Durante o fim de semana (10 a 12/11), a Operação Lei Seca realizou 1.036 testes do etilômetro durante todos os turnos em ruas e vias da cidade. As abordagens resultaram em 54 autuações nas fiscalizações preventivas realizadas pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) com o apoio da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) e Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

As blitze são realizadas no formato fixo e itinerante, que servem para sensibilizar um número maior de motoristas nas vias de Fortaleza. Do total de autuações, uma teve teste positivo para ingestão de bebidas alcoólicas. Outras 53 pessoas que recusaram o exame, conduta que gera suspeita de consumo, também foram autuadas.

Apesar de considerado elevado, o número é esperado diante da intensificação das blitze nas últimas semanas do ano. “Temos reforçado a presença dos agentes de trânsito nas ruas para reforçar a segurança viária neste período de aumento das festividades. É importante que a população compreenda os riscos de dirigir sob efeito de bebidas alcoólicas e que do começo do dia até a madrugada pode ser submetida a testes do etilômetro”, salienta Wellington Cartaxo, gerente de Operação e Fiscalização da AMC.

De janeiro a outubro deste ano, a AMC realizou 28.617 testes de etilômetro. 285 motoristas recusaram a se submeter ao exame - o que gera suspeita de consumo de bebidas alcoólicas - e oito deram positivo. Mais de 70 mil veículos foram abordados em 727 operações da Lei Seca.

Legislação

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), dirigir sob a influência de álcool é uma prática proibida e extremamente perigosa. A combinação entre bebida e direção aumenta significativamente o risco de acidentes, afetando negativamente a capacidade do motorista de tomar decisões e reagir rapidamente a situações de trânsito.

O teste de alcoolemia é expresso em miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões (mg/l). Como a tolerância a álcool é zero no Brasil, o condutor de veículos automotores não pode ingerir nenhuma quantidade de bebidas alcoólicas.

A infração é considerada gravíssima com resultado inferior a 0,3 mg/l, aplicação de multa multiplicada por 10 (R$ 2.934,70) e de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além da suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Em caso de recusa do teste de alcoolemia, são aplicadas as mesmas sanções. Já o resultado superior a 0,3 mg/l é crime de trânsito. Além das sanções já descritas, o motorista é conduzido à delegacia, onde a autoridade policial decidirá as medidas legais a serem adotadas.
Em todos estes casos, o condutor tem o veículo retido para apresentação de outro motorista habilitado e, caso contrário, poderá ter o veículo removido.

Publicado em Mobilidade

As fiscalizações preventivas para coibir e educar os condutores com relação à combinação perigosa entre álcool e direção resultaram em 61 autuações em outubro, o maior número do ano. A Operação Lei Seca, realizada pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) em ruas e avenidas de Fortaleza, é desenvolvida em parceria com a Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) e a Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

No período, 3.509 testes de etilômetro foram realizados e 61 motoristas recusaram se submeter ao exame, o que gera suspeita de consumo de bebidas alcoólicas. Foram abordados mais de 8.574 veículos em 90 operações.

“Com a aproximação de eventos e confraternizações desta época do ano, a AMC reforçou a presença de agentes de trânsito nas vias com maior registro de acidentes e em polos geradores de tráfego. Fiscalizações preventivas, que incluem a Operação Lei Seca, além de abordagens educativas, são realizadas a qualquer momento e durante a madrugada com o intuito de reforçar a segurança nos deslocamentos”, explica o gerente de Operação e Fiscalização da AMC, Wellington Cartaxo.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as fiscalizações promovidas pelos órgãos de trânsito podem reduzir em até 18% o número de mortes no trânsito.

Em 15 anos de vigência, a Lei Seca contribui para a mudança de comportamento e respeito às normas de circulação, além de reduzir o número de mortes quando associado ao reforço na fiscalização e a outras medidas de segurança viária. Entre 2008 e 2022, o quantitativo de óbitos em Fortaleza caiu 54%.

Balanço

De janeiro a outubro deste ano, a AMC realizou 28.617 testes de etilômetro. 285 motoristas recusaram a se submeter ao exame - o que gera suspeita de consumo de bebidas alcoólicas - e oito deram positivo. Mais de 70 mil veículos foram abordados em 727 operações da Lei Seca.

