Ceará e Santos se enfrentam às 16h deste sábado (10/09) pela 26ª rodada do Brasileirão 2022. Para garantir um ir e vir seguro dos torcedores à Arena Castelão, 30 agentes e orientadores de tráfego estarão nas ruas já a partir de 13h. A operação da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) contará ainda com o apoio da Polícia Rodoviária Estadual (PRE).

O controle de tráfego será efetuado nos principais acessos da praça esportiva, como avenidas do Contorno, Alberto Craveiro, Paulino Rocha e rotatória do Castelão. Em diversos trechos serão distribuídos cones para induzir a redução de velocidade e conferir mais segurança aos pedestres.

Já para facilitar o fluxo de saída da partida, o canteiro central da Av. Paulino Rocha estará aberto. A medida tem sido implementada nos jogos com maior expectativa de público para melhorar a fluidez dos que seguem em direção à BR-116, Cidade dos Funcionários e Aldeota. A operação de trânsito será finalizada por volta de 20h

Recomendações

A AMC orienta os torcedores que vão acompanham o duelo que se dirijam à Arena Castelão com duas horas de antecedência. Além disso, o órgão ressalta a necessidade de reduzir velocidade devido ao maior fluxo de pedestres e, para evitar transtornos, não devem estacionar em locais proibidos, como passeios, garagens e ao lado dos canteiros, respeitando as normas de circulação viária.

Durante toda a operação, técnicos da Central da Mobilidade para Preservação de Vidas no Trânsito acompanham em tempo real as vias de acesso pelas câmeras de videomonitoramento. Viaturas também vão circular para coibir irregularidades.

O atendimento de ocorrências, como irregularidades ou sinistros no trânsito, também poderá ser solicitado à AMC pelo número 190, da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops).

Publicado em Mobilidade

Fortaleza registrou, de janeiro a agosto deste ano, 95 mortes por acidentes de trânsito. É a primeira vez, em 21 anos, que esse número fica abaixo de 100. O resultado histórico confirma a eficácia de políticas públicas de mobilidade implementadas pela Prefeitura de Fortaleza nos últimos anos para uma maior segurança viária.

Se comparado com as 255 mortes registradas no trânsito da Capital em 2001, quando teve início a série histórica, o número é inferior 62,5%. Já em relação ao mesmo período do ano passado, a redução foi de 26,4%.

Os motociclistas lideram a quantidade de mortes com 55% dos casos, seguindo por pedestres (37%), ciclistas (4%) e ocupantes de automóvel (4%).

“A análise dos dados norteia a tomada de decisões nas áreas de engenharia, fiscalização preventiva e educação para o trânsito. Assim, focamos as ações para os públicos que mais se envolvem em sinistros e, consequentemente, são os mais lesionados e perdem a vida”, destaca o superintendente da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Antônio Ferreira Silva.

Conscientização no trânsito

Para incentivar uma conduta segura por todos que compartilham o trânsito e aumentar a segurança viária, os principais meios de comunicação veiculam campanhas da AMC sobre os riscos de beber e dirigir ao longo deste mês. Nos próximos dias, o uso do celular ao volante será o foco de uma nova ação.

Já nas redes sociais do órgão, o influencer Rodrigo Mussi protagoniza uma série de episódios sobre o respeito às normas de circulação viária, como obediência aos limites de velocidade e o uso do cinto de segurança. Em março deste ano, o modelo ficou em estado de saúde crítico após grave acidente. Ele não utilizava o cinto no banco traseiro. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o uso do item no banco de trás pode reduzir em 75% a probabilidade de morte em sinistros de trânsito.

Trânsito menos violento há sete anos consecutivos

Fortaleza está no caminho para chegar ao oitavo ano seguido de redução de mortes no trânsito. Em 2021, a Capital registrou 184 mortes registradas nas vias da cidade ou uma taxa de mortalidade de 6,8 para cada 100 mil habitantes. O número é 51% menor em relação ao ano de 2014, que contabilizou 377.

Publicado em Mobilidade
criança andando de bicicleta
O Minicircuito de Bike Infantil conscientiza sobre as normas de circulação (Foto: Marcos Moura)

Agentes de trânsito vão levar, nesta terça e quarta-feira (30 e 31/08), diversas atividades que incentivam a adoção de boas práticas no trânsito a estudantes da Escola Municipal de Tempo Integral Guiomar da Silva Almeida. Desenvolvido pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), o projeto AMC nas Escolas tem como objetivo reforçar, desde a infância, os direitos e deveres no trânsito, alertando para a segurança viária e o respeito entre os diversos modais.

