Equipes de alunos e professores que conquistaram ouro na OBG
Alunos e professores da ETI Professor Ademar Nunes Batista comemoram as conquistadas

Estudar a fundo todas as áreas da geografia foi rotina, nos últimos meses, para duas equipes de estudantes da Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Professor Ademar Nunes Batista. Representante da Rede de Ensino na Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG) 2022, a unidade do Conjunto Ceará agora comemora as duas medalhas de ouro conquistadas na etapa estadual do evento, que reuniu 499 equipes de escolas públicas e particulares, desde o 9° ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. Além do ouro, os estudantes de outras unidades escolares da Rede Municipal conquistaram cinco medalhas de prata e 12 de bronze.

Cenário para a dinâmica de pesquisas e discussões aprofundadas, a Sala de Inovação Educacional recebeu os alunos para a realização das duas fases on-line da prova. Com 90% de acertos na segunda etapa somados à nota da primeira avaliação, os dois grupos obtiveram destaque duplo entre as 50 medalhas de ouro disputadas. São eles: “Espartanos”, integrado por Vitor Rangel, Amanda Carvalho e Letícia Lima, e “Imperadores”, composto por Mateus Costa, Bianca Brito e Maria Klara Borges.

O objetivo inicial, explica o professor-coordenador Cícero Silva, era construir uma cultura de participação nesta competição inédita para os estudantes da ETI. “Temos um histórico de participação na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e na Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), mas esta foi a primeira vez participando da OBG. A ideia era criar esse hábito de presença, estimular algumas competências como a curiosidade, o trabalho em grupo e o incentivo à pesquisa. Porém, a gente também queria obter o melhor resultado possível”, pontua.

Colega de Cícero, o educador Daniel Gadelha acrescenta que o resultado veio como recompensa para “muitos dias de planejamento''. “Todas as quartas-feiras, os alunos abriam os chromebooks disponíveis na sala e faziam um processo de revisão, leitura e discussão. Nossa função principal foi orientá-los na elucidação das questões, mas foram eles que trilharam a conclusão para cada pergunta”, ressalta.

Esse movimento de potencializar as habilidades dos jovens e ter a Sala de Inovação como aliada, acredita a estudante Amanda Carvalho, reverberou no êxito. “A partir do momento em que a escola abraça os alunos e procura levá-los pra cima, já é um incentivo para que haja um empenho grande. A gente pesquisou muito a fundo. O nível das perguntas destas provas é altíssimo. Com a assistência dos professores, aprendemos diversos assuntos avançados que serão importantes para o nosso ensino médio”.

Protagonismo coletivo

“Por que todo mundo não dá as mãos e sobe as escadas junto?”. O questionamento da participante Letícia Lima norteou os colegas durante os estudos e a realização das avaliações. Na visão coletiva, a união das equipes poderia ser a oportunidade para “fazer boas provas” e “vencer juntos”.

Desta forma, inseguranças de quem não tinha a matéria como favorita foram superadas. “Duvidei muito da minha capacidade, mas me surpreendi depois que participei. Mesmo tendo dificuldade, com a ajuda dos professores e dos meus colegas, eu consegui entender e colaborar com tudo. Da minha parte, foi muito bom participar!”, testemunha a aluna Bianca Brito, que mostra-se animada para receber o certificado da OBG.

Política de incentivo da Rede Municipal

A participação em olimpíadas é estimulada pela Rede Municipal como substancial para a expansão dos conhecimentos, raciocínio lógico e autoestima dos estudantes. Ana Cleide, diretora da ETI Professor Ademar Nunes Batista, avalia: “essa colaboração é crucial para o alcance do sucesso nas olimpíadas. A coordenação do nosso Distrito de Educação tem dado todo o suporte à escola, mobilizando, incentivando e pensando estratégias junto à gestão. Saber que estas medalhas estimulam nossos alunos a sonhar e almejar um bom futuro é maior do que a vitória em si!”.

Prova de que os sonhos dos medalhistas estão ainda mais vivos é o depoimento de Mateus Costa, integrante da equipe “Imperadores”: “Quando saiu o resultado das medalhas, a gente ficou tão feliz. Eu, por exemplo, tenho o sonho enorme de entrar no Instituto Federal do Ceará (IFCE) no Ensino Médio e fiquei em êxtase quando vi que a nossa escola conseguiu ter um resultado maior que o deles. Me gabei para todo mundo, para a família inteira. Com esta experiência, me sinto preparado para estudar lá e conquistar mais medalhas”, conclui, entusiasmado.