Legislação

No Brasil, a tolerância de álcool é zero, pois não existe um limite seguro desta substância no corpo para quem vai dirigir. Qualquer quantidade ingerida, por mínima que seja, diminui os reflexos e afeta as condições normais de direção. Além disso, o álcool diminui o tempo de reação, concentração e percepção.

A infração é considerada gravíssima com resultado inferior a 0,3 mg/l, aplicação de multa multiplicada por 10 (R$ 2.934,70) e de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além da suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Em caso de recusa do teste de alcoolemia, são aplicadas as mesmas sanções. Já o resultado superior a 0,3 mg/l é crime de trânsito. Além das sanções já descritas, o motorista é conduzido à delegacia, onde a autoridade policial decidirá as medidas legais a serem adotadas.

Em todos estes casos, o condutor tem o veículo retido para apresentação de outro motorista habilitado e, caso contrário, poderá ter o veículo removido.

Publicado em Mobilidade

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) deu continuidade, neste fim de semana, à intensificação da Operação Lei Seca no período da madrugada em ruas e avenidas da cidade. A fiscalização preventiva, desenvolvida com o apoio da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) e Polícia Rodoviária Estadual (PRE), resultou na autuação de 15% dos condutores abordados por recusa ao teste do etilômetro.

Nas madrugadas de sexta para o sábado e de sábado para o domingo, 173 condutores foram abordados. Destes, 27 se recusaram a fazer o teste, que gera suspeita da combinação de risco de dirigir sob efeito de bebidas alcoólicas. As blitze foram realizadas no formato itinerante de modo a sensibilizar um maior número de motoristas durante as operações. Durante todos os turnos do fim de semana, foram realizadas 568 abordagens e 39 autuações por recusa.

“Seguimos vigilantes para coibir o comportamento de risco de condutores que insistem combinar a direção e o consumo de bebidas alcoólicas. A nossa atuação pode acontecer a qualquer instante, do começo do dia até a madrugada, e, portanto, possuem caráter educativo. Se contribuímos para a mudança de comportamento dos motoristas em respeitar as regras de circulação, conseguimos reduzir o risco e ocorrência de acidentes com severidade e até mortes”, destaca Wellington Cartaxo, gerente de Operação e Fiscalização da AMC.

Legislação

No Brasil, a tolerância de álcool é zero. Conduzir veículo automotor sob influência dessa substância é uma infração de natureza gravíssima X 10, multa no valor de R$ 2.934,70. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê que o condutor que recusar o teste sofre a mesma penalidade, já que a conduta gera suspeita da combinação de beber e dirigir.

Se a concentração for igual ou superior a 0,30 miligramas de álcool por litro de ar alveolar ou o motorista tenha sinais que indiquem alteração de capacidade psicomotora, além de serem aplicadas as mesmas sanções, o mesmo será encaminhado à autoridade policial que adotará as medidas legais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um condutor que desrespeita a lei com um copo de cerveja tem três vezes mais chance de morrer em um sinistro do que um motorista sóbrio. O álcool torna os reflexos mais lentos, diminui a vigilância e reduz a capacidade visual, o que contribui para acidentes com alto índice de severidade.

Publicado em Mobilidade

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) abordou 160 condutores em operações da Lei Seca em ruas e avenidas de Fortaleza nas madrugadas deste fim de semana. Do total, 28 motoristas foram autuados por recusa ao teste do etilômetro, que gera suspeita de consumo de bebidas alcoólicas. Um condutor acusou positivo no teste e também foi autuado. O número corresponde a quase 18% das abordagens realizadas com o apoio da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) e Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

Com a intensificação de eventos na cidade nos últimos dias, a AMC reforçou a presença de agentes de trânsito nas vias com maior registro de acidentes e em polos geradores de tráfego de sexta para sábado e de sábado para domingo. Para o gerente de Operação e Fiscalização da AMC, Wellington Cartaxo, a medida representa uma importante ação preventiva a ocorrência de acidentes.

"Atitudes inconsequentes que arriscam vidas podem ser inibidas com a simples presença dos agentes nas vias. É preciso que as pessoas adotem um comportamento seguro e tenham em mente que a qualquer local ou momento, do turno da manhã à madrugada, podem ser  submetidas ao teste do etilômetro", destaca Cartaxo.

