21 de dezembro de 2021 em Economia

Produtos das ceias de Natal e Réveillon podem variar até 196%, aponta pesquisa do Procon Fortaleza

O Procon também orienta sobre dicas e direitos nas compras de fim de ano e na troca de presentes


pesquisador do Procon observa uma ave congelada
O levantamento traz preços de 59 itens, entre queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e outras aves (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (22/12), uma pesquisa com os produtos mais procurados para as ceias de Natal e Réveillon. A diferença de preços pode chegar a 196%, como é o caso da uva, encontrada de R$ 4,79 a R$ 14,19. O levantamento, realizado entre os dias 13 e 17 de dezembro nas 12 regionais de Fortaleza, traz preços de 59 itens, entre queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e outras aves. O Procon também traz orientações sobre dicas e direitos nas compras de fim de ano e na troca de presentes.

Uvas, vinhos, farofas prontas, pêssego e abacaxi são os itens das ceias de Natal e Réveillon com maior variação de preços, registrando diferença de mais de 100% entre os supermercados pesquisados.

Maiores variações Ceias de Natal e Réveillon

Produto Menor valor Maior valor Variação
Uva (400g) tipo I R$ 4,79 R$ 14,19 196%
Uva (400g) tipo II R$ 6,99 R$ 19,98 186%
Vinho (750ml) R$ 5,99 R$ 16,99 184%
Farofa pronta (Kg) R$ 3,19 R$ 7,49 135%
Pêssego em calda (400g) R$ 10,19 R$ 22,45 120%
Abacaxi (Un) R$ 3,19 R$ 6,99 119%

Entre aves e peixes, a ave "chester", apresenta a maior variação, 36%, sendo encontrada de R$ 27,98 a R$ 37,98, o quilograma. O peru, outro item bastante procurado, pode ser encontrado de R$ 23,48 a R$ 29,69, uma variação de 26%. Já o peixe bacalhau tipo "saithe" pode variar até 57%, custando o preço mais barato R$ 45,99 e o preço mais alto R$ 72,29.

Acesse, aqui, o preço de todos os produtos da pesquisa, que está disponível no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor.

Entre os espumantes, o preço do mesmo produto com a mesma marca pode variar até 75%, custando de R$ 39,99 a R$ 69,90. Já os vinhos apresentam variações ainda maiores, sendo encontrado. O preço da mesma bebida e da mesma marca pode chegar a 184%, sendo encontrado de R$ 5,99 no supermercado mais barato, enquanto que no estabelecimento mais caro o produto pode custar até R$ 16,99.

Como economizar
"Quem quiser fazer uma ceia Natal ou Réveillon com economia vai ter que pesquisar", afirmou a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo. Ela alerta que os preços seguem tendência de alta, sendo preciso criatividade na hora de escolher os itens que compõem as festividades. "Qualquer economia vale a pena, ainda mais num período de despesas fixas que se aproximam, como matrículas escolares, impostos e tributos", destacou a Diretora do Procon Fortaleza.

Eneylândia Rabelo também lembra que muitos supermercados ofertam preços promocionais em aplicativos e compras pela internet, sendo esta outra opção de economia. "É muito importante que o consumidor guarde encartes publicitários e salve prints das ofertas. Os supermercados são obrigados a cumprir ofertas e promoções, sob pena de sofrer penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor", assegurou.

Compras e troca de presentes
Com a aproximação das festas de fim de ano, também aumentam as relações de consumo e, consequentemente, problemas com compras e troca de presentes. Confira algumas dicas e direitos.

- Produto em promoção ou liquidação, possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
- Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho ainda no interior da loja;
- Se for comprar pela internet, tenha atenção redobrada. Consulte o histórico da empresa em sites de busca e verifique se a loja informa dados como CNPJ, endereço, telefone ou e-mail;
- Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
- No pagamento com cartão de débito/crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
- A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
- A garantia legal de produto/serviço não durável é de 30 dias e de produto/serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
- A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
- Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
- Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.

