Mostrando itens por tag: Habitação

A Prefeitura de Fortaleza realiza, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), a última chamada dos beneficiários contemplados com moradias no residencial Maria Alves Carioca. O chamamento é para que as famílias possam fazer os procedimentos de vistoria, assinatura de contratos e recebimento das chaves, na próxima quinta-feira (27/05), entre 9h e 15 horas, no próprio empreendimento localizado, na Rua Pato Branco, 803, no bairro Granja Lisboa.

A iniciativa dessa última chamada ocorre após um fim de semana intenso de trabalho de equipes da Habitafor e da Caixa Econômica Federal que recepcionaram mais de 150 famílias no local. “Sabemos que muitas famílias mudam de telefone e não atualizam o cadastro habitacional, mas além dessas informações, via canais oficiais da Prefeitura e imprensa, também montamos uma força tarefa com mensageiros que estão indo aos endereços para notificar as famílias”, enfatiza o secretário do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza, Adail Fontenele.

Para efetuar o procedimento, o beneficiário deve apresentar documento oficial com foto, para aqueles com cônjuge, os dois devem comparecer e, para as procurações, também é necessário que o procurador apresente documento com foto.

Mais

Com investimentos de R$ 14.524.725,10, o residencial Maria Alves Carioca é formado por 192 apartamentos com dois quartos, sala, cozinha e banheiro divididos em 48 m².

Publicado em Habitação
grupo de pessoas posa para a foto
Ana Vitória com os pais, Patrícia Helena e Douglas Fragoso

Os dias de atividades envolvendo as famílias contempladas com moradias no residencial Maria Alves Carioca estão sendo marcados pela organização e rapidez nos processos de vistoria e assinatura de contratos. Com o objetivo de respeitar os protocolos de prevenção à covid-19, os beneficiários foram divididos em turnos com no máximo 36 famílias. Até este domingo (23/05), 136 famílias compareceram para efetivar os procedimentos conduzidos pelas equipes da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) e da Caixa Econômica Federal.

Uma dessas famílias é a da pequena Ana Vitória. Diagnosticada com síndrome de down aos nove meses de idade, o cadastro familiar dela entrou nos critérios de prioridades do extinto Programa Minha Casa, Minha Vida. “Eu já estava cadastrada, mas quando ela nasceu, eu fui orientada a atualizar o cadastro, incluindo a deficiência da minha filha”, explicaram os pais da garota, Patrícia Helena e Douglas Fragoso que, desempregados, vivem atualmente num quarto cedido por familiares.

Viúva há cerca de três anos, dona Maria das Graças Nascimento, 61, se disse muito feliz pela conquista esperada há mais de quatros, após fazer o cadastro habitacional. "Depois de 40 anos de aluguel, vocês não sabem o quanto estou feliz, pois vou poder trazer minha mãe de 90 anos para morar comigo. É tanta alegria que o coração quer sair do peito”, vibrou dona Graça.

Mãe e filhos vão morar sozinhos na nova casac
Paulo Enzo e sua mãe, Aglaice Gentil, viviam em situação de coabitação

Já para dona Aglailce Gentil, mãe do Paulo Enzo, o apartamento vai tirá-la em situação de coabitação imposta pelas dificuldades da pandemia. “Eu morava de aluguel, mas com essa pandemia ficou tudo muito difícil e tive que ir morar com a minha mãe, ou seja, mais de uma família na mesma casa”. Para o pequeno Enzo, a nova casa chega pouco mais de um mês dele ter completado 7 anos. “O meu parabéns foi dia 8 de abril, essa casa é o meu presente”, celebrou o garoto ao lado da mãe.

