08 de dezembro de 2020 em Mobilidade

Plataforma digital disponibiliza dados de acidentes de trânsito

Além de promover melhor compreensão da problemática de mortes e feridos no trânsito, a Plataforma Vida também visa ao aumento da eficiência na coleta e análise de dados relativos à segurança viária


Com o objetivo de aproximar os serviços municipais da população, a Prefeitura de Fortaleza lança, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a Plataforma Vida, ferramenta digital que disponibiliza dados de sinistros de trânsito. Ao acessar o site Central AMC, qualquer cidadão pode ter informações gratuitas sobre os acidentes ocorridos na Cidade, podendo filtrar por período, tipo de veículo, severidade, natureza e bairro.
 
A iniciativa vem sendo desenvolvida pela AMC como evolução do Sistema de Informações em Acidentes de Trânsito (SIAT). A ferramenta pode ser acessada também por smartphones.
 
Além de promover melhor compreensão da problemática de mortes e feridos no trânsito, a Plataforma Vida também visa ao aumento da eficiência na coleta e análise de dados relativos à segurança viária e ao monitoramento de intervenções de engenharia e fiscalização.
 
De acordo com Arcelino Lima, superintendente da AMC, é preciso conhecer o problema de forma criteriosa para nortear as soluções técnicas e comportamentais adequadas. "Mapear e analisar toda a complexidade da ocorrência do acidente nos ajuda a planejar, de forma assertiva, as intervenções de engenharia de tráfego, educação e fiscalização para preservar vidas", esclarece. 
 
Segurança viária: um legado
 
Como resultado das políticas públicas de mobilidade urbana e segurança viária, Fortaleza foi uma das primeiras cidades no mundo a atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir pela metade a taxa de mortes no trânsito. 
 
O resultado foi alcançado antes do fim do prazo, que termina no final deste ano. Em 2019, foram registrados 7,4 óbitos por 100 mil habitantes. Em 2010, o índice era de 14,9, o que representa uma diminuição de 50,3% no período. Esse é o principal indicador utilizado pela ONU para comparar o progresso na prevenção de mortes no trânsito entre cidades e países.
 
O número de mortes ainda apresentou redução pelo quinto ano consecutivo e, em 2019, com 197 óbitos, chegou ao menor já registrado desde que os dados passaram a ser sistematizados, em 2000, segundo balanço da AMC. Entre 2015 e 2019, 578 vidas foram salvas no trânsito de Fortaleza.

Plataforma digital disponibiliza dados de acidentes de trânsito

Além de promover melhor compreensão da problemática de mortes e feridos no trânsito, a Plataforma Vida também visa ao aumento da eficiência na coleta e análise de dados relativos à segurança viária

Com o objetivo de aproximar os serviços municipais da população, a Prefeitura de Fortaleza lança, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a Plataforma Vida, ferramenta digital que disponibiliza dados de sinistros de trânsito. Ao acessar o site Central AMC, qualquer cidadão pode ter informações gratuitas sobre os acidentes ocorridos na Cidade, podendo filtrar por período, tipo de veículo, severidade, natureza e bairro.
 
A iniciativa vem sendo desenvolvida pela AMC como evolução do Sistema de Informações em Acidentes de Trânsito (SIAT). A ferramenta pode ser acessada também por smartphones.
 
Além de promover melhor compreensão da problemática de mortes e feridos no trânsito, a Plataforma Vida também visa ao aumento da eficiência na coleta e análise de dados relativos à segurança viária e ao monitoramento de intervenções de engenharia e fiscalização.
 
De acordo com Arcelino Lima, superintendente da AMC, é preciso conhecer o problema de forma criteriosa para nortear as soluções técnicas e comportamentais adequadas. "Mapear e analisar toda a complexidade da ocorrência do acidente nos ajuda a planejar, de forma assertiva, as intervenções de engenharia de tráfego, educação e fiscalização para preservar vidas", esclarece. 
 
Segurança viária: um legado
 
Como resultado das políticas públicas de mobilidade urbana e segurança viária, Fortaleza foi uma das primeiras cidades no mundo a atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir pela metade a taxa de mortes no trânsito. 
 
O resultado foi alcançado antes do fim do prazo, que termina no final deste ano. Em 2019, foram registrados 7,4 óbitos por 100 mil habitantes. Em 2010, o índice era de 14,9, o que representa uma diminuição de 50,3% no período. Esse é o principal indicador utilizado pela ONU para comparar o progresso na prevenção de mortes no trânsito entre cidades e países.
 
O número de mortes ainda apresentou redução pelo quinto ano consecutivo e, em 2019, com 197 óbitos, chegou ao menor já registrado desde que os dados passaram a ser sistematizados, em 2000, segundo balanço da AMC. Entre 2015 e 2019, 578 vidas foram salvas no trânsito de Fortaleza.