02 de abril de 2020 em Educação

Prefeitura orienta trabalho domiciliar de profissionais da Educação para que alunos continuem os estudos

Em articulação com o Sindiute, plano pretende unir gestão, profissionais e familiares para dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem



Professor e aluno da Rede de Ensino Municipal
Orientações pretendem instruir os profissionais sobre o desenvolvimento de atividades a serem realizadas pelos alunos em casa

A Prefeitura de Fortaleza divulga, por meio da Secretaria Municipal da Educação (SME), em articulação com a entidade representativa dos profissionais da Educação, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sindiute), orientações para o trabalho domiciliar de profissionais da Rede Municipal de Ensino. O objetivo é que gestão, escola e família, juntos, possam dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem dos 231 mil alunos neste período de suspensão de aulas, com atividades pedagógicas para serem realizadas em regime de domicílio. 

As orientações pretendem instruir os profissionais sobre o desenvolvimento de interações/vivências e atividades domiciliares a serem realizadas pelos alunos em casa nos dias de afastamento social para enfrentamento à pandemia do coronavírus, em conformidade com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Para a Educação Infantil, a SME reforça a importância de atividades que proporcionem interações/vivências com as famílias. Neste sentido, a Secretaria orienta professores e demais profissionais na promoção de ações de fortalecimento dos vínculos, afetos e relações, além da proteção e cuidados das crianças, por meio de atividades propostas às famílias.

Visando cumprir a carga horária mínima anual exigida na legislação vigente, as unidades municipais de Ensino Fundamental devem adotar como estratégia de ensino e aprendizagem, durante esse regime especial, a orientação de estudos com atividades domiciliares. As atividades devem ser planejadas e orientadas pelos professores da Rede e entregues aos estudantes e seus familiares pela unidade escolar.

Neste contexto, a gestão escolar se articula com os professores da unidade, por meio das ferramentas de comunicação remota, para que estes enviem seu "Plano Semanal de Atividades Domiciliares". Nos planos, devem constar roteiro de estudos e coletânea de atividades, por semana, bem como as estratégias de avaliações que serão adotadas para os conteúdos ministrados durante esse período. 

Os Distritos de Educação deverão orientar a gestão escolar na organização do "Plano Semanal de Atividades Domiciliares da Escola", contemplando todos os componentes curriculares e ano/série. O roteiro de estudo e a coletânea de atividades deverão ter como referência o livro didático e os materiais complementares trabalhados durante o ano letivo.

Prefeitura orienta trabalho domiciliar de profissionais da Educação para que alunos continuem os estudos

Em articulação com o Sindiute, plano pretende unir gestão, profissionais e familiares para dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem


Professor e aluno da Rede de Ensino Municipal
Orientações pretendem instruir os profissionais sobre o desenvolvimento de atividades a serem realizadas pelos alunos em casa

A Prefeitura de Fortaleza divulga, por meio da Secretaria Municipal da Educação (SME), em articulação com a entidade representativa dos profissionais da Educação, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sindiute), orientações para o trabalho domiciliar de profissionais da Rede Municipal de Ensino. O objetivo é que gestão, escola e família, juntos, possam dar continuidade ao processo de ensino e aprendizagem dos 231 mil alunos neste período de suspensão de aulas, com atividades pedagógicas para serem realizadas em regime de domicílio. 

As orientações pretendem instruir os profissionais sobre o desenvolvimento de interações/vivências e atividades domiciliares a serem realizadas pelos alunos em casa nos dias de afastamento social para enfrentamento à pandemia do coronavírus, em conformidade com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Para a Educação Infantil, a SME reforça a importância de atividades que proporcionem interações/vivências com as famílias. Neste sentido, a Secretaria orienta professores e demais profissionais na promoção de ações de fortalecimento dos vínculos, afetos e relações, além da proteção e cuidados das crianças, por meio de atividades propostas às famílias.

Visando cumprir a carga horária mínima anual exigida na legislação vigente, as unidades municipais de Ensino Fundamental devem adotar como estratégia de ensino e aprendizagem, durante esse regime especial, a orientação de estudos com atividades domiciliares. As atividades devem ser planejadas e orientadas pelos professores da Rede e entregues aos estudantes e seus familiares pela unidade escolar.

Neste contexto, a gestão escolar se articula com os professores da unidade, por meio das ferramentas de comunicação remota, para que estes enviem seu "Plano Semanal de Atividades Domiciliares". Nos planos, devem constar roteiro de estudos e coletânea de atividades, por semana, bem como as estratégias de avaliações que serão adotadas para os conteúdos ministrados durante esse período. 

Os Distritos de Educação deverão orientar a gestão escolar na organização do "Plano Semanal de Atividades Domiciliares da Escola", contemplando todos os componentes curriculares e ano/série. O roteiro de estudo e a coletânea de atividades deverão ter como referência o livro didático e os materiais complementares trabalhados durante o ano letivo.