O secretário do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza, Adail Fontenele, classificou a ação como organizada e ressaltou o empenho das equipes. “Um trabalho bem planejado, seguro e com a dedicação dos servidores da Habitafor e Caixa. Tudo isso aliado à contagiante alegria dos beneficiários ao vistoriar o seu apartamento e assinar o contrato. É a primeira ação do prefeito José Sarto que tem recomendado todo o esforço que a Habitafor possa emprestar neste importante setor que é a Habitação”.
Mais

Apesar do chamamento prévio da Coordenadoria de Programas Sociais (Cops) da Habitafor, cerca de dez beneficiários deixaram de comparecer a essa etapa. Para reforçar o chamado, a equipe da Secretaria retomou os contatos ainda durante o fim de semana. “Sabemos que vários motivos podem levar as famílias a não comparecer e, por isso, estamos fazendo ligações telefônicas durante os intervalos de atendimento direto do próprio residencial”, afirmou a coordenadora da programas sociais Andréa Cialdini. As atividades seguem nesta segunda-feira (24/05).

Publicado em Habitação
grupo de pessoas posa para a foto
José Edinaldo Holanda emocionou-se ao receber seu imóvel

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) e a Caixa Econômica Federal seguem com as atividades de vistoria e assinatura de contratos das famílias beneficiadas com moradias no residencial Maria Alves Carioca, na Granja Lisboa. O cronograma foi elaborado para respeitar os protocolos de prevenção à pandemia da covid-19 e atender 36 famílias por turno. A ação teve início sexta-feira (21/05) e segue até segunda-feira (24/05).

Os dias que antecedem a entrega efetiva do empreendimento estão sendo de verdadeiros sonhos realizados. É o caso de José Edinaldo Holanda que, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC), tornou-se deficiente físico e viu as coisas ficarem bem mais difíceis para a família. “Sofri um AVC em 2014. Mas, graças a Deus, estou contando a história. Estou emocionado, pois esta casa é para os meus filhos, pois não existe coisa pior no mundo que a do cidadão bater na tua porta cobrando o aluguel e levar o teu fogão como parte do pagamento. Mas aqui, eu vou ficar bem velhinho e serei cuidado pelos meus filhos”, disse seu Edinaldo, muito emocionado.

O porteiro veio com familiar conhecer
Cleiton Bezerra é porteiro e vai deixar de pagar um aluguel de R$ 470

Já o porteiro Cleiton Bezerra levou a família inteira para conhecer o apartamento e disse que vai fazer a mudança imediatamente para se livrar do aluguel. “Estou muito feliz, agradeço a Deus pela oportunidade e, assim que me derem as chaves, eu vou me mudar”. O porteiro paga aluguel de R$ 470,00, é pai de um casal de filhos e a esposa está desempregada no momento.

Outra história que será transformada com a entrega do residencial Maria Alves Carioca é a de Joceildo Lopes que viveu um caso de adoção já adolescente. “Atualmente, eu moro com uma família que me adotou desde os 13 anos. Sou muito grato e agora vou para a minha própria casa”, contou.

Em dois dias de atividades, mais de 80 beneficiários compareceram ao empreendimento para vistoriar os apartamentos e assinar contratos com a Caixa Econômica Federal. Os trabalhos seguirão neste domingo (23/05), das 8h às 17h, e na segunda-feira (24/05), será a vez dos remanescentes e, no período da tarde, os beneficiários receberão as chaves.

Publicado em Habitação
Tágila Miranda mora sozinha com os três filhos
Com a mudança da família do Bom Jardim para a Vila União, Tágila afirma que o acesso ao tratamento foi facilitado

O trabalho da Prefeitura de Fortaleza para amparar famílias vulneráveis na Cidade está presente em várias frentes. São ações de proteção social que vão desde auxílios financeiros, passando pela distribuição de cestas básicas, além da manutenção da assistência a beneficiários do Programa de Locação Social (PLS). Dentre os grupos assistidos pelo aluguel social, existe o de mães com filhos em tratamento contra o câncer no Hospital Albert Sabin.

De acordo com o Núcleo de Locação Social (Nuloc), atualmente oito famílias estão incluídas no Programa coordenado pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor). Uma dessas famílias é da Tágila Miranda. Mãe três crianças de 7, 3 e 1 anos, a jovem viu sua vida se transformar com o diagnóstico de câncer da sua primogênita. “Pegou todos de surpresa, pois ela tinha uma vida normal e depois de um dia inteiro brincando veio as dores e dois dias de emergência foram suficientes para fechar um diagnóstico triste que abalaria minha estrutura, câncer em estágio avançado nos rins, médula e ossos”, lamentou Tágila.

