Termina nesta sexta-feira (30/09) a Campanha Nacional contra Poliomielite e de Multivacinação nos 116 postos de saúde de Fortaleza. A ação, desencadeada no dia 8 de agosto pelo Ministério da Saúde (MS), deveria ter encerrado no dia 9 de setembro, mas foi prorrogada até o dia 30 deste mês.

No último sábado (24/09), foi realizado mais um dia D de vacinação na Capital, com todos os 116 postos de saúde abertos e a parceria dos shoppings centers, visando aumentar as coberturas das principais vacinas infantis preconizadas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI).

De acordo com Antônio Lima, epidemiologista de Fortaleza, nos últimos anos as coberturas vacinais vêm caindo. "O que temos de mais grave é a possibilidade de retorno de doenças que estavam erradicadas e eliminadas. Isso não é algo mais distante, a exemplo da poliomielite, com caso já confirmado nos Estados Unidos. A possibilidade de chegar em nosso País era muito remota quando se tinha uma cobertura alta, quando cai para em torno de 70%, passa a se tornar uma ameaça iminente”, alerta. Ele ainda apela para que as pessoas voltem a buscar as vacinas e não a recusá-las.

Balanço

O balanço da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite aponta que Fortaleza vacinou até o dia 24 de setembro 43.835 crianças de 1 a 4 anos contra pólio, o equivalente a 35% do público. No que tange a Campanha de Multivacinação entre 0 a 14 anos, 200.869 foram vacinadas para regularizar a caderneta. A aplicação prossegue em todos os postos de saúde, no horário das salas de vacinação, das 7h30 às 18h30.

No dia D, 3.264 crianças receberam a vacina VOP Campanha e/ou VOP da rotina e 17.878 crianças e adolescentes foram imunizados. Ainda nesta data, 2.383 pessoas acima de 15 anos também compareceram as unidades e receberam algum imunizante.

"Precisamos manter o País livre de doenças que podem ser prevenidas com vacinas. Por isso alertamos para que os pais e/ou responsáveis levem as crianças e os adolescentes para as doses necessárias”, enfatiza a coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli.

Público-alvo

Contra a poliomielite, o público-alvo são as crianças menores de 5 anos de idade. As menores de 1 ano recebem a dose que estiver em atraso ou a vacina prevista na rotina. As crianças de 1 a 4 anos, 11 meses e 29 dias devem receber uma dose extra da vacina pólio oral (gotinha - VOP), desde que já tenham recebido as três doses da vacina inativada contra pólio (VIP).

Soldatelli reforça que a meta definida pelo MS de 95% trata-se da vacina de rotina para Poliomielite. Até junho deste ano, o índice de vacinação em Fortaleza da referida vacina está em 68,75%.

Para a multivacinação, o público-alvo são crianças e adolescentes de 0 a 14 anos, 11 meses e 29 dias. Estão disponíveis vacinas contra meningite, hepatite, difteria, pneumonia, rotavírus, febre amarela, sarampo, caxumba, rubéola, varicela, HPV, entre outras. A estratégia é atualizar a caderneta de vacinação, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza realizará mais um Dia D neste sábado (24/09), em todos os postos de saúde do Município, de 8h às 16h30. As crianças devem estar acompanhadas de um responsável, com documento de identificação com foto e a caderneta de vacinação.

Além dos postos, os shoppings Iguatemi Bosque, RioMar Fortaleza, RioMar Kennedy, North Shopping Bezerra, Via Sul Shopping, North Shopping Jóquei, Shopping Benfica e Shopping Parangaba vão disponibilizar exclusivamente a Vacina Oral contra a Poliomielite (VOP) para crianças com esquema completo da Vacina Inativada Poliomielite (VIP), administradas aos 2, 4 e 6 meses de idade. O atendimento será de 10h às 16h.

O objetivo é ampliar a cobertura vacinal de crianças menores de 15 anos de idade, atualizando o calendário vacinal das mesmas e ampliando a imunização contra doenças.

