28 de junho de 2017 em Gestão

Profissionais da rede de atenção aos usuários de álcool, crack e outras drogas debatem intersetorialidade nos serviços municipais

A programação envolveu profissionais da saúde, educação, direitos humanos, assistência social e universitários


auditório com pessoas assistindo a uma palestra
O evento é uma iniciativa da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas)
Na manhã desta terça-feira (27/06), as atividades da 5ª edição da Semana Municipal sobre Drogas continuaram com o I Ciclo de Palestra sobre redução de danos e intersetorialidade, na Faculdade Apoena, reunindo profissionais da Rede de Atenção aos usuários de álcool, crack e outras drogas. O evento trouxe como palestrantes Regina Barroso, articuladora do projeto Redes da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), e Décio de Castro, psicólogo, também representante da Senad. O evento é uma iniciativa da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas), em alusão ao Dia Intenacional de Combate às Drogas, celebrado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 26 de junho.

O início do evento contou com a fala do presidente da Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova), Cláudio Ricardo. Na ocasião, Cláudio destacou que é necessário continuar articulando políticas públicas intersetoriais. “A luta pela prevenção ao uso de drogas deve ser de todos”, frisou. Ele também anunciou a parceria envolvendo a CPDrogas, Citinova e Unifor, na criação de um aplicativo que ajudará a trabalhar melhor a política sobre drogas. “Esse aplicativo consistirá na disseminação de informações sobre encaminhamentos dos usuários, com informações sobre locais de tratamento, redes de apoio e saúde. Ou seja, é interligar as tecnologias no avanço das políticas públicas”, finalizou.

Resultados

O segundo momento da palestra contou com a participação da articuladora Regina Barroso, apresentando o estudo: Intersetorialidade dos usuários e das cenas públicas de uso de drogas em Fortaleza. Para Regina, é preciso fortalecer essa rede de proteção nos territórios em que mais se concentram esse uso abusivo de drogas. “É necessário unir forças, envolver toda a sociedade nesse grande pacto”, declarou. Com amostras do estudo, a articuladora apresentou dados que revelam que a desigualdade social vem sendo uma das peças-chave para essa cultura da violência. Como solução, Regina ressaltou que as políticas públicas têm o poder de unir forças para o enfretamento da problemática das drogas.

Após a apresentação do estudo, Décio de Castro tomou a fala e fez um grande círculo com os profissionais para ouvir os relatos do que eles vivenciam diariamente em cada serviço. O psicólogo referiu o momento como oportuno para “entender o papel de cada profissional e de cada serviço nessa construção de luta, que é diária”. Para a profissional Caroline Rocha, participante do evento e pedagoga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) do Conjunto Ceará, a programação foi importante para que a Rede de profissionais se aproprie de como está o cenário do uso de drogas no Brasil e na capital. “Já executo trabalhos na área de assistência social há 5 anos e sempre precisamos passar por capacitação para entender cada vez mais sobre a temática”, disse.

Ana Dolores, educadora do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Aracapé, expôs seu posicionamento sobre a temática: “Cada dia é uma nova luta. Todos sabemos das dificuldades que enfrentamos ao trabalhar esse tema complexo, mas é o nosso dever continuar persistindo nessa construção para prevenir o uso de drogas”.

Bate papo

No período da tarde, o momento foi de muita conversa com os usuários contemplados com o Projeto Novos Caminhos, iniciativa do Município que oferta cursos profissionalizantes para usuários de drogas que vivem em situação de rua. A ocasião foi ministrada pelo psicólogo Décio de Castro.

Nesta quarta-feira (28/06), a programação continua com o II Fórum de Juventudes, das 8h às 16h30, no Vicente Pinzón. (Rua do Entardecer, 160 – Mucuripe), iniciativa do Instituto Terre des hommes Brasil.

Profissionais da rede de atenção aos usuários de álcool, crack e outras drogas debatem intersetorialidade nos serviços municipais

A programação envolveu profissionais da saúde, educação, direitos humanos, assistência social e universitários

auditório com pessoas assistindo a uma palestra
O evento é uma iniciativa da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas)
Na manhã desta terça-feira (27/06), as atividades da 5ª edição da Semana Municipal sobre Drogas continuaram com o I Ciclo de Palestra sobre redução de danos e intersetorialidade, na Faculdade Apoena, reunindo profissionais da Rede de Atenção aos usuários de álcool, crack e outras drogas. O evento trouxe como palestrantes Regina Barroso, articuladora do projeto Redes da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), e Décio de Castro, psicólogo, também representante da Senad. O evento é uma iniciativa da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas), em alusão ao Dia Intenacional de Combate às Drogas, celebrado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 26 de junho.

O início do evento contou com a fala do presidente da Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova), Cláudio Ricardo. Na ocasião, Cláudio destacou que é necessário continuar articulando políticas públicas intersetoriais. “A luta pela prevenção ao uso de drogas deve ser de todos”, frisou. Ele também anunciou a parceria envolvendo a CPDrogas, Citinova e Unifor, na criação de um aplicativo que ajudará a trabalhar melhor a política sobre drogas. “Esse aplicativo consistirá na disseminação de informações sobre encaminhamentos dos usuários, com informações sobre locais de tratamento, redes de apoio e saúde. Ou seja, é interligar as tecnologias no avanço das políticas públicas”, finalizou.

Resultados

O segundo momento da palestra contou com a participação da articuladora Regina Barroso, apresentando o estudo: Intersetorialidade dos usuários e das cenas públicas de uso de drogas em Fortaleza. Para Regina, é preciso fortalecer essa rede de proteção nos territórios em que mais se concentram esse uso abusivo de drogas. “É necessário unir forças, envolver toda a sociedade nesse grande pacto”, declarou. Com amostras do estudo, a articuladora apresentou dados que revelam que a desigualdade social vem sendo uma das peças-chave para essa cultura da violência. Como solução, Regina ressaltou que as políticas públicas têm o poder de unir forças para o enfretamento da problemática das drogas.

Após a apresentação do estudo, Décio de Castro tomou a fala e fez um grande círculo com os profissionais para ouvir os relatos do que eles vivenciam diariamente em cada serviço. O psicólogo referiu o momento como oportuno para “entender o papel de cada profissional e de cada serviço nessa construção de luta, que é diária”. Para a profissional Caroline Rocha, participante do evento e pedagoga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) do Conjunto Ceará, a programação foi importante para que a Rede de profissionais se aproprie de como está o cenário do uso de drogas no Brasil e na capital. “Já executo trabalhos na área de assistência social há 5 anos e sempre precisamos passar por capacitação para entender cada vez mais sobre a temática”, disse.

Ana Dolores, educadora do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Aracapé, expôs seu posicionamento sobre a temática: “Cada dia é uma nova luta. Todos sabemos das dificuldades que enfrentamos ao trabalhar esse tema complexo, mas é o nosso dever continuar persistindo nessa construção para prevenir o uso de drogas”.

Bate papo

No período da tarde, o momento foi de muita conversa com os usuários contemplados com o Projeto Novos Caminhos, iniciativa do Município que oferta cursos profissionalizantes para usuários de drogas que vivem em situação de rua. A ocasião foi ministrada pelo psicólogo Décio de Castro.

Nesta quarta-feira (28/06), a programação continua com o II Fórum de Juventudes, das 8h às 16h30, no Vicente Pinzón. (Rua do Entardecer, 160 – Mucuripe), iniciativa do Instituto Terre des hommes Brasil.