As boas práticas serão repassadas em sala de aula por meio de abordagens lúdicas, como jogos de tabuleiro e o Minicircuito de Bike Infantil, para conscientizar sobre as normas de circulação. Outras atividades pedagógicas, como teatro de fantoches, também vão reforçar os cuidados adotados ao se deslocar.

“Esta iniciativa reafirma que a educação para o trânsito é um dos pilares da atuação da AMC. Se todos adotarem um comportamento seguro quando se desloca, vamos cada vez mais reduzir a ocorrência de sinistro nas vias e preservar vidas”, destaca Antônio Ferreira Silva, superintendente do órgão.

Projeto AMC nas Escolas
Data: terça e quarta-feira (30 e 31/08)
Horário: de 8h
Local: Escola Municipal de Tempo Integral Guiomar da Silva Almeida (Rua Perolina de Morais, 449 - Paupina)

Publicado em Mobilidade
a imagem mostra uma avenida de fortaleza
Para fortalecer a segurança viária, Fortaleza tem cerca de 50 vias com velocidade readequada de 60 km/h para 50 km/h (Foto: Marcos Moura)

As políticas públicas integradas de segurança viária, implementadas pela Prefeitura de Fortaleza, seguem alcançando resultados históricos para o trânsito da cidade e salvando vidas. No período de janeiro a junho deste ano, 68 mortes foram registradas nas vias da capital, uma redução de 23% em relação ao mesmo período de 2021. O quantitativo é também o melhor índice desde o início da série histórica, em 2001. Os dados são da Plataforma Vida, da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

“Não celebramos números porque nenhuma morte no trânsito é aceitável. Por isso, precisamos que a população faça sua parte ao passo que seguiremos trabalhando em infraestruturas viárias mais seguras e reforçando as ações educativas e de fiscalização preventiva para melhorar o comportamento de todos no trânsito”, destaca Antônio Ferreira Silva, superintendente da AMC.

Os motociclistas representam mais da metade das mortes no período, com 55%, enquanto que os pedestres, com 37%, também estão entre os mais vulneráveis. Ciclistas representaram 4% das mortes, assim como ocupantes de veículos de quatro rodas.

Políticas públicas que salvam

A recorrente diminuição de mortes provocadas por sinistros de trânsito é resultado de medidas adotadas pela gestão municipal, divididas em três eixos principais: engenharia de tráfego, educação e fiscalização preventiva.

Para fortalecer a segurança viária, Fortaleza tem cerca de 50 vias com velocidade readequada de 60 km/h para 50 km/h. A medida reduz a gravidade dos sinistros e garante a segurança de todos os usuários que compartilham o trânsito. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a redução da velocidade em 10 km/h aumenta em dez vezes a possibilidade de uma pessoa atropelada sobreviver.

Os educadores de trânsito da AMC seguem diariamente nas ruas dialogando e distribuindo materiais educativos, alertando sobre os riscos de beber e dirigir, e o respeito à sinalização e limites de velocidade. Cursos que orientam quanto a uma conduta mais segura aos mais vulneráveis, como motociclistas e ciclistas, também seguem abertos.

Também para incentivar a adoção de um comportamento seguro no trânsito, a AMC realizou mais de 800 comandos de fiscalização preventiva. Essas operações, também segundo estudo da OMS, podem reduzir em até 18% o número de mortes no trânsito.

Trânsito menos violento por sete anos consecutivos

Em 2021, Fortaleza chegou ao sétimo ano seguido com redução de óbitos no trânsito. Foram 184 mortes registradas nas vias da cidade ou uma taxa de mortalidade de 6,8 para cada 100 mil habitantes. O número é 51% menor em relação ao ano de 2014, que contabilizou 377.

Plano de segurança viária

Para consolidar as políticas públicas que contribuem com a redução do número de mortes no trânsito, o prefeito José Sarto sancionou no final de junho a lei que cria o Plano Municipal de Segurança no Trânsito. O plano torna Fortaleza a primeira capital do país a criar uma lei municipal sobre o tema.

O objetivo é institucionalizar e aperfeiçoar as políticas de prevenção a acidentes, assegurando que os avanços obtidos sejam continuados e a taxa de óbitos no trânsito caia para a metade no prazo de dez anos.