Serão ofertadas 14 vacinas, que protegem contra 19 doenças, de acordo com a faixa etária: BCG, Hepatite B, Rotavírus, Pentavalente, Pólio Inativada, Pneumocócica 10 Valente, Meningite C, Tríplice Viral, Hepatite A, Varicela, Pólio Oral, Tríplice Bacteriana (DTP), Febre Amarela, ACWY, Tríplice Viral, Dupla Bacteriana - Difteria e Tétano e, também, HPV, ofertada para meninas e meninos entre 9 e 14 anos de idade.

Cartão de vacinação

O cartão de vacinação pode ser acessado, também, pelo Aplicativo Mais Saúde Fortaleza, disponível para download em dispositivos iOS e Android. Na aba “Vacinação”, é possível acessar quais as últimas vacinas aplicadas e quais estão pendentes.

Calendário de vacinação

Crianças
- BCG: previne tuberculose
- Hepatite B: previne hepatite B;
- Rotavírus: previne contra doenças diarreicas causadas pelo rotavírus;
- Pentavalente: previne Difteria, Tétano, Coqueluche, Meningite e outras infecções por Haemophilus influenzae tipo b e Hepatite B;
- VIP (Vacina Inativada contra a Poliomielite): previne poliomielite ou paralisia infantil;
- Pneumocócica: previne pneumonia causada pelo pneumococo;
- Meningocócica C: previne doenças provocadas pela bactéria Neisseria Meningitidis do sorogrupo C, como meningite e a sepse;
- DTP (Tríplice Bacteriana): previne Difteria, Tétano e Coqueluche;
- Hepatite A: evita hepatite A;
- SCR (tríplice viral): previne sarampo, caxumba e rubéola.
- VOP (Vacina Oral contra a Poliomielite): previne poliomielite ou paralisia infantil;
- Varicela: previne varicela;
- HPV: previne cânceres do colo do útero e verrugas genitais;
- Febre Amarela;

Adolescentes
- HPV: previne cânceres do colo do útero, de pênis e verrugas genitais;
- Meningocócica ACWY: previne meningite dos tipos ACWY e meningococcemia;
- Hepatite B: previne hepatite B;
- dT: previne difteria e tétano;

Serviço
Dia D de multivacinação
Data: 24/09 (sábado)
Horário: 8h às 16h30

 

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) dá continuidade à vacinação de crianças em idade escolar nas instituições públicas e privadas de ensino, em Fortaleza, contra a Poliomielite, Covid-19, Meningocócica ACWY e o HPV. O objetivo é ampliar a cobertura vacinal na faixa etária de 1 a 14 anos, garantindo a imunização ao maior número de crianças possível.

As visitas de equipes a escolas e creches haviam sido interrompidas durante a pandemia e visam ampliar a cobertura vacinal de crianças e jovens. Semanalmente, as equipes de vacinação de cada regional comparecem às escolas para realizar a imunização dos alunos, que devem apresentar autorização prévia dos pais ou responsáveis, além da caderneta de vacinação.

Balanço

São aplicadas mensalmente cerca de 200 mil doses de vacinas que pertencem ao calendário nacional. De 8 a 29 de agosto, 107.019 crianças e jovens menores de 15 anos foram vacinadas para atualização da caderneta.

Vanessa Soldatelli, coordenadora de imunização da SMS, explica a importância da vacinação em crianças, seja nos postos ou nas creches e escolas. “Algumas doenças que eram consideradas erradicadas no mundo estão retornando, como é o caso da Poliomielite, em que já existe uma criança com diagnóstico positivo na América do Norte. Isto nos traz um alerta para a importância de intensificar a vacinação e de que a população deve ter a consciência que as vacinas salvam e protegem nossas crianças contra diversas doenças”.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza, seguindo orientação do Ministério da Saúde (MS), amplia a oferta de duas vacinas para o público infantojuvenil. A Meningocócica ACWY (conjugada) será aplicada nos adolescentes não vacinados entre 11 e 14 anos de idade, de forma temporária, até junho de 2023. Já a vacina HPV4 será ampliada para meninos de 9 a 14 anos de idade. A vacina contra o HPV já era disponibilizada para meninas na mesma faixa etária.

