Lojas do Centro já iniciaram a Black Friday
O Procon também coletou preços nas lojas físicas Capital, na semana que antecede a Black Friday (Foto: Thiago Gaspar)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (23/11), a lista com preços de 211 produtos mais procurados durante a Black Friday, período em que o comércio promete promoções e ofertas, programada para a próxima sexta-feira (26/11). Desde o mês de setembro, técnicos do Procon acompanham a evolução de preços de geladeiras, fogões, máquinas de lavar e outros produtos no comércio virtual. O Procon também coletou preços nas lojas físicas Capital, na semana que antecede a Black Friday.

Fiscais da Agefis atuarão na fiscalização de estabelecimentos (lojas físicas e sites) monitorados pelo Procon Fortaleza e no recebimento de denúncias da população. O objetivo é apurar se haverá redução de preços em produtos na Black Friday ou falsa propaganda para captação de consumidores, o que caracterizaria publicidade enganosa. Os principais problemas encontrados na Black Friday são publicidade abusiva ou enganosa e o não cumprimento da oferta.

Confira a lista com os preços de produtos mais procurados na Black Friday, que está disponível no portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor.

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Enylândia Rabelo, a lista do Procon também servirá para que o consumidor identifique se aquele produto buscado está realmente em promoção. "O consumidor que não fez o seu monitoramento de preços pode fazer uso da lista do Procon e realizar o comparativo", disse. Ainda de acordo com a Diretora, outra opção é buscar informações de preços em sites de busca especializados que mostram o comportamento de preços de diversos produtos.

Eneylândia reforça que, nas compras pela internet, o consumidor pode desistir do produto em até sete dias da data do recebimento do produto, sem nenhuma justificativa, pois o Código de Defesa do Consumidor (CDC) assegura o direito de arrependimento para aquele consumidor que não teve a oportunidade de conferir e analisar o item comprado.

Nas compras pela internet, a Diretora do Procon recomenda que o pagamento seja feito por cartão de crédito, pois havendo alguma oferta não cumprida ou possível fraude em sites, é possível suspender o pagamento via empresa de cartão de crédito. "Uma boa dica é gerar um cartão de crédito virtual no aplicativo da operadora de cartão. É uma medida de segurança que pode evitar clonagem de dados do consumidor", alertou Eneylândia.

Preços já sobem
O Procon coletou preços de 153 produtos nas lojas virtuais (bicicletas, celulares, notebooks, TVs, fogões e geladeiras). Já há indícios de elevação de preços antes da Black Friday. O preço de uma TV (55 polegadas), por exemplo, custava R$ 3.779,10, no dia 10 de novembro. No último monitoramento, no dia 17 de novembro, o mesmo produto, da mesma marca, já custava R$ 5.034,05, um aumento de 33%.

O Procon alerta que, somente na sexta-feira (26/11), data da promoção, será possível identificar se há ou não publicidade enganosa.

Nas lojas físicas, o Procon coletou preços de 58 produtos, que vão desde aparelhos de TV, celulares e notebooks a microondas e ventiladores. A dica é pesquisar. O preço do ventilador, por exemplo, no Centro da cidade, pode variar até 69%, sendo encontrado o produto, de 40cm, por R$ 129,00 a R$ 219,00.

Como denunciar
Consumidores podem realizar denúncia pela Central de Atendimento ao Consumidor, discando o número 151, bem como no Portal da Prefeitura, no campo "Defesa do Consumidor". Também é possível enviar denúncias de falsas promoções pelo aplicativo Procon Fortaleza, disponível nas plataformas Android e iOS.

Plantão Black Friday
Em trabalho conjunto com a equipe do Procon, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) também estará de plantão, na sexta-feira (26/11) para atender com prioridade às demandas de defesa do consumidor relacionadas à Black Friday. De acordo com a Lei Federal nº 8.078/90, as multas contra as normas consumeristas são estipuladas de acordo com a capacidade econômica do autuado.

Na sexta-feira, os fiscais da Agefis realizarão a fiscalização dos estabelecimentos (lojas físicas e sites) monitorados pelo Procon Fortaleza no período de setembro a novembro de 2021, além de atender às denúncias da população cadastradas pelos canais de denúncia.

A Black Friday é uma data que vem se firmando a cada ano no comércio brasileiro, porém é importante que o consumidor fique atento durante as suas compras para evitar cair em possíveis fraudes. A Agefis está com sua equipe preparada para atuar nesta ação, por mais um ano, buscando combater as práticas abusivas comuns neste período.