Produtos das ceias de Natal e Réveillon podem variar até 196%, aponta pesquisa do Procon Fortaleza

O Procon também orienta sobre dicas e direitos nas compras de fim de ano e na troca de presentes

pesquisador do Procon observa uma ave congelada
O levantamento traz preços de 59 itens, entre queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e outras aves (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (22/12), uma pesquisa com os produtos mais procurados para as ceias de Natal e Réveillon. A diferença de preços pode chegar a 196%, como é o caso da uva, encontrada de R$ 4,79 a R$ 14,19. O levantamento, realizado entre os dias 13 e 17 de dezembro nas 12 regionais de Fortaleza, traz preços de 59 itens, entre queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e outras aves. O Procon também traz orientações sobre dicas e direitos nas compras de fim de ano e na troca de presentes.

Uvas, vinhos, farofas prontas, pêssego e abacaxi são os itens das ceias de Natal e Réveillon com maior variação de preços, registrando diferença de mais de 100% entre os supermercados pesquisados.

Maiores variações Ceias de Natal e Réveillon

Produto Menor valor Maior valor Variação
Uva (400g) tipo I R$ 4,79 R$ 14,19 196%
Uva (400g) tipo II R$ 6,99 R$ 19,98 186%
Vinho (750ml) R$ 5,99 R$ 16,99 184%
Farofa pronta (Kg) R$ 3,19 R$ 7,49 135%
Pêssego em calda (400g) R$ 10,19 R$ 22,45 120%
Abacaxi (Un) R$ 3,19 R$ 6,99 119%

Entre aves e peixes, a ave "chester", apresenta a maior variação, 36%, sendo encontrada de R$ 27,98 a R$ 37,98, o quilograma. O peru, outro item bastante procurado, pode ser encontrado de R$ 23,48 a R$ 29,69, uma variação de 26%. Já o peixe bacalhau tipo "saithe" pode variar até 57%, custando o preço mais barato R$ 45,99 e o preço mais alto R$ 72,29.

Acesse, aqui, o preço de todos os produtos da pesquisa, que está disponível no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor.

Entre os espumantes, o preço do mesmo produto com a mesma marca pode variar até 75%, custando de R$ 39,99 a R$ 69,90. Já os vinhos apresentam variações ainda maiores, sendo encontrado. O preço da mesma bebida e da mesma marca pode chegar a 184%, sendo encontrado de R$ 5,99 no supermercado mais barato, enquanto que no estabelecimento mais caro o produto pode custar até R$ 16,99.

Como economizar
"Quem quiser fazer uma ceia Natal ou Réveillon com economia vai ter que pesquisar", afirmou a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo. Ela alerta que os preços seguem tendência de alta, sendo preciso criatividade na hora de escolher os itens que compõem as festividades. "Qualquer economia vale a pena, ainda mais num período de despesas fixas que se aproximam, como matrículas escolares, impostos e tributos", destacou a Diretora do Procon Fortaleza.

Eneylândia Rabelo também lembra que muitos supermercados ofertam preços promocionais em aplicativos e compras pela internet, sendo esta outra opção de economia. "É muito importante que o consumidor guarde encartes publicitários e salve prints das ofertas. Os supermercados são obrigados a cumprir ofertas e promoções, sob pena de sofrer penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor", assegurou.

Compras e troca de presentes
Com a aproximação das festas de fim de ano, também aumentam as relações de consumo e, consequentemente, problemas com compras e troca de presentes. Confira algumas dicas e direitos.

- Produto em promoção ou liquidação, possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
- Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho ainda no interior da loja;
- Se for comprar pela internet, tenha atenção redobrada. Consulte o histórico da empresa em sites de busca e verifique se a loja informa dados como CNPJ, endereço, telefone ou e-mail;
- Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
- No pagamento com cartão de débito/crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
- A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
- A garantia legal de produto/serviço não durável é de 30 dias e de produto/serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
- A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
- Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
- Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.