O plano está alinhado com as abordagens de Sistemas Seguros e de Visão Zero e preconiza que nenhuma morte no trânsito é aceitável. Além disso, prevê que a responsabilidade pela segurança viária deve ser compartilhada entre poder público e sociedade, considerando que o ser humano é vulnerável e comete erros.

Publicado em Mobilidade

Para garantir um deslocamento mais seguro aos ciclistas e conectividade à malha cicloviária de Fortaleza, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) inicia a sinalização de uma nova ciclofaixa. A Rua Cônego Lima Sucupira será contemplada pela infraestrutura, que começou a ser sinalizada nesta terça-feira (14/06).

Com um quilômetro de extensão, a sinalização é localizada no lado esquerdo da via entre a Av. Germano Franck e a Rua Dr. Justa Araújo, e interligará os bairros Serrinha, Itaoca e Parangaba.

Com a conclusão, a infraestrutura será conectada com a ciclovia da Av. Germano Franck e com as ciclofaixas das ruas Governador João Carlos e Dr. Justa Araújo. Além disso, será integrada à rede de ciclofaixas em implantação no bairro Serrinha e entorno.

Via com sentido único

A Rua Cônego Lima Sucupira também terá renovada toda a sinalização horizontal e vertical. A medida também contempla a mudança da via para sentido único oeste-leste (Parangaba-Serrinha), entre Rua Iara e Rua Dr. Justa Araújo.

“A ideia é melhorar o ordenamento do tráfego e a segurança na travessia de pedestres e ciclistas, além de reduzir os conflitos nos cruzamentos”, destaca Antônio Ferreira Lima, superintendente da AMC.

Para quem trafegava no sentido oposto (Serrinha-Parangaba), a nova opção é utilizar o corredor formado pelas Ruas Dr. Justa Araújo/Júlio Verne. A nova configuração do corredor e a complementação do binário também se apresentam como rota alternativa ao tráfego de passagem da Avenida Silas Munguba.

Malha cicloviária

Com essa implantação, Fortaleza passa a ter 412,5 km de malha cicloviária, sendo 130,9 km de ciclovias, 268,2 km de ciclofaixas, 11,7 km de ciclorrotas e 1,7 km de passeio compartilhado. A meta do prefeito José Sarto é finalizar a gestão com um total de 500 km de malha cicloviária.

De acordo com o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil), Fortaleza é a capital brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária. Mais de 50% dos habitantes moram a menos de 300 metros de alguma ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota ou passeio compartilhado.

Publicado em Mobilidade

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), abre as inscrições para o Seminário de Preservação de Vidas no Trânsito. O evento, que visa apresentar estratégias e soluções em segurança viária, acontece nos dias 26 e 27 de maio, no Cuca Pici. Os interessados devem se inscrever gratuitamente no canal Mobilidade Fortaleza.

O seminário é voltado a técnicos de órgãos e secretarias de trânsito do estado, universitários e especialistas em mobilidade urbana. "Vai ser um momento enriquecedor de intercâmbio de informações com palestras e debates sobre as boas práticas de redução de acidentes. Fortaleza é referência no assunto por reduzir a cada ano o índice de mortes no trânsito", ressalta Antônio Ferreira, superintendente da AMC.

Dentre os temas, serão apresentadas ações de educação e fiscalização preventiva com foco nos principais fatores de risco, otimização dos semáforos inteligentes na gestão de tráfego, desenho urbano e sinalizações inovadoras, além da perspectiva global de segurança no trânsito.

Na oportunidade, será lançado também o Relatório Anual de Segurança Viária e haverá a entrega do Prêmio AMC de Mobilidade Urbana voltado a alunos da Rede Pública de Ensino.

Preservação de vidas

Fortaleza obteve uma redução histórica no número de mortes no trânsito no primeiro quadrimestre de 2022, sendo o menor índice desde 2001. Entre janeiro e abril deste ano foram registradas 37 mortes em vias da capital. O índice representa uma queda de 62,8% em relação à média do mesmo período das últimas duas décadas.

Em 2021, a Capital chegou ao sétimo ano seguido com redução de óbitos no trânsito. Foram 184 mortes registradas nas vias da cidade ou uma taxa de mortalidade de 6,8 para cada 100 mil habitantes. O número é 51% menor em relação ao ano de 2014, que contabilizou 377.

