26 de agosto de 2021 em Educação

Estratégias de enfrentamento ao abandono escolar em Fortaleza são destaque em audiência pública da Câmara Municipal de Belo Horizonte

Uma das estratégias desenvolvidas pela Rede Municipal foi a criação de um sistema próprio de acompanhamento diário da frequência dos alunos


Representando a educação pública da capital, a secretária Dalila Saldanha participou, na tarde desta quinta-feira (26/8), de audiência pública da Câmara Municipal de Belo Horizonte sobre a evasão e abandono escolar no contexto da pandemia da Covid-19. Na oportunidade, a titular da Secretaria Municipal da Educação (SME) abordou as estratégias de Fortaleza no monitoramento da frequência dos alunos, assim como as conquistas do município no enfrentamento ao abandono escolar.

Para o enfrentamento do abandono escolar, uma das estratégias desenvolvidas pela Rede Municipal foi a criação de um sistema próprio de acompanhamento diário da frequência, como instrumento de erradicar a evasão escolar e efetivar o direito de aprender. Com o sistema, é possível acompanhar a frequência de 100% dos alunos.

Além de assegurar o monitoramento diário da frequência escolar, o sistema possibilita o registro das estratégias de Busca Ativa, tomadas em relação a alunos(as), a partir do primeiro dia de infrequência escolar injustificada. As estratégias são: comunicação com a família, via telefone, ou com o próprio estudante, caso tenha alcançado a capacidade civil; envio de comunicado escrito; visita domiciliar e, por último, esgotados os meios de busca do estudante pela unidade de ensino, envio de ofício ao Conselho Tutelar.

“Em 2008, tínhamos uma taxa de insucesso escolar de mais de 27%. Agora temos um resultado histórico. Ao longo dos anos conseguimos reduzir de forma muito positiva a reprovação e abandono. Erradicamos a reprovação escolar e, em 2020, mesmo em período de pandemia, atingimos uma taxa de abandono de 0,1”, pontuou Dalila.

Ainda dentro das estratégias de enfrentamento ao abandono, a gestora apontou a assinatura do termo de Cooperação Técnica que tem por objeto a implementação de ações conjuntas entre a Secretaria Municipal da Educação, Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e do Desenvolvimento Social e Secretaria Estadual da Educação que assegurem, de forma permanente, a Busca Ativa de crianças e jovens fora da escola na Rede Municipal e Estadual em Fortaleza, e promovam os encaminhamentos e atendimentos pertinentes a cada instituição, com o acompanhamento do Ministério Público do Ceará.

Solicitante do debate, a vereadora Marcela Trópia (Novo) elogiou o trabalho desenvolvido na capital cearense. “Talvez uma das vozes mais referendadas de todas as pessoas que fomos buscar na hora de falar sobre educação, tenha sido a da secretária Dalila. Entre as Prefeituras que estão realizando um bom trabalho, Fortaleza sempre é lembrada”, disse.



“Fortaleza trabalha em políticas públicas voltadas para a busca ativa e esse combate efetivo à evasão. Somos grandes admiradores da Secretaria Municipal de Fortaleza. Eles dão exemplo”, completou Carolina Campos, representante do Vozes pela Educação.

A audiência realizada nesta quinta (26/08) também contou com a participação da secretária municipal de Educação de BH, Ângela Imaculada Loureiro de Freitas Dalben; a secretária estadual de Educação de Minas Gerais, Júlia Figueiredo Goytacaz Sant'Anna; o professor da instituição educacional Inspers, Ricardo Paes de Barros; a professora da Fundação Getúlio Vargas, Cláudia Maria Costin; e a representante da Fundação Lemann, Barbara Panseri.

Estratégias de enfrentamento ao abandono escolar em Fortaleza são destaque em audiência pública da Câmara Municipal de Belo Horizonte

Uma das estratégias desenvolvidas pela Rede Municipal foi a criação de um sistema próprio de acompanhamento diário da frequência dos alunos

Representando a educação pública da capital, a secretária Dalila Saldanha participou, na tarde desta quinta-feira (26/8), de audiência pública da Câmara Municipal de Belo Horizonte sobre a evasão e abandono escolar no contexto da pandemia da Covid-19. Na oportunidade, a titular da Secretaria Municipal da Educação (SME) abordou as estratégias de Fortaleza no monitoramento da frequência dos alunos, assim como as conquistas do município no enfrentamento ao abandono escolar.

Para o enfrentamento do abandono escolar, uma das estratégias desenvolvidas pela Rede Municipal foi a criação de um sistema próprio de acompanhamento diário da frequência, como instrumento de erradicar a evasão escolar e efetivar o direito de aprender. Com o sistema, é possível acompanhar a frequência de 100% dos alunos.

Além de assegurar o monitoramento diário da frequência escolar, o sistema possibilita o registro das estratégias de Busca Ativa, tomadas em relação a alunos(as), a partir do primeiro dia de infrequência escolar injustificada. As estratégias são: comunicação com a família, via telefone, ou com o próprio estudante, caso tenha alcançado a capacidade civil; envio de comunicado escrito; visita domiciliar e, por último, esgotados os meios de busca do estudante pela unidade de ensino, envio de ofício ao Conselho Tutelar.

“Em 2008, tínhamos uma taxa de insucesso escolar de mais de 27%. Agora temos um resultado histórico. Ao longo dos anos conseguimos reduzir de forma muito positiva a reprovação e abandono. Erradicamos a reprovação escolar e, em 2020, mesmo em período de pandemia, atingimos uma taxa de abandono de 0,1”, pontuou Dalila.

Ainda dentro das estratégias de enfrentamento ao abandono, a gestora apontou a assinatura do termo de Cooperação Técnica que tem por objeto a implementação de ações conjuntas entre a Secretaria Municipal da Educação, Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e do Desenvolvimento Social e Secretaria Estadual da Educação que assegurem, de forma permanente, a Busca Ativa de crianças e jovens fora da escola na Rede Municipal e Estadual em Fortaleza, e promovam os encaminhamentos e atendimentos pertinentes a cada instituição, com o acompanhamento do Ministério Público do Ceará.

Solicitante do debate, a vereadora Marcela Trópia (Novo) elogiou o trabalho desenvolvido na capital cearense. “Talvez uma das vozes mais referendadas de todas as pessoas que fomos buscar na hora de falar sobre educação, tenha sido a da secretária Dalila. Entre as Prefeituras que estão realizando um bom trabalho, Fortaleza sempre é lembrada”, disse.



“Fortaleza trabalha em políticas públicas voltadas para a busca ativa e esse combate efetivo à evasão. Somos grandes admiradores da Secretaria Municipal de Fortaleza. Eles dão exemplo”, completou Carolina Campos, representante do Vozes pela Educação.

A audiência realizada nesta quinta (26/08) também contou com a participação da secretária municipal de Educação de BH, Ângela Imaculada Loureiro de Freitas Dalben; a secretária estadual de Educação de Minas Gerais, Júlia Figueiredo Goytacaz Sant'Anna; o professor da instituição educacional Inspers, Ricardo Paes de Barros; a professora da Fundação Getúlio Vargas, Cláudia Maria Costin; e a representante da Fundação Lemann, Barbara Panseri.