11 de maio de 2021 em Mobilidade

Média de acidentes com mortes cai 67% após readequação de velocidade em vias de Fortaleza

A redução de 60 para 50 km/h aumenta em dez vezes a chance de sobrevivência do pedestre


Um estudo realizado pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) apontou que a média de acidentes com mortes em Fortaleza caiu 67% em vias que tiveram a velocidade readequada entre 2016 e 2020. O estudo considerou dados de sinistros contabilizados no período antes e depois da implantação de 50 km/h nas avenidas Presidente Castelo Branco, Osório de Paiva, Francisco Sá e Augusto dos Anjos.

De acordo com o estudo, o quantitativo de acidentes com vitimas feridas também apresentou redução de 20,9%, enquanto os índices de atropelamento sofreram queda de 19,7%. Em todo o mundo, a velocidade excessiva é a causa de uma em cada três mortes por acidentes de trânsito.

As medidas de readequação da velocidade visam garantir a segurança de todos os usários, principalmente, dos mais frágeis como pedestres e ciclistas. "Ao reduzir a velocidade máxima de 60 para 50 km/h, estamos aumentando em dez vezes a chance de uma pessoa atropelada sobreviver", defende Juliana Coelho, superintendente da AMC.

Velocidade regulamentada

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a velocidade máxima de vias urbanas seja 50 km/h. Em Fortaleza, de janeiro a maio deste ano, as avenidas José Leon, Vereador Pedro Paulo, Leste-Oeste (trecho entre Jacinto Matos e Dom Manuel), Santos Dumont, Dom Luís, Bernardo Manuel, João de Araújo Lima, Osório de Paiva (trecho entre Perimetral e Quarto Anel Viário), Abolição, Historiador Rimundo Girão e Antônio Sales tiveram o novo limite estabelecido, mas ainda em caráter educativo sem aplicação de penalidade para os que excederem o novo limite.

"A velocidade é reconhecida como um dos principais fatores de risco de acidentes de trânsito, contribuindo tanto para ocorrência quanto para a gravidade. Adotamos essa prática, já comprovada internacionalmente, para continuarmos salvando vidas. A medida não tem qualquer fim arrecadatório, tanto é que sempre damos um período educativo de seis meses para que os motoristas se adequem", esclarece Juliana.

Riscos

Quanto mais rápido um veículo estiver trafegando, maior será o impacto de um acidente de trânsito. Dessa forma, a velocidade afeta não só o risco de ocorrência de um sinistro, mas a gravidade com que ele ocorre.

A velocidade elevada compromete a visão periférica que o motorista tem de seu entorno. Quanto maior a velocidade, menor o alcance da visão periférica, de tal forma que a percepção do motorista sobre os elementos da via diminui.

Uma redução de até 5% na velocidade do veículo pode resultar em 30% menos sinistros fatais.

Lista de vias que tiveram a velocidade readequada nos últimos seis anos:


Av. Beira Mar 40 km/h
Av. Monsenhor Tabosa 40 km/h
R. Paulo Firmeza 40 km/h
R. Mons. Salazar 40 km/h
R. Ana Bilhar 40 km/h
R. Canuto de Aguiar 40 km/h
R. Pe. Guerra 40 km/h
R. Dom Manuel de Medeiros 40 km/h
Av. Abolição 50 km/h
Av. Antônio Sales 50 km/h
Av. Augusto dos Anjos 50 km/h
Av. Bernardo Manuel 50 km/h
Av. Cel. Carvalho 50 km/h
Av. Dom Luís 50 km/h
Av. Duque de Caxias 50 km/h
Av. Francisco Sá 50 km/h
Av. Frei Cirilo 50 km/h
Av. Gal. Osório de Paiva 50 km/h
Av. Gomes de Matos 50 km/h
Av. João de Araújo Lima 50 km/h
Av. José Leon 50 km/h
Av. Pres. Castelo Branco 50 km/h
Av. Santos Dumont 50 km/h
R. Alberto Magno 50 km/h
R. Vereadro Pedro Paulo 50 km/h

 

Média de acidentes com mortes cai 67% após readequação de velocidade em vias de Fortaleza

A redução de 60 para 50 km/h aumenta em dez vezes a chance de sobrevivência do pedestre

Um estudo realizado pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) apontou que a média de acidentes com mortes em Fortaleza caiu 67% em vias que tiveram a velocidade readequada entre 2016 e 2020. O estudo considerou dados de sinistros contabilizados no período antes e depois da implantação de 50 km/h nas avenidas Presidente Castelo Branco, Osório de Paiva, Francisco Sá e Augusto dos Anjos.

