19 de fevereiro de 2021 em Social

Projeto Horta Social já beneficiou cerca de 1.200 pessoas acolhidas em instituições

Ao todo, foram mais de 1.400 quilos de hortaliças distribuídos para 14 entidades beneficentes


um homem carrega uma caixa cheia de alfaces dentro da horta social
O alimento foi distribuído a partir das três primeiras colheitas de hortaliças cultivadas nas Hortas Sociais do Conjunto Ceará e da Granja Portugal (Foto: SDHDS/Divulgação)

A Prefeitura de Fortaleza, por meio do projeto Horta Social, já beneficiou cerca de 1.200 pessoas acolhidas em instituições com mais de 1.400 quilos de hortaliças nestes meses de janeiro e fevereiro de 2021. O alimento foi distribuído a partir das três primeiras colheitas de hortaliças cultivadas nas Hortas Sociais do Conjunto Ceará e da Granja Portugal. Ao todo, são 14 instituições beneficiadas, que atuam na proteção e no cuidado da população mais vulnerável. A ação é articulada pela Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e faz parte do projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso.

As três primeiras colheitas de hortaliças foram distribuídas nas instituições Santa Casa de Misericórdia, Unidade Abrigo de Idoso Olavo Bilac, Instituto Hesed, Lar Torres de Melo, Associação Casa de Abrigo do Idoso Três Irmãs, Casa de Idoso Recanto Bom Viver, Associação de Assistência Social Catarina Laboure, Lar Amigo de Jesus, Associação Regional da Caridade São Vicente de Paulo do Ceará, Casa de Nazaré, Lar Santa Bárbara, Lar Nossa Senhora de Fátima, Abrigo de Idosos São Pedro Julião Eymard e Instituto Compartilha (Sameac).

Entre os alimentos distribuídos, estão tomate-cereja, alface, couve e coentro. O benefício tem contribuído para a garantia da segurança alimentar da pessoa idosa e de crianças e adolescentes, principalmente neste período de pandemia da Covid-19.

Nas Hortas Sociais são cultivadas hortaliças 100% orgânicas, em três estufas (duas no Conjunto Ceará e uma na Granja Portugal), de 750 metros quadrados cada, com irrigação automatizada – por gotejamento e plantadas no sistema de vasos (fibra de coco estéril).

mulher de máscara
A gerente administrativa do Lar Torres de Melo, Lúcia Severo, ressaltou a importância das doações para a instituição (Foto: Nayara Azevedo)

A gerente administrativa do Lar Torres de Melo, Lúcia Severo, ressaltou a importância das doações para a instituição. "Receber as hortaliças nos permite oferecer um cardápio variado de refeições, tornando-as mais nutritivas e de qualidade. Assim, contribuímos para uma vida mais saudável dos idosos que aqui residem”, afirmou.

A Irmã Conceição Dias, diretora do Lar Amigos de Jesus, que atende crianças e adolescentes em tratamento de saúde, é muito grata por receber os donativos. “É com muita alegria que recebemos as verduras, que são cultivadas sem agrotóxico. As crianças acolhidas na entidade merecem ter alimentação de qualidade e segura, necessária durante o tratamento da doença”, declarou

“Doar alimentos é um ato de solidariedade fundamental no momento em que estamos vivendo. É importante manter uma alimentação saudável em todas as fases da vida e, por meio das Hortas Sociais, estamos conseguindo contribuir para a garantia de uma refeição mais completa que é distribuída às pessoas atendidas pelas instituições”, ressaltou o secretário dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Cláudio Pinho.

Ampliação de estufas

O titular da SDHDS destacou também a ampliação das estufas em Fortaleza. “Além de manter as ações existentes, vamos dar continuidade na ampliação do projeto, com a implantação de 12 estufas em diversos bairros de Fortaleza. O objetivo é fortalecer as políticas públicas, principalmente para a pessoa idosa, visando garantir o envelhecimento ativo e saudável da população”.

Das 12 estufas a serem implantadas, seis delas estão em construção e vão atender os bairros Jardim das Oliveiras, Conjunto Palmeiras, Ancuri, Jacarecanga, Mondubim e Vila Velha, com entrega prevista para o final de 2021.

O projeto

O Projeto Horta Social foi instituído pela Prefeitura de Fortaleza em 2016 e tem contribuído para melhorar a vida de milhares de pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social, ao mesmo tempo em que incentiva a agricultura urbana. A atividade tem o objetivo de promover a garantia de segurança alimentar, incentivar a agricultura familiar urbana e estimular o convívio social de famílias de idosos em situação de vulnerabilidade social, por meio da produção de hortaliças como couve manteiga, coentro, alface americana e crespa, além de pimentinha de cheiro, tomate cereja, pimentão vermelho, pimentão verde e pimentão amarelo.

Para garantir a segurança dos idosos inseridos no projeto e evitar aglomeração nas unidades das Hortas, as atividades presenciais estão suspensas desde de março de 2020. Com isso, a estratégia da coordenação do projeto foi doar as hortaliças para entidades beneficentes.

