11 de março de 2013 em Social

Conselho Municipal de Assistência Social realiza primeira reunião do biênio 2013-2015

O órgão reúne 40 conselheiros, entre representantes do poder público e da sociedade civil


Eleitos através de assembleia geral, os membros do CMAS exercerão um mandato de dois anos

O Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) realizou o primeiro encontro do biênio 2013-2015 no último dia 08 de março na sede do órgão. Participaram do encontro, o titular da Secretaria Municipal de Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome (Setra), Cláudio Ricardo, conselheiros titulares e suplentes.

Os conselheiros receberam as boas vindas do secretário Cláudio Ricardo, que na ocasião reforçou o papel de todos no avanço da Política Municipal de Assistência Social. “Vocês têm um papel de grande importância. Devemos fazer essa política valer a pena. Vamos executar a política de forma integrada e colaborativa, assim as pessoas mais vulneráveis é que vão ganhar”, disse. Cláudio Ricardo chamou atenção ainda para o dado de que Fortaleza é uma cidade complexa e com indicadores que preocupam a todos, apresentando-se extremamente apartada. Diante disso, para ele, “o papel de buscar o equilíbrio e tentar reduzir essas desigualdades é de todos”.

Durante a reunião, os conselheiros efetuaram a eleição da mesa diretora, presidente e vice-presidente do CMAS, aprovaram o calendário anual de reuniões, conferiram as apresentações dos trabalhos desenvolvidos nos dois meses da nova administração municipal e da proposta de restruturação da Secretaria. Os presentes conheceram ainda os detalhes do processo de seleção simplificada que será feito para a admissão de equipes para o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e discutiram a realização da Conferência Municipal de Assistência Social.

Saiba mais
O CMAS é um órgão deliberativo e fiscalizador da Política Municipal de Assistência Social. O colegiado é formado por 40 conselheiros, entre titulares e suplentes. Metade dos conselheiros representa o poder público e a outra metade a sociedade civil - entidades socioassistenciais, usuários e trabalhadores da Assistência Social, eleitos através de assembleia geral para um mandato de dois anos, podendo ser reconduzidos à função uma única vez.

Conselho Municipal de Assistência Social realiza primeira reunião do biênio 2013-2015

O órgão reúne 40 conselheiros, entre representantes do poder público e da sociedade civil

Eleitos através de assembleia geral, os membros do CMAS exercerão um mandato de dois anos

O Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) realizou o primeiro encontro do biênio 2013-2015 no último dia 08 de março na sede do órgão. Participaram do encontro, o titular da Secretaria Municipal de Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome (Setra), Cláudio Ricardo, conselheiros titulares e suplentes.

Os conselheiros receberam as boas vindas do secretário Cláudio Ricardo, que na ocasião reforçou o papel de todos no avanço da Política Municipal de Assistência Social. “Vocês têm um papel de grande importância. Devemos fazer essa política valer a pena. Vamos executar a política de forma integrada e colaborativa, assim as pessoas mais vulneráveis é que vão ganhar”, disse. Cláudio Ricardo chamou atenção ainda para o dado de que Fortaleza é uma cidade complexa e com indicadores que preocupam a todos, apresentando-se extremamente apartada. Diante disso, para ele, “o papel de buscar o equilíbrio e tentar reduzir essas desigualdades é de todos”.

Durante a reunião, os conselheiros efetuaram a eleição da mesa diretora, presidente e vice-presidente do CMAS, aprovaram o calendário anual de reuniões, conferiram as apresentações dos trabalhos desenvolvidos nos dois meses da nova administração municipal e da proposta de restruturação da Secretaria. Os presentes conheceram ainda os detalhes do processo de seleção simplificada que será feito para a admissão de equipes para o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e discutiram a realização da Conferência Municipal de Assistência Social.

Saiba mais
O CMAS é um órgão deliberativo e fiscalizador da Política Municipal de Assistência Social. O colegiado é formado por 40 conselheiros, entre titulares e suplentes. Metade dos conselheiros representa o poder público e a outra metade a sociedade civil - entidades socioassistenciais, usuários e trabalhadores da Assistência Social, eleitos através de assembleia geral para um mandato de dois anos, podendo ser reconduzidos à função uma única vez.