Indispensável para garantir a segurança de condutores e pedestres, contribuindo para a redução de acidentes com severidade, a rede semafórica vem crescendo significativamente em Fortaleza. Exemplo disso é que no final de 2012 um total de 639 semáforos controlava o tráfego nos cruzamentos da cidade. Hoje já são 1.044 equipamentos, o que mostra uma ampliação de 63%.
 
56% da rede é centralizada. Uma das principais vantagens dessa tecnologia inteligente é que os tempos são otimizados em tempo real, variando de acordo com o fluxo veicular contabilizado pelos laços detectores do semáforo. Além disso, permite uma comunicação direta com a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), detectando falhas de forma imediata e otimizando os serviços de manutenção.
 
Desde que respeitado, o semáforo reduz a severidade de acidentes e até mesmo a estatística de vítimas fatais. Além de outras intervenções, pode-se dizer que a ampliação da rede semafórica está diretamente relacionada à redução de mortes no trânsito que vem caindo ano após ano na cidade. 
 
Os equipamentos estão localizados em todas as regionais da cidade, acompanhando a evolução demográfica do município e o aumento da frota. “A implantação de semáforos pode ser entendida como uma ação que contribui também para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, uma vez que possibilita um maior ordenamento das dinâmicas existentes entre os participantes das diversas modalidades de transportes. Contudo, esta decisão deve estar embasada em um planejamento técnico”, esclarece Juliana Coelho, gerente da central de Monitoramento de Tráfego da AMC. 
 
Para solicitar um semáforo, o munícipe deve formalizar o pedido em uma das centrais de atendimento da AMC. O requerimento será devidamente analisado, considerando uma análise que abordará critérios como volume de veículos e pedestres, quantitativo de acidentes, condições geométricas, iluminação, visibilidade, dentre outros.
 
LED e Nobreak
 
Todos os semáforos possuem LED, o que permite uma economia de energia em até 75%. 61% desse total conta com nobreak, espécie de "gerador" que garante o funcionamento do semáforo em até três horas após uma queda energética. 
 
Salvar vidas 
 
Fortaleza reduziu em 50,3% o número de mortes no trânsito em 10 anos. Com o resultado, a capital cearense se tornou uma das primeiras cidades no mundo a atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir pela metade a taxa de óbitos no trânsito.
 
A meta foi alcançada antes de terminar o prazo, que vai até o fim deste ano. Em 2019, foram registrados 7,4 óbitos por 110 mil habitantes, e em 2010 o índice era de 14,9 óbitos.
Publicado em Mobilidade
Com o objetivo de aproximar os serviços municipais da população, a Prefeitura de Fortaleza lança, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a Plataforma Vida, ferramenta digital que disponibiliza dados de sinistros de trânsito. Ao acessar o site Central AMC, qualquer cidadão pode ter informações gratuitas sobre os acidentes ocorridos na Cidade, podendo filtrar por período, tipo de veículo, severidade, natureza e bairro.
 
A iniciativa vem sendo desenvolvida pela AMC como evolução do Sistema de Informações em Acidentes de Trânsito (SIAT). A ferramenta pode ser acessada também por smartphones.
 
Além de promover melhor compreensão da problemática de mortes e feridos no trânsito, a Plataforma Vida também visa ao aumento da eficiência na coleta e análise de dados relativos à segurança viária e ao monitoramento de intervenções de engenharia e fiscalização.
 
De acordo com Arcelino Lima, superintendente da AMC, é preciso conhecer o problema de forma criteriosa para nortear as soluções técnicas e comportamentais adequadas. "Mapear e analisar toda a complexidade da ocorrência do acidente nos ajuda a planejar, de forma assertiva, as intervenções de engenharia de tráfego, educação e fiscalização para preservar vidas", esclarece. 
 
Segurança viária: um legado
 
Como resultado das políticas públicas de mobilidade urbana e segurança viária, Fortaleza foi uma das primeiras cidades no mundo a atingir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir pela metade a taxa de mortes no trânsito. 
 
O resultado foi alcançado antes do fim do prazo, que termina no final deste ano. Em 2019, foram registrados 7,4 óbitos por 100 mil habitantes. Em 2010, o índice era de 14,9, o que representa uma diminuição de 50,3% no período. Esse é o principal indicador utilizado pela ONU para comparar o progresso na prevenção de mortes no trânsito entre cidades e países.
 
