Participantes manuseiam as peças
As atividades ocorrem na Pracinha da Cultura, no bairro Ancuri

Os moradores do residencial Alameda das Palmeiras (Regional 9) seguem sendo beneficiados com ações do trabalho social coordenado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor). Depois de cursos de gastronomia, artesanato, instalações elétricas, dessa vez as famílias participam de formação na área da estética e beleza, com o curso de técnicas básicas de manicure e pedicure.

A capacitação ocorre na Pracinha da Cultura do bairro Ancuri e tem parceria com o Serviço Nacional do Comércio (Senac) do município de Aquiraz e os participantes sairão com certificado de 40 horas/aulas. Os cursistas também contam apoio para transporte com duas paradas dentro do residencial, além de lanche.

De acordo com a assistente social, Carol Castelo Branco, a formação tem uma ótima adesão dos moradores. “Assim, como nas demais formações, esse curso também teve uma boa procura, pois estamos com 40 participantes, sendo 20 pela manhã e outros 20 pela tarde”, afirmou.

O curso segue até o dia 2 de dezembro, com turmas de 8h às 11h e de 13h às 16h.

Mais

O trabalho social é uma ferramenta que se baseia nos eixos de Gestão e Mobilização Social, Educação Ambiental e Patrimonial e também de Desenvolvimento Socioeconômico. No Alameda das Palmeiras, o retorno das ações, após as restrições impostas pela pandemia, vem proporcionando vários serviços e oportunidades para os moradores, principalmente dentro do campo do empreendedorismo e renda.

Publicado em Habitação

Várias ações do trabalho social da Habitafor movimentam moradores do residencial Alameda das Palmeiras (Regional 9). As atividades vão desde cursos e oficinas, passando por palestras, escolinhas para as crianças e plantões sociais. Coordenado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), o trabalho social já impactou positivamente mais de 3.200 moradores, desde sua implementação em abril deste ano.

Nesta semana, teve início o curso de bordados moderno, vinculado ao eixo de desenvolvimento socioeconômico. Também estão sendo intensificadas as oficinas sobre coleta seletiva de lixo, uso racional de água e uso correto do imóvel, além do estímulo à boa convivência da comunidade.

Os ciclos de palestras focam na preservação e conservação do meio ambiente, por meio de concursos literários escolares. Também pensando na garotada, o trabalho social apresenta oficinas de capoeira e escolinhas de futebol.
Outra ação importante que é disponibilizada para as famílias é o plantão social. Por meio deles, o morador recebe informações sobre as atividades e cursos em andamento, orientações acerca da rede socioassistencial e de saúde, entre outros benefícios.

Para a assistente social Joana Almeida, o trabalho social contribui para a cidadania e identifica necessidades. “Enquanto um instrumento de cidadania, o trabalho social possibilita a participação na tomada de decisões sobre as necessidades e a realidade, garantindo um espaço democrático que visa a adequação das ações previstas de acordo com as demandas do público alvo, contribuindo para a sustentabilidade e o sucesso das intervenções”, salienta a profissional da Habitafor.

Publicado em Habitação
Mulher segurando bandeja
Fabiane Barbosa é uma das beneficiadas com as capacitações

O trabalho social executado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor) concluiu novas formações realizadas para os moradores no residencial Alameda das Palmeiras, localizado no Ancuri (Regional 9). Com duração de uma semana, a capacitação na área da gastronomia contou com a parceria do Serviço Nacional da Indústria de Maracanaú e acentuou o espírito empreendedor dos participantes.

O curso concluído teve como temática “Comida de Boteco”, no qual os moradores descobriram e aprimoraram conhecimento sobre esse tipo de culinária. “Nós trabalhamos com churrascos, mesas de frios, baião de dois, paçoca, entre outros”, explicou a professora Elisamar Rodrigues, que também avaliou os cursos como novas oportunidades para aqueles que já empreendem. “Nessa turma, tivemos pessoas que são empreendedoras no ramo da gastronomia e a formação abre um leque de oportunidades, principalmente para agregar valor aos produtos que já existem ou colocar novas opções”.