O que diz a lei

O teste de alcoolemia é expresso em miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões (mg/l). Como a tolerância a álcool é zero no Brasil, o condutor de veículos automotores não pode ingerir nenhuma quantidade de bebidas alcoólicas.

A infração é considerada gravíssima com resultado inferior a 0,3 mg/l, aplicação de multa multiplicada por 10 (R$ 2.934,70) e de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além da suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Em caso de recusa do teste de alcoolemia, são aplicadas as mesmas sanções. Já o resultado superior a 0,3 mg/l é crime de trânsito. Além das sanções já descritas, o motorista é conduzido à delegacia, onde a autoridade policial decidirá as medidas legais a serem adotadas.

Em todos estes casos, o condutor tem o veículo retido para apresentação de outro motorista habilitado e, caso contrário, poderá ter o veículo removido.

Estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que um motorista que desrespeita a lei com um copo de cerveja tem três vezes mais chances de morrer em um sinistro do que um motorista sóbrio. O álcool torna os reflexos mais lentos, diminui a vigilância e reduz a capacidade visual, o que contribui para acidentes com alto índice de severidade. Também de acordo com a OMS, as fiscalizações naa vias - como as operações Lei Seca - podem reduzir em até 18% o número de mortes no trânsito.

Em 15 anos de vigência, a Lei Seca contribui para a mudança de comportamento e respeito às normas de circulação, além de reduzir o número de mortes quando associado ao reforço na fiscalização e a outras medidas de segurança viária. Entre 2008 e 2022, o quantitativo de óbitos em Fortaleza caiu 54%.

Balanço

De janeiro a setembro deste ano, a AMC realizou 25.108 testes de etilômetro. 224 motoristas recusaram a se submeter ao exame - o que é indício de consumo - e oito deram positivo. Mais de 61 mil veículos foram abordados em 637 operações da Lei Seca.

Publicado em Mobilidade

A mistura de álcool e direção é um dos principais fatores de risco para a mortalidade no trânsito. Ciente dos perigos da prática, a Prefeitura de Fortaleza está intensificando a Operação Lei Seca em ruas e avenidas da cidade. O objetivo é promover uma maior conscientização dos condutores quanto à importância de respeitar as normas de circulação viária, prevenindo acidentes.

Coordenadas pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), as blitze acontecem diariamente em todos os turnos e têm o formato itinerante para sensibilizar a um número maior de motoristas. "É importante que a população saiba que a todo momento pode ser fiscalizada. Do começo do dia até a madrugada, seremos vigilantes para coibir esse tipo de comportamento que mata e deixa sequelas muitas vezes irreversíveis", reforça Wellington Cartaxo, gerente de Operação e Fiscalização do órgão.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um condutor que desrespeita a lei com um copo de cerveja tem três vezes mais chance de morrer em um sinistro do que um motorista sóbrio. A bebida alcoólica torna os reflexos mais lentos, diminui a vigilância e reduz a capacidade de reação.

Legislação

No Brasil, a tolerância de álcool é zero. Conduzir veículo automotor sob influência dessa substância é uma infração de natureza gravíssima X 10, multa no valor de R$ 2.934,70 e, se a concentração for igual ou superior a 0,30 miligramas de álcool por litro de ar alveolar ou o motorista tenha sinais que indiquem alteração de capacidade psicomotora, o mesmo será encaminhado à autoridade policial que adotará as medidas legais.

De janeiro a julho deste ano, o órgão realizou 19.929 testes de etilômetro. 202 motoristas recusaram se submeter ao exame - o que é indício de consumo - e sete deram positivo. Mais de 28 mil veículos foram abordados em 268 operações de Lei Seca.

Publicado em Mobilidade

Para melhorar a segurança no trânsito e criar a cultura no cidadão de respeito às normas de circulação, a Prefeitura de Fortaleza abordou mais de 25 mil condutores em ações da Operação Lei Seca durante o ano de 2022. A fiscalização realizada pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) tem caráter preventivo, tendo em vista que o álcool é um dos principais fatores de risco no trânsito.

O balanço do órgão aponta que, do total, 978 condutores se recusaram a fazer o teste do etilômetro no ano passado; 110 deram positivo. Neste mês, as ações são intensificadas em virtude das férias e festas de pré-carnaval.

