Dando continuidade às ações estratégicas para ampliar a cobertura vacinal e reforçar a proteção à população, a Prefeitura de Fortaleza permanece realizando mutirões de vacinação contra covid-19, incluindo as vacinas de rotina e influenza. Serão 14 postos de saúde abertos nesta sábado (16/12), das 8h às 16h30, para aplicação dos imunobiológicos. No domingo (17/12), a população pode buscar o posto de saúde Matos Dourado (Edson Queiroz) e o posto Irmã Hercilia (São João do Tauape), das 8h às 16h30. A iniciativa é coordenada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

Os postos que estarão em funcionamento no mutirão estão estrategicamente distribuídos pela cidade, atendendo todas as seis coordenadorias regionais de saúde da Capital. Além disso, o atendimento ocorre mediante a capacidade máxima de cada equipamento.

Onde se vacinar (16/12):

REGIONAL DE SAÚDE I
Posto de Saúde Virgílio Távora (Av. Monsenhor Hélio Campos, s/n - Cristo Redentor)
Posto de Saúde Lineu Juca (Rua Vila Velha, 101 - Barra do Ceará)

REGIONAL DE SAÚDE II
Posto de Saúde Aída Santos (Rua Trajano de Medeiros, 813 - Vicente Pinzón)
Posto de Saúde Irmã Hercília (Rua Frei Vidal, 1821 - São João do Tauape)

REGIONAL DE SAÚDE III
Posto de Saúde Hermínia Leitão (Rua General Couto, 470 - Quintinho Cunha )
Posto de Saúde Waldemar de Alcântara (Rua Silveira Filho, 903 - Jóquei Clube)

REGIONAL DE SAÚDE IV
Posto de Saúde Dom Aloísio Lorscheider (Rua Betel, 1895 - Itaperi)
Posto de Saúde Turbay Barreira (Rua Gonçalo Souto, 420 - Vila União)

REGIONAL DE SAÚDE V
Posto de Saúde João Machado dos Santos (Travessa João Henrique, 82 - Planalto Ayrton Senna)
Posto de Saúde João Elisio (Rua Juvêncio Sales, s/n - Aracapé)
Posto de Saúde Abner Cavalcante (Rua Joana Batista, 471 - Bom Jardim)

REGIONAL DE SAÚDE VI
Posto de Saúde Mattos Dourados (Rua Des. Floriano Benevides Magalhães, 391 - Edson Queiroz)
Posto de Saúde Pompeu Vasconcelos (Rua 05, s/n - Conj. J. Paulo II - Barroso)
Posto de Saúde Waldo Pessoa (Rua Cap. Hugo Bezerra, 75 - Barroso)

No domingo (17/12), a população pode buscar o posto de saúde Matos Dourado (Rua Des. Floriano Benevides Magalhães, 391 - Edson Queiroz) e o posto Irmã Hercilia (Rua Frei Vidal, 1821 - São João do Tauape), das 8h às 16h30.

Balanço mutirões

Fortaleza já realizou dois mutirões de vacinação neste mês. O primeiro foi no dia 2 de dezembro, com 7.439 aplicações de vacina, sendo 3.484 contra covid-19 (incluindo 2.831 da vacina bivalente), 2.749 contra influenza e 1.206 vacinas de rotina.

No último sábado (09/12), foram 7.646 doses aplicadas, dessas 4.404 foram doses contra covid-19 (incluindo 3.864 da vacina bivalente), 1.876 contra influenza e 1.366 vacinas de rotina.

Desde o início da vacinação contra covid-19, 7.730.970 doses monovalentes foram aplicadas, além de 472.480 doses da vacina bivalente. Atualmente, Fortaleza tem 23% de cobertura do esquema da vacina bivalente.

Ampliação da vacinação bivalente

A Prefeitura de Fortaleza ampliou na última semana a aplicação da vacina bivalente contra covid-19 para dois públicos:

- Dose de reforço para idosos e imunocomprometidos acima de 12 anos, conforme determinação do Ministério da Saúde.

O objetivo dessas ampliações é vacinar o maior número possível de pessoas, oferecendo a proteção necessária contra a variante original do vírus causador da covid-19 e contra as cepas que surgiram posteriormente, incluindo a ômicron.

Esquema vacinal

1ª dose: crianças a partir de 6 meses;
2ª dose: conferir no cartão de vacinação o prazo definido para sua aplicação;
3ª dose: crianças a partir de 6 meses, crianças de 3 e 4 anos que receberam CoronaVac no esquema primário, crianças de 5 a 11 anos e pessoas acima de 12 anos que receberam a segunda dose há quatro meses;
4ª dose: pessoas acima de 18 anos que receberam a terceira dose há quatro meses;
Bivalente: fortalezenses acima de 18 anos, que tenham tomado, pelo menos, primeira e segunda dose da vacina contra a covid-1, há pelo menos quatro meses, e imunossuprimidos/pessoas com comorbidade de 12 anos a 17 anos, 11 meses, 29 dias;
2ª dose bivalente: fortalezenses acima de 60 anos e imunossuprimidos acima de 12 anos que tenham tomado a dose bivalente há pelo menos seis meses.