“Em se tratando de uma loja virtual, o consumidor precisa se certificar sobre a reputação daquela loja, se ela estabelece claramente sua política de troca e devolução, se ela informa sobre as condições de pagamento. Em se tratando de lojas físicas, o consumidor deve prezar pela informação clara e ostensiva do produto que tem interesse, verificando todos os detalhes e condições que envolvem aquela compra”, explica a gerente de capacitação Ruth Vieira.

Fiscalização contínua
A operação intensifica um trabalho realizado ao longo de todo o ano. Em 2021, a Agefis já realizou 859 fiscalizações de defesa do consumidor, que resultaram em 216 autuações/ notificações. As irregularidades mais frequentes são a ausência da informação de preço nos produtos; o prazo de validade expirado; a propaganda enganosa; e a ausência de código de defesa do consumidor no estabelecimento comercial.

Denúncias
A Agefis pode ser acionada pela população por meio de três canais de denúncia: o aplicativo Fiscalize Fortaleza (disponível para Android e iOS), o site https://denuncia.agefis.fortaleza.ce.gov.br e o telefone 156.

 

Dicas na Black Friday
- Pesquise em sites de busca de preços o comportamento do valor do produto de seu interesse nos últimos meses;
- Registre os preços antes da Black Friday com prints da tela ou foto;
- Efetue compras em sites confiáveis. Para verificar a segurança da página, clique no símbolo de cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela. O endereço da loja virtual deve começar com (https://);
- Todo site deve exibir o CNPJ da empresa ou o CPF da pessoa responsável, além de informar o endereço físico onde a loja possa ser encontrada ou o endereço eletrônico para que possa ser contatada e números de telefone;
- Computadores de acesso público não devem ser usados para comércio eletrônico ou internet banking;
- Analise a descrição do produto e compare com outras marcas;
- É muito importante imprimir ou salvar todos os documentos que demonstrem a oferta e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc);
- Nas compras pela internet, dê preferência ao pagamento com cartão de crédito, de forma parcelada. Isto pode ajudar o consumidor a pedir cancelamento da compra ou devolução de valores, caso seja vítima de golpes;
- Gere um cartão de crédito temporário no app de sua operadora. Geralmente, esses cartões servem somente para uma compra efetuada. Isto reduz a possibilidade de clonagem de dados e senhas.

Direitos na Black Friday
- Produto em promoção ou liquidação possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
- Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho;
- Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
- No pagamento com cartão de débito/crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
- A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
- A garantia legal de produto/serviço não durável é de 30 dias e de produto/serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
- A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
- Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
- Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) inicia, nesta terça-feira (16/11), o mutirão Procon Zera Dívida. Pelo menos 26 empresas confirmaram participação no feirão, que segue até o dia 03 de dezembro e ocorrerá de forma virtual. Em edições anteriores, descontos já chegaram a 98% da dívida.

Acesse o site do Procon Zera Dívida

Bancos, operadoras de cartão de crédito, empresas de telecomunicações e colégios integram a lista do feirão. Também participam as concessionárias de energia e de água e esgoto. No ano passado, pelo menos 40 mil consumidores entraram em contato com o Procon Fortaleza. Desse total, cerca de sete mil realizaram alguma negociação.

Para a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, este é um bom momento para renegociar dívidas. Ela explica que, desde o início do ano, o Procon vem sensibilizando bancos, operadoras de cartão de crédito e colégios para que ofereçam descontos diferenciados ao consumidor. "Para participar do mutirão Zera Dívida, pedimos que as empresas disponibilizem descontos e prazos especiais para o pagamento do débito, pois sem essa condição não valeria a pena participar de um feirão dessa grandeza", complementou a Diretora.

Eneylândia também avalia que o incremento do 13º salário no comércio pode ajudar os consumidores a renegociar suas dívidas. "Até o dia 30 de novembro muitas empresas já pagarão a primeira parcela do 13º salário. Fica a dica para renegociar aquela dívida e limpar o nome", disse.

