A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dará inicio nesta segunda-feira (08/08), à Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite para crianças com até 4 anos, 11 meses e 29 dias, e à Campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente com até 15 anos de idade. A aplicação das vacinas acontece nos 116 postos de saúde da capital, de segunda a sexta-feira, das 7h30 ás 18h30.

Reduzir o risco de reintrodução da poliomielite no país e garantir que crianças e adolescentes recebam todas as vacinas recomendadas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) são os objetivos das campanhas. “É importante que os pais e responsáveis levem os filhos até os postos de saúde para receber as vacinas e, assim, atualizar a situação vacinal. Não podemos ficar suscetíveis às doenças, como a paralisia infantil e tantas outras que podemos evitar por meio de vacinas seguras e que são oferecidas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde”, reforça Vanessa Soldatelli, coordenadora de Imunização de Fortaleza.

Soldatelli explica ainda que a vacina contra poliomelite da campanha é a VOP (vacinal oral), aplicada nas crianças com esquema vacinal completo com a Vacina Inativada da Poliomelite (VIP - vacinas injetáveis), que são administradas com 2, 4 e 6 meses de idade. “Por ser uma campanha de atualização do esquema vacinal, não há meta definida. O intuito é que todas as crianças fiquem protegidas”.

Vacinação contra a poliomielite

Público-alvo: crianças de 1 ano à 4 anos

Vacina Oral Poliomielite (VOP): para crianças de um a quatro anos, de forma indiscriminada, desde que já tenham recebido as três doses de VIP do esquema básico.

Entenda o esquema vacinal:

1ª dose: aos 2 meses através de injeção (VIP);
2ª dose: aos 4 meses através de injeção (VIP);
3ª dose: aos 6 meses através da injeção (VIP);
1º reforço: 15 meses (1 ano e 3 meses) por meio da vacina oral (VOP)
2º reforço: menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), por meio da vacina oral (VOP)

Multivacinação para atualização de caderneta de vacinação

Público-alvo: crianças e adolescentes de até 14 anos, 11 meses e 29 dias

A campanha de multivacinação contemplará as crianças e adolescentes menores  até 14 anos 11 meses e 29 dias, não vacinados ou com esquemas vacinais incompletos, de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação.

Vacinas disponibilizadas para crianças

BCG; Hepatite B; Poliomielite (VIP – inativada e VOP - atenuada); Rotavírus; Pentavalente; Pneumocócica 10; Meningocócica C (conjugada); Febre Amarela; Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Varicela; Hepatite A; Tríplice Bacteriana (Difteria, Tétano e Coqueluche); Papilomavírus humano (HPV).

Vacinas disponibilizadas para adolescentes

Hepatite B; Dupla bacteriana (Difteria e Tétano); Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba, Rubéola); Papilomavírus humano (HPV) e Meningocócica ACWY (conjugada), conforme esquema vacinal.

Serviço
Período da campanha: 8 de agosto a 9 de setembro
Atendimento: segunda a sexta-feira
Horário: 7h30 às 18h30
Local: 116 postos de saúde de Fortaleza

Publicado em Saúde
agente de endemia analisando um balde em um quintal
No total, cerca de 11 mil imóveis devem ser vistoriados, entre residências e pontos estratégicos (Foto: Marcos Moura)

A Prefeitura do Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), promove nesta quinta-feira (04/08), das 8h às 12h, mais um mutirão contra arboviroses. As ações acontecem nos bairros da Granja Portugal, Conjunto Ceará I e Conjunto Ceará II, localizados nas Secretarias Regionais 5 e 11.

No total, cerca de 11 mil imóveis devem ser vistoriados, entre residências e pontos estratégicos, com o intuito de identificar e eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti. O mutirão beneficiará de forma direta ou indiretamente, 112 mil pessoas.

No último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), as áreas escolhidas para as ações apresentaram um maior índice de infestação do mosquito e risco de adoecimento da população, de acordo com indicadores entomológicos e epidemiológicos, revela o gerente da célula de vigilância ambiental e riscos biológicos, Atualpa Soares.

“Nas abordagens, os agentes de endemias também realizam um trabalho educativo com a população. É importante lembrar ainda que as chuvas intermitentes associadas às altas temperaturas são um período propício para a proliferação do mosquito. Por isso, os fortalezenses não podem descuidar das ações de prevenção em casa, já que 80% dos focos dos mosquitos são encontrados dentro das residências”, reforça o gerente.