Documentos necessários

Adultos e adolescentes: documentos originais de identidade (com foto), CPF, Cartão Nacional de Saúde (CNS) e comprovante de residência atualizado. No caso de segunda dose, levar também o cartão de vacinação. Os adolescentes que não possuem RG poderão levar a certidão de nascimento junto a um documento com foto, que pode ser o bilhete único ou a carteira estudantil.
Crianças: apresentar o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) e documento oficial de identificação da criança que pode ser a certidão de nascimento, carteira de identidade ou passaporte. Também será necessário apresentar comprovante de residência atualizado e um documento original com foto do responsável pela criança no momento da aplicação.

Síndrome gripal

Pessoas com covid-19 só devem receber a vacina 30 dias após o início dos sintomas ou do resultado positivo em casos de assintomáticos. Em casos negativos para o coronavírus, mas com quadro de síndrome gripal e com sintomas leves, tais como: coriza, espirros ou tosse não há contra indicação. Em caso de febre, o recebimento da vacina deve ocorrer 48h após o desaparecimento do sintoma.

Serviço
Mutirão de Vacinação
Data: 16/12 (sábado)
Horário: 8h às 16h30
Locais: 14 postos de saúde
Data: 17/12 (domingo)
Horário: 8h às 16h30
Locais: dois postos de saúde - Matos Dourado (Edson Queiroz) e Irmã Hercilia (São João do Tauape)

 

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), segue ofertando a vacina contra Influenza para toda a população acima de 6 meses de idade nos postos de saúde da Capital enquanto durar o estoque. A Campanha Nacional está sendo encerrada nesta quarta-feira (31/05). No total, do dia 27 de março até o fim da campanha 326.805 doses foram aplicadas.

A imunização ocorre de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30. Nos fins de semana e feriados, o atendimento ocorre nos postos de plantão, divulgados semanalmente nos canais oficiais da Prefeitura de Fortaleza, das 8h às 16h30.

“A continuidade da vacinação está garantindo que as pessoas que ainda não compareceram a um dos nossos postos possam receber o imunizante e se proteger contra os vírus causadores da Influenza. Desta forma, reduzimos a transmissão do vírus entre a população, visando que, no próximo ano, possamos ter um primeiro semestre mais tranquilo na questão de pessoas procurando atendimento com sintomas gripais”, reforça Luciana Passos, coordenadora da Atenção Primária e Psicossocial de Fortaleza.

Documentação necessária

Para ter direito à imunização, o usuário deverá apresentar documento oficial com foto e comprovante de residência.

Influenza

O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza realiza, neste sábado (27/05), por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o Dia D de mobilização da Campanha Nacional contra Influenza e reforço da vacina bivalente, além da continuidade da imunização com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação. Na ocasião, 20 postos de saúde estarão abertos, exclusivamente nesta data, das 8h às 16h30.

No domingo (28/05), a Prefeitura de Fortaleza ofertará a vacinação exclusivamente nos postos de saúde Irmã Hercília (Rua Frei Vidal, 1821 - São João do Tauapé) e Mattos Dourado (Rua Des. Floriano Benevides Magalhães, 391 - Edson Queiroz).

O foco do Dia D será a vacina contra a Influenza (A, dos tipos H1N1 e H3N2; e B) e também será possível se vacinar contra a Covid-19 (doses monovalentes e bivalente) e com as demais vacinas de rotina disponibilizadas pelo SUS (tríplice viral, hepatite A e B, tríplice bacteriana, poliomielite, varicela, etc).

“É importante lembrar que a vacina da gripe é anual, e que é fundamental manter o calendário de vacinação atualizado para garantir a manutenção da saúde, em especial nesse período de sazonalidade”, afirma Luciana Passos, coordenadora das Redes de Atenção Primária e Psicossocial de Fortaleza.

Influenza

A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito. A transmissão ocorre principalmente através do contato com partículas eliminadas por pessoas infectadas (ao falar, tossir, espirrar) ou mãos e objetos contaminados por secreções.

O período de incubação do vírus varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves. A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga, é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

Balanço

A vacinação contra Influenza para todos os públicos teve início no dia 15 de maio, devido ao aumento de casos de gripe decorrente da sazonalidade das chuvas no Estado. Até o momento, 268.901 doses foram aplicadas na Capital. Em relação à aplicação da Bivalente, até a última segunda-feira (22/05), foram 244.953 doses aplicadas.

