

Na rede contratualizada, o Município ampliou os leitos de retaguarda na Sociedade de Assistência e Proteção à Infância (Sopai). De 60 leitos, o Município agora conta com 174 para internação pediátrica.

Postos de saúde

Além do Hospital da Criança e das UPAs, Fortaleza realiza atendimento médico nos 116 postos de saúde, nos casos de baixa complexidade. Durante a coletiva, a secretária executiva de Atenção à Saúde e Desenvolvimento Regional da Sesa, Tânia Mara, reforçou a necessidade de a população buscar as unidades. “É importante que a população busque os postos de saúde no início dos sintomas para garantir um tratamento efetivo e evitar sobrecarregar os hospitais com casos leves”, orientou.

Endereços dos 116 postos de saúde

Vacinação infantil

A secretária da Saúde de Fortaleza destacou, ainda, a importância primordial da vacinação. “Algumas dessas bactérias que levam a doenças respiratórias graves podem ser combatidas através de vacinas disponíveis na rede pública. Nós estamos fazendo a nossa parte com essas ações, mas precisamos do apoio integral dos principais envolvidos, que são os pais e cuidadores das nossas crianças”, reforçou Ana Estela.

Como forma de garantir a proteção das crianças de doenças imunizáveis, ou seja, que podem ser evitadas por meio de vacinas, Fortaleza antecipou a campanha de vacinação do sarampo e influenza desde o dia 12 de abril. O público, que seria contemplado a partir de maio, já tem acesso aos imunobiológicos nos 116 postos de saúde de segunda a sexta-feira, e em dois postos (Paulo Marcelo e Messejana) aos finais de semana e feriados.

Além das duas vacinas da campanha, são ofertadas, nas 116 unidades, 14 vacinas de rotina para as crianças: BCG, Hepatite B, Rotavírus, Pentavalente, Pólio Inativada, Pneumocócica 10 Valente, Meningite C, Tríplice Viral, Hepatite A, Varicela, Pólio Oral, Tríplice Bacteriana (DTP), Febre Amarela e, também, HPV.

O Município também segue vacinando crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. Até o último domingo (24/04), foram aplicadas 149.042 primeiras doses e 61.206 segundas doses especificamente neste público.