Prefeitura fomenta mais de mil projetos culturais em Fortaleza com Lei Aldir Blanc

19 de fevereiro de 2021 em Cultura

Prefeitura fomenta mais de mil projetos culturais em Fortaleza com Lei Aldir Blanc

Foi destinado à classe artística e aos espaços culturais o montante de R$ 13,19 milhões, contemplando 1.074 projetos


cantora lorena lyse
A cantora cearense Lorena Lyse realizou o projeto inédito “Sincretizando com Bethânia”, que saúda e reconhece o sincretismo religioso (Foto: Divulgação)

Os projetos culturais aprovados pela Lei Aldir Blanc já começam a preencher uma extensa programação na cidade. São cursos, oficinas, workshops, produções audiovisuais, livros, exposições, apresentações e performances artísticas virtuais que, seguindo os protocolos de segurança contra a disseminação da Covid-19, têm garantido a preservação e o fomento da cultura na capital nestes primeiros meses de 2021. Fortaleza foi a primeira capital do País a lançar os editais da Lei Aldir Blanc, destinando R$ 13,194 milhões a 1.074 projetos que já estão em execução ou aptos à execução. Esses projetos já passaram por empenho, liquidação e pagamento dos contemplados.

A Prefeitura de Fortaleza lançou, por meio da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor), três chamadas públicas destinadas aos espaços culturais e aos trabalhos artísticos, a partir de recurso da Lei Federal de Emergência Cultural “Aldir Blanc”.

A cantora cearense Lorena Lyse realizou o projeto inédito “Sincretizando com Bethânia”, que saúda e reconhece o sincretismo religioso. “A lei veio como um socorro para o setor, não só para os artistas. Todo um setor que envolve espaços, artistas, produtores e empresas. Trouxe uma possibilidade para respirar. Voltamos a respirar para sermos estimulados a voltar a produzir”, ressaltou a intérprete destacando ainda o recurso enquanto fomento à criatividade dos artistas. “A lei dá estímulos, ela fomenta novos projetos e dá visibilidade aos que já existem”, concluiu.

Para o escritor e poeta Gylmar Chaves, a lei facilitou a realização de projetos importantes. “A Lei Aldir Blanc me permitiu dar o passo inicial, por meio de imagens, a alguns dos percursos de nossa gênese e ao jeito de vivenciarmos Fortaleza”, explicou. O escritor realizou a ação “Fortaleza Narrativas Poéticas”, um documentário e espetáculo virtual construído a partir de narrativas históricas, declamação de poemas, interpretações musicais, coreografias e trilha sonora.

Outro projeto apoiado pelos editais lançados pela Secultfor, por meio da Lei Aldir Blanc, foi o “De frente com Deydi”, feito pelo ator e drag queen Denis Lacerda. A ação trouxe referências de programas dos anos 80 e 90, misturado com a arte drag caricata do humor. Segundo o artista, os incentivos da lei ajudaram a movimentar o setor no momento da pandemia. “Consegui recursos não só para mim, também para outros artistas, contratando pessoas para trabalhar comigo. A Aldir Blanc veio para movimentar e valorizar os artistas”, comemorou.

Editais

A partir do recurso federal da Lei Aldir Blanc, a Prefeitura de Fortaleza lançou, em setembro de 2020, o Edital de Auxílio para Espaços Culturais (Edital nº 7202), o Edital para Grupos ou Coletivos Culturais (Edital nº 7203) e o Edital para Artistas, Agentes Culturais e Profissionais da Cadeia Produtiva da Cultura (Edital nº 7204).

Dos R$ 17,82 milhões destinados por meio da Lei Aldir Blanc para o município de Fortaleza, foram executados o total de R$ 13,194 milhões, equivalente a 74% de execução. A destinação dos recursos remanescentes aguarda decisão do Governo Federal em relação a prorrogação da lei.

A concessão de subsídio a espaços que tiveram as atividades interrompidas em função das medidas de isolamento social (Edital nº 7.202) previa, em edital, o apoio a 800 espaços culturais com um investimento total de R$ 10.500.000,00. No entanto, foram aprovados 254 projetos neste certame. No caso do edital de fomento destinado a grupos ou coletivos culturais (Edital nº 7.203), era previsto o apoio a 300 projetos, com o incentivo de R$ 12.200,00 para cada.

Após o período de inscrição e de avaliação, 227 grupos foram aprovados neste edital. Os saldos remanescentes do Edital de Subsídio aos Equipamentos Culturais (Edital nº 7202) e do Edital de Fomento a Grupos e Coletivos Culturais (Edital nº 7203) foram remanejados para contemplar todos os projetos classificados no Edital para Artistas, Agentes Culturais e Profissionais da Cadeia Produtiva da Cultura (Edital nº 7204), aprovando 639 projetos. A previsão inicial contemplava apenas 300 projetos neste edital, destinando R$ 12.200,00 para cada.

