07 de maio de 2013 em Juventude

Cucas das Regionais V e VI têm obras retomadas

Por conta de dívidas da gestão passada, os equipamentos receberam acréscimo de R$ 11 milhões do Tesouro Municipal


No Cuca do Mondubim, o teatro é um dos equipamentos inacabados (Foto: Marcos Moura)

Nesta terça-feira (7/5), a  Prefeitura de Fortaleza retomou as obras dos Centros Urbanos de Cultura, Arte, Ciência e Esporte das Regionais V (Mondubim) e VI (Conjunto São Cristovão). Atualmente, o Cuca V encontra-se com aproximadamente 85% das obras executadas e o Cuca VI está um pouco mais atrasado, com 60% de sua estrutura concluída.

Por conta de dívidas da gestão passada, os equipamentos tiveram que receber acréscimo de recursos oriundos do Tesouro Municipal da ordem de R$ 11 milhões. No total, o Cuca da Regional V contará com investimento de R$ 14 milhões e a unidade da Regional VI demandará R$ 20 milhões.

“O prefeito Roberto Cláudio assumiu sua gestão priorizando as políticas de juventude. E os Cucas são usinas criativas onde é possível gerar capital social, intelectual, econômico e cultural. Esses equipamentos exercem um papel primordial de inserção dos jovens de 15 a 29 anos na sociedade”, explicou o secretário de Juventude, Élcio Batista, que esteve acompanhado do secretário de Infraestrutura, Samuel Dias, e do secretário da Regional VI, Renato Lima em visita guiada com a imprensa nesta terça-feira.

Em ambos os empreendimentos, está faltando finalizar o acabamento do teatro e das salas de aula, instalar o sistema de climatização, além de licitações importantes para o funcionamento. No Cuca VI, também estão pendentes as obras de pavimentação do entorno.

Cada empreendimento demanda R$ 8 milhões ao ano para o pleno funcionamento e deve ser instalado um por Regional.

Socialização
Cerca de mil jovens são atendidos em cada Cuca. São cursos gratuitos em diversas áreas do conhecimento, como teatro, audiovisual, gastronomia, música, fotografia, circo, dança e comunicação. Além dos cursos de formação, também são ofertadas vagas para as práticas esportivas.

Élcio Batista destacou o objetivo principal desses equipamentos de socialização que é tirar os jovens da ociosidade. Em Fortaleza, hoje, vivem 720 mil jovens na faixa etária alvo do projeto. “O que queremos é que esses equipamentos funcionem a maior parte do tempo e todos os dias. Vamos atender a comunidade diariamente até às 22h e aos sábados e domingos, assim como já acontece no Cuca da Regional I, na Barra do Ceará”, informou o secretário de Juventude.

Outras obras
O prefeito Roberto Cláudio dará a Ordem de Serviço para o início da construção de três Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs). Para esses empreendimentos será destinado um total de R$ 8,5 milhões provenientes do Ministério da Cultura. A Prefeitura de Fortaleza também irá retomar a obra da Praça da Juventude, na Granja Portugal. O equipamento terá investimento de R$ 1,3 milhão.

Cucas das Regionais V e VI têm obras retomadas

Por conta de dívidas da gestão passada, os equipamentos receberam acréscimo de R$ 11 milhões do Tesouro Municipal

No Cuca do Mondubim, o teatro é um dos equipamentos inacabados (Foto: Marcos Moura)

Nesta terça-feira (7/5), a  Prefeitura de Fortaleza retomou as obras dos Centros Urbanos de Cultura, Arte, Ciência e Esporte das Regionais V (Mondubim) e VI (Conjunto São Cristovão). Atualmente, o Cuca V encontra-se com aproximadamente 85% das obras executadas e o Cuca VI está um pouco mais atrasado, com 60% de sua estrutura concluída.

Por conta de dívidas da gestão passada, os equipamentos tiveram que receber acréscimo de recursos oriundos do Tesouro Municipal da ordem de R$ 11 milhões. No total, o Cuca da Regional V contará com investimento de R$ 14 milhões e a unidade da Regional VI demandará R$ 20 milhões.

“O prefeito Roberto Cláudio assumiu sua gestão priorizando as políticas de juventude. E os Cucas são usinas criativas onde é possível gerar capital social, intelectual, econômico e cultural. Esses equipamentos exercem um papel primordial de inserção dos jovens de 15 a 29 anos na sociedade”, explicou o secretário de Juventude, Élcio Batista, que esteve acompanhado do secretário de Infraestrutura, Samuel Dias, e do secretário da Regional VI, Renato Lima em visita guiada com a imprensa nesta terça-feira.

Em ambos os empreendimentos, está faltando finalizar o acabamento do teatro e das salas de aula, instalar o sistema de climatização, além de licitações importantes para o funcionamento. No Cuca VI, também estão pendentes as obras de pavimentação do entorno.

Cada empreendimento demanda R$ 8 milhões ao ano para o pleno funcionamento e deve ser instalado um por Regional.

Socialização
Cerca de mil jovens são atendidos em cada Cuca. São cursos gratuitos em diversas áreas do conhecimento, como teatro, audiovisual, gastronomia, música, fotografia, circo, dança e comunicação. Além dos cursos de formação, também são ofertadas vagas para as práticas esportivas.

Élcio Batista destacou o objetivo principal desses equipamentos de socialização que é tirar os jovens da ociosidade. Em Fortaleza, hoje, vivem 720 mil jovens na faixa etária alvo do projeto. “O que queremos é que esses equipamentos funcionem a maior parte do tempo e todos os dias. Vamos atender a comunidade diariamente até às 22h e aos sábados e domingos, assim como já acontece no Cuca da Regional I, na Barra do Ceará”, informou o secretário de Juventude.

Outras obras
O prefeito Roberto Cláudio dará a Ordem de Serviço para o início da construção de três Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs). Para esses empreendimentos será destinado um total de R$ 8,5 milhões provenientes do Ministério da Cultura. A Prefeitura de Fortaleza também irá retomar a obra da Praça da Juventude, na Granja Portugal. O equipamento terá investimento de R$ 1,3 milhão.