Olimpíada Brasileira de Geografia

A Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG) é uma olimpíada científica para estudantes das escolas públicas e particulares do Brasil, desde o 9° ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, abrangendo os temas de Geografia e das Geociências. Os competidores devem ter capacidade de analisar os fenômenos geográficos de forma integrada. A competição admite equipes compostas por três estudantes e um professor-coordenador de uma mesma escola.

Publicado em Educação
Alunos em sala de aula
Resultados positivos são frutos da decisão da gestão municipal em priorizar a área da Educação, que tem possibilitado a adoção de estratégias eficazes para enfrentar o abandono escolar e efetivar o direito de aprender de todos os estudantes

Fortaleza, mais uma vez, registra avanços e melhorias nos índices educacionais, fortalecendo o acesso e a aprendizagem dos alunos. Desta vez, conforme o Censo Escolar 2021, a Rede Municipal segue avançando na regularização gradativa da distorção idade-série, dado estatístico que acompanha, em cada série, o percentual de estudantes que têm idade acima da esperada para o ano em que estão matriculados. Com isso, 85,6% dos estudantes de Fortaleza concluem a série adequada na idade certa.

Em 2012, Fortaleza registrou índice de 36,6% na distorção idade-série, conforme estudo realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Já em 2021, o índice reduziu e chegou a 14,4%.

Tais resultados positivos são frutos da decisão da gestão municipal em priorizar a área da Educação, que tem possibilitado a adoção de estratégias eficazes para enfrentar o abandono escolar e efetivar o direito de aprender de todos os estudantes matriculados na Rede Municipal de Ensino de Fortaleza.

EJA
Uma das consequências positivas da regularização gradativa da distorção idade-série é a redução do números de alunos matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Atualmente a Rede Municipal conta com 6.758 alunos matriculados nesta etapa. Em 2021, eram 9.472 estudantes. E em 2020, 11.093.

Etapa de ensino que não é obrigatória, mas garantida pela Prefeitura, diante da importância de assegurar o acesso e aprendizagem de todos, a EJA possibilita que adultos, idosos ou jovens com mais de 15 anos que não tenham concluído o Ensino Fundamental continuem os estudos. Os alunos matriculados nesta modalidade têm alimentação garantida, livros didáticos específicos, professores lotados exclusivamente para atuar no período da noite, fardamento, entre outros benefícios.

Prioritariamente no turno da noite, horário mais propício aos que mantêm alguma ocupação profissional durante o dia, a população de Fortaleza conta com 77 polos de EJA, que possibilitam o aprendizado da alfabetização ao 9º ano. As matrículas da modalidade continuam abertas durante todo o ano e ocorrem em qualquer uma das escolas que funcionam como polo.

É importante destacar que mesmo celebrando os resultados positivos dos alunos alfabetizados na idade certa, a Prefeitura de Fortaleza continua trabalhando na identificação dos estudantes que ainda estão fora da escola, por meio do fortalecimento das ações de Busca Ativa. São desenvolvidas ainda ações que promovam a ampliação de turmas, melhoria na qualidade do ensino e o combate à evasão por meio do Projeto EJA Presente, garantindo a matrícula e a permanência dos estudantes em todo o período letivo.

Destaques de Fortaleza no Censo Escolar 2021
A capital cearense também foi destaque nos dados referentes à primeira etapa do Censo Escolar 2021, divulgados no início deste ano. No cenário nacional, Fortaleza é:
- 4ª maior rede do Brasil em número de matrículas e 1ª do Nordeste
- Capital que mais aumentou, em números absolutos, o quantitativo de matrículas
- 1ª capital do Brasil e 1ª do Norte e Nordeste em cobertura no atendimento em Tempo Integral
- 2º lugar no país em números absolutos no atendimento em tempo integral
- 3ª capital do Brasil e 1ª do Norte e Nordeste em matrículas na Educação Inclusiva
- 1ª capital do Nordeste em matrículas na Educação Infantil
- 2ª capital do Brasil com maior taxa de aprovação
- 3ª capital do Brasil com a menor taxa de abandono escolar

Publicado em Educação
Alunas da Rede Municipal apresentando trabalho na Feira de Ciências
Durante três dias, estudantes dos seis Distritos de Educação apresentaram banners com pesquisas aprovadas na fase escolar do evento municipal

A criatividade está no ar. Mais precisamente na Academia do Professor Darcy Ribeiro durante o encerramento da etapa distrital da XI Feira de Ciências e Cultura de Fortaleza. Equipes das unidades escolares dos Distritos de Educação 2 e 6 apresentaram pesquisas, nesta quinta-feira (01/09), para uma banca de avaliadores encarregada de selecionar os 60 trabalhos para compor a etapa municipal do evento. Ao longo da semana, espaços como a Seara da Ciência e o Cuca Mondubim receberam os demais distritos participantes.