Morando de aluguel no Bom Jardim, Tágila parou de trabalhar para se dedicar à filha que entrou em tratamento quase que diário envolvendo principalmente a quimioterapia. “No primeiro momento, ela praticamente estava todos os dias em crise e só poderia ser assistida naquele hospital”, ressaltou.

Diante do desafio, Tágila Miranda procurou o Município e entrou numa lista de espera para o aluguel social, passando a ser beneficiada, a partir de outubro de 2020. “Com o benefício, vim morar mais próximo ao hospital e foi uma das coisas mais abençoadas nesses meses, pois a situação estava cada vez mais difícil, uma vez que estou desempregada desde o diagnóstico da minha filha que está passando por uma batalha”, afirmou.

Programa de Locação Social

O aluguel social é uma política temporária que assiste fortalezenses que viviam em vulnerabilidade social, incluindo famílias que estavam em situação de rua, além daquelas que foram remanejadas por conta de intervenções urbanísticas em execução em várias áreas da Cidade. Todas essas famílias estão enquadradas na Lei 10.328/15.

Publicado em Habitação
O empreendimento tem 10 andares de oito apartamentos cada
O empreendimento voltado para os servidores, no Itaperi, está com mais de 80% de obra concluída

A construção de novas moradias é um dos eixos desenvolvidos pela política habitacional da Prefeitura de Fortaleza. Mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, os trabalhos se concentraram no acompanhamento de obras em pelo menos quatro empreendimentos. Destaque, para os dois residenciais voltados para servidores públicos que vão proporcionar mais de 500 novos sonhos da casa própria, além de empreendimentos no Vicente Pinzón, no José Walter e na Granja Lisboa.

Os dois projetos voltados para os servidores públicos estão com suas obras evoluindo bem. Situado no bairro Passaré (Regional 8), o Servidor I terá 500 apartamentos compostos de dois quartos, sala de estar/jantar, cozinha, banheiro reversível e área de serviço, distribuídos em 47,8 m². Esse residencial teve a suas fundações concluídas e foi iniciada a fase de instalações hidráulicas, sanitárias e elétricas da infraestrutura. Além disso, os serviços de pavimentação em piso intertravado das ruas internas do condomínio foram intensificados e equipamentos comunitários como academia, brinquedoteca e guarita estão em obra. Também já foram adquiridos os 21 elevadores e a forma metálica para o início da construção das paredes de concreto.

Com as mesmas características do primeiro empreendimento, com a diferença de ser equipado com uma suíte, o Servidor II, localizado no Itaperi (Regional 8), será composto de 80 unidades habitacionais de 52m². Com mais de 80% de evolução, a obra teve as caixas d’água e elevadores montados, além do avanço em revestimentos, pinturas e acabamentos, inclusive os primeiros apartamentos já estão prontos. Os trabalhos também avançam nas áreas comuns do empreendimento.

Os dois residenciais para os servidores públicos têm características semelhantes como salão de festas, deck, piscina, praça, playground, espaço fitness e quadra de esportes.

A Habitafor também acompanha, em parceria com o Governo do Estado, as obras do residencial Alto da Paz II, no Vicente Pinzón (Regional 2) que estão em fase de conclusão de devem receber famílias vinculadas às obras do VLT, bem como o módulo 5 do Cidade Jardim 1, no bairro José Walter (Regional 8), que segue com mais de 50% das obras concluídas. Além disso, na semana passada, uma reunião entre representantes da Habitafor e da Caixa Econômica Federal atualizou as ações para a entrega do residencial Maria Alves Carioca, na Granja Lisboa (Regional 5).

Publicado em Habitação
Reunião Virtual
A reunião ocorreu de maneira remota

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), representada pela secretária-executiva, Juliana Sena, e parte de sua equipe técnica, se reuniu remotamente com representantes da Caixa Econômica Federal para o andamento nas ações de entrega do residencial Maria Alves Carioca, no bairro Granja Lisboa (Regional 5).

