23 de maio de 2022 em Saúde

Prefeitura distribui gratuitamente repelente para gestantes acompanhadas na Rede Municipal de Saúde

O produto está disponível para gestantes que realizam o pré-natal nos postos de saúde da Capital


gestante recebe repelente de uma médica durante atendimento
As mulheres que realizam o pré-natal nos postos de saúde recebem, por mês, dois frascos do produto (Foto: Kiko Silva)

A Prefeitura de Fortaleza reforça as ações de prevenção às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti por meio da distribuição de repelente para as gestantes da Capital. As mulheres que realizam o pré-natal nos postos de saúde recebem, por mês, dois frascos do produto.

Para a assessora técnica da Saúde da Mulher, Léa Dias, a medida visa ampliar a proteção às gestantes contra o mosquito transmissor das arboviroses. “As gestantes são acompanhadas e recebem orientações durante as consultas em relação aos cuidados com o mosquito Aedes, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Além disso, o uso do repelente é muito importante para inibir a picada do mosquito, protegendo a mãe e o bebê. Com o período de sazonalidade e o aumento da exposição às picadas do mosquito, o uso diário do repelente se torna essencial para todas as gestantes”, destaca.

Atualmente, a Rede Municipal de Saúde dispõe de cerca de 24 mil frascos de repelentes, sendo distribuídos para 12.039 gestantes que estão sendo acompanhadas nos postos de saúde de Fortaleza. Em 2021, 129 gestantes foram acometidas com dengue, 50 com chikungunya e nenhuma com zika vírus.

Outros cuidados

Além do uso do repelente, as mulheres podem se prevenir fazendo uso de calças e blusas de mangas compridas e, se possível, instalar mosqueteiro no quarto. Outras medidas ainda podem ser implementadas no domicílio, tais como: vedar a caixa d´água; cobrir e tampar tanque, tambor, pote ou filtro; armazenar garrafas vazias e baldes com a boca virada para baixo; preencher com areia os pratos dos vasos das plantas; vedar ralos com tela ou tampa de fecho e fazer a limpeza com água sanitária; lavar bebedouros de animais com bucha ou escova; limpar bandejas externas de geladeiras e bebedouros; limpar caixas de ar-condicionado; limpar e inclinar calhas; guardar pneus em locais cobertos; esticar ou inclinar os toldos para não acumular água.

Onde buscar atendimento

As gestantes que necessitam de atendimento em decorrência de arboviroses devem procurar o posto de saúde mais próximo da sua residência. Fortaleza conta, atualmente, com 116 unidades. O mesmo procedimento é adotado para tratamento posterior às arboviroses. Após consulta no posto de saúde, o usuário é encaminhado ao especialista na rede especializada.

Dicas para o uso de repelente:

- Lavar sempre as mãos após aplicar o repelente
- Aplicar sempre 15 minutos após o uso de filtros solares, maquiagem e hidratantes
- Não aplicar o produto próximo aos olhos, nariz ou boca e genitais, pelo risco de maior absorção nas áreas de mucosa e intoxicação
- Observar o tempo de reaplicação;
- Em caso de dúvidas, procurar orientações com os profissionais das unidades de saúde

Prefeitura distribui gratuitamente repelente para gestantes acompanhadas na Rede Municipal de Saúde

O produto está disponível para gestantes que realizam o pré-natal nos postos de saúde da Capital

gestante recebe repelente de uma médica durante atendimento
As mulheres que realizam o pré-natal nos postos de saúde recebem, por mês, dois frascos do produto (Foto: Kiko Silva)

A Prefeitura de Fortaleza reforça as ações de prevenção às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti por meio da distribuição de repelente para as gestantes da Capital. As mulheres que realizam o pré-natal nos postos de saúde recebem, por mês, dois frascos do produto.

Para a assessora técnica da Saúde da Mulher, Léa Dias, a medida visa ampliar a proteção às gestantes contra o mosquito transmissor das arboviroses. “As gestantes são acompanhadas e recebem orientações durante as consultas em relação aos cuidados com o mosquito Aedes, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Além disso, o uso do repelente é muito importante para inibir a picada do mosquito, protegendo a mãe e o bebê. Com o período de sazonalidade e o aumento da exposição às picadas do mosquito, o uso diário do repelente se torna essencial para todas as gestantes”, destaca.

Atualmente, a Rede Municipal de Saúde dispõe de cerca de 24 mil frascos de repelentes, sendo distribuídos para 12.039 gestantes que estão sendo acompanhadas nos postos de saúde de Fortaleza. Em 2021, 129 gestantes foram acometidas com dengue, 50 com chikungunya e nenhuma com zika vírus.

Outros cuidados

Além do uso do repelente, as mulheres podem se prevenir fazendo uso de calças e blusas de mangas compridas e, se possível, instalar mosqueteiro no quarto. Outras medidas ainda podem ser implementadas no domicílio, tais como: vedar a caixa d´água; cobrir e tampar tanque, tambor, pote ou filtro; armazenar garrafas vazias e baldes com a boca virada para baixo; preencher com areia os pratos dos vasos das plantas; vedar ralos com tela ou tampa de fecho e fazer a limpeza com água sanitária; lavar bebedouros de animais com bucha ou escova; limpar bandejas externas de geladeiras e bebedouros; limpar caixas de ar-condicionado; limpar e inclinar calhas; guardar pneus em locais cobertos; esticar ou inclinar os toldos para não acumular água.

Onde buscar atendimento

As gestantes que necessitam de atendimento em decorrência de arboviroses devem procurar o posto de saúde mais próximo da sua residência. Fortaleza conta, atualmente, com 116 unidades. O mesmo procedimento é adotado para tratamento posterior às arboviroses. Após consulta no posto de saúde, o usuário é encaminhado ao especialista na rede especializada.

Dicas para o uso de repelente:

- Lavar sempre as mãos após aplicar o repelente
- Aplicar sempre 15 minutos após o uso de filtros solares, maquiagem e hidratantes
- Não aplicar o produto próximo aos olhos, nariz ou boca e genitais, pelo risco de maior absorção nas áreas de mucosa e intoxicação
- Observar o tempo de reaplicação;
- Em caso de dúvidas, procurar orientações com os profissionais das unidades de saúde