O número de mortes ainda apresentou redução pelo quinto ano consecutivo e, em 2019, com 197 óbitos, chegou ao menor já registrado desde que os dados passaram a ser sistematizados, em 2000, segundo balanço da AMC. Entre 2015 e 2019, 578 vidas foram salvas no trânsito de Fortaleza.
Publicado em Mobilidade
a foto mostra o canteiro central da avenida desembargador moreira
A avenida ganhou nova pavimentação com piso intertravado, canteiro central e paisagismo

Com o avanço das obras de pavimentação da Av. Desembargador Moreira, as pistas que estavam parcialmente bloqueadas, tiveram tráfego liberado em toda a sua extensão. A Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf) segue com obras na região realizando os serviços de construção de calçadas, ciclovia, urbanização e iluminação. A obra de requalificação viária da Avenida Desembargador Moreira, que está com 85% de execução, corresponde ao trecho entre as avenidas Pontes Vieira e Abolição, deve ser concluída até janeiro de 2021.

Considerada via de conexão da região hoteleira ao aeroporto, a Av. Desembargador Moreira é tida como a principal porta de entrada da cidade para os turistas que desejam conhecer ou se hospedar próximo às praias de Iracema e Beira-Mar. Com as obras, a região passará a contar com nova pavimentação asfáltica, calçadas com piso intertravado, rampas de acessibilidade, nova sinalização, reforma do canteiro central, pavimento em concreto nos pontos de ônibus, nova iluminação e paisagismo. A via ganhará um trecho com amplo e colorido calçadão, priorizando o pedestre e melhorando a utilização dos espaços, já que o mesmo será integrado às novas calçadas da Praça Portugal, na esquina com Dom Luís.

Com orçamento de R$ 11,2 milhões, as obras foram divididas em três trechos, levando em consideração as áreas e necessidades específicas da via, como rede hoteleira, comercial e residencial. Confira as intervenções realizadas em cada trecho:

a foto mostra uma calçada na avenida desembargador moreira
A Desembargador Moreira é considerada via de conexão da região hoteleira ao aeroporto

Trecho 1

A Av. Desembargador Moreira, no trecho entre as avenidas Padre Antônio Tomás e Pontes Vieira, passou por obras de requalificação viária com a retirada do antigo pavimento e implantação de novo asfalto. Houve ainda a reconstrução do canteiro central, reforço na sinalização, instalação de itens de acessibilidade e pavimento em concreto nos pontos de ônibus.

Trecho 2

Neste trecho, entre as avenidas Padre Antônio Tomás e Dom Luís, foi realizada a substituição de todo o asfalto da via por piso intertravado (blocos em concreto) para facilitar o escoamento da água, além de melhorar a sensação térmica da via. A urbanização desta extensão da avenida se conectará ao trecho 3 que também tem pavimento em blocos de concreto.

Trecho 3

Entre as avenidas Dom Luís e Abolição a avenida passou por reforma no pavimento, que passou a ser intertravado, além de reforma do canteiro central. As obras continuam no local com a construção de uma ciclovia e calçadão, em frente à Empório Delitalia. O amplo e colorido calçadão foi inspirado nas ruas de Santiago, no Chile, um convite para o pedestre caminhar e ficar. O local ganhará ainda paisagismo, mobiliários urbanos e nova iluminação. Com a urbanização, a avenida passou a operar em mão única, no sentido sertão/praia, com duas faixas de tráfego. Com a mudança, os veículos poderão acessar as ruas Osvaldo Cruz e Barbosa de Freitas para seguirem no sentido praia/sertão.

Publicado em Infraestrutura
a foto mostra uma moto passando por uma rua
O objetivo é preservar vidas e disciplinar a circulação no local, possibilitando um ir e vir mais seguro
Como parte do programa de segurança viária desenvolvido em Fortaleza responsável por reduzir pela metade a taxa de mortalidade nas vias da cidade, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) inicia mais um mutirão de intervenções. Desta vez, o Montese será contemplado com a iniciativa, que já passou este ano por Messejana e Granja Lisboa.
 
O objetivo é preservar vidas e disciplinar a circulação no local, possibilitando um ir e vir mais seguro. Estão previstos dois binários, duas zonas de trânsito calmo, 140 cruzamentos revitalizados e implantação de dez novos semáforos, além de readequação da velocidade. Estima-se que o projeto seja concluído até o final de agosto.
 
Embora seja um bairro predominantemente residencial, 31% do uso do solo é destinado a comércios e serviços que atraem grande fluxo de pessoas e veículos. Com 6,6 km de vias, o Montese também é conhecido pelo alto índice de acidentalidade. De 2015 a 2019, um total de 934 acidentes ocorreram no bairro, sendo 54 atropelamentos, 10 vítimas fatais e 566 com vítimas feridas.
 