Serviço
Procon Zera Dívida
Período: de 16 de novembro a 03 de dezembro
Atendimento: 
- segunda a sexta-feira, das 08h às 17h
- sábado das 08h às 12h (para algumas empresas)
Link: Procon Zera Dívida

Empresas participantes
Financeiras
- Banco Bradesco
- Itaú Unibanco
- Fortbrasil
- Somapay

Colégios
- Colégio Anglo News
- Colégio Darwin
- Colégio Batista Santos Dumont
- Colégio Daulia Bringel
- Colégio Nossa Senhora do Carmo
- Faculdade CDL
- Instituto Dom José

Hospitais
- Plano de Saúde São Camilo

Lojas do varejo
- Magazine Luíza

Telecomunicações
- Boomerang Telecom
- Claro
- DB3 Telecom
- Instale Telecom
- Oi
- Mob Telecom
- R-Net Telecom (RL da costa)
- Tim Brasil
- Tix Telecomunicações
- Turbonet Provedor
- Vivo

Concessionárias
- Cagece
- Enel

Documentos necessários para renegociação
- Nome completo
- RG
- CPF
- Comprovante de endereço de Fortaleza
- Comprovantes da dívida (faturas, contratos, cupom fiscal, recibos, extratos, mensagens de e-mail, extratos do SPC e Serasa, ou qualquer outra informação que comprove a existência da dívida)

Mais informações no telefone 151


Publicado em Economia

Na audiência pública, realizada nesta sexta-feira (29/10), no Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), no Centro da capital, as operadoras de telefonia receberam as 66 denúncias de consumidores que já procuram o Procon, relatando o recebimento de ligações telefônicas do próprio número. Claro, Oi, Tim e Vivo compareceram à audiência e disseram que não receberam de seus usuários nenhum registro sobre essas chamadas. A Anatel, que não participou do encontro, receberá do Procon um pedido de esclarecimentos sobre o assunto.

A audiência pública foi solicitada pelo vereador Wellington Sabóia, membro da Comissão de Direito e Proteção do Consumidor, da Câmara Municipal de Fortaleza, que pediu ao Procon medidas cabíveis para coibir o vazamento de dados dos consumidores junto às operadoras de telefonia. Outros dois parlamentares, Estrela Barros e Germano He-man, que compõem a Comissão de Defesa do Consumidor, na Câmara Municipal, também estiveram na audiência pública.

Durante o encontro, o Procon apresentou as 66 denúncias de consumidores que relataram recebimento de chamadas do próprio número. Os consumidores demonstraram receio de vazamento de dados e clonagem de senhas. As operadoras se comprometeram em analisar as denúncias recebidas, bem como entrar em contato com seus clientes para investigar essas chamadas.

Para a diretora do Procon Fortaleza, os consumidores estão vulneráveis, pois não sabem das operadoras se este tipo de chamada poderá acarretar prejuízos. "Queremos saber das operadoras se estas chamadas representam algum risco futuro para os usuários. Caso ocorra clonagem de senhas ou subtração de algum recurso financeiro, por exemplo, as operadoras serão responsabilizadas por serem veículo de transmissão das chamadas", esclareceu.

Durante a audiência, o vereador Wellington Sabóia, membro da Comissão de Direito e Proteção do Consumidor, da Câmara Municipal de Fortaleza, pediu que as operadoras realizem campanhas educativas com o intuito de esclarecer seus clientes e evitar golpes. O vereador se mostrou preocupado com a ausência da Anatel e criticou a postura da Agência Reguladora. "A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara pede que o Procon tome medidas, no sentido de solicitar que a Anatel se pronuncie oficialmente sobre o assunto", disse.

Orientação

A Diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, orienta que os consumidores não atendam essas ligações do próprio número e que comuniquem, imediatamente, à sua operadora este tipo de chamada.

O telefone do Procon Fortaleza para denúncias e informações é o 151. Também é possível denunciar pelo portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), na aba defesa do consumidor, bem como no aplicativo "Procon Fortaleza".

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) realizará, nesta sexta-feira (29/10), audiência pública com as operadoras de telefonia Claro, Oi, Tim e Vivo. A Anatel também foi convidada. Segundo o Procon, as empresas devem prestar esclarecimentos sobre as ligações telefônicas do próprio número dos usuários.

A audiência pública foi solicitada pelo vereador Wellington Sabóia, membro da Comissão de Direito e Proteção do Consumidor, da Câmara Municipal de Fortaleza, que pediu ao Procon medidas cabíveis para coibir o vazamento de dados dos consumidores junto às operadoras de telefonia.