A ampliação da Meningocócica ACWY se dá devido à faixa etária ser a maior responsável pela manutenção da circulação da doença na comunidade, em decorrência de elevadas taxas de estado de portador do meningococo em nasofaringe, sendo necessária a dose de reforço na adolescência para garantir a proteção nesta fase da vida.

Já o imunizante que protege contra o Papilomavírus Humano (HPV) foi incorporado de forma escalonada ao Sistema Único de Saúde (SUS) em 2014. Atualmente a vacina é aplicada em meninas e adolescentes do sexo feminino e masculino, entre 9 e 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias), e para grupos com condições clínicas especiais até os 45 anos (vivendo com HIV/AIDS, transplantados de órgãos sólidos ou medula óssea e pacientes oncológicos).

“Crianças e adolescentes devem manter seu esquema vacinal atualizado, para que a proliferação dessas doenças seja controlada. Todos os postos de Fortaleza possuem vacinas, basta se dirigir ao mais próximo da sua residência para receber a imunização”, reforça Vanessa Soldatelli, coordenadora de imunização da SMS.

A aplicação das vacinas ocorre nos 116 postos de saúde da Capital, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30. Nos fins de semana e feriados, os postos Paulo Marcelo e Messejana funcionam de 8h30 às 16h30.

Publicado em Saúde

Seguindo a orientação do Ministério da Saúde (MS), a Prefeitura de Fortaleza vai prorrogar as Campanhas Nacionais de Vacinação contra Poliomielite e a de Multivacinação para crianças e adolescentes até o dia 30 de setembro. O prazo inicial da campanha que começou em 8 de agosto era até essa sexta-feira (09/09).

A aplicação das vacinas acontece nos 116 postos de saúde da capital, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30. Nos fins de semana e feriados, os postos Paulo Marcelo e Messejana, funcionam de 8h30 às 16h30.

A coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli, alerta para a importância de evitar-se o retorno das doenças que são preveníveis. Segundo ela, “não se vacinar, além de colocar em risco a própria saúde, coloca em risco também a saúde de seus familiares e de outras pessoas do seu convívio, contribuindo para aumentar a circulação de doenças. Vacinar é prevenir, imunizar e cuidar”.

Poliomelite

A poliomielite, também conhecida por paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e provocar ou não paralisia. A paralisia infantil não existe cura, portanto a única forma de prevenção é a vacina. Desde 1988, o Ceará não registra casos de poliomielite, mas o vírus continua circulando pelo mundo.

A vacinação tem estratégias diferenciadas para crianças menores de um ano e para faixa etária de 1 a 4 anos de idade. Durante a campanha, todas as crianças menores de 4 anos devem comparecer às salas de vacinas para receber uma dose contra poliomielite. A depender do esquema vacinal registrado na caderneta, a criança poderá receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

Entenda o esquema vacinal
1ª dose: aos 2 meses através de injeção (VIP)
2ª dose: aos 4 meses através de injeção (VIP)
3ª dose: aos 6 meses através da injeção (VIP)
1º reforço: 15 meses (1 ano e 3 meses) por meio da vacina oral (VOP)
2º reforço: menores de 4 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), por meio da vacina oral (VOP)

Multivacinação

Já na campanha de Multivacinação, o objetivo é atualizar e/ou completar os esquemas das crianças e adolescentes (de 0 até 14 anos 11 meses e 29 dias) com os 19 tipos de vacinas que protegem contra diversas doenças.

Vacinas disponibilizadas para crianças
BCG; Hepatite B; Poliomielite (VIP – inativada e VOP - atenuada); Rotavírus; Pentavalente; Pneumocócica 10; Meningocócica C (conjugada); Febre Amarela; Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Varicela; Hepatite A; Tríplice Bacteriana (Difteria, Tétano e Coqueluche); Papilomavírus humano (HPV).

Vacinas disponibilizadas para adolescentes
Hepatite B; Dupla bacteriana (Difteria e Tétano); Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Papilomavírus humano (HPV) e Meningocócica ACWY (conjugada), conforme esquema vacinal.