Projeto Horta Social já beneficiou cerca de 1.200 pessoas acolhidas em instituições

Ao todo, foram mais de 1.400 quilos de hortaliças distribuídos para 14 entidades beneficentes

um homem carrega uma caixa cheia de alfaces dentro da horta social
O alimento foi distribuído a partir das três primeiras colheitas de hortaliças cultivadas nas Hortas Sociais do Conjunto Ceará e da Granja Portugal (Foto: SDHDS/Divulgação)

A Prefeitura de Fortaleza, por meio do projeto Horta Social, já beneficiou cerca de 1.200 pessoas acolhidas em instituições com mais de 1.400 quilos de hortaliças nestes meses de janeiro e fevereiro de 2021. O alimento foi distribuído a partir das três primeiras colheitas de hortaliças cultivadas nas Hortas Sociais do Conjunto Ceará e da Granja Portugal. Ao todo, são 14 instituições beneficiadas, que atuam na proteção e no cuidado da população mais vulnerável. A ação é articulada pela Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e faz parte do projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso.

As três primeiras colheitas de hortaliças foram distribuídas nas instituições Santa Casa de Misericórdia, Unidade Abrigo de Idoso Olavo Bilac, Instituto Hesed, Lar Torres de Melo, Associação Casa de Abrigo do Idoso Três Irmãs, Casa de Idoso Recanto Bom Viver, Associação de Assistência Social Catarina Laboure, Lar Amigo de Jesus, Associação Regional da Caridade São Vicente de Paulo do Ceará, Casa de Nazaré, Lar Santa Bárbara, Lar Nossa Senhora de Fátima, Abrigo de Idosos São Pedro Julião Eymard e Instituto Compartilha (Sameac).

Entre os alimentos distribuídos, estão tomate-cereja, alface, couve e coentro. O benefício tem contribuído para a garantia da segurança alimentar da pessoa idosa e de crianças e adolescentes, principalmente neste período de pandemia da Covid-19.

Nas Hortas Sociais são cultivadas hortaliças 100% orgânicas, em três estufas (duas no Conjunto Ceará e uma na Granja Portugal), de 750 metros quadrados cada, com irrigação automatizada – por gotejamento e plantadas no sistema de vasos (fibra de coco estéril).

mulher de máscara
A gerente administrativa do Lar Torres de Melo, Lúcia Severo, ressaltou a importância das doações para a instituição (Foto: Nayara Azevedo)

A gerente administrativa do Lar Torres de Melo, Lúcia Severo, ressaltou a importância das doações para a instituição. "Receber as hortaliças nos permite oferecer um cardápio variado de refeições, tornando-as mais nutritivas e de qualidade. Assim, contribuímos para uma vida mais saudável dos idosos que aqui residem”, afirmou.

A Irmã Conceição Dias, diretora do Lar Amigos de Jesus, que atende crianças e adolescentes em tratamento de saúde, é muito grata por receber os donativos. “É com muita alegria que recebemos as verduras, que são cultivadas sem agrotóxico. As crianças acolhidas na entidade merecem ter alimentação de qualidade e segura, necessária durante o tratamento da doença”, declarou

“Doar alimentos é um ato de solidariedade fundamental no momento em que estamos vivendo. É importante manter uma alimentação saudável em todas as fases da vida e, por meio das Hortas Sociais, estamos conseguindo contribuir para a garantia de uma refeição mais completa que é distribuída às pessoas atendidas pelas instituições”, ressaltou o secretário dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Cláudio Pinho.

Ampliação de estufas

O titular da SDHDS destacou também a ampliação das estufas em Fortaleza. “Além de manter as ações existentes, vamos dar continuidade na ampliação do projeto, com a implantação de 12 estufas em diversos bairros de Fortaleza. O objetivo é fortalecer as políticas públicas, principalmente para a pessoa idosa, visando garantir o envelhecimento ativo e saudável da população”.

Das 12 estufas a serem implantadas, seis delas estão em construção e vão atender os bairros Jardim das Oliveiras, Conjunto Palmeiras, Ancuri, Jacarecanga, Mondubim e Vila Velha, com entrega prevista para o final de 2021.

O projeto

O Projeto Horta Social foi instituído pela Prefeitura de Fortaleza em 2016 e tem contribuído para melhorar a vida de milhares de pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social, ao mesmo tempo em que incentiva a agricultura urbana. A atividade tem o objetivo de promover a garantia de segurança alimentar, incentivar a agricultura familiar urbana e estimular o convívio social de famílias de idosos em situação de vulnerabilidade social, por meio da produção de hortaliças como couve manteiga, coentro, alface americana e crespa, além de pimentinha de cheiro, tomate cereja, pimentão vermelho, pimentão verde e pimentão amarelo.

Para garantir a segurança dos idosos inseridos no projeto e evitar aglomeração nas unidades das Hortas, as atividades presenciais estão suspensas desde de março de 2020. Com isso, a estratégia da coordenação do projeto foi doar as hortaliças para entidades beneficentes.