Balanço

Entre janeiro e julho de 2022 foram notificadas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), 48.150 suspeitas de dengue e chikungunya. Dessas, 47,4% (22.807) foram confirmadas e 7.578 ainda estão sendo investigadas. As notificações das últimas oito semanas mostram tendência de queda na transmissão dessas doenças, uma redução média de 35,1% para chikungunya e 30,2% para dengue.

Denúncia

Nos casos de espaços públicos ou terrenos abandonados que possuem irregularidades, como possíveis focos do mosquito, a Prefeitura de Fortaleza conta com o apoio da população para denúncias na sede das Regionais ou por meio do 156. 

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza amplia, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a aplicação da vacina meningocócica C (Conjugada) para crianças até 10 anos e trabalhadores da saúde de Fortaleza, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde (SMS). O imunizante está disponível nos 116 postos de saúde da Capital, de 7h30 às 18h30.

A extensão do público-alvo vai até fevereiro de 2023 e tem o objetivo de proteger a população contra doença meningocócica do sorogrupo C, a fim de aumentar as coberturas vacinais e evitar a circulação da doença no País.

De acordo com a coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli, as coberturas vacinas em todo o Brasil caíram consideravelmente, e esta medida busca proteger estes grupos e evitar possíveis surtos da doença.

“É importante frisar que, embora o maior número de vacinas esteja previsto para utilização na infância, existem algumas que devem ser utilizadas na vida adulta, cuja indicação vai depender da história vacinal do adulto (vacinas utilizadas na infância e adolescência), das doenças que o adulto teve durante sua vida, sua saúde e a situação epidemiológica local”, explica Soldatelli.

Vacina meningocócica C

A vacina faz parte do Calendário Nacional de Imunização, sendo indicado duas doses, aos 3 e 5 meses de idade, e um reforço aos 12 meses, com idade máxima, anteriormente, para menores de cinco anos. Adolescentes de 11 e 12 anos também recebem uma dose da vacina meningocócica ACWY.

Seguindo a orientação do MS, se a criança até 10 anos não tiver se vacinado, deve tomar uma dose da vacina. Já os trabalhadores da saúde dos serviços públicos e privados, mesmo com esquema vacinal completo, podem se vacinar com mais uma dose, mediante comprovante de trabalho.

São considerados trabalhadores da saúde todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, quanto os trabalhadores de apoio, ou seja, aqueles que trabalham nos serviços de saúde, mas que não estão prestando serviços diretos de assistência à saúde das pessoas, tais como: recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias e outros. Cuidadores de idosos, doulas e parteiras, que atuam em cuidados domiciliares também estão inclusas. Além dos estudantes da área da saúde que estiverem prestando atendimento na assistência dos serviços de saúde também têm direito a receber a vacina.

A doença

A Meningite é causada pela bactéria Neisseria Meningitidis, também conhecida como Meningococo, que provoca uma infecção nas meninges, as membranas que envolvem a medula espinhal e cerebral. O Meningococo é transmitido por meio de secreções respiratórias (tosse, espirro) e da saliva. Os principais sintomas são febre, rigidez na nuca, dor de cabeça intensa, vômitos e, em alguns casos, alterações neurológicas.

Publicado em Saúde
homem olhando um microscópio
As ovitrampas simulam o ambiente perfeito para a procriação do Aedes aegypti: um vaso de planta preto é preenchido com água

O uso de armadilhas ovitrampas para capturar os ovos do mosquito Aedes aegypti é mais uma das estratégias da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que ajudam no combate à proliferação da doença na Cidade. De janeiro a junho de 2022, a estratégia auxiliou na retirada de cerca 225 mil ovo de mosquitos nos bairros da Capital, sem precisar usar inseticidas químicos.

No total, são 512 pontos instalados em residências e pontos estratégicos. Neste período, foram realizadas quase 10 mil visitas dos agentes de endemias para esta estratégia, visando o monitoramento e a tomada de decisões para orientar ações e implementar medidas de controle.

Como funciona

As ovitrampas simulam o ambiente perfeito para a procriação do Aedes aegypti: um vaso de planta preto é preenchido com água, que fica parada, atraindo o mosquito. Nele, são inseridas uma palheta de madeira (Eucatex) que facilita que a fêmea do Aedes coloque ovos.