Balanço

Desde o inicio da campanha até o dia 7 de setembro, 29.023 crianças de 1 a 4 anos foram vacinadas contra pólio. Entre 5 a 14 anos, 43.158 foram vacinadas para regularizar a caderneta.

No dia “D”, que ocorreu no dia 20 de agosto, 5.568 crianças receberam a vacina VOP e/ou VOP e 16.347 crianças e adolescentes foram imunizados. Ainda neste dia, 8.774 pessoas também compareceram as unidades e receberam algum imunizante. Soldatelli explica que por ser uma campanha de atualização do esquema vacinal, não há meta fixa.

A meta definida pelo MS trata-se da vacina de rotina que deve ser de 95% para Poliomielite. “O intuito da campanha é que todas as crianças fiquem protegidas”.

Até junho deste ano, os índices de vacinação em Fortaleza seguem em torno de 67% a 73%, na cobertura média das principais vacinas ofertadas do calendário vacinal para crianças (BCG, pentavalente, DTP, poliomielite e tríplice viral).

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza manterá dois postos de saúde em funcionamento nesta quarta-feira (07/09), Dia da Independência do Brasil, exclusivamente para vacinação de rotina. Os postos Paulo Marcelo e Messejana funcionarão das 8h às 17h.

Postos de saúde abertos para vacinação de rotina na quarta-feira (07/09)

Posto Paulo Marcelo (Rua Vinte e Cinco de Março, 607 – Centro)

Posto Messejana (Rua Coronel Guilherme Alencar, s/n – Messejana)

Vacinação contra Covid-19

Na campanha contra a Covid-19, das 9h às 17h, a Prefeitura de Fortaleza segue realizando a aplicação do imunobiológico nos pontos de vacinação divulgados no Portal da Prefeitura.

Atendimento nas UPAs

Para atendimentos de urgência, Fortaleza conta com 12 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), sendo seis delas administradas pelo Município, todas funcionando 24h por dia, aptas para realizar atendimento de pacientes com sintomas de média complexidade.

Confira os endereços das UPAs municipais

Publicado em Saúde

A partir desta segunda-feira (27/06), fortalezenses a partir de seis meses de idade podem receber a vacina contra a influenza nos postos de saúde de Fortaleza, das 8h às 17h. Para ter direito ao imunizante, é necessário apresentar documento oficial com foto. De segunda a sexta-feira, todos os postos realizam a aplicação da vacina. Aos finais de semana, os postos Paulo Marcelo e Messejana funcionam das 8h às 17h para vacinação.

Endereços dos postos de saúde

Até esta quinta-feira (23/06), 340.566 pessoas dos grupos prioritários buscaram os postos para receber a vacina, o que representa 38% da meta. “A vacina contra a influenza é tão importante quanto a da Covid-19. Por isso, é extremamente necessário que a população busque os postos de saúde, para evitar um aumento no número de casos semelhante ao que ocorreu no fim do ano passado”, alerta Ana Estela Leite, titular da Saúde de Fortaleza.

A vacina contra a Influenza atua contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B. O imunobiológico de 2022 sofreu alteração na cepa H3N2, conforme o vírus circulante no ano anterior. O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

A vacina pode ser administrada simultaneamente a outras, incluindo a vacina contra a Covid-19, com exceção das crianças de 5 a 11 anos. Nestes casos, de acordo com o Ministério da Saúde, deve-se priorizar a vacina contra a Covid-19 e aguardar 15 dias para aplicação do imunobiológico contra a influenza na faixa etária indicada.

Vacinação contra o sarampo

A campanha de vacinação de seguimento contra o sarampo, iniciada de maneira conjunta à da influenza, será concluída nesta sexta-feira (24/06). De abril até ontem (23/06), 104.893 pessoas receberam a vacina, sendo 67.018 crianças, o que corresponde a 38% da meta.

Mesmo após a conclusão da campanha, a vacina contra o sarampo continua disponível nos postos de saúde. Em crianças, a vacina é aplicada aos seis meses (dose zero), 12 meses (primeira dose) e 15 meses (segunda dose). Adultos que não possuem o esquema completo de duas doses também podem se dirigir aos postos para aplicação.

