13 de dezembro de 2016 em Segurança Cidadã

Prefeitura participa de encontro sobre os Direitos da Infância e Juventude na UFC

Encontro faz parte da Semana Nacional da Justiça Juvenil Restaurativa


 

Palestras falam para um público de jovens e estudantes de Direito no auditório
O debate ocorreu no auditório da Faculdade Direito da UFC

A Prefeitura de Fortaleza, por meio das secretarias municipais da Segurança Cidadã (Sesec) e da Educação (SME), participa do I Encontro Regional Interdisciplinar sobre os Direitos da Infância e Juventude, realizado na Semana Nacional da Justiça Juvenil Restaurativa.

O encontro, organizado entre os dias 12 e 15 de dezembro, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará e pela Terre des Hommes, tem como objetivo reunir experiências de práticas restaurativas no âmbito juvenil. Em Fortaleza, esse trabalho é desenvolvido pela Prefeitura, através da Sesec e SME, por meio das Células de Mediação de Escolar que estabelecerem procedimentos restaurativos e a construção de uma cultura de paz nas escolas municipais. “Essa parceria faz parte do Termo de Cooperação Técnica, firmado entre as duas secretarias, que prevê a implantação de técnicas de mediação de conflitos e práticas restaurativas em 12 escolas identificadas com maior vulnerabilidade social”, explica a gerente da Célula de Mediação Escolar da Sesec, Mara Siqueira.

Atualmente, 11 escolas seguem com o projeto-piloto estabelecido em 2014, no qual são aplicadas práticas circulares e círculos de resolução de conflitos com o intuito de fortalecer o empoderamento de jovens nas questões da violência para que, assim, possam fazer autorreconhecimento do papel deles na sociedade em que vivem. “A gente acredita que essas práticas podem gerar espaços escolares mais pacíficos e construtivos”, afirma Mara Siqueira.

De acordo com dados da Sesec, quase 700 atores do cenário acadêmico municipal, entre alunos, professores e coordenadores, já passaram por algum tipo de capacitação voltada para a promoção da cultura de paz. “Além dessas 11 preestabelecidas, as células atendem outras escolas de forma itinerante, à medida em que os parceiros nos acionam, para fazermos análise situacional e encaminhamento de demandas”, disse. A gerente também ressaltou a parceria com a Guarda Municipal, que mantém a Inspetoria de Segurança Escolar (ISE) atuando de forma preventiva, com palestras e teatro de fantoches que abordam assuntos como cidadania e respeito, e ostensiva com as rondas 24 horas. “Esse trabalho é superimportante, pois esses profissionais atuam na ponta e conseguem identificar mais oportunidades de gerenciamento de possíveis conflitos”.

Também estavam na atividade, a coordenadora de Mediação de Conflitos da Sesec, Tatiane Castro, Joelma Gomes, da Célula de Mediação da SME, e representantes do Poder Judiciário e Governo do Estado.

Prefeitura participa de encontro sobre os Direitos da Infância e Juventude na UFC

Encontro faz parte da Semana Nacional da Justiça Juvenil Restaurativa

 

Palestras falam para um público de jovens e estudantes de Direito no auditório
O debate ocorreu no auditório da Faculdade Direito da UFC

A Prefeitura de Fortaleza, por meio das secretarias municipais da Segurança Cidadã (Sesec) e da Educação (SME), participa do I Encontro Regional Interdisciplinar sobre os Direitos da Infância e Juventude, realizado na Semana Nacional da Justiça Juvenil Restaurativa.

O encontro, organizado entre os dias 12 e 15 de dezembro, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará e pela Terre des Hommes, tem como objetivo reunir experiências de práticas restaurativas no âmbito juvenil. Em Fortaleza, esse trabalho é desenvolvido pela Prefeitura, através da Sesec e SME, por meio das Células de Mediação de Escolar que estabelecerem procedimentos restaurativos e a construção de uma cultura de paz nas escolas municipais. “Essa parceria faz parte do Termo de Cooperação Técnica, firmado entre as duas secretarias, que prevê a implantação de técnicas de mediação de conflitos e práticas restaurativas em 12 escolas identificadas com maior vulnerabilidade social”, explica a gerente da Célula de Mediação Escolar da Sesec, Mara Siqueira.

Atualmente, 11 escolas seguem com o projeto-piloto estabelecido em 2014, no qual são aplicadas práticas circulares e círculos de resolução de conflitos com o intuito de fortalecer o empoderamento de jovens nas questões da violência para que, assim, possam fazer autorreconhecimento do papel deles na sociedade em que vivem. “A gente acredita que essas práticas podem gerar espaços escolares mais pacíficos e construtivos”, afirma Mara Siqueira.

De acordo com dados da Sesec, quase 700 atores do cenário acadêmico municipal, entre alunos, professores e coordenadores, já passaram por algum tipo de capacitação voltada para a promoção da cultura de paz. “Além dessas 11 preestabelecidas, as células atendem outras escolas de forma itinerante, à medida em que os parceiros nos acionam, para fazermos análise situacional e encaminhamento de demandas”, disse. A gerente também ressaltou a parceria com a Guarda Municipal, que mantém a Inspetoria de Segurança Escolar (ISE) atuando de forma preventiva, com palestras e teatro de fantoches que abordam assuntos como cidadania e respeito, e ostensiva com as rondas 24 horas. “Esse trabalho é superimportante, pois esses profissionais atuam na ponta e conseguem identificar mais oportunidades de gerenciamento de possíveis conflitos”.

Também estavam na atividade, a coordenadora de Mediação de Conflitos da Sesec, Tatiane Castro, Joelma Gomes, da Célula de Mediação da SME, e representantes do Poder Judiciário e Governo do Estado.