Dia D da Vacinação
Data:
sábado (27/05)
Horário:
8h às 16h30

Regional de Saúde I
Maria Aparecida Lima (Av. K - Conjunto Nova Assunção, 915 - Vila Velha)
Zenirton Pereira (Rua José Roberto Sales, 475 - Barra do Ceará)
Paulo de Melo Machado (R. Bernardo Pôrto, 497 - Monte Castelo)

Regional de Saúde II
Irmã Hercília (Rua Frei Vidal, 1821 - São João do Tauape)
Aida Santos (Av. Trajano de Medeiros, 813 - Vicente Pinzón)
Rigoberto Romero (Av. das Graviolas, 195 - Cidade 2000)

Regional de Saúde III
Clodoaldo Pinto (Rua Banvarth Bezerra, 100 - Padre Andrade)
Meton de Alencar (Rua Padre Perdigão Sampaio, 820 - Antônio Bezerra)
Mariusa Silva (Rua Araçá, 440 – Bonsucesso)

Regional de Saúde IV
Abel Pinto (Travess Goiás, s/n - Demócrito Rocha)
Gothardo Peixoto (Rua Irmã Bazet, 153 – Damas)
Valdevino de Carvalho (Rua Guará – Parangaba)

Regional de Saúde V
Jurandir Picanço (Rua Duas Nações, s/n - Granja Portugal)
Luiza Távora (Travessa São José, 940 - Mondubim)
Regina Severino (Rua Itatiaia, 889 – Canindezinho)
Dom Lustosa (Rua A, s/n – Granja Lisboa)

Regional de Saúde VI
Mattos Dourado (Rua Des. Floriano Benevides Magalhães, 391 - Edson Queiroz)
Messejana (Rua Cel. Guilherme Alencar, s/n – Messejana)
Melo Jaborandir (Rua Trezentos Quinze – Jangurussu)
Waldo Pessoa (Av. Capitão Hugo Bezerra, 75 – Barroso)

Atendimento no domingo (28/05)
Horário: de 8h às 16h30
Locais:
Irmã Hercília (Rua Frei Vidal, 1821 - São João do Tauapé)
Mattos Dourado (Rua Des. Floriano Benevides Magalhães, 391 - Edson Queiroz)

 

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza dá continuidade, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), à campanha de vacinação contra Influenza. Nesta nova etapa, a imunização será ampliada para todos os públicos, a partir de seis meses de idade. No balanço até esta quinta-feira (11/05), 188.396 doses foram aplicadas nos públicos-alvo da campanha.

A imunização será realizada em todos os postos de saúde da Capital, em dias úteis, das 7h30 às 18h30. Nos fins de semana e feriados, o atendimento ocorre nos postos de plantão, divulgados semanalmente nas redes oficiais da Prefeitura de Fortaleza, das 8h às 16h30.

A vacina contra a Influenza, também conhecida como vacina contra a gripe, é um dos imunobiológicos mais importantes disponíveis para prevenir doenças respiratórias causadas pelo vírus Influenza, e é formulada para proteger contra os tipos mais comuns de vírus (A, dos tipos H1N1 e H3N2; e B) que circulam a cada temporada.

"A ampliação do público para vacinação é muito importante para a saúde pública em geral, pois pode reduzir a disseminação da doença na comunidade. Nas campanhas, conseguimos vacinar um maior número de pessoas em um curto espaço de tempo, fazendo com que a proliferação do vírus seja reduzida. Por isso, quanto mais pessoas são vacinadas, há menos chances de que a doença se espalhe, o que pode proteger a todos”, reforça Luciana Passos, coordenadora da Atenção Primária e Psicossocial de Fortaleza.

Documentação necessária

Para ter direito à imunização, o usuário deverá apresentar documento oficial com foto e comprovante de residência.

Campanha 2022

No ano passado, a campanha na Capital teve início em 2 de abril, contemplando, inicialmente, grupos prioritários, com 80,3% do público-alvo vacinado, equivalente a 591.189 doses. Com o avanço da imunização desses grupos, a vacinação foi ampliada, conforme orientação do Ministério da Saúde, em 27 de junho, para a população em geral.

Influenza

O vírus da Influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal. A campanha segue até o dia 31 de maio, protegendo contra as cepas A, dos tipos H1N1 e H3N3, e B.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza prossegue, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com a Campanha de Vacinação contra Influenza em todos os postos de saúde da Capital, das 7h30 às 18h30. No dia D, realizado no dia 15 de abril, cerca de 25 mil pessoas do público prioritário receberam a imunização. Desse total, 4.671 foram de crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias. Na mesma data, foram aplicadas aproximadamente 11 mil doses da vacina de reforço bivalente contra a covid-19.