Um livro do autor Daniel Munduruku foi o ponto de partida para Gabriela Ferreira e Isabelli Praxedes, do 8° ano da Escola Municipal de Tempo Integral Guiomar da Silva (ETI), localizada no bairro Paupina. Com o objetivo de promover o conhecimento da cultura índigena, as estudantes apresentaram o trabalho "Escrita Indígena: Um caminho para a preservação da memória ancestral". Segundo elas, a pesquisa trouxe repertório para "estender este aprendizado para quem não entende sobre o assunto".

"Nós pensamos numa coisa diferente que ninguém poderia pensar em propor. A gente não conhecia este tema. Fizemos uma pesquisa bibliográfica com a ajuda da professora Márcia dos Santos, que já até visitou uma reserva indígena e nos contou sobre a experiência”, relata Isabelli, sendo complementada pela colega de apresentação: “Agora, a gente pode chegar numa roda de amigos e falar com propriedade sobre a importância dos indígenas para o Brasil”, conclui Gabriela.

Alunas da Rede Municipal apresentando trabalho sobre pop it na Feira de Ciências
Alunas Camila Pacheco e Isabelle Batista, da EM Professora Maria Odnilra Cruz Moreira, apresentaram trabalho sobre os benefícios do brinquedo pop it

Também expostos na feira, os benefícios do brinquedo pop it foram contemplados no trabalho defendido pelas alunas Camila Pacheco e Isabelle Batista, da Escola Municipal Professora Maria Odnilra Cruz Moreira, na Cidade 2000. Durante o retorno às aulas no pós-quarentena, explica a orientadora Kari Cristina Queiroz, o brinquedo disputava atenção com os materiais escolares. Desta forma, surgiu a ideia para o projeto "Pop it, brinquedo de inquietação".

"O que atrai tanto neste brinquedo? Este foi o nosso primeiro questionamento, a partir disso, começamos a pesquisar e descobrimos diversas maneiras de uso na própria sala de aula", diz a educadora, ao ouvir as discentes elencarem as vantagens da peça de silicone: "ele não serve só para apertar e soltar, serve também para diminuir a ansiedade, tirar o estresse e é, ainda, um recurso para alfabetização. Também pode ser muito bom para crianças autistas", argumentam.

Quem acompanhou todos os trabalhos com atenção e alegria foi a estudante Raquel Lorrany, que esteve entre os alunos que visitaram a feira. Ao lado dos colegas do 7º ano da ETI Maria Odete da Silva Colares, ela diz que a apreciação aos projetos escolhidos para disputar a etapa distrital "é um bom aprendizado e passa motivação. Para mim, é novo sair da escola e aprender fora dela por meio de uma oportunidade tão legal", diz, fazendo jus ao propósito do evento, que promoveu a visitação como forma de fortalecer o protagonismo estudantil, bem como despertar a curiosidade científica e o apreço à pesquisa em âmbito escolar.

Etapa distrital

Nesta fase da XI Feira de Ciências e Cultura de Fortaleza foram apresentados os 150 trabalhos selecionados a partir da Etapa Escolar realizada pelas unidades de ensino. As equipes apresentaram suas pesquisas para uma banca de avaliadores. Na segunda-feira (29/08), a Seara da Ciência foi palco dos trabalhos desenvolvidos pelos Distritos de Educação 1 e 3. Na quarta-feira (31/08), o Cuca do Mondubim recebeu as equipes para as apresentações dos Distritos 4 e 5. Os trabalhos concorrem à etapa municipal da feira.

Publicado em Educação
Alunos em sala de aula de ETI
Ao todo, as unidades escolares recebem duas parcelas do PMDE ao longo do ano letivo, além de parcelas emergenciais em situações específicas

A Prefeitura de Fortaleza concede, a partir deste mês, um aumento de 31,9% do valor do repasse do Programa Municipal de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (PMDE 2022). O valor do investimento anual será de R$ 16.659.960,00, oriundos totalmente do tesouro municipal. Em 2021, o valor do repasse contabilizou R$ 12.631.204,00.

Com o aumento, o repasse passará de R$ 48,00 para R$ 58,00 para os alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental, incluindo aqueles matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA) e nos programas de fortalecimento da aprendizagem - Pro-técnico e Integração. No caso dos estudantes das Escolas de Tempo Integral o acréscimo será de R$ 96,00 para R$ 106,00 e para as crianças de 0 a 3 anos o valor aumentará de R$ 124,00 para R$ 134,00.