Mais de 60 consumidores já relataram ao Procon Fortaleza o recebimento de chamadas do próprio número, o que levanta a suspeita de falhas no sistema ou vazamento de dados. Segundo os consumidores, há receio de que as ligações do próprio número possam clonar senhas e dados financeiros dos usuários.

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, orienta que os consumidores não atendam essas ligações do próprio número e que comuniquem, imediatamente, à sua operadora este tipo de chamada.

O telefone do Procon Fortaleza para denúncias e informações é o 151.

Serviço:
Audiência pública com operadoras de telefonia e Anatel
Data: 29/10 (sexta-feira)
Horário: 9h
Local: Procon Fortaleza (rua Major Facundo, 869, Centro)

Publicado em Economia
fiscal do procon em um corredor de supermercado
Levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (26/10), a nova pesquisa de preços nos supermercados de Fortaleza com os 61 itens consultados mensalmente. O levantamento, realizado entre os dias 15 e 18 de outubro, aponta que os preços de alimentos e produtos estão mais caros na Regional 6, região onde ficam bairros como Aerolândia, Cambeba, Lagoa Redonda e Messejana, por exemplo. A soma da média dos 61 itens chega a R$ 710,72.

Já em bairros da Regional 1, como Álvaro Weyne, Barro do Ceará e Vila Velha, os preços dos mesmos produtos somam R$ 671,20. Confira as maiores variações entre as regionais de Fortaleza.

Preços por Regionais

Regionais Preço médio total
Regional 6 R$ 710,72
Regional 8 R$ 702,29
Regional 11 R$ 696,73
Regional 7 R$ 694,06
Regional 12 R$ 690,45
Regional 2 R$ 688,82
Regional 9 R$ 687,33
Regional 10 R$ 685,98
Regional 5 R$ 682,87
Regional 4 R$ 675,04
Regional 3 R$ 674,81
Regional 1 R$ 671,20

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, esta é uma das menores diferenças de preços entre as regionais já constatadas pela pesquisa mensal do Procon. "Nessa pesquisa de outubro, identificamos que há uma aproximação de preços em todos os bairros e regiões de Fortaleza, como se fosse uma linearidade de valores. Vamos aguardar se a pesquisa do próximo mês traz essa tendência", comentou.

A análise individual dos preços dos produtos também reforça o comentário da Diretora. Entre os 61 produtos pesquisados, somente um item apresentou variação acima de cem por cento. É o caso do sabonete infantil, de 80g, que pode ser encontrado de R$ 2,19 a R$ 4,99, uma diferença de 127,85%. Os demais itens, se mostram com variações abaixo de cem por cento.

Acesse a pesquisa completa, que está disponível no aplicativo Proconomizar, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza. Neste link, é possível acessar outras pesquisas. 

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Sabonete infantil (80g) R$ 2,19 R$ 4,99 127,85%
Amaciante roupas (2L) R$ 11,49 R$ 22,89 99,21%
Ovos (30 unid) R$ 8,99 R$ 17,90 99,11%
Mamão (1Kg) R$ 2,49 R$ 4,59 84,33%
Cebola (1Kg) R$ 1,29 R$ 2,29 77,51%

Ainda de acordo com a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, é a primeira vez que itens industrializados assumem a liderança da variação de preços em relação a frutas, legumes e verduras, itens perecíveis e que sempre mudam muito de preços.

Medotologia
A pesquisa do Procon Fortaleza é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos. O levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Todos os preços da pesquisa estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (29/09), a nova pesquisa de preços nos supermercados da Capital com os 61 itens consultados mensalmente. O levantamento, realizado entre os dias 20 e 22 de setembro, aponta que a diferença de preços entre as regionais chega a R$ 124,00. Na Regional 2, em bairros como Aldeota, Meireles e Dionísio torres a soma dos 61 produtos chega a R$ 774,00, enquanto que em bairros da Regional 9, onde ficam bairros como Conjunto Palmeiras, Jangurussú e Parque Santa Maria, os mesmos itens somam R$ 649,95.