“A vacina é um ato de amor coletivo, pois protege as pessoas e cria uma barreira contra as doenças. Por isso, convidamos a população que procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa e atualize a carteira de vacinação. Cada um fazendo a sua parte contribui para a diminuição de casos graves dessas doenças”, alertou a coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli.

Grupos prioritários

De acordo com o Calendário Nacional de Imunização do Ministério da Saúde (MS), a campanha é destinada, inicialmente, aos grupos prioritários: crianças a partir de seis meses, idosos, gestantes e imunossuprimidos, puérperas, povos indígenas, pessoas com comorbidades e deficiências permanentes, profissionais da saúde e educação, forças armadas, de segurança e salvamento, além de trabalhadores de transportes coletivos e portuários, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas

A vacina contra a Influenza pode ser recebida conjuntamente com os imunizantes contra a Covid-19 e outras vacinas. No entanto, pessoas com coronavírus só devem receber a vacina 30 dias após o início dos sintomas ou do resultado positivo em casos de assintomáticos. Em casos negativos, mas com quadro de síndrome gripal e com sintomas leves, como coriza, espirros ou tosse, não há contraindicação. Em caso de febre, o recebimento da vacina deve ocorrer 48h após o desaparecimento do sintoma.

Documentação

Para ter direito à imunização, todos os grupos deverão apresentar documento oficial com foto e comprovante de residência, além de comprovação que demonstre pertencer ao grupo prioritário, caso necessário.

Balanço geral

Em Fortaleza, a vacinação da gripe iniciou antecipadamente no dia 27 de março, exclusivamente para crianças a partir de seis meses de idade a menores de seis anos. Na data oficial que começou a campanha (10 de março), o público foi estendido para os demais grupos preconizados pelo Ministério da Saúde. No total, 120.124 pessoas receberam a imunização, até terça-feira (25/04).

A campanha segue até o dia 31 de maio, protegendo contra as cepas A, dos tipos H1N1 e H3N3, e B. A meta é vacinar 90% do público-alvo, que corresponde a 863.774 pessoas.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza realiza, neste sábado (15/04), por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o dia D de mobilização da Campanha Nacional contra Influenza e reforço da vacina bivalente. Na ocasião, os postos de saúde estarão abertos, exclusivamente nesta data, das 8h às 16h30, além pontos estratégicos que serão disponibilizados para reforçar a campanha e garantir a imunização da população (confira onde se vacinar e horários). Os públicos a serem vacinados continuam sendo os prioritários definidos pelo Ministério da Saúde (MS) para prevenção de cada doença (abaixo os públicos prioritários).

A meta contra gripe é vacinar 90% do público-alvo, que corresponde a 863.774 pessoas. O cronograma estabelecido pelo MS objetiva imunizar os grupos com maior risco de desenvolver formas graves da doença, bem como aumentar as coberturas vacinais, que apresentaram índices alarmantes nos últimos anos.

“O foco do dia D será a vacina contra a Influenza, com cepas atualizadas (A, dos tipos H1N1 e H3N2; e B) e a aplicação da bivalente, mas a população pode aproveitar nos postos de saúde para atualizar a caderneta com as vacinas de rotina, bem como contra a covid-19 com as doses monovalentes”, explica Vanessa Soldatelli, coordenadora de imunização de Fortaleza.

A coordenadora informa ainda que a pessoa vacinada deixa de transmitir a doença e passa a proteger as pessoas do seu convívio. A campanha de vacinação contra a gripe segue até o dia 31 de maio.

Influenza

A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito. A transmissão ocorre principalmente através do contato com partículas eliminadas por pessoas infectadas (ao falar, tossir, espirrar) ou mãos e objetos contaminados por secreções.

O período de incubação do vírus varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves. A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga, é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

Balanço

A vacinação para crianças a partir de seis meses de idade a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias) foi antecipada na Capital, pelo Governo do Estado, e teve início no dia 27 de março, devido ao aumento de casos de gripe decorrente da sazonalidade das chuvas no Estado.

“Até o momento, cerca de 12 mil crianças receberam a imunização na Capital. É um número muito baixo levando em consideração a expectativa populacional dessa faixa etária, que é de 178 mil crianças”, revela a coordenadora.

Em relação à aplicação da Bivalente, até a última segunda-feira (10/04), foram 97.889 doses aplicadas nos grupos prioritários. Fortaleza recebeu do MS 258.084 doses da bivalente (até 30/03).