Publicado em Saúde
mutirão de vacinação
A iniciativa é promovida com equipes da SMS em escolas municipais, localizadas nos seis Distritos de Educação

A Prefeitura de Fortaleza continua, nesta quinta-feira (23/06), com o "Dia D” de Vacinação contra Covid-19 nas escolas da Rede Municipal de Ensino. O objetivo da iniciativa, realizada de forma conjunta pelas Secretarias Municipais da Saúde (SMS) e da Educação (SME), é levar a imunização para o mais próximo possível de crianças e adolescentes, ampliando a cobertura vacinal de crianças e a proteção da comunidade escolar.

Realizada sempre às quintas-feiras, com equipes da SMS em escolas municipais, localizadas nos seis Distritos de Educação, a ação imuniza os estudantes de 5 a 17 anos, seja com a primeira dose ou completando o esquema vacinal. A expectativa é vacinar cerca de 1800 alunos, por dia.

As unidade escolares participantes desta semana são: EM Antônio Mendes (Cristo Redentor), EM Maria Odnilra Cruz Moreira (Cidade 2000), EM Joaquim Nogueira (Antônio Bezerra), EM Maria Marques Cedro (Planalto Ayrton Senna), EM Herbert de Souza (Bom Jardim) e EM Jornalista José Blanchard Girão da Silva (Jangurussu).

Vale destacar que, para receber a imunização durante o “Dia D”, os pais ou responsáveis devem conceder autorização junto à direção da unidade escolar.

3º dose da imunização em adolescentes

No último dia 31 de maio, a Prefeitura de Fortaleza iniciou a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 em adolescentes a partir de 12 anos que receberam a segunda dose há quatro meses. A aplicação segue a modalidade de livre demanda, sem necessidade de agendamento prévio, nos locais que estiverem realizando vacinação contra Covid-19, conforme a programação diária divulgada no portal da Prefeitura.

Vacinação em Fortaleza

Até esta segunda-feira (20/06), 6.212.717 doses contra a Covid-19 foram aplicadas em Fortaleza, onde 2.394.279 residentes do Município receberam a primeira dose, 2.260.557 receberam a segunda dose, 1.363.950 terceira dose e 192.932 receberam a quarta dose.

No que se refere a crianças e adolescentes, Fortaleza alcançou 159.673 crianças de 05 a 11 anos com a primeira dose e 93.123 com a segunda. Já os adolescentes residentes da Capital, 217.523 receberam a primeira dose, 177.758 a segunda e 18.020 a terceira.

Publicado em Educação
Vacinação
A vacinação acontece com equipes da SMS em escolas municipais, vacinando os estudantes de 5 a 17 anos

A Prefeitura de Fortaleza continua, nesta quinta-feira (09/06), com o "Dia D” de Vacinação contra Covid-19 nas escolas da Rede Municipal de Ensino. A iniciativa visa levar a imunização para o mais próximo possível da comunidade escolar, ampliando a proteção e a cobertura vacinal de crianças e adolescentes.

Realizada de forma conjunta entre as Secretarias Municipais da Saúde (SMS) e da Educação (SME), a vacinação acontece, sempre às quintas-feiras, com equipes da SMS em escolas municipais, vacinando os estudantes de 5 a 17 anos, seja com a primeira dose ou completando o esquema vacinal.

As unidade escolares participantes desta semana são: EM Jesus Cristo/EM Raimundo de Sousa Mangueira (Jardim Iracema), EM Professor Luís Costa (Luciano Cavalcante), EM Prof. José Militão de Albuquerque (Conj. Ceará I), EM Nelson Mandela (Jose Walter), EM Maria Bezerra Quevedo ( Novo Mondubim), e EM Professora Fernanda Maria De Alencar Colares (Lagoa Redonda).

O "Dia D” terá continuidade nas próximas semanas para vacinar o máximo possível de crianças e adolescentes que ainda não receberam a imunização. Vale destacar que, para receber a imunização, os pais ou responsáveis devem conceder autorização junto à direção da unidade escolar.