Preços por Regionais

Regionais Preço médio total
Regional 2 R$ 774,00
Regional 4 R$ 745,72
Regional 3 R$ 738,71
Regional 1 R$ 731,92
Regional 6 R$ 697,06
Regional 5 R$ 668,59
Regional 8 R$ 687,56
Regional 7 R$ 663,39
Regional 11 R$ 659,21
Regional 12 R$ 657,55
Regional 10 R$ 653,12
Regional 9 R$ 649,95

A pesquisa do Procon Fortaleza é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos. O levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Entre os 61 itens, 10 produtos apresentaram variações acima de cem por cento. Assim como na pesquisa de agosto, a cenoura foi o item que apresentou maior variação de preços, indo de R$ 2,48 a R$ 6,99, o valor do quilo, conferindo uma diferença de 181,85%. Já o quilo do pimentão foi encontrado de R$ 2,79 a R$ 6,99, indicando uma variação de 150,53%.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Cenoura (Kg) R$ 2,48 R$ 6,99 181,85%
Pimentão (Kg) R$ 2,79 R$ 6,99 150,53%
Cebola (Kg R$ 1,49 R$ 3,49 134,22%
Farinha de milho (500g) R$ 1,79 R$ 3,99 122,90%
Batata (Kg) R$ 2,79 R$ 5,99 114,69%

Para a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, diante do cenário de alta da inflação e de perspectiva de aumento de preços, o consumidor precisa optar por produtos que realmente esteja necessitando. "Uma boa dica é sair de casa com tudo anotado para compra e não cair nas promoções ou ofertas, que podem estar mascaradas de preços que de fato não estão mais baratos. Ou seja, pesquisar ainda é a melhor forma de economizar", disse.

Todos os preços da pesquisa estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (31/08), a nova pesquisa de preços nos supermercados da Capital com os 61 itens consultados mensalmente. O levantamento, realizado entre os dias 14 e 15 de agosto, indica que alimentos e produtos nos supermercados de Fortaleza variaram até 216,93% neste mês. É o caso do pacote da esponja de aço, com oito unidades. O item, da mesma marca e quantidade, foi encontrado de R$ 1,89 a R$ 5,99.

Entre os 61 itens, 10 produtos apresentaram variações acima de cem por cento. O quilo da cenoura, por exemplo, variou de R$ 1,99 a R$ 5,99, uma diferença de 201%. A laranja também está entre as maiores diferenças de preços, sendo encontrada de R$ 1,99 a R$ 5,69, ou seja, 185,92% de variação.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Esponja de aço (pacote 8 unid) R$ 1,89 R$ 5,99 216,93%
Cenoura (Kg) R$ 1,99 R$ 5,99 201,00%
Laranja (Kg) R$ 1,99 R$ 5,69 185,92%
Farinha de milho (500g) R$ 1,49 R$ 3,99 167,78%
Esponja multiuso (pacote 3 unid) R$ 2,99 R$ 7,99 167,22%

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, orienta que o consumidor fique atento aos preços com composição de centavos, exigindo o troco devido. "É bom ressaltar que é obrigação do estabelecimento fornecer o troco devido ao consumidor. Não cabe a desculpa da falta de troco". Ela explica que, nestes casos, o supermercado tem que baixar o preço do produto até devolver o troco corretamente para o consumidor.

Todos os preços da pesquisa estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

A pesquisa do Procon Fortaleza é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos.

O levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

O Procon também acompanha, mensalmente, a evolução de preços de produtos em todas as regionais de Fortaleza. A Regional 9, onde ficam bairros como Ancuri, Conjunto Palmeiras e Jangurussu, apresentou o maiores valores, custando os 61 produtos R$ 727,72. Já a Regional 2, em bairros como Aldeota, Cais do Porto e São João do Tauape, os itens custaram R$ 526,56. Nesta análise, o Procon lembra que a soma dos produtos pode ser afetada pela quantidade de itens disponíveis nos supermercados consultados.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 9 R$ 727,72
Regional 10 R$ 718,20
Regional 11 R$ 712,39
Regional 3 R$ 707,99
Regional 7 R$ 702,56
Regional 12 R$ 698,01
Regional 1 R$ 692,42
Regional 4 R$ 691,56
Regional 5 R$ 684,86
Regional 8 R$ 684,42
Regional 6 R$ 635,30
Regional 2 R$ 526,56
Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, na última sexta-feira (23/07), a nova pesquisa de preços nos supermercados da Capital. A pesquisa foi retomada, neste mês de Julho, após flexibilização das medidas de isolamento social. O último levantamento de preços nos supermercados ocorreu em Fevereiro. Esta nova pesquisa, realizada nos dias 14 e 15/07, segue a análise de preços no novo modelo de reestruturação das secretarias regionais, aprovado no ano passado.