Ao longo da Av. Alberto Magno, serão instalados semáforos no cruzamento com as ruas Sátiro Dias, Raul Uchôa, 15 de Novembro e André Chaves. Os outros equipamentos ficarão situados na Rua 15 de Novembro X Almirante Rubim, Rua Des. João Firmino x Rua Eugênio Gadelha, Av. João Pessoa x Rua Miguel Gonçalves, Rua Barão de Canindé x Rua Barão de Sobral, Rua Equador x Rua Prof. Teodorico e Av. dos Expedicionários x Rua Armando Monteiro.
 
Motoristas que trafegam pela região também devem redobrar a atenção com os binários: o primeiro na Rua Desembargador Praxedes e Rua Eugênio Gadelha e o segundo na Rua João Firmino e Rua Almirante Rubim. 
 
Consideradas as vias mais importantes do Montese por serem corredores comerciais, as avenidas Alberto Magno e Gomes de Matos terão um novo limite de velocidade. Condutores não poderão exceder os 50 km/h estabelecido nas placas de sinalização. Será estabelecido um período educativo para que haja adaptação.
 
Nos últimos cinco anos, a Av. Alberto Magno registrou 521 acidentes, sendo 19 atropelamentos e seis fatais. No mesmo período aconteceram 371 acidentes na Av. Gomes de Matos: 34 atropelamentos e seis fatais.
 
Nos trechos compreendidos na Rua Irmã Bazet, entre a Av. João Pessoa e Rua Desembargador João Firmino, e na Rua Elvira Pinho, entre a Rua Barão de Canindé e Rua Almirante Rubim, a velocidade passa a ser de 30 km/h, seguindo determinação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que estabelece esse limite para vias de acesso local.
 
Preservação de vidas
 
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a readequação da velocidade de 60 para 50 km/h em uma via aumenta em dez vezes a chance de uma pessoa atropelada sobreviver. De acordo com a instituição, a velocidade elevada provoca um efeito de afunilamento no campo visual ou visão periférica do condutor, o que prejudica a percepção de pedestres e outros obstáculos nas ruas. Sem conseguir uma clara imagem do que está ao seu redor, o motorista eleva as chances de um atropelamento ou acidentes em geral.
 
Uma pesquisa da Universidade Johns Hopkins (EUA), referência internacional em saúde pública, em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC) mostra que a cada cinco veículos nas ruas de Fortaleza, um excede o limite de velocidade. 
 
Publicado em Mobilidade
Nos dias 23 e 24 de julho, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) realiza o segundo leilão de veículos deste ano. A frota é composta de carros e motocicletas que se encontram apreendidos há mais de dois meses no depósito do órgão, sem manifestação dos proprietários, conforme previsão legal contida no Art. 328 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).
 
Em virtude da pandemia do novo coronavírus, não haverá visitação e o leilão será realizado somente na modalidade virtual pelo site www.celsocunhaleiloes.com.br 
  
Poderão participar da concorrência pessoas físicas maiores de idade ou emancipadas que estejam portando documento de identidade, CPF e comprovante de endereço. No caso de empresas, é necessário que estas sejam devidamente inscritas no CNPJ e regulares junto ao INSS.
 
O lance varia de acordo com o tipo de veículo e condição do mesmo. Ao todo, serão leiloados 987 lotes, sendo 562 veículos aptos para circulação (52 automóveis e 510 motocicletas) e 425 sucatas (130 automóveis e 295 motocicletas). Os bens serão entregues no estado de preservação em que foram recolhidos, cabendo aos participantes estarem cientes das características dos mesmos.
 
Serviço: 
Leilão Público da AMC (virtual)
Datas: 23 e 24 de julho
Horário: fecha às 15h
Site: www.celsocunhaleiloes.com.br
Publicado em Mobilidade
No intuito de garantir mais segurança nos deslocamentos de ciclistas e incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte, a Prefeitura de Fortaleza segue ampliando a rede cicloviária da cidade. Serão mais 24,6 km de nova sinalização até setembro, conforme previsto pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC). 
 
As vias contempladas são Álvaro Fernandes, Miguel Gonçalves, Almirante Rubim, Miguel Gonçalves, Alfredo de Castro, Álvaro Fernandes, José Bastos, Desembargador Praxedes, Almirante Rufino, Prof. Otávio Lobo, Eduardo Bezerra, Joaquim Frota, Washington Luiz, Dom Henrique, Paulo Firmeza, Monsenhor Salazar, Major Assis, Des. Hermes Paraíba, Chanceler Edson Queiroz, Atilano Moura, Eduardo Girão, Pompílio Gomes e José de Pontes.  
 