De acordo com o estudo, o quantitativo de acidentes com vitimas feridas também apresentou redução de 20,9%, enquanto os índices de atropelamento sofreram queda de 19,7%. Em todo o mundo, a velocidade excessiva é a causa de uma em cada três mortes por acidentes de trânsito.

As medidas de readequação da velocidade visam garantir a segurança de todos os usários, principalmente, dos mais frágeis como pedestres e ciclistas. "Ao reduzir a velocidade máxima de 60 para 50 km/h, estamos aumentando em dez vezes a chance de uma pessoa atropelada sobreviver", defende Juliana Coelho, superintendente da AMC.

Velocidade regulamentada

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a velocidade máxima de vias urbanas seja 50 km/h. Em Fortaleza, de janeiro a maio deste ano, as avenidas José Leon, Vereador Pedro Paulo, Leste-Oeste (trecho entre Jacinto Matos e Dom Manuel), Santos Dumont, Dom Luís, Bernardo Manuel, João de Araújo Lima, Osório de Paiva (trecho entre Perimetral e Quarto Anel Viário), Abolição, Historiador Rimundo Girão e Antônio Sales tiveram o novo limite estabelecido, mas ainda em caráter educativo sem aplicação de penalidade para os que excederem o novo limite.

"A velocidade é reconhecida como um dos principais fatores de risco de acidentes de trânsito, contribuindo tanto para ocorrência quanto para a gravidade. Adotamos essa prática, já comprovada internacionalmente, para continuarmos salvando vidas. A medida não tem qualquer fim arrecadatório, tanto é que sempre damos um período educativo de seis meses para que os motoristas se adequem", esclarece Juliana.

Riscos

Quanto mais rápido um veículo estiver trafegando, maior será o impacto de um acidente de trânsito. Dessa forma, a velocidade afeta não só o risco de ocorrência de um sinistro, mas a gravidade com que ele ocorre.

A velocidade elevada compromete a visão periférica que o motorista tem de seu entorno. Quanto maior a velocidade, menor o alcance da visão periférica, de tal forma que a percepção do motorista sobre os elementos da via diminui.

Uma redução de até 5% na velocidade do veículo pode resultar em 30% menos sinistros fatais.

Lista de vias que tiveram a velocidade readequada nos últimos seis anos:


Av. Beira Mar 40 km/h
Av. Monsenhor Tabosa 40 km/h
R. Paulo Firmeza 40 km/h
R. Mons. Salazar 40 km/h
R. Ana Bilhar 40 km/h
R. Canuto de Aguiar 40 km/h
R. Pe. Guerra 40 km/h
R. Dom Manuel de Medeiros 40 km/h
Av. Abolição 50 km/h
Av. Antônio Sales 50 km/h
Av. Augusto dos Anjos 50 km/h
Av. Bernardo Manuel 50 km/h
Av. Cel. Carvalho 50 km/h
Av. Dom Luís 50 km/h
Av. Duque de Caxias 50 km/h
Av. Francisco Sá 50 km/h
Av. Frei Cirilo 50 km/h
Av. Gal. Osório de Paiva 50 km/h
Av. Gomes de Matos 50 km/h
Av. João de Araújo Lima 50 km/h
Av. José Leon 50 km/h
Av. Pres. Castelo Branco 50 km/h
Av. Santos Dumont 50 km/h
R. Alberto Magno 50 km/h
R. Vereadro Pedro Paulo 50 km/h