Para ambas as vacinas, o público restrito ao leito, inserido nos grupos prioritários, e os fortalezenses acima de 12 anos que vivem em instituições de longa permanência e os trabalhadores destes locais, recebem a vacinação de forma residencial. Para ter acesso a este modelo de aplicação é necessário que o familiar ou responsável se dirija a sua unidade de saúde de referência para notificar a necessidade da aplicação domiciliar ou ligue para o 156 para informar.

Grupos prioritários

Bivalente e influenza

Pessoas a partir de 60 anos de idade
Povos de comunidade indígena, ribeirinhas e quilombolas (a partir de 12 anos)
Imunocomprometidos (a partir de 12 anos)
Pessoas com deficiência permanente (acima de 12 anos)
Gestantes e puérperas (cartão da gestante ou exame de gravidez)
Trabalhadores da saúde
Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (12 anos a 17 anos, 11 meses e 29 dias)
População privada de liberdade (a partir de 18 anos)
Funcionários do sistema prisional
Pessoas com comorbidades (exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica, etc)

Influenza

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias)
Professores do ensino básico e superior
Caminhoneiros
Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário, passageiros urbano e de longo curso
Trabalhadores portuários
Forças de segurança e salvamento
Forças armadas
Adolescentes e jovens em medidas socioeducativas

Bivalente

Abrigados e trabalhadores de instituições de longa permanência (a partir de 12 anos)

Serviço
Dia D de vacinação contra a gripe
Data: sábado (15/04)
Horário: a partir das 8h
Lista de locais

Publicado em Saúde
enfermeira vacinando uma idosa
Nos 117 postos de saúde da Capital, as salas de vacinação funcionam de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30

Existem vacinas direcionadas a todas as faixas etárias, desde o nascimento até a fase longeva. No caso de pessoas com 60 anos ou mais, atualmente, são disponibilizadas seis vacinas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) que compõem o calendário nacional de vacinação. Por isso, a Prefeitura de Fortaleza convida idosos a procurarem os postos de saúde não somente nos períodos de campanha de vacinação, mas durante todo o ano para manutenção da caderneta vacinal.

As vacinas aplicadas em idosos do Município, de acordo com o Calendário Nacional de Imunização, são: Influenza (gripe), Hepatite B, dT (dupla adulto) contra Difteria e Tétano, Pneumocócica 23 Valente (contra pneumonias, meningites, otites, sinusites, artrites e outras), Covid-19, aplicada em duas doses do esquema vacinal e duas doses de reforços, além da vacina contra Febre Amarela, que deve ser aplicada de acordo com avaliação médica.

Influenza

Em Fortaleza, a Prefeitura realiza anualmente a campanha contra a gripe, vacinando grupos prioritários, entre eles, pessoas a partir de 60 anos contra a Influenza, doença viral e aguda do aparelho respiratório, que provoca febre, tosse, dores de garganta e mal estar. O imunobiológico é disponibilizado nos 117 postos de saúde municipais durante todo o ano e são realizadas campanhas, geralmente no mês de abril, período sazonal da doença, para intensificar a vacinação. A campanha de 2023 está prevista para o próximo mês.

De acordo com a médica geriatra Luciana Passos, “há estudos que comprovam que infecções ocasionadas pelo vírus da Influenza podem causar problemas cardiovasculares, como o infarto agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC). A vacinação anual para idosos contra a doença é de extrema importância para prevenir esta e outras enfermidades de caráter respiratório como a pneumonia, que compromete as vias respiratórias e pode trazer complicações graves para pessoas em idades mais avançadas, podendo levar ao óbito”.

A imunização em massa, e em período curto de tempo, interrompe a cadeia de transmissão viral, reduzindo adoecimentos e mortes. Desde a inserção da vacina Influenza contra a gripe no calendário nacional pelo Ministério da Saúde, houve redução no número de internações por gripe e de mortes por idosos, além da utilização dos equipamentos de saúde por esse público.

Qualidade de vida

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas com mais de 60 anos terá um aumento significativo nos próximos anos no Brasil, podendo chegar a 66,5 milhões até o ano de 2025. Esse crescimento denota a uma necessidade de melhoria na qualidade de vida para esta faixa etária, sendo a vacinação um dos fatores para que seja atingido o objetivo de uma velhice saudável e feliz.

Os idosos são mais suscetíveis a doenças, em especial do sistema respiratório, devido ao processo natural de envelhecimento e alterações do sistema imunológico, sendo a vacinação a maior responsável pela redução de internações e do risco de morte. “Pessoas com doenças cardíacas, de modo geral, são mais suscetíveis a contrair infecções e têm maior risco de apresentar complicações, podendo agravar com o avanço da idade. Bactérias e vírus respiratórios, como os que causam a gripe e a pneumonia, estão entre os que demandam maior atenção, por isso, as vacinas Influenza e Pneumocócica são especialmente indicadas”, reforça a coordenadora de imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli.