Um desses exemplos é a moradora Fabiane Barbosa que já trabalha com alimentação. “Esse curso veio agregar conhecimento, não somente vindos dos professores, mas também dos colegas. E todo esse benefício que estamos conseguindo aqui abre muitas portas, não somente para mim que sou empreendedora, mas para aqueles que querem ter no seu currículo mais essa experiência”, disse a autônoma.

Outro participante que chamou atenção é o Antônio Lopes que, a partir dos cursos do trabalho social, pretende até mudar de profissão. “Durante anos eu fui vigilante e é sempre bom buscar fazer coisas diferentes e com o conhecimento adquirido aqui, eu pretendo colocar uma pequena pizzaria”.

Para a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, o trabalho social tem trazido resultados reais para a comunidade. “Tem sido um resultado muito positivo, a ver pela adesão dos moradores e isso deixa a gente muito satisfeito. É importante lembrar que, além de envolver outros aspectos, o trabalho social envolve a geração de trabalho e renda que são de grande importância para essas famílias, tanto para a sustentabilidade econômica como para a permanência no residencial de forma digna”, disse.

Mais

O trabalho social no residencial Alameda das Palmeiras já promoveu centenas de atividades com uma presença rotativa de mais de 3.200 moradores, entre adultos, adolescentes e crianças. As atividades vão desde os plantões socais, passando por oficinas sobre convivência comunitária, cuidados com o lixo, uso racional de água e energia elétrica, escolinhas de futebol e capoeira, bem como os cursos do âmbito socioeconômico.

Publicado em Habitação

Uma nova rodada de capacitações deve movimentar os moradores do residencial Alameda das Palmeiras, localizado no bairro Ancuri (Regional 9). Os cursos, todos na área da gastronomia, fazem parte do eixo de desenvolvimento socioeconômico do trabalho social e contarão com a parceria do Serviço Nacional da Indústria (Senai), instalado na cidade de Maracanaú.

Com carga horária de 20 horas/aula, os cursos de comida de boteco, bolos e doces regionais e de preparação de sanduiches quentes e frios ocorrerão, a partir da próxima quarta-feira (05/10). As formações acontecerão em horários diferenciados, contudo a equipe executora do trabalho social disponibilizará transporte para levar os cursistas até o município da Região Metropolitana de Fortaleza.

Coordenado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), o trabalho social é um conjunto de estratégias e processos que são elaborados de acordo com diagnósticos sociais das famílias e dos territórios. Tem como objetivo promover a participação e a inserção social das famílias, em transversalidade com as demais políticas públicas, através dos eixos de mobilização e fortalecimento social, educação ambiental e patrimonial, acompanhamento e gestão social da intervenção e desenvolvimento socioeconômico.

Publicado em Habitação
Alunos fazendo salgados
Os moradores já tiveram um curso voltado para a produção de salgados

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) apresenta dois novos cursos para famílias do residencial Alameda das Palmeiras (Regional 9). As capacitações, que fazem parte do eixo do desenvolvimento socioeconômico do trabalho social, são voltadas para a área da gastronomia e culinária e poderão gerar iniciativas empreendedoras.

Depois dos cursos de instalações elétricas, costumização de bolsa, artesanato em fuxico e salgados comerciais, a equipe responsável pelas ações disponibiliza as formações em pizzas doces e salgados e de doces finos para casamentos e festas. As aulas serão ministradas em parceria com Serviço Nacional da Indústria (Senai), em Maracanaú, e os alunos que concluírem, receberão cerificados com uma carga horária de 20 horas/aula. Para facilitar o acesso dos moradores interessados, transporte, com duas paradas dentro do residencial, será disponibilizado para levar e trazer os cursistas.

A capacitação em pizzas doces e salgados terá uma turma das 18h às 21h, enquanto o de doces finos para casamentos e festas será composto de duas turmas, sendo uma pela tarde (13h30 às 16h30) e outra à noite (18h às 21 h). Os cursos começarão na próxima terça-feira (20/09) e vão até o dia 26 de setembro.