Dessa forma, os agentes de endemias conseguem observar, de maneira mais rápida e eficiente, a quantidade de mosquitos naquela região e aceleram as ações de combate ao mosquito, sem que o inseto se desenvolva.

O equipamento fica no local por um período de sete dias, e enviado ao laboratório de Entomologia para contagem dos ovos. A cada semana a palheta de madeira é substituída. Pela quantidade de ovos, ou ausência deles, a Prefeitura saberá se há fêmeas com foco no raio de nove quarteirões da armadilha, gerando gráficos e mapas para aplicação das medidas de controle.

“É um instrumento que nos mostra a presença do mosquito, principalmente onde estão as fêmeas, já que é um acompanhamento feito pela quantidade de ovos. É um monitoramento minucioso, com data marcada, e de forma permanente. Com o aumento das chuvas, ele se mostra ainda mais importante. Isso porque há uma oferta maior de água e, consequentemente, maior infestação de mosquito. O monitoramento ajuda a direcionar de forma mais precisa as ações”, explica o gerente da célula de vigilância ambiental e riscos biológicos, Atualpa Soares.

Ele ressalta que “caso a região seja foco, as ações são ainda mais incisivas nas localidades, pois não adianta colocar a armadilha onde já sabemos que é foco”, explica.

Mesmo com o monitoramento das armadilhas, as medidas de prevenção mais tradicionais de combate aos focos são fundamentais: evitar o armazenamento de água parada, limpar calhas e caixas d’água com frequência, evitar acúmulo de lixo e colocar areia nos pratos e vasos de plantas.

A Prefeitura atua o ano inteiro em outras linhas de trabalho de combate ao Aedes pela cidade. Ações de bloqueio, visita aos imóveis, fiscalização sanitária, recolhimento de pneus, aplicação de inseticidas por UBV e por outras metodologias, entre outras estratégias que são feitas diariamente e intensificadas nas áreas com maior número de casos registrados.

“Em todas as ações que realizamos, precisamos sempre da ajuda da população no combate ao mosquito. Precisamos nos mobilizar cada vez mais, unindo forças e redobrando a atenção em tudo que possa acumular água parada. Evitar proliferação do mosquito depende de cada um de nós”, finalizou.

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e da Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), convoca candidatos aprovados em Seleção Pública realizada em 2021 para a área da Saúde nos termos dos editais descritos abaixo:

Edital de convocação n°0028/2022 – SEPOG/SMS - SAMU
Edital de convocação n°0029/2022 – SEPOG/SMS - Nível médio e técnico
Edital de convocação n°0030/2022 – SEPOG/SMS - Nível médio e técnico
Edital de convocação n°0031/2022 – SEPOG/SMS - Nível Superior

A documentação dos candidatos deverá ser entregue na sede da SMS (Rua Barão do Rio Branco, 910 - Centro), de acordo com os horários especificados no edital. O não comparecimento e entrega de documentos na data implicará na perda do direito à contratação.

Publicado em Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o dia 24 de junho como o Dia Mundial de Prevenção de Quedas. No Instituto Dr. José Frota (IJF), unidade de referência para o tratamento de fraturas e lesões de alta complexidade na rede de assistência em saúde da Prefeitura de Fortaleza, os traumas causados por quedas são os mais numerosos entre motivos que levam as vítimas à Emergência. Somente entre os meses de janeiro e maio deste ano, o hospital somou 6.845 atendimentos a adultos e crianças com ferimentos graves decorrentes de acidentes domésticos e de trabalho. O número é 32% maior que o registrado no mesmo período do ano anterior e representa 24% do total das causas de acolhimento.

Paciente em atendimento na Enfermaria do hospital IJF.

Entre os pacientes que chegam ao IJF após sofrerem um escorregão no banheiro, um tombo ao deitar na rede, uma topada por conta de um calçado desgastado e até mesmo um desequilíbrio ao subir em um muro, telhado ou árvore, as crianças menores de 10 anos de idade e os adultos com mais de 60 anos são os que mais demandam atenção e cuidados dos especialistas. Os idosos, sobretudo, tendem a permanecer por mais tempo hospitalizados e correm mais riscos de complicações no tratamento, além de sequelas severas e permanentes ou mesmo o óbito.