Somente no período da atual gestão, Fortaleza bateu um recorde histórico, ampliando em 339% a rede cicloviária na cidade. Dessa forma, a Capital, que tinha apenas 68,2 km de rede cicloviária ao final de 2012, hoje conta com os atuais 298,6 km de infraestrutura cicloviária. Ao final destas intervenções, serão ultrapassados os 300 km de espaços exclusivos para circulação de ciclistas. 
 
Além das condições seguras para quem pedala, é imprescindível que o motorista redobre os cuidados com os usuários de bicicleta. Manter a distância de 1,5 m durante a ultrapassagem, não transitar ou estacionar em ciclofaixas e ciclovias, e dar preferência ao modal não-motorizado são comportamentos adequados que devem ser seguidos.
Publicado em Mobilidade

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania de Fortaleza (AMC) lança, nesta quinta-feira (21/05), uma nova campanha para fortalecer o enfrentamento à pandemia da Covid-19, reforçando cuidados preventivos ao coronavírus e o respeito às normas de circulação viária para prevenir acidentes.

O vídeo, que será veiculado em TVs, rádios e em plataformas digitais, enfatiza recomendações dos especialistas em saúde como a importância de uma higienização adequada. Como protagonista está um entregador de aplicativos, profissional que atua diariamente nas ruas da cidade se arriscando para atender a demanda da população e, por isso, mais exposto ao vírus.

Além dos cuidados básicos de manter distância no recebimento e entrega da mercadoria, utilizar álcool em gel e máscaras faciais, a campanha também ressalta a importância do cumprimento às leis de trânsito. Respeitar os limites de velocidade, utilizar o capacete, não avançar o sinal vermelho nem transitar na contramão são comportamentos que devem ser adotados para evitar acidentes.

Embora Fortaleza tenha registrado uma redução de 72% no número de acidentes totais e 40% no quantitativo de vítimas fatais, irregularidades no trânsito ainda são recorrentes. O excesso de velocidade, por exemplo, considerado um dos principais fatores de risco pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pode ser observado até mesmo com uma frequência maior já que a circulação está restrita e as vias cada vez mais vazias.

Apesar da queda significativa dos acidentes, os desafios são constantes. “Temos trabalhado para que esse número seja cada vez menor e vidas possam ser preservadas. No atual momento em que vivemos, as reduções de acidentes proporcionam certa melhoria no sistema de atendimento de emergência à medida que evita uma sobrecarga no serviço e dá oportunidade para que mais pessoas possam ter acesso às vagas nos hospitais”, esclarece o superintendente da AMC, Arcelino Lima.

Quanto maior o número de acidentes que deixam de acontecer, maior a disponibilidade de leitos e recursos para tratar vítimas da pandemia e de outras enfermidades. “Esse é um momento sem precedentes em que todo esforço para aliviar essa pressão enorme que estamos enfrentando nas unidades de saúde e hospitais é bem-vindo. Respeitar o limite de velocidade é uma forma eficiente de reduzir o volume de atendimentos em urgências e emergências e por isso eu reforço esse apelo”, diz o médico e cirurgião de trauma do Instituto Dr. José Frota (IJF), Daniel Lima.

Mesmo com a atenção focada no combate à pandemia, os condutores devem ter atenção redobrada ao dirigir. O respeito às normas de circulação viária ainda é a principal forma de evitar acidentes.

Operações nas ruas

De forma complementar à campanha, agentes de trânsito têm reforçado o trabalho de controle de circulação e realizado abordagens preventivas. Do dia 8 ao dia 18 de maio, 8.268 veículos foram abordados nos comandos operacionais da AMC.

As operações são realizadas em toda a Cidade nos quatro turnos, mas priorizam bairros das Regionais I e V, que ainda apresentam uma estatística elevada de desrespeito ao isolamento social.

Publicado em Mobilidade

Em virtude do período de isolamento social recomendado pelas autoridades de Saúde para reduzir os riscos de contágio pelo coronavírus, o fluxo de veículos diminuiu pela metade em Fortaleza e consequentemente o quantitativo de acidentes também. Dados da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) apontam que houve uma queda de 73% nas estatísticas de acidentes na Capital.

O levantamento realizado pelo órgão de trânsito considerou o período de 20 de março a 19 de abril de 2020, no qual foram registrados 431 acidentes, e comparou com os registros do ano anterior que contabilizou 1.573 sinistros no total.