Com 192 unidades habitacionais, o empreendimento está com 100% de obra física concluída, bem como os processos documentais do imóvel também estão aprovados pelos órgãos responsáveis, restando apenas algumas atualizações e avaliações dos dossiês das famílias. “Esses documentos dos beneficiários foram encaminhados pela Prefeitura e já encaminhamos para validação do Ministério do Desenvolvimento Regional do Governo Federal”, atualizou o representante da Caixa, Lucyano Bruno Morais.

Os dossiês são a parte documental necessária para a elaboração dos contratos de cada beneficiário. “Ressaltamos a nossa parceria com a Caixa e daremos andamento em todas as demandas para agilizar a entrega do empreendimento, afinal temos consciência da importância da moradia na vida das famílias”, observou Juliana Sena.

É importante lembrar que as famílias do Maria Alves Carioca já foram sorteadas e seguirão os passos naturais de entrega composto de validação documental (dossiês), vistoria, assinatura de contratos e entrega das chaves. A expectativa é que as unidades habitacionais sejam entregues ainda neste semestre.

Publicado em Habitação

O trabalho social da Prefeitura de Fortaleza tem garantido que famílias do residencial Cidade Jardim II, bairro José Walter (Regional 8), tenham acesso a cursos, oficinas, palestras e outras ações gratuitas voltadas para o empreendedorismo, trabalho, renda e convívio social. As atividades, coordenadas pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), devem beneficiar mais de 5.000 moradores com iniciativas sociais e profissionalizantes.

Visando melhorar a perspectiva desses moradores que estão em busca de empregos ou ter um negócio próprio, o trabalho social promove, nesta semana, cursos de manicure e produção de chocolates, além de uma palestra sobre empreendedorismo que fará com que o participante entenda como funciona o mercado, bem como ingressar neste meio. Estas ações fazem parte do eixo de geração, trabalho e renda.

Também serão realizadas atividades com enfoque no convívio e conscientização social que pretendem explicar acerca de normas de convivência, uso consciente de água e energia elétrica, sobre o descarte correto de lixo, além de um plantão social para ajudar as famílias em demandas internas.

O trabalho social no Cidade Jardim II tem previsão de acontecer em 12 meses e faz parte da assistência prestada às famílias no antes, durante e pós-entrega dos empreendimentos.
Mais

Iniciado em dezembro de 2019 no Cidade Jardim II, o trabalho social esteve paralisado por conta da pandemia e, com o retorno em agosto, já promoveu cursos de capacitação em áreas como administração, artesanato, gastronomia, beleza, corte e costura, dentre outros, além de oficinas, palestras e reuniões voltadas para a autogestão do condomínio, economia doméstica e financeira, higienização e saúde preventiva, bem como atividades de lazer.

Publicado em Habitação
Assinatura ocorreu na sede da Habitafor
O ato contou com a presença de representantes Habitafor, da construtora e da comunidade

A Prefeitura de Fortaleza assinou nesta terça-feira (01/12), por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), o contrato para a construção de 144 apartamentos vinculados às obras de urbanização da Lagoa do Papicu. As novas moradias vão reassentar famílias impactadas por conta de obras de infraestrutura na região.

O novo residencial será construído em um terreno de mais de 6.000m² e terá 11 blocos com apartamentos de 45m² compostos de 2 quartos, sala , cozinha e banheiro social. “Com o alargamento da travessa e rua Joaquim Lima, mais a rua Pereira de Miranda, as famílias serão reassentadas nesse novo empreendimento”, detalha a engenheira da Habitafor, Débora Martins.
Mais

A área vem sendo alvo de intervenções do Município, desde o final de 2019, quando se iniciou a dragagem e limpeza da lagoa. “Com a entrega do residencial Alto da Paz, para onde foram cerca de 250 famílias, foi possível avançar com essa etapa que envolve limpeza, demolição e dragagem total da lagoa”, explica a engenheira.

Para essa segunda etapa, além da construção dos apartamentos, estão previstas a construção de calçadão, playground e academia, bem como drenagem, saneamento, pavimentação e alargamento de vias. Vale ressaltar que no local, a Prefeitura segue com a construção de um Centro de Educação Infantil (creche), com capacidade para atender cerca de 200 crianças, de 1 a 5 anos.