“Nosso objetivo é promover uma maior conscientização sobre os riscos de beber e dirigir, garantindo um ir e vir mais seguro. A atuação do nosso efetivo nas ruas já contribui para reduzir a prática da combinação inadequada entre álcool e direção, garantindo um ir e vir mais seguro”, destaca Antônio Ferreira, superintendente da AMC.

Fortaleza é referência, segundo OMS

As ações integradas de combate à prática de beber e dirigir em Fortaleza foram destaque em Manual da Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado no ano passado. O documento, que fornece orientações para reduzir a prevalência de misturar álcool e direção, baseia-se na experiência de cidades que conseguiram alcançar a redução de traumas de trânsito relacionados à prática perigosa.

O manual destacou que os comandos operacionais e com ampla visibilidade da Lei Seca, desenvolvidos pela Prefeitura de Fortaleza em parceria com a Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária, colaboraram com a redução de 47,5% nas mortes atribuíveis a lesões no trânsito entre 2014 e 2019.

Efeitos do álcool

O álcool é um dos principais fatores de risco para a ocorrência de acidentes de trânsito. A bebida alcoólica torna os reflexos mais lentos, diminui a vigilância e reduz a capacidade visual, o que contribui para acidentes com alto índice de severidade. Um condutor que desrespeita a lei com um copo de cerveja tem três vezes mais chance de se envolver em um acidente do que um sóbrio.

Segundo o Ministério da Saúde, uma em cada cinco vítimas de trânsito atendidas nos prontos-socorros brasileiros ingeriram bebida alcoólica. Em Fortaleza, a situação não é diferente. Cerca de 20% dos pacientes internados no Instituto Dr. José Frota (IJF) que sofreram acidentes declararam ter ingerido a substância antes da ocorrência.

Infração

O teste de alcoolemia é expresso em miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões (mg/l). Como a tolerância a álcool é zero no Brasil, o condutor de veículos automotores não pode ingerir nenhuma quantidade de bebidas alcoólicas.

A infração é considerada gravíssima com resultado inferior a 0,3 mg/l, aplicação de multa multiplicada por 10 (R$ 2.934,70) e de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além da suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Em caso de recusa do teste de alcoolemia, são aplicadas as mesmas sanções. Já o resultado superior a 0,3 mg/l é crime de trânsito. Além das sanções já descritas, o motorista é conduzido à delegacia, onde a autoridade policial decidirá as medidas legais a serem adotadas.

Em todos estes casos, o condutor tem o veículo retido para apresentação de outro motorista habilitado e, caso contrário, poderá ter o veículo removido.

Publicado em Mobilidade
agente da amc segura um etilômetro, aparelho usado para faze o teste de teor alcoólico
Foram realizados 1.284 testes de alcoolemia em Fortaleza de sexta-feira (25/02) a quarta-feira (02/03)

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) realizou, entre a noite de sexta-feira (25/02) e o início da manhã desta quarta-feira (02/03), período equivalente às festas de Carnaval, 1.284 testes de alcoolemia em Fortaleza. Foram autuados 49 condutores, sendo três com resultado positivo para ingestão de bebidas alcoólicas e 46 recusas, que também indica consumo. As operações de fiscalização foram intensificadas com o apoio da Guarda Municipal de Fortaleza e da Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

Nos últimos dias, a presença de agentes de trânsito foi intensificada nas vias com maior registro de acidentes e em polos geradores de tráfego, além do monitoramento do fluxo na entrada e saída da cidade como as avenidas Bezerra de Menezes, Presidente Castelo Branco, Godofredo Maciel, Presidente Costa e Silva, Antônio Sales, Aguanambi e Via Expressa.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um condutor que desrespeita a lei com um copo de cerveja tem três vezes mais chance de morrer em um sinistro do que um motorista sóbrio. O álcool torna os reflexos mais lentos, diminui a vigilância e reduz a capacidade visual, o que contribui para acidentes com alto índice de severidade.