Prefeitura fomenta mais de mil projetos culturais em Fortaleza com Lei Aldir Blanc

Foi destinado à classe artística e aos espaços culturais o montante de R$ 13,19 milhões, contemplando 1.074 projetos

cantora lorena lyse
A cantora cearense Lorena Lyse realizou o projeto inédito “Sincretizando com Bethânia”, que saúda e reconhece o sincretismo religioso (Foto: Divulgação)

Os projetos culturais aprovados pela Lei Aldir Blanc já começam a preencher uma extensa programação na cidade. São cursos, oficinas, workshops, produções audiovisuais, livros, exposições, apresentações e performances artísticas virtuais que, seguindo os protocolos de segurança contra a disseminação da Covid-19, têm garantido a preservação e o fomento da cultura na capital nestes primeiros meses de 2021. Fortaleza foi a primeira capital do País a lançar os editais da Lei Aldir Blanc, destinando R$ 13,194 milhões a 1.074 projetos que já estão em execução ou aptos à execução. Esses projetos já passaram por empenho, liquidação e pagamento dos contemplados.

A Prefeitura de Fortaleza lançou, por meio da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor), três chamadas públicas destinadas aos espaços culturais e aos trabalhos artísticos, a partir de recurso da Lei Federal de Emergência Cultural “Aldir Blanc”.

A cantora cearense Lorena Lyse realizou o projeto inédito “Sincretizando com Bethânia”, que saúda e reconhece o sincretismo religioso. “A lei veio como um socorro para o setor, não só para os artistas. Todo um setor que envolve espaços, artistas, produtores e empresas. Trouxe uma possibilidade para respirar. Voltamos a respirar para sermos estimulados a voltar a produzir”, ressaltou a intérprete destacando ainda o recurso enquanto fomento à criatividade dos artistas. “A lei dá estímulos, ela fomenta novos projetos e dá visibilidade aos que já existem”, concluiu.

Para o escritor e poeta Gylmar Chaves, a lei facilitou a realização de projetos importantes. “A Lei Aldir Blanc me permitiu dar o passo inicial, por meio de imagens, a alguns dos percursos de nossa gênese e ao jeito de vivenciarmos Fortaleza”, explicou. O escritor realizou a ação “Fortaleza Narrativas Poéticas”, um documentário e espetáculo virtual construído a partir de narrativas históricas, declamação de poemas, interpretações musicais, coreografias e trilha sonora.

Outro projeto apoiado pelos editais lançados pela Secultfor, por meio da Lei Aldir Blanc, foi o “De frente com Deydi”, feito pelo ator e drag queen Denis Lacerda. A ação trouxe referências de programas dos anos 80 e 90, misturado com a arte drag caricata do humor. Segundo o artista, os incentivos da lei ajudaram a movimentar o setor no momento da pandemia. “Consegui recursos não só para mim, também para outros artistas, contratando pessoas para trabalhar comigo. A Aldir Blanc veio para movimentar e valorizar os artistas”, comemorou.

Editais

A partir do recurso federal da Lei Aldir Blanc, a Prefeitura de Fortaleza lançou, em setembro de 2020, o Edital de Auxílio para Espaços Culturais (Edital nº 7202), o Edital para Grupos ou Coletivos Culturais (Edital nº 7203) e o Edital para Artistas, Agentes Culturais e Profissionais da Cadeia Produtiva da Cultura (Edital nº 7204).

Dos R$ 17,82 milhões destinados por meio da Lei Aldir Blanc para o município de Fortaleza, foram executados o total de R$ 13,194 milhões, equivalente a 74% de execução. A destinação dos recursos remanescentes aguarda decisão do Governo Federal em relação a prorrogação da lei.

A concessão de subsídio a espaços que tiveram as atividades interrompidas em função das medidas de isolamento social (Edital nº 7.202) previa, em edital, o apoio a 800 espaços culturais com um investimento total de R$ 10.500.000,00. No entanto, foram aprovados 254 projetos neste certame. No caso do edital de fomento destinado a grupos ou coletivos culturais (Edital nº 7.203), era previsto o apoio a 300 projetos, com o incentivo de R$ 12.200,00 para cada.

Após o período de inscrição e de avaliação, 227 grupos foram aprovados neste edital. Os saldos remanescentes do Edital de Subsídio aos Equipamentos Culturais (Edital nº 7202) e do Edital de Fomento a Grupos e Coletivos Culturais (Edital nº 7203) foram remanejados para contemplar todos os projetos classificados no Edital para Artistas, Agentes Culturais e Profissionais da Cadeia Produtiva da Cultura (Edital nº 7204), aprovando 639 projetos. A previsão inicial contemplava apenas 300 projetos neste edital, destinando R$ 12.200,00 para cada.