Os recursos são direcionados às unidades escolares da Rede Municipal para aplicação na aquisição de materiais de custeio, manutenção da estrutura física e de equipamentos e, também, para compra de materiais de uso permanente.

Ao todo, as unidades escolares recebem duas parcelas do PMDE ao longo do ano letivo, além de parcelas emergenciais em situações específicas.

Publicado em Educação
Professores participam de oficina na Academia do Professor
A programação conta com atividades que incluem oficinas de normalização para trabalhos acadêmicos

Em fase de produção do pré-projeto de mestrado, a professora Roberta Evaristo, da Escola Municipal José Batista de Oliveira, no Panamericano (Distrito 3), viu como oportunidade a programação de férias da Academia do Professor Darcy Ribeiro, que iniciou na última terça-feira (11/07) e continua até a próxima quinta-feira (21/07). A educadora tem aproveitado este período para estudar e se preparar para as seleções de pós-graduação deste ano oferecidas pela Prefeitura de Fortaleza, por meio de convênios com instituições de ensino superior.

Roberta foi uma das professoras que participou da oficina de escrita científica e da apresentação das pós-graduações ofertadas pelas universidades públicas, em parceria com a Rede Municipal. “Na primeira semana de julho viajei e agora estou me dedicando a esta jornada de produção e preparação em busca de uma vaga no mestrado. A oficina contribuiu muito para tirar dúvidas e aprender mais sobre a escrita científica. Esta programação veio em ótimo momento!”, afirma a educadora.

A professora da oficina escrita científica, Germânia Medeiros, que também é coordenadora da Universidade Aberta do Brasil (UAB) - Polo Fortaleza, reforça que o objetivo da atividade foi trazer o professor da educação básica para o universo da escrita científica, que é próprio para quem deseja ingressar em pós-graduação stricto sensu.

“Foi uma oportunidade de aproximar os professores da escrita científica, que exige um olhar mais crítico e apurado. Foi um momento deles trocarem experiências também. A gente buscou dar suporte na preparação dos educadores que já estão na jornada de preparação para o mestrado e para aqueles que têm interesse em ingressar”, explica Germânia, que lembra que terá outra turma semana que vem e as inscrições estão abertas.

A programação de férias da Academia do Professor também possibilitou outros educadores de Fortaleza conhecerem o equipamento. Pela primeira vez no espaço, a professora Patrícia Barros, da Escola Municipal Projeto Nascente, no Itaperi (Distrito 4), participou de atividades esportivas e deixou um convite aos professores: "Fiquei encantada com tudo que vi e senti na academia. Ganhei novos amigos. Conheci pessoas que trabalham com profissionalismo, dedicação, alegria, respeito e carinho. Gratidão a todos e parabéns pela excelente e maravilhosa programação de férias dedicada a nós. Convido os colegas que, como eu, não puderam viajar, a vir participar dessa programação”.

Férias na Academia do Professor
A agenda de férias da Academia do Professor Darcy Ribeiro prossegue até a próxima quinta-feira (21/07), com atividades que incluem oficinas de normalização para trabalhos acadêmicos, aulas de ritmos, ginástica rítmica, handebol, basquete e vôlei. Ainda dá tempo de se inscrever no site da Academia. As atividades são gratuitas e livres para todos os professores da capital.

Integrado à política de formação e valorização dos profissionais da Educação de Fortaleza, a Academia do Professor oferece um conjunto de serviços de formação e qualificação, além de assistência à saúde dirigida especialmente às necessidades dos profissionais. O equipamento conta com área de 4.400m², que contempla espaço cultural, auditório, piscina, ginásio poliesportivo, salas de aula, brinquedoteca, sala de inovação e biblioteca.

Serviço:
Programação de férias na Academia do Professor Darcy Ribeiro
Data: até 21 de julho
Local: Rua Dona Leopoldina, 907 - Centro
Inscrições e mais informações

Publicado em Educação
Alunos pulando na frente de uma ETI
A política adotada por Fortaleza será um dos pontos abordados, assim como os resultados da avaliação de impacto dessas unidades de ensino na trajetória educacional e aprendizagem dos alunos

A Prefeitura de Fortaleza e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) realizam, na próxima quarta-feira (15/06), às 14 horas, um webinar para apresentação de experiências relacionadas ao Tempo Integral na América Latina. A política adotada por Fortaleza será um dos pontos abordados, assim como os resultados da avaliação de impacto dessas unidades de ensino na trajetória educacional e aprendizagem dos alunos, realizada pelo organismo internacional. Com o tema "Escolas de Tempo Integral: aprendizagens e desafios futuros", o evento contará com a participação do vice-prefeito Elcio Batista, da secretária da Educação, Dalila Saldanha, e representantes do Chile e Peru, que apresentarão as experiências de seus países.