Legislação

Como a tolerância a álcool é zero no Brasil, o condutor de veículos automotores não pode ingerir nenhuma quantidade de bebidas alcoólicas. O teste de etilômetro é expresso em miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões (mg/l). A infração é considerada gravíssima com resultado inferior a 0,3 mg/l, aplicação de multa multiplicada por 10 (R$ 2.934,70) e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além da suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Em caso de recusa do teste de alcoolemia, se repetem as sanções acima. Já o resultado superior a 0,3 mg/l é crime de trânsito. Além das sanções já descritas, o motorista é conduzido à delegacia, onde a autoridade policial decidirá as medidas legais a serem adotadas.

Em todos estes casos, o condutor tem o veículo retido para apresentação de outro motorista habilitado e, caso contrário, poderá ter o veículo removido.

Publicado em Mobilidade
a foto mostra a van da lei seca da amc e dois agentes ao lado dela em uma blitz do órgão
Comandos estáticos e itinerantes vão atuar diariamente com o objetivo de reduzir acidentes

O álcool é um dos principais fatores de risco para a ocorrência de acidentes de trânsito. Somente este ano, 121 pessoas perderam a vida em Fortaleza por esse e outros comportamentos inadequados. Para reverter o quadro, a Operação Lei Seca está sendo intensificada nas vias com maior registro de acidentes e próximo a polos geradores de tráfego. 

A partir desta sexta-feira (13/08), uma ação conjunta entre a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) vai reforçar a atuação diariamente com comandos estáticos e itinerantes no intuito de reduzir acidentes.

O objetivo é criar a cultura no cidadão de cumprimento às normas de circulação viária e consequentemente evitar lesões graves e mortes no trânsito. “A fiscalização tem caráter preventivo. Não podemos relaxar nas ações, principalmente, em um momento como esse de pandemia pelo coronavírus. A simples presença dos nossos agentes nas ruas já inibe atitudes inconsequentes”, relata a superintendente do órgão, Juliana Coelho.

Nas blitze, o corpo técnico da AMC está redobrando os cuidados ao efetuar o procedimento utilizando luvas, batas e máscaras de proteção. O equipamento também é desinfectado e a piteira descartável, sendo uma por condutor.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um condutor que desrespeita a lei com um copo de cerveja tem três vezes mais chance de morrer em um sinistro do que um motorista sóbrio. O álcool torna os reflexos mais lentos, diminui a vigilância e reduz a capacidade visual, o que contribui para acidentes com alto índice de severidade.

Legislação

No Brasil a tolerância de álcool é zero. Conduzir veículo automotor sob influência dessa substância é uma infração de natureza gravíssima X 10, multa no valor de R$ 2.934,70 e se a concentração for igual ou superior a 0,30 miligramas de álcool por litro de ar alveolar ou o motorista tenha sinais que indiquem alteração de capacidade psicomotora, o mesmo será encaminhado à autoridade policial que adotará as medidas legais.

Publicado em Mobilidade

A Prefeitura de Fortaleza apresenta, nesta segunda-feira (20/11), às 14h, o Anuário de Segurança Viária de Fortaleza, edição 2016. A publicação, realizada com apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, traz uma análise profunda das principais causas de acidentes de trânsito em Fortaleza, estudos de todos os registros e também analisa soluções já implementadas na cidade e aponta caminhos para a política pública de segurança viária. A coletiva ocorre no auditório do Paço Municipal.

Ainda durante o evento, o prefeito Roberto Cláudio e a diretora de segurança viária da Bloomberg Philanthropies, Kelly Larson, anunciam a segunda etapa da campanha “Se Beber, Não Dirija” que busca conscientizar condutores sobre os riscos do consumo de álcool associado à direção. Aliado a campanha midiática, a fiscalização da lei seca também será intensificada.

Na solenidade a Prefeitura também apresenta o projeto piloto do Bicicletar Corporativo, um novo passo na política de incentivo ao modal cicloviário como alternativa ao transporte de profissionais em horário de expediente. A iniciativa faz parte da "Parceria por Cidades Saudáveis", também patrocinada pela Bloomberg Philanthropies, que busca prevenir doenças não transmissíveis, como AVCs, diabetes e obesidade.

Serviço:
Coletiva sobre novas ações de segurança viária
Data: 20/11 (Segunda-feira)
Horário: 14h
Local: Auditório do Paço Municipal – Rua São José, 01 - Centro

Publicado em Mobilidade