23 de janeiro de 2020 em Saúde

Prefeitura realiza encontro para apresentar estratégias de fortalecimento do combate às arboviroses em 2020

Escolas e postos de saúde reforçarão as ações de prevenção e tratamento


Foto: Liezio Gomes. Plateia de educadores e agentes da área da saúde durante a capacitação para combater às Arboviroses.
Plateia de educadores e agentes da Saúde durante capacitação (Foto: Liezio Gomes)

Na manhã desta quinta-feira (23/01), educadores, diretores, agentes e supervisores técnicos das áreas da Saúde e Educação que atuam no território da Regional II estiveram reunidos no Teatro São José para uma capacitação sobre o enfrentamento às arboviroses.

O encontro teve como objetivo apresentar o balanço dos trabalhos executados em 2019 e o plano de estratégias para 2020, com foco intensivo no combate às arboviroses em postos de saúde e escolas. A primeira capacitação para o fortalecimento das estratégias aconteceu na Regional II e seguirá pelas demais Regionais da Cidade.

O chefe do Gabinete da Regional II, João Freire Neto, agradeceu a presença dos profissionais e reforçou a importância da prevenção e do combate a essas doenças. “Vamos envolver todos os nossos profissionais em uma campanha sistemática, no sentido de unir os esforços necessários para sermos bem sucedidos”, enfatizou.

No decorrer de 2018 e 2019, o cenário epidemiológico de Fortaleza apresentou uma significativa queda no número de casos de arboviroses registrados, incluindo dengue, zika e febre chikungunya. “Os nossos esforços seguem sendo intensificados e, neste sentido, destacam-se as operações nas fronteiras dos municípios, a Operação Quintal Limpo, as ações em parceria com a Secretaria Municipal da Educação e, principalmente, as ações das equipes de combate às endemias. Toda a Cidade está mapeada para diagnosticar onde há mais infestação de mosquito e maiores casos de doença. São medidas que nos possibilitam enxergar melhor onde podemos atuar e reduzir ao máximo os riscos de infestação. Precisamos do engajamento da população para nos auxiliar neste combate”, comentou Itamar Mendes, supervisor geral do Distrito Técnico de Endemias.

Como precaução de um possível surto, será disponibilizada uma estrutura assistencial, dispondo de insumos, materiais e atendimento adequado. Para isso, 23 postos de saúde – estrategicamente espalhados entre as Regionais de Fortaleza – estarão equipados e, caso haja necessidade, serão referência no atendimento. Na Regional II, os postos de saúde preparados são: Aída Santos, Irmã Hercília e Roberto Romero. Além disso, as ações desenvolvidas pelo Núcleo de Controle de Zoonoses como vacinação antirrábica, desratização, exames de calazar e eliminação de animais peçonhentos, serão intensificadas ao longo do ano.

A reunião foi conduzida pelo Distrito Técnico de Endemias com o apoio do Núcleo de Educação em Saúde e Mobilização Social (NESMS) e do Núcleo de Controle de Zoonoses, visando a integração entre a Saúde e Educação.

Prefeitura realiza encontro para apresentar estratégias de fortalecimento do combate às arboviroses em 2020

Escolas e postos de saúde reforçarão as ações de prevenção e tratamento

Foto: Liezio Gomes. Plateia de educadores e agentes da área da saúde durante a capacitação para combater às Arboviroses.
Plateia de educadores e agentes da Saúde durante capacitação (Foto: Liezio Gomes)

Na manhã desta quinta-feira (23/01), educadores, diretores, agentes e supervisores técnicos das áreas da Saúde e Educação que atuam no território da Regional II estiveram reunidos no Teatro São José para uma capacitação sobre o enfrentamento às arboviroses.

O encontro teve como objetivo apresentar o balanço dos trabalhos executados em 2019 e o plano de estratégias para 2020, com foco intensivo no combate às arboviroses em postos de saúde e escolas. A primeira capacitação para o fortalecimento das estratégias aconteceu na Regional II e seguirá pelas demais Regionais da Cidade.

O chefe do Gabinete da Regional II, João Freire Neto, agradeceu a presença dos profissionais e reforçou a importância da prevenção e do combate a essas doenças. “Vamos envolver todos os nossos profissionais em uma campanha sistemática, no sentido de unir os esforços necessários para sermos bem sucedidos”, enfatizou.

No decorrer de 2018 e 2019, o cenário epidemiológico de Fortaleza apresentou uma significativa queda no número de casos de arboviroses registrados, incluindo dengue, zika e febre chikungunya. “Os nossos esforços seguem sendo intensificados e, neste sentido, destacam-se as operações nas fronteiras dos municípios, a Operação Quintal Limpo, as ações em parceria com a Secretaria Municipal da Educação e, principalmente, as ações das equipes de combate às endemias. Toda a Cidade está mapeada para diagnosticar onde há mais infestação de mosquito e maiores casos de doença. São medidas que nos possibilitam enxergar melhor onde podemos atuar e reduzir ao máximo os riscos de infestação. Precisamos do engajamento da população para nos auxiliar neste combate”, comentou Itamar Mendes, supervisor geral do Distrito Técnico de Endemias.

Como precaução de um possível surto, será disponibilizada uma estrutura assistencial, dispondo de insumos, materiais e atendimento adequado. Para isso, 23 postos de saúde – estrategicamente espalhados entre as Regionais de Fortaleza – estarão equipados e, caso haja necessidade, serão referência no atendimento. Na Regional II, os postos de saúde preparados são: Aída Santos, Irmã Hercília e Roberto Romero. Além disso, as ações desenvolvidas pelo Núcleo de Controle de Zoonoses como vacinação antirrábica, desratização, exames de calazar e eliminação de animais peçonhentos, serão intensificadas ao longo do ano.

A reunião foi conduzida pelo Distrito Técnico de Endemias com o apoio do Núcleo de Educação em Saúde e Mobilização Social (NESMS) e do Núcleo de Controle de Zoonoses, visando a integração entre a Saúde e Educação.