O webinar discutirá ainda as lições aprendidas e estratégias planejadas para o futuro para capacitar as escolas de tempo integral como alternativas para melhorar a qualidade da educação e responder às necessidades pós-pandemia.

O evento virtual é aberto à participação de todos os profissionais da Rede Municipal, incluindo diretores, coordenadores pedagógicos, professores e técnicos, além de pesquisadores interessados na temática. Para participar do webinar é preciso efetuar inscrição no site do evento.

Programação
A programação do evento conta com apresentações e a realização de painel. A experiência da capital cearense será apresentada pela secretária Dalila Saldanha, que abordará a iniciativa da Escolas de Tempo Integral em Fortaleza; e por Agustina Hatrick, da Direção de Contribuições para o Desenvolvimento e Medição de Impacto da CAF, que trará os resultados da avaliação das Escolas de Tempo Integral.

A Prefeitura de Fortaleza também estará presente no painel “Lições aprendidas sobre a jornada estendida como ferramenta para melhorar a qualidade educacional”, representada pela secretária Dalila Saldanha. Moderado por Cecilia Llambí, da Gerência do Desenvolvimento Social e Humano da CAF, o painel também terá a presença de Catalina Opazo, secretária executiva - Política Integral de Reativação Educacional do Ministério da Educação do Chile; e representante do Ministério da Educação do Peru.

Escolas de Tempo Integral

Aluna de ETI realizando atividades no laboratório
Nas ETIs, os estudantes vivenciam rotinas e práticas para uma formação interdisciplinar

Atualmente, a Rede Municipal de Fortaleza conta com 31 Escolas de Tempo Integral - duas dessas unidades devem ser inauguradas em breve e já estão, inclusive, com alunos matriculados. Com isso, o município contabiliza 12.324 alunos matriculados em escolas da modalidade. Somente este ano, foram inauguradas duas novas unidades, localizadas nos bairros Vila Velha e Autran Nunes. Ao todo, oito ETIs estão em construção e outras em planejamento. Reafirmando o compromisso de expandir a educação em tempo integral, até o final da gestão do Prefeito Sarto, Fortaleza contará com 50 ETIs.

Nas escolas de tempo integral, os estudantes vivenciam rotinas e práticas para uma formação interdisciplinar, com o apoio de equipes pedagógicas de formação especializada. Na rotina, os alunos contam com três refeições diárias e disciplinas que pautam temas como protagonismo e projeto de vida, disciplinas eletivas escolhidas por professores e alunos, e atividades laboratoriais de Informática, Biologia, Química, Física e Matemática.

Cada unidade, que atende cerca de 420 alunos, 7h30 às 16h, dispõe de salas de aulas temáticas, laboratórios, biblioteca, cozinha, refeitório, auditório, salas administrativas, pátio com projeto paisagístico, ginásio, com quadra poliesportiva coberta, arquibancadas e vestiários.

Serviço:
Webinar Escolas de tempo integral: aprendizagens e desafios futuros
Data: 15/06 (quarta-feira)
Horário: 14 horas
Inscrição on-line

Publicado em Educação

 

Aluno da Rede Municipal sendo vacinado
O objetivo da ação é levar a imunização o mais próximo possível da comunidade escolar, ampliando a proteção e a cobertura vacinal de crianças e adolescentes

A Prefeitura de Fortaleza inicia, nesta quinta-feira (26/05), o "Dia D” de Vacinação contra Covid-19 nas escolas da Rede Municipal de Ensino. Semanalmente, sempre às quintas-feiras, equipes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) estarão em seis escolas municipais, vacinando os estudantes de 5 a 17 anos, seja com a primeira dose ou completando o esquema vacinal. Com a ação devem ser contemplados, por dia, em média 1.800 alunos.

O objetivo da iniciativa, realizada de forma conjunta com a Secretaria Municipal da Educação (SME), é levar a imunização o mais próximo possível da comunidade escolar, ampliando a proteção e a cobertura vacinal de crianças e adolescentes.

“As estratégias para a campanha de vacinação contra a Covid-19 são constantemente aprimoradas. Levar a vacina para o ambiente escolar amplia o acesso à proteção contra o coronavírus para crianças e jovens, faixa etária bastante acometida por síndromes gripais”, afirma Ana Estela Leite, secretária da Saúde de Fortaleza.