Publicado em Mobilidade

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) implanta, na noite desta quarta-feira (18/05), sentido duplo na Rua Tereza Hinko, no trecho compreendido entre a Rua Senador Machado e Av. Beira-Mar, no Mucuripe. Agentes do órgão darão suporte operacional à intervenção enquanto os serviços são realizados.

O objetivo da medida é facilitar os deslocamentos e o acesso dos moradores. Cabe aos motoristas ficar atentos e respeitar as novas regras de circulação, contribuindo para um trânsito mais seguro.

Para solicitar sinalização horizontal, vertical e semafórica, os munícipes devem formalizar o pedido de forma on-line pelo site amctransito.com.br ou aplicativo AMC Trânsito. Caso prefiram o atendimento presencial, os canais presenciais são a Central de Atendimento do órgão, que fica na Cidade dos Funcionários, Vapt-Vupt de Messejana e Antônio Bezerra, Casa do Cidadão do Shopping Iguatemi Bosque e Central da Cidadania na Câmara Municipal de Fortaleza.

Publicado em Mobilidade
ciclistinha
A versão infantil das plaquinhas que incentivam o respeito aos ciclistas também serão distribuídas (Foto: Rodrigo Carvalho)

A Prefeitura de Fortaleza realizará diversas atividades educativas no Parque Rachel de Queiroz, um dos pontos de apoio da Ciclofaixa de Lazer. O evento ciclístico chega a mais a 338ª edição neste domingo (15/05) com três rotas para passeio de bike de 6h às 12h.

Os ciclistas que passarem pelo parque localizado no bairro Presidente Kennedy poderão receber as plaquinhas que incentivam o respeito aos usuários do modal. A novidade é a plaquinha “Respeite o Ciclistinha”, voltada para as crianças. Para receber os itens, que também serão distribuídas nas versões para adultos, é só comparecer com a bicicleta a partir de 8h.

Educadores da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) também montarão no local o Minicircuito de Bike Infantil e jogo de tabuleiro gigante para o trânsito, atividades que estimulam os pequenos a respeitarem as normas de circulação viária. Já a Secretaria Regional 3 ofertará ainda diversas outras atividades para a população.

Agentes da AMC, da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e da Guarda Municipal de Fortaleza darão suporte aos usuários de bike ao longo das três rotas, que estarão disponíveis de 6h às 12h.

Rota leste

A rota leste sairá do início da ciclovia da Avenida Washington Soares em direção à Cidade da Criança, passando pelo ponto de apoio do Anfiteatro do Parque do Cocó. O percurso seguirá pela Av. Sebastião de Abreu até a Rua Andrade Furtado, seguindo pela Av. Padre Antônio Tomás, Av. Senador Virgílio Távora, Av. Antônio Justa, Av. Abolição, Av. Beira-Mar (podendo acessar pela ciclovia paisagística para o Mercado dos Peixes), Av. Historiador Raimundo Girão, Av. Alberto Nepomuceno, Rua Dr. João Moreira, Rua Floriano Peixoto, Rua Pedro Pereira até a Cidade da Criança.

Rota oeste

A rota oeste vai ligar o Parque Rachel de Queiroz, no bairro Presidente Kennedy, à Cidade da Criança e à Av. Beira-Mar. O circuito passará pela Rua Braz de Francesco, Av. Bezerra de Menezes, Rua Justiniano de Serpa, Av. Domingos Olímpio, onde poderá se conectar com a rota sul, pela Rua General Sampaio, seguindo pela Rua Pedro Pereira até a Cidade da Criança ou seguir até a Rua Carlos Vasconcelos em direção à Av. Beira-Mar (ciclovia paisagística), onde se conectará com a rota leste, em direção à Cidade da Criança ou ao Parque do Cocó.

Rota sul

A rota sul vai ligar a Praça da Igreja Nossa Senhora Aparecida, no bairro Montese, à Cidade da Criança. O percurso partirá da Av. Professor Gomes de Matos, Rua Jorge Dumar, Av. Eduardo Girão, Av. da Universidade, Av. Domingos Olímpio - onde se conectará com a rota oeste, em direção a Av. Beira-Mar (ciclovia paisagística), Rua Carlos Vasconcelos, Rua General Sampaio, Rua Pedro Pereira seguindo para a Cidade da Criança e se conectando à rota leste em direção a Av. Beira-Mar e ou ao Parque do Cocó.

