14 de maio de 2013 em Meio ambiente

Reunião discute Operação de Combate à Poluição Visual

A Operação já contabiliza, em 2013, a retirada de 1.133 placas de imobiliárias e anúncios particulares de aluguel e venda de imóveis 


Técnicos da Seuma e representantes do Creci discutiram ações para remoção de placas imobiliárias e anúncios particulares fixados em locais proibidos

A remoção de placas imobiliárias e anúncios particulares de aluguel e venda de imóveis fixados em locais proibidos como postes, árvores e logradouros públicos foi o tema de reunião realizada na manhã desta terça-feira, 14/05, entre a Comissão de Combate à Poluição Visual da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) e representantes do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE).

Na oportunidade, os órgãos firmaram apoio na execução da ação, em especial, no que diz respeito às autuações dos responsáveis pela prática ilegal. O Creci-CE, após pedido oficial da pasta, enviará informações das imobiliárias e corretores para assim facilitar o encaminhamento dos autos. “O nosso maior problema são os corretores autônomos, tendo em vista que eles não possuem registro no Conselho e consequentemente é mais difícil localizá-los”, explica Edal Costa, diretora-secretária do Creci-CE.

A Operação de Combate à Poluição Visual, realizada pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), em parceria com as Secretarias Regionais, já contabiliza, neste ano, a retirada de 1.133 placas de imobiliárias e anúncios particulares de aluguel e venda de imóveis. Na, quarta-feira, 15/05, a Regional V receberá a fiscalização.

Maria Luíza Távora, coordenadora da Comissão de Combate à Poluição Visual da Seuma, explica que a parceria com o Creci-CE possibilitará uma autuação mais ágil dos envolvidos. “Estamos empenhados nesta ação. Algumas imobiliárias já até nos procuraram para receberem maiores informações e solicitaram a nossa colaboração a fim de que pudéssemos esclarecer síndicos e proprietários sobre a legislação”.

Reunião discute Operação de Combate à Poluição Visual

A Operação já contabiliza, em 2013, a retirada de 1.133 placas de imobiliárias e anúncios particulares de aluguel e venda de imóveis 

Técnicos da Seuma e representantes do Creci discutiram ações para remoção de placas imobiliárias e anúncios particulares fixados em locais proibidos

A remoção de placas imobiliárias e anúncios particulares de aluguel e venda de imóveis fixados em locais proibidos como postes, árvores e logradouros públicos foi o tema de reunião realizada na manhã desta terça-feira, 14/05, entre a Comissão de Combate à Poluição Visual da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) e representantes do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE).

Na oportunidade, os órgãos firmaram apoio na execução da ação, em especial, no que diz respeito às autuações dos responsáveis pela prática ilegal. O Creci-CE, após pedido oficial da pasta, enviará informações das imobiliárias e corretores para assim facilitar o encaminhamento dos autos. “O nosso maior problema são os corretores autônomos, tendo em vista que eles não possuem registro no Conselho e consequentemente é mais difícil localizá-los”, explica Edal Costa, diretora-secretária do Creci-CE.

A Operação de Combate à Poluição Visual, realizada pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), em parceria com as Secretarias Regionais, já contabiliza, neste ano, a retirada de 1.133 placas de imobiliárias e anúncios particulares de aluguel e venda de imóveis. Na, quarta-feira, 15/05, a Regional V receberá a fiscalização.

Maria Luíza Távora, coordenadora da Comissão de Combate à Poluição Visual da Seuma, explica que a parceria com o Creci-CE possibilitará uma autuação mais ágil dos envolvidos. “Estamos empenhados nesta ação. Algumas imobiliárias já até nos procuraram para receberem maiores informações e solicitaram a nossa colaboração a fim de que pudéssemos esclarecer síndicos e proprietários sobre a legislação”.