As seis primeiras escolas participantes do "Dia D” serão: Dois de Dezembro (Barra do Ceará), Godofredo de Castro Filho (Cais do Porto), Padre Arimateia Diniz (Conjunto Ceará), Mozart Pinto (Jardim América), Henriqueta Galeno (Manuel Sátiro) e Francisco Melo Jaborandi (Jangurussu).

"A vacinação dos estudantes tem sido a principal estratégia para garantir o retorno às aulas presenciais de forma segura. Contar com as equipes de saúde no ambiente escolar será fundamental para ampliarmos a cobertura vacinal, especialmente das crianças, que ainda apresentam um percentual baixo de cobertura", pontua a secretária da Educação, Dalila Saldanha.

O "Dia D” terá continuidade nas próximas semanas, para vacinar o máximo possível de crianças e adolescentes que ainda não receberam a imunização.

Vacinação contra a Covid-19

Até esta terça-feira (24/05), 5.994.050 doses contra a Covid-19 foram aplicadas em Fortaleza, onde 2.384.096 residentes do Município receberam a primeira dose, 2.225.416 receberam a segunda dose, 1.306.402 terceira dose e 77.163 receberam a quarta dose.

No que se refere a crianças e adolescentes, Fortaleza alcançou 155.236 crianças de 05 a 11 anos com a primeira dose e 80.974 com a segunda. Já os adolescentes residentes da Capital, 216.511 receberam a primeira dose e 173.166 a segunda.

Publicado em Educação
Aluna da Rede Municipal com novo fardamento
O cenário positivo é fruto das estratégias da Prefeitura para enfrentar o abandono escolar e efetivar o direito de aprender de todos os alunos

Fortaleza, mais uma vez, ocupa lugar de destaque no cenário nacional quando o assunto é a Educação Básica. De acordo com dados da segunda etapa do Censo Escolar 2021, organizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Fortaleza obteve o 2º lugar entre as capitais com maior taxa de aprovação e o 3º entre as menores taxas de abandono escolar.

Principal pesquisa estatística da Educação Básica, o diagnóstico divulgado pelo Censo Escolar, na semana passada, Fortaleza obteve 99,9% de êxito dos alunos, atrás apenas de Curitiba que contabilizou 100% de aprovação e ficou em primeiro lugar no país.

Já no abandono escolar, a Rede Municipal de Fortaleza registrou índice de 0,1%. Ficaram em primeiro e segundo lugares, respectivamente, Curitiba e Recife, com taxa zero. Em 2020, Fortaleza atingiu a mesma taxa, mas ocupava a 12ª colocação entre as capitais brasileiras. Em 2019, esse número era de 0,4%. Entre os anos de 2008 e 2018, a redução foi de 93,8% do abandono no Ensino Fundamental, sendo considerada a capital do Nordeste com maior redução no indicador.

Estratégias

O cenário positivo é fruto das estratégias da Prefeitura de Fortaleza para enfrentar o abandono escolar e efetivar o direito de aprender de todos os alunos da Rede Municipal de Ensino.

Desde 2017, Fortaleza mantém sistema próprio de monitoramento diário da frequência, por meio do qual é possível acompanhar a presença na unidade escolar de 100% dos alunos. A partir disso, são implantadas as estratégias de Busca Ativa, tomadas a partir do primeiro dia de infrequência escolar injustificada. As estratégias são: comunicação com a família, via telefone, ou com o próprio estudante, caso tenha alcançado a capacidade civil; envio de comunicado escrito; visita domiciliar e, por último, envio de ofício ao Conselho Tutelar, quando esgotados os meios de busca do estudante pela unidade de ensino.

É importante destacar que o acompanhamento diário conta com 1.300 agentes escolares, que, desde a retomada das aulas presenciais no ano passado, foram incorporados à Rede Municipal para atuar na integração dos alunos, identificação e acompanhamento da frequência escolar e de possíveis situações de abandono.

A chegada dos agentes escolares ampliou a abrangência da atuação antes feita na Rede Municipal, possibilitando um maior rastreio e acompanhamento da presença dos estudantes em sala de aula. Em 2019, a Rede contava com seis articuladores e 36 profissionais deste tipo. Atualmente, cada unidade escolar da Rede conta com, pelo menos, um agente escolar.