Para alertar as famílias sobre os riscos e as sérias consequências de uma queda, a Direção do IJF aponta algumas dos principais relatos dos usuários sobre as situações e condições ambientes e comportamentais que resultaram em quedas, mas que podem e devem ser evitadas, como:

• Falta de superfície antiderrapante e barras de apoio no banheiro;
• Uso de calçados desgastados e sem fixação segura ao pé;
• Desequilíbrio ao levantar e deitar na rede, na cama ou em uma cadeira;
• Falta de corrimão e portão de segurança no topo e na base das escadas;
• Falta de redes e grades de proteção em janelas;
• Falta da supervisão de adultos no acompanhamento das crianças;
• Exaustão das mães e carência de apoio familiar para o cuidado com recém-nascidos;
• Crianças de colo colocadas em camas, mesas ou móveis altos e sem proteção;
• Idosos debilitados sem o acompanhamento familiar e apoio devido;
• Subir em muros, telhados e árvores sem apoio ou condição física para a atividade;
• Falta de uso dos equipamentos de proteção durante o trabalho.

Acima de tudo, uma rotina de alimentação saudável, atividade física regular e sono reparador são indispensáveis para a manutenção da saúde e a prevenção de doenças em qualquer idade. Portadores de doenças crônicas também devem ficar atentos ao uso correto de medicamentos e pessoas com limitações de mobilidade sempre devem contar com um apoio seguro para locomoção.

 

Publicado em Saúde

O Instituto Dr José Frota (IJF), por meio de seu Núcleo de Serviço Social, realizou, entre os dias 16 de maio e 13 de junho, o curso de Capacitação Rede de Proteção Social e Atenção às vítimas de Violências. A formação contou com a colaboração de diversas instituições parceiras e nos encontros foram abordados temas como a Violência Urbana, as Políticas Públicas de Atendimento às Pessoas em Situação de Rua e a Garantia de Direitos das Crianças e Adolescentes, que encerrou a programação.

O último módulo, apresentado na tarde desta segunda-feira (13/06), recebeu as contribuições de Dairton Costa de Oliveira, do Ministério Público do Estado; de Francisco Rubens de Lima Júnior, da Defensoria Pública do Estado do Ceará; do deputado estadual Renato Roseno, da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Ceará; do presidente e da vice-presidenta da Fundação da Criança e da Família Cidadã de Fortaleza (Funci), Iraguassú Filho e Márcia Dias Soares.

O IJF, por sua vez, apresentou os dados das 1.083 notificações feitas aos órgãos competentes apenas por violações de direitos que resultaram em lesões graves e na hospitalização de crianças e adolescentes, entre janeiro e dezembro de 2021, diante do total de 8.099 ocorrências registradas no Ceará e 3.551 em Fortaleza, no mesmo período.

Os casos de violação da proteção e violência contra menores de 18 anos mais relatados na Emergência mencionam os traumas por envolvimento em ocorrências de trânsito, quedas, lesões por arma de foto e arma branca, agressões e intoxicações exógenas. Dos relatos acompanhados, 12% indicaram a reincidência nas causas das lesões.

De acordo com a superintendente do IJF, Riane Azevedo, “buscamos, durante este período de aprendizagem, discutir as estratégias para o fortalecimento de políticas públicas mais efetivas, por meio da troca de informações, experiências e aproximações para mais colaborações. É dessa forma que o IJF, além de referência na assistência de alta complexidade, também reforça o seu papel como hospital de ensino, pesquisa e orientador de políticas públicas”.

Publicado em Saúde

O Instituto Dr. José Frota, hospital de rede pública da Prefeitura de Fortaleza, lançou nesta sexta-feira (03/06), a nova edição da Revista Científica do IJF. A publicação, que contou com a participação do corpo clínico e multiprofissional do hospital, contempla padrões científicos internacionais e reforça a relevância do hospital para a promoção da saúde pública, para o desenvolvimento da assistência segura às vítimas de traumas e para a evolução no perfil do IJF como instituição de ensino, pesquisa e orientadora de políticas públicas.

Revista Científica do IJF (2022.1)

O evento de lançamento teve a presença de representantes da Direção do IJF, de membros do corpo clínico do hospital e de participantes dos programas de residência, internato e estágio em diversas áreas da saúde.