A Regional 10, onde ficam bairros como Canindezinho, Maraponga e Mondubim apresenta os preços mais elevados, custando a soma dos 61 itens cerca de R$ 721,24. Na Regional 1, que concentra bairros como Carlito Pamplona, Jacarecanga e Vila Velha, também foram encontrados os valores mais elevados, saindo por R$ 700,12 os 61 produtos consultados. Já na Regional 3, em bairros como Monte Castelo, Quintino Cunha e São Gerardo foram encontrados os menores preços, somando R$ 611,63 os produtos pesquisados pelo Procon. O órgão ressalva que a soma dos produtos pode ser afetada pela quantidade de itens disponíveis no supermercado consultado.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 10 R$ 721,24
Regional 1 R$ 700,12
Regional 2 R$ 696,69
Regional 11 R$ 676,00
Regional 6  R$ 673,52
Regional 4 R$ 668,11
Regional 12 R$ 664,68
Regional 7 R$ 662,18
Regional 9 R$ 646,84
Regional 5 R$ 644,98
Regional 8 R$ 621,03
Regional 3 R$ 611,63

O Procon acompanha, mensalmente, a evolução de produtos, considerados de primeira necessidade, em todas as regionais de Fortaleza. Consulte todos os preços aqui.

Quando analisados os preços entre os estabelecimentos, alimentos como batata (20,10%), cebola (195,26%), abacaxi (195,26%) e alho (173,18%) apresentam alta variação entre o supermercado mais caro e o mais barato. Até o talco para bebê está na lista de itens com grande diferença de preços, sendo encontrado de R$ 14,85 a R$ 41,49, o produto da mesma marca. Uma diferença de 179,39%, ou seja, quase três vezes o valor do menor preço.

Maiores variações

 

Produto Menor preço Maior preço Variação
Batata (Kg) R$ 1,69 R$ 5,19 207,10%
Cebola (Kg) R$ 1,69 R$ 4,99 195,26%
Abacaxi (Unid) R$ 1,69 R$ 4,99 195,26%
Talco (200g) R$ 14,85 R$ 41,49 179,39%
Alho (Kg) R$ 17,90 R$ 48,90 173,18%

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, reforça que o consumidor sempre deve pagar o menor valor anunciado. "É muito comum se deparar com divergência entre preços anunciados em encartes de supermercado com o valor registrado no caixa. Nesses casos, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor". A Diretora lembra ainda que comprar em dias de promoção de frutas, legumes e carnes pode ser uma saída para economizar.

A pesquisa completa do Procon Fortaleza com os preços dos produtos em todas as Regionais está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor. Também é possível consultar todas as pesquisas mensais já realizadas.

Metodologia
O Procon Fortaleza realiza a pesquisa com itens considerados de primeira necessidade. A análise de preços é dividida por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. Os preços são coletados, presencialmente.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
prateleiras de supermercado
A quantidade de itens pesquisados aumentou, passando de 60 para 61 produtos (Foto: arquivo)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta sexta-feira (12/2), a nova pesquisa de preços nos supermercados da Capital. O levantamento, realizado entre os dias 4 e 5 fevereiro, traz a análise de preços no novo modelo de reestruturação das secretarias regionais, aprovado no ano passado. Com isso, o número de regionais com respectivos preços e análises, passa de sete para 12. A quantidade de itens também aumentou, passando de 60 para 61 produtos. O Procon acompanha, mensalmente, a evolução de produtos, considerados de primeira necessidade, em todas as regionais de Fortaleza.

A pesquisa aponta que a Regional 12, onde estão os bairros Centro, Moura Brasil e Praia de Iracema, concentra os preços mais elevados. A média de preços dos 61 produtos analisados ficou em R$ 653,93. Aerolândia, Messejana, Cidade dos Funcionários e demais bairros da Regional 6 aparecem em seguida, com o conjunto de produtos saindo por R$ 648,88. Já nos bairros como Benfica, Montese e Parreão, o levantamento indica que que produtos estão mais baratos. Nestes locais, da Regional 4, a soma dos itens ficou em R$ 472,24. O Procon ressalva que a média de preços por regional, por ser afetada, de acordo com a disponibilidade de produtos nos supermercados.