Publicado em Mobilidade
Escola Minicircuito
O Minicircuito de Bike Infantil, que incentiva o respeito às normas de circulação viária, é uma das atividades realizadas pelo projeto "AMC nas Escolas" (Foto: Marcos Moura)

Como parte da programação do movimento Maio Amarelo, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) reforça as ações junto a comunidade para uma maior conscientização sobre um comportamento seguro no ir e vir da cidade. Uma dessas atividades se dá com o projeto AMC nas Escolas, que será realizado na Escola Municipal Marieta Cals, no bairro Conjunto Palmeiras, nesta terça-feira (03/05), de 14h às 17h, e quarta-feira (04/05), de 8h às 11h.

O projeto visa reforçar desde a infância os direitos e deveres no trânsito, alertando para o respeito entre os diversos modais e a segurança. A iniciativa leva em consideração ainda que a educação para o trânsito é uma das principais ações para redução de riscos nas vias, tendo em vista seu potencial preventivo baseado na mudança comportamental.

“A ideia é incentivar crianças e adolescentes a se portarem adequadamente no ato de transitar pelas ruas e avenidas de nossa cidade prevendo, antecipadamente, possíveis situações de risco à segurança. Além disso, estimulá-las a desenvolverem sua autonomia e exercerem a cidadania”, destaca o superintendente da AMC, Antônio Ferreira Silva.

Atividades

O projeto AMC nas Escolas vai levar à instituição de ensino diversos cuidados e boas práticas no trânsito por meio de abordagens lúdicas, como jogos de tabuleiro e teatro de fantoches. Um minicircuito de bicicleta infantil também será montado por agentes da AMC para os estudantes vivenciarem a experiência no trânsito, com a simulação de ruas e de placas de sinalização. O intuito é reforçar o cumprimento às normas de circulação viária.

Haverá ainda outras atividades pedagógicas que reforçam os cuidados adotados ao se deslocar com foco em temáticas, como mobilidade e acessibilidade.

Serviço:
AMC nas Escolas
Data:
03/05 (terça-feira) - de 14h às 17h
04/05 (quarta-feira) - de 8h às 11h
Local: Escola Municipal Marieta Cals - Av. Val Paraíso, 160 - Conjunto Palmeiras

Publicado em Mobilidade

O projeto Bike sem Barreiras, realizado pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), em parceria com a Uninassau, terá mais uma edição aberta à população neste sábado (05/03). O objetivo é contribuir para a promoção de lazer e inclusão a pessoas com mobilidade reduzida, deficientes físicos ou autistas.

Os interessados devem comparecer, de 8 às 12h, na Praia de Iracema, e apresentar documento de identificação com foto. A tenda do programa funciona ao lado do Centro Cultural Belchior e em frente ao projeto Praia Acessível.

São três modelos diferentes de bicicletas adaptadas. Uma handbike, que é um triciclo adaptado para ser pedalado com as mãos; uma bicicleta dupla, pedalada por uma pessoa com deficiência visual e pelo monitor ou acompanhante; e a 'The Duet', uma bicicleta adaptada com uma cadeira de rodas no lugar da roda dianteira, voltada para usuários com tetraplegia ou deficiência múltipla com até 120 quilos.

Rota Acessível

O Bike sem Barreiras faz parte do projeto-piloto Rota Acessível. Idealizado pela Coordenadoria Especial da Pessoa com Deficiência (Copedef), vinculado à Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), em parceria com a Secretaria Municipal da Gestão Regional (Seger), a iniciativa é um projeto de configuração de rotas totalmente acessíveis, que podem ser utilizadas por pessoas com diferentes deficiências.

Para a estruturação do projeto, estão sendo implementadas melhorias para tornar a Capital mais acessível, inicialmente no primeiro trecho da rota, que vai do Mercado dos Peixes (Meireles) ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Praia de Iracema). A adaptação inclui calçadas largas, rampas de acesso, trânsito calmo e sinalização adequada.

Conforme o titular da Copedef, Emerson Damasceno, essas iniciativas vêm buscando incluir também uma parcela dos mais de 200 mil fortalezenses que têm algum tipo de deficiência. “Por isso, a nossa coordenadoria vem trabalhando de forma incansável para eliminar as barreiras ainda existentes, que retiram das pessoas com deficiência uma condição de igualdade. Queremos tornar os espaços públicos mais acessíveis, garantindo lazer, desporto e demais direitos às PCDs”.

Publicado em Mobilidade
Página 1 de 4