De acordo com o editor-chefe da revista, Walter Feitosa, a obra foi elaborada em português e inglês a fim de alcançar mais pessoas e reverberar os conhecimentos nos mais diversos espaços acadêmicos e hospitalares. A superintendente do IJF, Riane Azevedo, destaca que "com o acesso digital da obra é possível difundir com mais abrangência as pesquisas, a fim de levar conhecimento ao redor do mundo e, assim, ajudar muitas pessoas."

Durante o lançamento, Walter Feitosa resgatou o histórico de produções científicas do IJF, por meio da publicação de manuais técnicos e revistas. “Falando em produção científica, tivemos em 1988 o lançamento da Revista Cientifica do IJF, que se manteve ativa e participativa por muitos anos, mas que incorporou uma nova gestão para a concretização desta edição, avançando na modernização, mas mantendo o mesmo afã de ensino e pesquisa diferenciados, pautados no trauma e aperfeiçoando abordagens em segmentos como Educação e Gestão em Saúde, Inovação e Pesquisa Clínica".




Publicado em Saúde

No dia 06 de junho é celebrado o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras e, para fortalecer a prevenção das situações e comportamentos de risco, o Instituto Dr. José Frota (IJF) promove o Junho Laranja de Luta contra Queimaduras. O hospital da Prefeitura de Fortaleza é referência regional na assistência aos adultos e crianças vítimas de acidentes domésticos e de trabalho que resultam em lesões graves por contato com alimentos e superfícies quentes, chamas, explosão de substâncias inflamáveis e choques elétricos. O lançamento da programação ocorre na segunda-feira (06/06), às 15h, na Área de Convivência do IJF, na Rua Antônio Pompeu.

O objetivo da mobilização é ampliar o alerta para as situações que fragilizam a proteção contra queimaduras nas rotinas das famílias e dos trabalhadores ou mesmo nos momentos de lazer e durante a realização de procedimentos estéticos. Com a chegada das tradicionais celebrações juninas, com comidas típicas, fogueiras e fogos de artifício, além da proximidade das férias escolares de julho, o número de ocorrências pode aumentar, principalmente entre as crianças, caso os pais e responsáveis não estejam atentos.

Todos os meses, mais de 200 novos pacientes são acolhidos na Emergência pelas equipes da especializadas do IJF. Em situações mais graves, os ferimentos podem causar sequelas permanentes, amputação de membros ou mesmo o óbito da vítima. O tratamento, doloroso e demorado em muitos casos, pode ter reflexo na rotina de toda a família do paciente, que passa de provedor do lar, mãe de família ou estudante para uma condição de dependência.

Junho Laranja de Luta contra Queimaduras do IJF

A programação conta com debates, encontros para troca de experiências com os estudantes e instrutores da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, exposição do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará e apresentações culturais.

Um mutirão de cirurgias plásticas reparadoras também está programado para a realização de procedimentos em pacientes com sequelas e limitações físicas causadas pelas lesões.

Serviço
Lançamento da Campanha: Junho Laranja de Luta Contra Queimaduras do IJF
Data: 06/06 (segunda-feira)
Horário: 15h
Local: área de Convivência do IJF (rua Antônio Pompeu)

Programação
06/06 - 15h - Lançamento da campanha
07/06 - 14h - Palestra: Avanços e Desafios no Tratamento ao Queimado
08/06 - 10h - Troca de experiências na Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco
            14h - Palestra: Atendimentos Especializados no Tratamento ao Queimado
09/06 - 14h - Exposição do Corpo de Bombeiros
10/06 - 16h - Encerramento (celebração junina do IJF)

Publicado em Saúde

A Prefeitura de Fortaleza convoca, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), os profissionais aprovados em Concurso Público, para atuarem na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do Município de Fortaleza. Ao todo, serão 58 profissionais nos cargos efetivos de Assistente Social, Enfermeiro, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional.

Os aprovados no certame devem comparecer à Junta Médica do Instituto de Previdência do Município (IPM), situada na AV. da Universidade, 1940 - Centro, 1o andar, nos dias e horários descritos no edital, para realização de exames admissionais, bem como, comparecer a sede da SMS, no dia 22 de junho, para apresentação da documentação necessária, conforme disposto no Edital Nº0026/2022, publicado no Diário Oficial do Município (DOM).

Publicado em Saúde
Página 1 de 19