12 de dezembro de 2017 em Segurança Cidadã

Representantes de Israel conhecem Plano Municipal de Proteção Urbana de Fortaleza

A ideia é firmar parcerias no âmbito da segurança e da tecnologia da informação


Todos foram no topo da torre onde será montada a central de monitoramento
A torre do Jangurussu está com mais de 70% da obra concluídos

Representantes da Embaixada de Israel conheceram o Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU), que será desenvolvido pela Prefeitura de Fortaleza, e o local da primeira Célula de Proteção Comunitária, no Jangurussu. Eles foram recebidos, nesta terça-feira (12/12), pela manhã, pelo coordenador adjunto da Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas (Cerif), Cláudio Nelson, e pela secretário executivo da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Luiz Alberto Sabóia. Durante a reunião, foram apresentados programas desenvolvidos pela Prefeitura de Fortaleza na área de segurança e smart cities. A Cerif vem articulando as parcerias entre o governo de Israel e Fortaleza.

À tarde, a comitiva esteve com o titular da Secretaria Municipal da Segurança Cidadã (Sesec), Azevedo Vieira. O encontro visa firmar parcerias no âmbito da segurança e da tecnologia da informação, principalmente para o uso de vigilância eletrônica. Para o secretário, a visita demostra que o PMPU é um projeto inovador e que vai trazer novas perspectivas para a área da segurança. “Estamos apostando nesse projeto pioneiro no Brasil, que dará a oportunidade da Guarda Municipal de Fortaleza ampliar as suas ações na Cidade”, afirmou Azevedo Vieira.

Já a assessora especial da Embaixada de Israel, Sheila Sztutman, classificou o projeto como importante para a Capital, porém destaca que a evolução dependerá de outras questões. “Não apenas de segurança se constrói as cidades seguras, mas com outros fatores que a gente sabe que vêm ocorrendo em Fortaleza, como investimentos na mobilidade, na saúde, na educação, entre outros”, observou.

Estrutura
De acordo com o engenheiro responsável, Luís Carlos Ribeiro, a Célula no bairro Jangurussu está com mais de 70% da obra concluídos. “Na parte da estrutura, avançamos bastante, e agora vamos partir para os acabamentos”, destacou. A partir desta quarta-feira (13/12), começará o trabalho de fixação dos 27 postes que receberão as câmeras do sistema de monitoramento operacionalizado por guardas municipais nas torres.

PMPU
O Plano Municipal de Proteção Urbana, previsto para iniciar em ainda neste mês, tem o objetivo de unir técnicas preditivas e ostensivas para evitar ocorrências de delitos, por meio de vigilância eletrônica e sistemática. Na prática, ocorrerão patrulhamentos em um raio de 14 quarteirões, com o emprego médio de 40 guardas municipais e 20 policiais militares, que atuarão a pé, em bicicletas e em motos.

A partir do estudo das Células de Proteção Comunitária, também serão definidos conceitos para aplicação de prevenções primárias, com urbanização, lazer e iluminação, além de ações prevencionistas com iniciativas culturais, educativas e de desporto e, no campo social, iniciativas de mediação de conflitos, educação para trânsito, empreendedorismo para a geração de emprego e renda, por meio das Tendas da Cidadania.

Representantes de Israel conhecem Plano Municipal de Proteção Urbana de Fortaleza

A ideia é firmar parcerias no âmbito da segurança e da tecnologia da informação

Todos foram no topo da torre onde será montada a central de monitoramento
A torre do Jangurussu está com mais de 70% da obra concluídos

Representantes da Embaixada de Israel conheceram o Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU), que será desenvolvido pela Prefeitura de Fortaleza, e o local da primeira Célula de Proteção Comunitária, no Jangurussu. Eles foram recebidos, nesta terça-feira (12/12), pela manhã, pelo coordenador adjunto da Coordenadoria Especial de Relações Internacionais e Federativas (Cerif), Cláudio Nelson, e pela secretário executivo da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Luiz Alberto Sabóia. Durante a reunião, foram apresentados programas desenvolvidos pela Prefeitura de Fortaleza na área de segurança e smart cities. A Cerif vem articulando as parcerias entre o governo de Israel e Fortaleza.

À tarde, a comitiva esteve com o titular da Secretaria Municipal da Segurança Cidadã (Sesec), Azevedo Vieira. O encontro visa firmar parcerias no âmbito da segurança e da tecnologia da informação, principalmente para o uso de vigilância eletrônica. Para o secretário, a visita demostra que o PMPU é um projeto inovador e que vai trazer novas perspectivas para a área da segurança. “Estamos apostando nesse projeto pioneiro no Brasil, que dará a oportunidade da Guarda Municipal de Fortaleza ampliar as suas ações na Cidade”, afirmou Azevedo Vieira.

Já a assessora especial da Embaixada de Israel, Sheila Sztutman, classificou o projeto como importante para a Capital, porém destaca que a evolução dependerá de outras questões. “Não apenas de segurança se constrói as cidades seguras, mas com outros fatores que a gente sabe que vêm ocorrendo em Fortaleza, como investimentos na mobilidade, na saúde, na educação, entre outros”, observou.

Estrutura
De acordo com o engenheiro responsável, Luís Carlos Ribeiro, a Célula no bairro Jangurussu está com mais de 70% da obra concluídos. “Na parte da estrutura, avançamos bastante, e agora vamos partir para os acabamentos”, destacou. A partir desta quarta-feira (13/12), começará o trabalho de fixação dos 27 postes que receberão as câmeras do sistema de monitoramento operacionalizado por guardas municipais nas torres.

PMPU
O Plano Municipal de Proteção Urbana, previsto para iniciar em ainda neste mês, tem o objetivo de unir técnicas preditivas e ostensivas para evitar ocorrências de delitos, por meio de vigilância eletrônica e sistemática. Na prática, ocorrerão patrulhamentos em um raio de 14 quarteirões, com o emprego médio de 40 guardas municipais e 20 policiais militares, que atuarão a pé, em bicicletas e em motos.

A partir do estudo das Células de Proteção Comunitária, também serão definidos conceitos para aplicação de prevenções primárias, com urbanização, lazer e iluminação, além de ações prevencionistas com iniciativas culturais, educativas e de desporto e, no campo social, iniciativas de mediação de conflitos, educação para trânsito, empreendedorismo para a geração de emprego e renda, por meio das Tendas da Cidadania.