Vacinação em Fortaleza

Até esta segunda-feira (06/06), 6.081.716 doses contra a Covid-19 foram aplicadas em Fortaleza, onde 2.389.062 residentes do Município receberam a primeira dose, 2.254.848 receberam a segunda dose, 1.332.257 terceira dose e 113.550 receberam a quarta dose.

No que se refere a crianças e adolescentes, Fortaleza alcançou 157.687 crianças de 05 a 11 anos com a primeira dose e 88.183 com a segunda. Já os adolescentes residentes da Capital, 217.158 receberam a primeira dose, 176.124 a segunda e 6.633 a terceira.

3º dose da imunização em adolescentes

No último dia 31 de maio, a Prefeitura de Fortaleza iniciou a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 em adolescentes a partir de 12 anos que receberam a segunda dose há quatro meses. A aplicação segue a modalidade de livre demanda, sem necessidade de agendamento prévio, nos locais que estiverem realizando vacinação contra Covid-19, conforme a programação diária divulgada no portal da Prefeitura.

Publicado em Educação

A Prefeitura de Fortaleza prorroga, a partir desta sexta-feira (03/06), as campanhas de vacinação contra a influenza e sarampo, até o dia 24 de junho. A população que faz parte dos grupos prioritários pode continuar buscando os postos de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos finais de semana nos postos Paulo Marcelo e Messejana, no mesmo horário. Para ter direito à imunização, é necessário apresentar documento oficial com foto.

Endereços dos postos de saúde

A decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (02/06), com o objetivo de aumentar as coberturas das vacinas. Até ontem (02/06), 268.605 pessoas foram vacinadas contra a influenza, o que representa 30% do público prioritário, e 89.194 foram vacinadas contra o sarampo, sendo 56.849 crianças, o que corresponde a 35% da meta.

Grupos prioritários

Influenza: Idosos acima de 60 anos, trabalhadores da saúde, Crianças de 6 meses de idade a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, professores, portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Sarampo: trabalhadores da saúde e crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Documentos necessários

Para ter direito à imunização, todos os grupos deverão apresentar documento oficial com foto. A SMS segue as orientações do informe técnico do Ministério da Saúde no que diz respeito à documentação e escolha dos grupos prioritários.

A vacina contra a influenza inclui caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdade, que devem apresentar também documento que comprove a vinculação ativa na área.

Pessoas com comorbidades ou deficiência permanente, que também fazem parte dos grupos prioritários da influenza, poderão apresentar, além do documento de identificação, qualquer comprovante que demonstre pertencer ao grupo (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc.). Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde, caso possuam. Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar apenas os documentos básicos de identificação, já que a deficiência é autodeclarada.

Influenza

A vacina contra a Influenza atua contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B. A vacina de 2022 sofreu alteração na cepa H3N2, conforme o vírus circulante no ano anterior. O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

A vacina contra a influenza pode ser administrada simultaneamente a outras, incluindo a vacina contra a Covid-19, com exceção das crianças de 5 a 11 anos. Nestes casos, de acordo com o Ministério da Saúde, deve-se priorizar a vacina contra a Covid-19 e aguardar 15 dias para aplicação do imunobiológico contra a influenza na faixa etária indicada.

Vacinação contra o sarampo

A vacinação contra o sarampo este ano é de seguimento, ou seja, imunizará as crianças menores de cinco anos de maneira indiscriminada, independente da situação vacinal. Mesmo as que já iniciaram ou completaram seu esquema vacinal devem comparecer para receber a dose da campanha.

No caso dos trabalhadores da saúde, o objetivo é atualizar as doses que ainda estejam atrasadas, além de proteger esse público contra a doença, considerando o risco diante da maior exposição nos serviços de saúde, sem estabelecimento de meta.

A campanha de seguimento tem como objetivo eliminar os chamados “bolsões” de não vacinados, evitando novos surtos de sarampo, captando os não vacinados ou que, por acaso, não tiveram resposta imunológica satisfatória às doses anteriormente aplicadas. A última campanha de seguimento e vacinação contra o sarampo ocorreu em 2018.

Publicado em Saúde
Página 1 de 7