Preços por regionais

Regional Preço médio total
Regional 12 R$ 653,93
Regional 6 R$ 648,88
Regional 9 R$ 625,10
Regional 11 R$ 622,92
Regional 8 R$ 604,37
Regional 1 R$ 602,64
Regional 5 R$ 561,04
Regional 3 R$ 531,23
Regional 2 R$ 526,62
Regional 7 R$ 525,88
Regional 10 R$ 525,41
Regional 4 R$ 472,24

Quando analisados os preços entre os estabelecimentos, a variação entre o preço mais barato e o mais caro pode chegar a 307,14% de diferença. É o caso do mamão, cujo quilograma pode custar de R$ 0,98 a R$ 3,99. Outro item que apresenta alta variação de preços é o alho, que pode ser encontrado de R$ 13,90 a R$ 43,00, uma diferença de 209,35%.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Mamão (Kg) R$ 0,98 R$ 3,99 307,14%
Alho (Kg) R$ 13,90 R$ 43,00 209,35%
Papel higiênico (Pct) R$ 2,29 R$ 5,39 135,37%
Cenoura (Kg) R$ 2,99 R$ 6,99 133,77%
Amaciante roupas (2L) R$ 4,49 R$ 10,49 133,63%

Para a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, a pesquisa, adequada à nova divisão das 12 regionais, retrata uma maior realidade da vida do cidadão. "A pesquisa chega mais perto do consumidor, pois com uma divisão maior de regionais é possível ser mais fidedigno, coletando preços daquele estabelecimento ou outro que fica perto da casa do consumidor".

A pesquisa completa com os preços dos produtos em todas as regionais está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor. Também é possível consultar todas as pesquisas mensais já realizadas.

O Procon Fortaleza realiza a pesquisa com itens considerados de primeira necessidade. A análise de preços é dividida por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. Os preços são coletados, presencialmente.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

É preciso pesquisar para realizar uma ceia de Natal ou Réveillon com economia. É o que aponta a última pesquisa do ano em supermercados, do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta quinta-feira (17/12). O levantamento traz preços de 66 produtos mais procurados neste período de festas de fim de ano. O Procon visitou 10 supermercados, entre os dias 9 e 10/12, contemplando todas as regionais da Capital e o Centro de Fortaleza. O preço do abacaxi pode variar até 180,72%, sendo encontrado de R$ 2,49 a R$ 6,99, a unidade do produto.

A pesquisa mostra ainda preços de queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e aves.

Acesse aqui o preço de todos os produtos

A ave "chester", por exemplo, pode variar até 29,85%, indo de R$ 31,49 a R$ 40,89, o quilograma. O peru, outro item bastante procurado, pode ser encontrado de R$ 23,90 a R$ 28,59, uma variação de 19,62%.

Entre os espumantes, o preço do mesmo produto com a mesma marca pode variar até 49,79%, custando de R$ 39,99 a R$ 59,90. Já os vinhos apresentam, ainda, maiores variações. O preço da mesma bebida pode chegar a 77,03%, sendo encontrado de R$ 22,59 no supermercado mais barato, enquanto que no estabelecimento mais caro custa R$ 39,99.

Entre os bairros de Fortaleza, a Bela Vista apresenta os preços mais baratos, custando R$ 563,00 a soma dos itens, enquanto que no bairro Maraponga, os mesmos produtos somam R$ 1.049,59, uma diferença de 86,43%, que equivale a R$ 486,59. O Procon ressalva que, por conta da falta de itens em alguns supermercados, o preço total da ceia pode variar.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, esclarece que os supermercados são obrigados a cumprir ofertas e promoções. "Se o estabelecimento anunciou um produto promocional, assim deve cumprir com a oferta, sob pena de sofrer penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor".

A Diretora também orienta cautela nas compras de fim de ano. "No início do ano, é preciso ficar atento a despesas obrigatórias, como matrículas escolares, impostos e tributos, que já compõem o orçamento familiar", destacou.

Maiores variações

Produto Menor valor Maior valor Variação
Abacaxi R$ 2,49 R$ 6,99 180,72%
Uva R$ 5,99 R$ 11,89 98,50%
Bombons caixa chocolate R$ 6,99 R$ 13,49 92,99%
Queijo parmesão R$ 24,99 R$ 46,99 88,04%
Vinho tinto R$ 22,59 R$ 39,99 77,03%
Espumante R$ 39,99 R$ 59,90 49,79%
Ave chester R$ 31,49 R$ 40,89 29,85%
Peru R$ 23,90 R$ 28,59 19,62%

Compras supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
Página 1 de 11