“Se restringir a amostra apenas aos acidentes com vítima, verificamos uma diminuição de 60%. Já em relação aos fatais, a redução foi de 50%”, detalha o superintendente da AMC, Arcelino Lima.

Apesar da queda significativa, os desafios são constantes. “No atual momento em que vivemos, as reduções de acidentes proporcionam certa melhoria no sistema de atendimento de emergência e internação à medida que evita uma sorecarga no serviço e dá oportunidade para que mais pessoam possam ter acesso às vagas nos hospitais. Esses resultados corroboram com a importância do isolamento. Menos pessoas nas ruas, menos acidentes de trânsito e mais vagas nos hospitais. Continuamos trabalhando para que esse número seja cada vez menor e vidas possam ser preservadas", esclarece.

Mesmo com a atenção focada no cobate à pandemia, os condutores devem ter atenção redobrada ao dirigir. O respeito às normas de circulação viária ainda é a principal forma de se evitar um acidente.

Ações de enfrentamento

Uma força-tarefa envolvendo os agentes de trânsito da AMC e orientadores de tráfego vem sendo desenvolvida para garantir a segurança das pessoas. Além de monitorar o ir e vir dos condutores, atividade que já é padrão, o efetivo está concentrado nas ações de enfrentamento ao vírus.

“Hoje, a atuação da AMC vai além do simples controle de tráfego. Diariamente equipes atuam em locais de aglomerações e em filas de agências bancárias para repassar informações enfatizando o distanciamento de 1,5 m e orientando sobre os cuidados que devem ser adotados para evitar o contágio”, explica Arcelino Lima.

Como parte do trabalho de enfrentamento, as câmeras de monitoramento estão sendo utilizadas para identificar aglomerações. Rotas volantes também percorrem os principais bairros divulgando a importância do isolamento social como mecanismo de prevenção à Covid-19.

Além da atuação dos agentes, a aplicação de sinalização especial de demarcação para distanciamento nas filas das calçadas de bancos e casas lotéricas na cidade continua em andamento. O objetivo é reorganizar o fluxo no entorno desses locais para garantir que as pessoas permaneçam afastadas umas das outras, evitando a contaminação pela nova doença.

banner do canal coronavírus fortaleza

Publicado em Mobilidade

A partir desta segunda-feira (13/04), a Rua Frei Mansueto será bloqueada no trecho compreendido entre as ruas Ana Bilhar e Canuto de Aguiar para viabilizar as obras de drenagem.

Em virtude da interdição, o condutor que segue na Rua Frei Mansueto deve entrar à direita na Rua Ana Bilhar, à esquerda na Rua Professor Dias da Rocha e à esquerda novamente na Rua Pereira Valente. Confira o mapa aqui

Para o fluxo proveniente da Av. Abolição, a sugestão é que eles passem a utilizar o corredor da Av. Virgílio Távora para evitar os desvios propostos pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

Agentes do órgão darão suporte operacional à intervenção, que irá durar cerca de um mês, até o dia 13 de maio.

Sobre as obras

As obras de drenagem e urbanização do Polo Gastronômico da Varjota, que acontecem nas ruas Ana Bilhar e Frederico Borges, vão contemplar 1,5 quilometros.

Orçadas em R$ 13 milhões, as obras na região vão garantir a implantação de um novo sistema de drenagem com galerias e bocas de lobo, além de uma série de intervenções urbanísticas como parklets, cruzamentos com passagem elevadas para pedestres, novas calçadas, jardineiras, arborização, iluminação e o reordenamento do tráfego local.

A revitalização das vias vai possibilitar melhor acessibilidade para pedestres e ciclistas, oferecendo novos passeios com piso intertravado, ciclofaixa e mobiliários urbanos em todo o quadrilátero da Varjota, gerando fortalecimento no turismo gastronômico dos mais de 110 estabelecimentos da região.

Publicado em Mobilidade
A partir desta quarta-feira (18/03), a Av. Vicente de Castro será bloqueada no sentido Cais do Porto/Centro para viabilizar obras de requalificação viária. A pista contrária funcionará no contrafluxo, não sendo necessário desvio de tráfego. Agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) darão suporte operacional à intervenção, que acontecerá no trecho compreendido entre as avenidas Beira Mar e José Saboia.
 
A previsão é de que a via seja liberada no dia 16 de maio. Os serviços previstos para o trecho são os de drenagem, terraplanagem, pavimentação e de urbanização, incluindo uma nova ciclovia e reforma dos passeios com inclusão de acessibilidade.
 
Publicado em Mobilidade