A coordenadora reforça que, em anos de boa adesão à vacinação, o resultado é refletido no ano seguinte. “Quando temos um grande número de idosos vacinados nas campanhas anuais, identificamos a redução no número de internações e óbitos causados pela doença combatida no ano seguinte. Já em anos de baixa adesão, como vêm acontecendo neste período pós-pandemia, podemos notar um aumento considerável nas internações e de casos mais graves, em especial da Influenza. Por isso, é tão importante a vacinação em todas as faixas etárias”.

Vacinação em idosos na Capital

Em 2020, de acordo com os dados epidemiológicos de Fortaleza, cerca de 123,2% da população idosa foi aos postos para receber o imunizante contra a gripe. A expectativa populacional vacinada acima de 60 anos era em torno de 242.430 pessoas e um total de 299.491 foram imunizados. A campanha chegou a ser antecipada para o mês de março, devido aos primeiros casos de Covid-19 que surgiam em Fortaleza, buscando reduzir o número de pessoas a ocupar leitos em hospitais que não fossem pela pandemia. Já nos anos seguintes, houve uma queda significativa, ocasionada pelo período da pandemia da Covid-19, onde as pessoas evitaram procurar os locais de vacinação, em especial, o público idoso.

Em 2021, a expectativa populacional idosa para receber a vacina contra a Influenza era de 343.686, porém, apenas 200.704 pessoas procuraram os postos para receber o imunobiológico, o que corresponde a 58,4%. Em 2022, apenas 164.825 idosos foram imunizados, correspondendo a 48% das 343.686 esperadas dentro da faixa etária de vacinação.

Onde se vacinar

Nos 117 postos de saúde da Capital, as salas de vacinação funcionam de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30. Aos fins de semana, Fortaleza conta com dois postos que funcionam em regime de plantão, de 8h às 16h. As unidades são informadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza prorroga, a partir desta sexta-feira (03/06), as campanhas de vacinação contra a influenza e sarampo, até o dia 24 de junho. A população que faz parte dos grupos prioritários pode continuar buscando os postos de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos finais de semana nos postos Paulo Marcelo e Messejana, no mesmo horário. Para ter direito à imunização, é necessário apresentar documento oficial com foto.

Endereços dos postos de saúde

A decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (02/06), com o objetivo de aumentar as coberturas das vacinas. Até ontem (02/06), 268.605 pessoas foram vacinadas contra a influenza, o que representa 30% do público prioritário, e 89.194 foram vacinadas contra o sarampo, sendo 56.849 crianças, o que corresponde a 35% da meta.

Grupos prioritários

Influenza: Idosos acima de 60 anos, trabalhadores da saúde, Crianças de 6 meses de idade a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, professores, portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Sarampo: trabalhadores da saúde e crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Documentos necessários

Para ter direito à imunização, todos os grupos deverão apresentar documento oficial com foto. A SMS segue as orientações do informe técnico do Ministério da Saúde no que diz respeito à documentação e escolha dos grupos prioritários.

A vacina contra a influenza inclui caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdade, que devem apresentar também documento que comprove a vinculação ativa na área.

Pessoas com comorbidades ou deficiência permanente, que também fazem parte dos grupos prioritários da influenza, poderão apresentar, além do documento de identificação, qualquer comprovante que demonstre pertencer ao grupo (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc.). Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde, caso possuam. Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar apenas os documentos básicos de identificação, já que a deficiência é autodeclarada.

Influenza

A vacina contra a Influenza atua contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B. A vacina de 2022 sofreu alteração na cepa H3N2, conforme o vírus circulante no ano anterior. O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

A vacina contra a influenza pode ser administrada simultaneamente a outras, incluindo a vacina contra a Covid-19, com exceção das crianças de 5 a 11 anos. Nestes casos, de acordo com o Ministério da Saúde, deve-se priorizar a vacina contra a Covid-19 e aguardar 15 dias para aplicação do imunobiológico contra a influenza na faixa etária indicada.

Vacinação contra o sarampo

A vacinação contra o sarampo este ano é de seguimento, ou seja, imunizará as crianças menores de cinco anos de maneira indiscriminada, independente da situação vacinal. Mesmo as que já iniciaram ou completaram seu esquema vacinal devem comparecer para receber a dose da campanha.

No caso dos trabalhadores da saúde, o objetivo é atualizar as doses que ainda estejam atrasadas, além de proteger esse público contra a doença, considerando o risco diante da maior exposição nos serviços de saúde, sem estabelecimento de meta.