Mais

O trabalho social é um conjunto de estratégias e processos que são elaborados de acordo com diagnósticos sociais das famílias e dos territórios. Tem como objetivo promover a participação e a inserção social das famílias, em transversalidade com as demais políticas públicas, através dos eixos de mobilização e fortalecimento social, educação ambiental e patrimonial, acompanhamento e gestão social da intervenção e desenvolvimento socioeconômico.

Publicado em Habitação

Uma nova formação do trabalho social da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) deve movimentar moradores do residencial Alameda das Palmeiras, no bairro Ancuri (Regional 9), a partir da próxima segunda-feira (12/09). O curso de salgados comerciais terá carga horária de 20 h/a e será ministrado em parceria com o Serviço Nacional da Indústria (Senai), em Maracanaú.

Assim como nos demais cursos que já acontecem em parceria com a Pracinha da Cultura, a equipe responsável pela organização disponibilizará transporte exclusivo para levar os alunos até o local da formação. Para essa edição, estão previstas duas turmas uma para tarde (13h30 às 16h30) e outra para noite (18h às 21h).

O curso de salgados comerciais é mais uma capacitação desenvolvida pela  (Habitafor), por meio da equipe responsável pela execução das ações. “Importantíssimo o eixo de Desenvolvimento Socioeconômico no Trabalho Social. É muito procurado pelas famílias, especialmente pelas mulheres”, observa a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, Andréa Cialdini.

Mais

Coordenado por uma equipe multidisciplinar e acompanhado pela Habitafor, o trabalho social é uma ferramenta que se baseia nos eixos de Gestão e Mobilização Social, Educação Ambiental e Patrimonial e também de Desenvolvimento Socioeconômico.

Publicado em Habitação

O trabalho social, desenvolvido pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) no residencial Alameda das Palmeiras (Regional 9), apresenta dois novos cursos. As formações em instalações elétricas e customização de bolsas integram o eixo de desenvolvimento socioeconômico que tem o objetivo de capacitar os participantes para oportunidade de empreendedorismo.

As capacitações começam nesta quarta-feira (31/8) e contam com a parceria da Pracinha da Cultura ligada à Secretaria de Juventude e do Serviço Nacional da Indústria (Senai). De acordo com a equipe organizadora, o curso de customização de bolsas será composto de 30 h/a, enquanto o de instalações elétricas terá 60 h/a. Para facilitar o acesso dos participantes, um transporte está sendo disponibilizado, com duas paradas dentro do residencial, sendo uma na Rua 21 e outra na Quadra 4.

Coordenado por uma equipe multidisciplinar e acompanhado pela Coordenadoria de Programas Sociais da Habitafor, o trabalho social é uma ferramenta transversal da política habitacional que se baseia nos eixos de Gestão e Mobilização Social, Educação Ambiental e Patrimonial e também de Desenvolvimento Socioeconômico. No Alameda das Palmeiras, as ações vêm proporcionando vários serviços e oportunidades de conhecimento para os moradores.

Publicado em Habitação
Profissionais sobre as ações para moradores
Os primeiros encontros  têm o objetivo de socializar as ações que serão disponibilizadas nos próximos 24 meses

A Prefeitura de Fortaleza iniciou, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), o trabalho social junto às famílias do entorno da Lagoa do Papicu (Regional 2). Os primeiros encontros com moradores e lideranças têm o objetivo de socializar as ações que serão disponibilizadas pelos próximos 24 meses, com a expectativa de que mais de 300 atividades sejam executadas no local.

Nos próximos dois anos, as famílias receberão formações, orientações e acompanhamento com base nos eixos de atuação do trabalho social. “Serão 24 meses de dentro dos eixos de organização comunitária, geração de trabalho e renda e também de educação ambiental”, detalhou a assistente social, Livia Teixeira.

Para a outra profissional de Serviço Social, Cácia Ramos, o diferencial está na capacidade associativa e organizacional do local. “A comunidade da Lagoa do Papicu tem um perfil diferenciado, pois está estabelecida há anos, é uma comunidade de luta e que tem lideranças que atuam na área. Essas características facilitaram o nosso acesso”, enfatizou.