Publicado em Habitação
duas casas lado a lado vistas de perfil com lagoa do urubu ao fundo
A obra está em fase de finalização da parte hidrossanitária, elétrica e de pintura

Os trabalhos para a finalização dos 20 apartamentos no entorno da Lagoa do Urubu seguem em cronograma acelerado. Com mais de 95% concluída, a obra, localizada no bairro Floresta (Regional I), está em fase de finalização da parte hidrossanitária, elétrica e de pintura.

De acordo com a secretária do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza, Olinda Marques, que esteve no local para acompanhar o andamento as atividades, as moradias devem ser entregues até o final deste mês. “Essa obra é de grande importância para a comunidade, pois ela integra um complexo de ações que já possui uma Areninha e dois Ecopontos e, em breve, começa uma importante urbanização do entorno da Lagoa”, explicou a titular da pasta, referindo-se à intervenção urbanística que ocorrerá na área, com a implantação de calçadão com ciclovia, drenagem, pavimentação, parquinho, quadra e campo de areia, além de mobiliários urbanos e a limpeza total da lagoa.

Ainda sobre os 20 apartamentos, eles estão na fase de acabamento, o que traz esperança para o casal Cícero Washington e Sabrina Nascimento. “Estamos felizes porque a obra foi garantida pela Habitafor. Queremos destacar que estamos sendo assistidos por meio do aluguel social, mas ainda neste mês iremos receber a nossa casa”, enfatizou Cícero Washington.

Publicado em Habitação
homem utilizando termômetro em mulher que usa máscara
Os trabalhos começaram logo cedo com aferição de temperatura e higienização com álcool

As primeiras 437 famílias vinculadas ao projeto Alto da Paz iniciaram, nesta segunda-feira (27/7), o processo de vistoria e assinatura de contrato de seus apartamentos. Para evitar aglomeração, a Prefeitura de Fortaleza fez um planejamento, em parceria com a Caixa Econômica Federal, para atender uma média de 50 beneficiários por turno.

mulher sentada de máscara com bebê no colo e homem em pé atrás usando máscara também. todos posam para a foto
Para Leonildo e Brena, o momento é a confirmação de um sonho

Os atendimentos ocorrem no próprio residencial localizado no bairro Vicente Pinzón e, de acordo com a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, Andréa Ciaildini, os trabalhos seguem conforme o planejado. “Trabalhamos muito na mobilização, solicitando que as famílias obedecessem ao cronograma que foi planejado para a ação. Temos observado a preocupação de todos com uso da máscara e também reforçamos os cuidados no acesso ao residencial com álcool e aferição de temperatura”, destacou.

homem cadeirante de máscara utilizando estruturas acessíveis em apartamento. ele está sendo ajudando por outro homem de máscara
Adailton Silva aprovou o apartamento todo adaptado

Para os pais do pequeno Heitor, Leonildo Santos e Brena Paz, que fizeram parte do grupo que ocupava o espaço em 2014, a vistoria e assinatura de contrato são passos para confirmação de um sonho. “Para nós, que fizemos parte da ocupação e que lutamos muito, este é um sonho que se realiza com muita luta, estou muito feliz”, comemorou Leonildo.

Já Adailton da Silva, que terá um apartamento todo adaptado às suas necessidades especiais, fez questão de agradecer a entrega o Alto da Paz. “Só não está melhor porque ainda não estou dentro de casa, mas com certeza vou estar. Quero agradecer ao Governo do Estado e ao prefeito Roberto Cláudio pelo esforço para organizar tudo”, disse o cadeirante.

Os trabalhos seguem até a próxima sexta-feira (31/7), sempre das 9h às 12h e das 13h às 16h, e somente beneficiários que receberam a ligação da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) devem ir ao empreendimento. “Mais uma vez, reforçamos o pedido que apenas as famílias contactadas pela nossa equipe compareçam ao residencial. Lembro ainda que observem bem a estrutura do apartamento, assim como as regras contratuais”, alertou a titular da Habitafor Olinda Marques.

Publicado em Habitação
Página 1 de 5