A campanha de seguimento tem como objetivo eliminar os chamados “bolsões” de não vacinados, evitando novos surtos de sarampo, captando os não vacinados ou que, por acaso, não tiveram resposta imunológica satisfatória às doses anteriormente aplicadas. A última campanha de seguimento e vacinação contra o sarampo ocorreu em 2018.

Publicado em Saúde

A partir de segunda-feira (04/04), Fortaleza inicia a 8ª campanha de vacinação de seguimento do sarampo e dá continuidade à 24ª campanha de vacinação contra a influenza. As vacinas estarão disponíveis a partir dessa data nos 116 Postos de Saúde da Capital, das 7h30 às 18h30, de acordo com os grupos prioritários. A campanha será dividida em duas fases.

Primeira fase: 4 de abril a 2 de maio

- Idosos acima de 60 anos: receberão vacina da Influenza
- Trabalhadores da saúde: receberão vacina da Influenza e do sarampo

Segunda fase: 3 de maio a 3 de junho

- Crianças de 6 meses a menores de 5 anos: receberão vacina do sarampo
- Crianças de 6 meses de idade a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, professores, portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas: receberão vacina da Influenza

Documentos necessários

Para ter acesso à vacina, os idosos devem apresentar documento oficial com foto.

No caso dos profissionais, é necessário também documento de comprovação do trabalho em Fortaleza, como, por exemplo, a carteira de trabalho, uma declaração de vínculo ou contracheque.

Os grupos prioritários da segunda fase também devem apresentar, além do documento oficial, o comprovante da sua condição profissional ou de saúde.

Grupos prioritários

O objetivo da campanha de vacinação é imunizar um grande quantitativo de pessoas em um curto espaço de tempo, interrompendo a cadeia de transmissão. Assim, a Prefeitura de Fortaleza pretende vacinar cerca de 900 mil pessoas dos grupos prioritários durante os dois meses de campanha, conforme a disponibilidade de imunobiológico.

“Uma campanha de vacinação deve ocorrer num espaço curto de tempo para que a cadeia de transmissão das doenças seja interrompida. Por isso, é necessário que os públicos prioritários compareçam no período determinado para receber a vacina, garantindo sua dose e evitando o ressurgimento do sarampo e a circulação do vírus da influenza”, alerta Vanessa Soldatelli, coordenadora de imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

A aplicação dos dois imunobiológicos será feita de maneira simultânea, de acordo com as definições do Programa Nacional de Imunizações, evitando que a população precise se deslocar novamente aos postos.

Endereços dos postos de saúde

Vacinação contra o sarampo

Em relação à vacinação contra o sarampo será de seguimento, ou seja a campanha imunizará as crianças de maneira indiscriminada, independente da situação vacinal. Mesmo as que já iniciaram ou completaram seu esquema vacinal devem comparecer para receber a dose da campanha.

No caso dos trabalhadores da saúde, o objetivo é atualizar as doses que ainda estejam atrasadas, além de proteger esse público contra a doença, considerando o risco diante da maior exposição nos serviços de saúde, sem estabelecimento de meta. No caso das crianças menores de cinco anos, a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é de 95%.

O sarampo é uma doença infecciosa, aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbito. Com a baixa cobertura vacinal nos últimos anos no Brasil, o país voltou a ser endêmico para sarampo, em 2019. Em Fortaleza, até novembro de 2021, a cobertura da vacina tríplice viral, que combate o sarampo em crianças de um ano, chegou a 73%.

A campanha de seguimento tem como objetivo eliminar os chamados “bolsões” de não vacinados, evitando novos surtos de sarampo, captando crianças ainda não vacinadas ou que por acaso não tiveram resposta imunológica satisfatória. A última campanha de seguimento e vacinação contra o sarampo ocorreu em 2018.

O esquema vacinal contra o sarampo compreende duas doses: administração de uma dose com um ano de idade e uma segunda com um ano e três meses. A vacina tríplice viral atua contra o sarampo, caxumba e rubéola, e faz parte da rotina de imunização, por isso, está disponível durante todo o ano nos postos de saúde. É importante lembrar que todas as crianças de seis meses a menores de 1 ano continuam recebendo a “dose zero”.

O esquema de vacinação do sarampo em adultos é de duas doses até 29 anos e uma dose de 30 a 59 anos. Caso haja atraso na aplicação dessas doses, independente da campanha, a população pode comparecer aos postos de saúde para atualizar o esquema vacinal.

“Os fortalezenses até 59 anos, que não fazem parte dos grupos prioritários, porém, que estão com seu esquema vacinal contra o sarampo atrasado, ou nunca receberam nenhuma dose, também estão convidados a buscar nossos postos de saúde para atualização do seu cartão de vacinação”, enfatiza Vanessa.