Uma dessas lideranças é Marcos Barbosa, que classificou o trabalho social como essencial para comunidade. “É uma grande oportunidade para moças e rapazes, pois eles já estão falando que terão certificados e poderão se destacar no mercado de trabalho”, observou o presidente da Associação de Moradores da Lagoa do Papicu.

Mais

Segundo dados da Habitafor, mais de 600 famílias deverão ser beneficiadas com as ações do trabalho social, que foram distribuídas em três turnos para facilitar a participação dos moradores.

Além das atividades do trabalho social, a região da Lagoa do Papicu também passa por urbanização, requalificação de espaços e também a construção de um residencial com 144 unidades habitacionais que reassentarão famílias impactadas pelas ações de infraestrutura.

Publicado em Habitação

As ações do trabalho social, desenvolvidas pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) no residencial Alameda das Palmeiras, no bairro Ancuri (Regional 9), estão avançando e agora as iniciativas se voltam para a capacitação dos beneficiários. Nesta semana, os moradores recebem o curso de artesanato em fuxico, em parceria com outros órgãos da Prefeitura de Fortaleza.

A atividade começa nesta terça-feira (16/08) e terá duração de duas semanas, incluindo transporte exclusivo para levar os participantes até o local da formação. “Já temos cerca de 40 inscritos, mas seguimos com a mobilização e também disponibilizamos transporte com duas paradas dentro do residencial para levar os cursistas até a Pracinha da Cultura, onde ocorre a formação”, explica a assistente social, Carolina Castelo Branco.

A capacitação, desenvolvida pela empresa TPF/Quanta em parceria com Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e com o Instituto Juventude e Inovação, segue de terça-feira a sábado, com uma turma pela manhã (8h às 11h) e outra pela tarde (13h às 16h).

Mais

Coordenado por uma equipe multidisciplinar e acompanhado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), o trabalho social é uma ferramenta que se baseia nos eixos de Gestão e Mobilização Social, Educação Ambiental e Patrimonial e também de Desenvolvimento Socioeconômico. No Alameda das Palmeiras, o retorno dessas ações, após as restrições impostas pela pandemia, vem proporcionando vários serviços e oportunidades para os moradores.

Publicado em Habitação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) e a empresa responsável pelo trabalho social desenvolvido no residencial Maria Alves Carioca (Regional 5) farão um seminário de conclusão das atividades. Uma programação especial foi montada para celebrar os 13 meses de ações junto às famílias.

Para o seminário desta quinta-feira (28/7), estão previstas exposição de pesquisa de avaliação, debate com os moradores sobre as ações do trabalho e a entrega de certificados para os participantes do curso de moda. Também vão ocorrer apresentações culturais de ballet e capoeira, além de um vídeo com a trajetória do trabalho desenvolvido no local.

Em 13 meses de ações, a equipe técnica realizou 250 plantões sociais, pelos quais os beneficiários recebem atendimentos individualizados, com encaminhamentos e orientações, principalmente em relação aos benefícios e serviços sociais ofertados pelo poder público. Os moradores também tiveram a oportunidade de participar de mais de 120 atividades, com destaque para as capacitações do eixo de desenvolvimento socioeconômico que gerou a emissão de 100 certificados.

As famílias também foram estimuladas a se organizarem, o que resultou na criação de uma associação de moradores do empreendimento. “A maior satisfação quando se encerra um ciclo do trabalho social é concluir o que se projetou, pois, as ações foram pensadas a partir das vulnerabilidades das famílias e a organização condominial foi uma possibilidade. Eles conseguiram formar uma comissão de gestores e hoje têm o CNPJ da associação do residencial”, celebra a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, Andréa Cialdini.

Programação:
16h – Abertura
16h10 – Fala dos parceiros
16h25 - Debate com os moradores sobre o trabalho social
16h45 – Apresentação do resultado da pesquisa de avaliação do trabalho social
17h00 – Entrega dos certificados do curso de moda
17h20 – Vídeo de encerramento
17h30 – Apresentação do ballet
17h45 – Apresentação da capoeira
18h00 – Avaliação da atividade
18h10 – Coffee break

Publicado em Habitação
Página 1 de 7