Ainda dentro das estratégias de enfrentamento ao abandono escolar, a SME possui um termo de Cooperação Técnica para implementar ações conjuntas com as secretarias municipais da Saúde e de Direitos Humanos e do Desenvolvimento Social, e a Secretaria Estadual da Educação, para que seja assegurada, de forma permanente, a Busca Ativa de crianças e jovens fora da escola na Rede Municipal e Estadual em Fortaleza. Além disso, a cooperação promove os encaminhamentos e atendimentos pertinentes a cada instituição, com o acompanhamento do Ministério Público do Ceará e Conselho Tutelar.

Aprendizagem

Com foco na efetivação da aprendizagem, a Prefeitura oferta ainda aos alunos da Rede Municipal, além das Escolas de Tempo Integral, os Programas de Fortalecimento da Aprendizagem, que comportam atividades voltadas à melhoria da qualidade do ensino, contribuindo para elevar os índices de aprendizagem dos alunos do 1° ao 9º ano, promovendo a educação integral e integrada, articulando a educação formal com vivências artísticas, esportivas e sociais.

As atividades suplementam o conteúdo oferecido nas escolas de tempo parcial e ampliam a carga horária dos alunos em 15 horas semanais no contraturno escolar. São alguns exemplos desta iniciativa as Escolas Areninhas, Clubes Sociais, Integração Idiomas, entre outros.

Destaques de Fortaleza no Censo Escolar 2021

A capital cearense também foi destaque nos dados referentes à primeira etapa do Censo Escolar 2021, divulgados no início deste ano. No cenário nacional, Fortaleza é:

- 4ª maior rede do Brasil em número de matrículas e 1ª do Nordeste;
- Capital que mais aumentou, em números absolutos, o quantitativo de matrículas;
- 1ª capital do Brasil e 1ª do Norte e Nordeste em cobertura no atendimento em Tempo Integral;
- 2º lugar no país em números absolutos no atendimento em tempo integral;
- 3ª capital do Brasil e 1ª do Norte e Nordeste em matrículas na Educação Inclusiva;
- 1ª capital do Nordeste em matrículas na Educação Infantil.

Publicado em Educação
Manipuladores de alimentos participando de formação
A formação ocorre até 11 de junho, sempre aos sábados, em seis polos diferentes, localizados em escolas da Rede Municipal

A Prefeitura de Fortaleza realiza, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), o Curso de Formação para Manipuladores de Alimentos da Rede Municipal de Ensino. Com a participação de 1.430 profissionais de escolas, Centros de Educação Infantil e creches parceiras, a capacitação teve início no último sábado (21/05) e prossegue até o próximo dia 11 de junho, sempre durante as manhãs de sábado. A formação ocorre em seis polos diferentes, localizados em escolas da Rede Municipal.

Com o tema "Cozinhar é mais do que um serviço, é um ato de amor", a formação tem o objetivo de aprimorar e atualizar os conhecimentos dos manipuladores. O curso, de carga horária de 20 horas, aborda temáticas pertinentes ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), como explica Magda Farias, nutricionista coordenadora do PNAE no Distrito de Educação 6.

"Essa é uma capacitação que realizamos todo ano e, assim, trazemos informações atualizadas para a melhoria dos serviços, para que promovam uma refeição de qualidade, sem risco de contaminação, para nossos alunos", pontua Magda.

Entre os temas abordados na formação estão: o papel do manipulador de alimentos no PNAE, boas práticas de manipulação de alimentos, técnicas dietéticas, alimentação saudável, intolerâncias e alergias alimentares, ética e trabalho em equipe, a importância dos controles de estoque, por meio de atividades lúdicas, oficinas e rodas de conversa sobre os desafios, troca de experiências, atribuições e melhorias.

Expectativas por mais conhecimento

Manipuladores de alimentos participando de grupos de trabalho durante formação
O curso, de carga horária de 20 horas, aborda temáticas pertinentes ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)

Participando pela primeira vez da formação, Patrícia Abreu, manipuladora de alimentos da Escola Municipal Vereador José Barros de Alencar, no Jangurussu, ressalta as expectativas do aprendizado para os próximos encontros. "Espero aprender mais, saber se estou fazendo o correto, porque todo dia é uma experiência diferente na cozinha da escola", comenta.

Magna Andrade, manipuladora de alimentos da creche parceira Casinha dos Sonhos, em Messejana, destaca que a formação é essencial para o desenvolvimento das atividades diárias nas unidades escolares e o cuidado com a alimentação de cada estudante. "Tudo aqui vai nos acrescentar conhecimento. Aprendizado é sempre bom. Eu gosto muito da minha função, do contato com a criança. A gente procura fazer tudo com muito amor, porque sabemos da importância da alimentação principalmente na infância, onde muitos alunos estão tendo o primeiro contato com a comida, aprendendo a mastigar e, com cuidado, ajudamos nesse aprendizado", destaca a profissional.

