26 de março de 2013 em Saúde

Anjos da Enfermagem visitam o IJF

Enfermarias adulto e pediátrica foram visitadas pelos profissionais que usam o lúdico para levar humanização ao tratamento dos pacientes


Total de 16 estudantes dividiram-se em duas equipes para as visitas às enfermarias

O Instituto Doutor José Frota (IJF) abriu as portas para estudantes voluntários do Instituto Anjos da Enfermagem, programa que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos pacientes internados, desenvolver atividades de educação em saúde por intermédio do lúdico, promover a humanização no atendimento médico, divulgar e fortalecer a responsabilidade social da enfermagem brasileira. Os 16 estudantes, coordenados pelo professor Antônio Magalhães, dividiram-se em duas equipes para que pudessem visitar todas as enfermarias. Na área de pediatria, as crianças interagiam com os palhaços e recebiam chocolate.

O caso de um garoto que sofreu acidente de carro e respondeu aos incentivos dos estudantes-palhaços emocionou os presentes, pois foi a primeira vez que ele reagiu a estímulos externos. O aluno de enfermagem e membro voluntário do projeto, Lúcio Neto, definiu como gratificante poder participar daquele momento. “É bom saber que você está contribuindo para a melhoria de vida de alguém, para que ela possa esquecer a dor, nem que seja por um instante, principalmente quando é uma criança”, disse.


O projeto tem parceria com o Conselho Federal de Enfermagem e Conselhos Regionais de Enfermagem. O grupo nasceu em 2003 na região do Cariri e expandiu como política nacional de enfermagem a partir de 2007. Hoje, são 80 voluntários diretos e mais de 180 indiretos trabalhando no Programa.

Os estudantes e profissionais que visitaram o IJF fazem parte dos cursos de enfermagem da Faculdade do Nordeste (Fanor) e do Centro Universitário Estácio do Ceará (FIC). Segundo o professor Antônio Mendonça, coordenador local do programa Anjos da Enfermagem, “ações desse tipo trazem conforto e melhoram a autoestima das pessoas internadas, especialmente as crianças, que ficam por longos períodos afastados de suas rotinas, de seus amigos e familiares por causa da doença”.

Anjos da Enfermagem visitam o IJF

Enfermarias adulto e pediátrica foram visitadas pelos profissionais que usam o lúdico para levar humanização ao tratamento dos pacientes

Total de 16 estudantes dividiram-se em duas equipes para as visitas às enfermarias

O Instituto Doutor José Frota (IJF) abriu as portas para estudantes voluntários do Instituto Anjos da Enfermagem, programa que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos pacientes internados, desenvolver atividades de educação em saúde por intermédio do lúdico, promover a humanização no atendimento médico, divulgar e fortalecer a responsabilidade social da enfermagem brasileira. Os 16 estudantes, coordenados pelo professor Antônio Magalhães, dividiram-se em duas equipes para que pudessem visitar todas as enfermarias. Na área de pediatria, as crianças interagiam com os palhaços e recebiam chocolate.

O caso de um garoto que sofreu acidente de carro e respondeu aos incentivos dos estudantes-palhaços emocionou os presentes, pois foi a primeira vez que ele reagiu a estímulos externos. O aluno de enfermagem e membro voluntário do projeto, Lúcio Neto, definiu como gratificante poder participar daquele momento. “É bom saber que você está contribuindo para a melhoria de vida de alguém, para que ela possa esquecer a dor, nem que seja por um instante, principalmente quando é uma criança”, disse.


O projeto tem parceria com o Conselho Federal de Enfermagem e Conselhos Regionais de Enfermagem. O grupo nasceu em 2003 na região do Cariri e expandiu como política nacional de enfermagem a partir de 2007. Hoje, são 80 voluntários diretos e mais de 180 indiretos trabalhando no Programa.

Os estudantes e profissionais que visitaram o IJF fazem parte dos cursos de enfermagem da Faculdade do Nordeste (Fanor) e do Centro Universitário Estácio do Ceará (FIC). Segundo o professor Antônio Mendonça, coordenador local do programa Anjos da Enfermagem, “ações desse tipo trazem conforto e melhoram a autoestima das pessoas internadas, especialmente as crianças, que ficam por longos períodos afastados de suas rotinas, de seus amigos e familiares por causa da doença”.