Vacinação contra a Influenza

A vacina contra a Influenza atua contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B. A vacina de 2022 sofreu alteração na cepa H3N2, conforme o vírus circulante no ano anterior. O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

O imunobiológico, além de poder ser aplicado em conjunto com a vacina do sarampo, pode também ser administrado com a vacina contra a Covid-19, com exceção das crianças de 5 a 11 anos que recebem a vacina pediátrica. Nestes casos, de acordo com o Ministério da Saúde, deve-se priorizar a vacina contra a Covid-19 e aguardar 15 dias para aplicação dos imunobiológicos contra o sarampo e a influenza na faixa etária indicada.

Além do intervalo de aplicação das duas vacinas, crianças de seis meses a menores de 9 anos recebem duas doses, com um intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda dose. Crianças que já receberam a vacina nos anos anteriores recebem apenas uma dose.

Cronograma

Influenza

1ª fase (2 de abril a 2 de maio): idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde.

2ª fase (3 de maio a 3 de junho): professores; crianças (6 meses de idade a menores de 5 anos), gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde; portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas

Sarampo (campanha de seguimento)

1ª fase (4 de abril a 2 de maio): trabalhadores da saúde que estejam com primeira ou segunda dose em atraso
2ª fase (3 de maio a 3 de junho): crianças de seis meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza segue com a vacinação contra a gripe, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), iniciando a terceira fase da campanha. A nova fase de imunização começa nesta quarta-feira (09/06), nas salas de vacinação dos 116 postos de saúde da Capital, das 8h às 17h.

A terceira fase da campanha tem como públicos-alvo pessoas com comorbidades ou deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

A campanha, que teve início no dia 12 de abril, já contemplou trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, idosos a partir de 60 anos e professores. Ao todo, quase 200 mil pessoas foram imunizadas até o momento, entre os públicos da primeira e segunda fases. Mesmo após o fim da primeira e segunda fases, os grupos podem se dirigir aos postos para receber a vacina.

A vacina contra a gripe protege contra três tipos de vírus: Influenza A (H1N1), H3N2 e Influenza B. A gripe H1N1 foi declarada como pandemia em 2009 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e infectou mais de 70 países. Em 2010, a vacina contra o vírus foi incorporada à vacinação contra as outras influenzas, e o H1N1 circula hoje como uma influenza sazonal.

“A vacina contra a influenza, assim como a da Covid-19, é uma vacina pandêmica. É importante que o público contemplado busque os postos para receber a imunização para evitar um novo surto de gripe e para que possa haver um diferencial de diagnósticos entre as duas doenças”, afirma Vanessa Soldatelli, coordenadora de Imunização da SMS.

Caso a pessoa tenha recebido a vacina da Covid-19, ela deve aguardar para receber a vacina da gripe respeitando o intervalo de, no mínimo, 14 dias, e vice-versa.

Documentação necessária

Para ter direito à imunização, todos os grupos deverão apresentar documento oficial com foto e cartão do SUS. A SMS segue as orientações do informe técnico do Ministério da Saúde no que diz respeito à documentação e escolha dos grupos prioritários.

Caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdade devem apresentar também documento que comprove a vinculação ativa na área.

Pessoas com comorbidades poderão apresentar, além do documento de identificação, qualquer comprovante que demonstre pertencer ao grupo (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc.). Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde, caso possuam.

Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar apenas os documentos básicos de identificação, já que a deficiência é autodeclarada.

Lista de comorbidades inclusas na vacinação contra a gripe

- Doenças respiratórias crônicas:
Asma em uso de corticoide inalatório ou sistêmico (moderada ou grave), doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), bronquiectasia, fibrose cística, doenças intersticiais do pulmão,
displasia broncopulmonar, hipertensão arterial pulmonar, crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade.

- Doenças cardíacas crônicas:
Doença cardíaca congênita, hipertensão arterial sistêmica com comorbidade, doença cardíaca isquêmica, insuficiência cardíaca.

- Doenças renais crônicas:
Doença renal nos estágios 3,4 e 5, síndrome nefrótica, paciente em diálise.

- Doenças hepáticas crônicas:
Doença hepática crônica Atresia biliar; Hepatites crônicas; Cirrose.

- Doença neurológica crônica:
Acidente Vascular Cerebral; Indivíduos com paralisia Cerebral; Esclerose múltipla; Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular; Deficiência neurológica grave.

- Diabetes Mellitus tipo I e tipo II em uso de medicamentos.

- Imunossuprimidos:
Imunossupressão Imunodeficiência congênita ou adquirida
Imunossupressão por doenças ou medicamentos

- Obesidade grau III.

- Transplantados.

- Portadores de trissomias:
Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Síndrome de Warkany, dentre outras trissomias.

Publicado em Saúde
Página 1 de 2