Gerente da Célula de Alimentação Escolar da SME, Adriana Duarte, ressalta a importância do papel dos manipuladores de alimentos na formação de hábitos alimentares saudáveis e na qualidade nutricional das refeições ofertadas aos estudantes da Rede Municipal. "Eles são essenciais para a otimização das ações alimentares e a garantia da correta manipulação dos alimentos bem como a saúde dos estudantes", complementa.

Preparado com todo cuidado pela equipe da Célula de Alimentação Escolar da SME, o primeiro encontro da formação contou com momentos especiais dedicados aos profissionais manipuladores de alimentos, protagonistas na oferta da alimentação escolar aos alunos. Na ocasião, além da exibição de vídeo em homenagem ao trabalho desenvolvido, cada um recebeu uma carta de um aluno da Rede Municipal.

Cardápio escolar

O cardápio escolar no município de Fortaleza é elaborado pela equipe de nutricionistas, coordenadoras do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), em acordo com as recomendações estabelecidas pelas legislações do PNAE. Os cardápios escolares são elaborados com base nas necessidades nutricionais de cada faixa etária, cultura alimentar local, dentre outros fatores importantes para a boa nutrição dos estudantes.

Todas as unidades escolares são acompanhadas por nutricionistas, que monitoram não somente a qualidade da alimentação distribuída aos alunos, como também as boas práticas de manipulação de alimentos, educação nutricional, com foco na formação de bons hábitos alimentares, e avaliação nutricional dos alunos.

Publicado em Educação
Professor ministrando aula para alunos em ETI
Além de fortalecer o processo de formação continuada dos professores, a incorporação dos profissionais vem reforçar diretamente o processo de recuperação da aprendizagem dos estudantes

A Prefeitura de Fortaleza publicou, nesta quarta-feira (27/04), decreto municipal que autoriza a contratação temporária de até 100 profissionais pedagogos e/ou licenciados em áreas específicas do conhecimento para atuarem nos Programas Alfabetização na Idade Certa e de Aprendizagem na Idade Certa, iniciativa do Governo do Estado do Ceará executada em parceria com a Secretaria Municipal da Educação (SME).

Os profissionais vão atuar na formação e acompanhamento de professores da Rede Municipal, com destaque para a área da Educação Infantil e dos componentes curriculares de português e matemática do Ensino Fundamental.

A seleção dos profissionais formadores será realizada via edital, a ser publicado posteriormente. Os selecionados terão carga horária de 40h/s e remuneração de R$ 3.955,35.

Atuação

O formador atua como um professor-colaborador que auxilia na reflexão da ação docente, ajudando o professor a reconhecer elementos que precisam ser potencializados e/ou melhorados. Oferece, ainda, auxílio e apoio, orienta e desenvolve juntamente com os docentes possibilidades de intervenção, favorecendo, assim, o reconhecimento e o alcance de estratégias que promovam aprendizagens nas unidades escolares. O acompanhamento aos professores pode ser realizado em tempo pedagógico dedicado ao planejamento ou na sala de aula.

Além de fortalecer o processo de formação continuada dos professores, a incorporação dos profissionais à Rede Municipal de Fortaleza vem reforçar diretamente o processo de recuperação da aprendizagem dos estudantes, diante do contexto de possíveis perdas causadas pela pandemia da Covid e a necessária adoção do sistema remoto de ensino, em 2020 e parte do ano letivo de 2021.

PAIC

O Programa Alfabetização na Idade Certa (PAIC) foi transformado em política pública prioritária do Governo do Estado em 2007. Visa oferecer aos municípios formação continuada aos professores, apoio à gestão escolar, entre outros aspectos. Iniciou suas atividades com a meta de garantir a alfabetização dos alunos matriculados no 2º ano do Ensino Fundamental da rede pública cearense. É um programa de cooperação entre Governo do Estado e municípios cearenses com a finalidade de apoiar os municípios para alfabetizar os alunos da rede pública de ensino até o final do segundo ano do ensino fundamental.

MAIS PAIC 

Lançado em 2015, o Programa de Aprendizagem na Idade Certa (MAIS PAIC), tem como finalidade ampliar o trabalho de cooperação já existente com os 184 municípios, que, além da Educação Infantil e do 1º ao 5º ano, passou a atender também do 6º ao 9º ano nas escolas públicas cearenses. A iniciativa apoia a aprendizagem dos alunos para que sigam com sucesso, tenham bons resultados e ingressem no Ensino Médio bem preparados.

Publicado em Educação
Página 1 de 7