Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado anualmente em 5 de junho, a Prefeitura de Fortaleza realiza neste domingo (16/06), a partir das 7h, o Passeio Ciclístico com tema “Saúde única: um equilíbrio entre Saúde Humana, Animal e Meio Ambiente”. A programação é gratuita, aberta ao público, e vai partir da Areninha do Jardim União.

A iniciativa é da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), por meio da Célula de Vigilância Ambiental e Riscos Biológicos (Cevam), e conta com o apoio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Guarda Municipal e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Além do Passeio, o evento também contará com diversos serviços gratuitos, como exames de calazar, vacinação antirrábica e educação em saúde, atividades esportivas, atividades para crianças e aula de zumba.

Para participar, os interessados podem levar a bicicleta de casa ou alugar no local do evento. Entre as orientações, é recomendada a utilização de roupas leves e confortáveis, uso de protetor solar e boné, além de garrafas de água para se manter hidratado. Pessoas menores de idade devem estar acompanhadas por um responsável.

“Este será um dia de saúde, lazer e consciência ambiental, enquanto pedalamos pelas ruas da nossa cidade. O nosso objetivo é convidar a população a viver essa experiência conosco e demonstrar o compromisso com a preservação do meio ambiente”, ressalta Nélio de Morais, coordenador de Vigilância em Saúde.

Confira o itinerário do Passeio Ciclístico

Local de partida: Praça da Areninha do Jardim União 01 – próximo a Clínica Jacó

Trajeto: Avenida da Areninha → Rua Menor Jerônimo → Avenida dos Paroaras → Avenida Presidente Juscelino Kubitschek → Rotatória Castelão → Avenida Alberto Craveiro → Retorno no Reserva Jardim Condomínio → Avenida Alberto Craveiro → Rotatória Castelão → Avenida Presidente Juscelino Kubitschek → Avenida Paroaras → Rua Menor Jerônimo → Avenida da Areninha

Serviço
Passeio Ciclístico em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente
Data: 16/06 (domingo)
Horário de concentração: 7h
Local de partida: Avenida Dois de Maio, 1116 - Praça da Areninha do Jardim União 01 – próximo à Clínica Jacó (Passaré)

Publicado em Saúde
grupo de pessoas posa para a foto
Ação ocorreu no último sábado (08/06)

Na semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente e o Dia Mundial dos Oceanos, a Prefeitura de Fortaleza instalou uma ecobarreira com objetivo de realizar a contenção de rejeitos no leito do riacho localizado no Grande Bom Jardim, a fim de limpar e promover a recuperação do corpo hídrico. Também foram realizados testes de qualidade da água e coleta de resíduos sólidos às margens do curso d’água. A iniciativa faz parte do Movimento Fortaleza Limpa e também integra o projeto Caminhos Verdes e Azuis - Microurbanismo Experimental, conduzido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento (Ipplan Fortaleza) com apoio técnico do Ministério das Cidades e da Cooperação Brasil-Alemanha GIZ.

A ecobarreira foi instalada no sábado (08/06), de forma conjunta com o Instituto Winds for Future, que, desde 2019, vem mobilizando kitesurfistas e a comunidade em torno da limpeza de praias e cursos d'água. A ação integrada ressalta a importância da união de esforços no combate às mudanças climáticas e na promoção da resiliência urbana, garantindo que os rios poluídos não transportem lixo para o mar.

Segundo Larissa Menescal, todas as atividades realizadas envolveram pedagogia urbana, um dos principais eixos do projeto Caminhos Verdes e Azuis para a conscientização sobre o cuidado com o meio ambiente. “Quando a gente vem pra cá e traz tanta gente, na verdade nós estamos aprendendo com a comunidade local, aprendendo com os técnicos e compartilhando as informações para construirmos de forma coletiva uma transformação urbana sustentável”, disse.

De acordo com a diretora de Planejamento do Ipplan Fortaleza, Laura Janka, o momento foi a continuação de uma intervenção com, para e da comunidade. “É uma estratégia de impacto e de monitoramento de infraestruturas verdes e azuis (cobertura vegetal e águas) e da vida comunitária do Bom Jardim. As atividades no espaço começaram há alguns meses, por meio do projeto Caminhos Verdes e Azuis, promovendo oficinas de pedagogia urbana junto à população”, afirmou.

Participaram da atividade o vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista; o coordenador especial de Políticas sobre Drogas, Erasmo Teka Lenz César; além de técnicos do Ipplan Fortaleza, das secretarias municipais de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), da Secretaria Executiva Regional 5, da Agência de Desenvolvimento da Economia do Mar de Fortaleza (Ademfor), da Ecofor Ambiental, do Movimento Fortaleza Limpa e do Re-ciclo.

Ecobarreira, análise da água e coleta de lixo

A ecobarreira atravessa o riacho de uma margem à outra para reter todo o material carreado pelas águas que se acumula no leito e nas margens dos rios até, em algum momento, chegar ao mar. O equipamento flutuante também vai ajudar a fornecer dados sobre tipos de resíduos despejados, o que orientará futuras estratégias para recuperação do riacho.

Durante a ação, foram realizados dois testes de qualidade da água, comparando seu estado antes e depois da instalação da ecobarreira. Houve, ainda, distribuição de mudas em troca de materiais recicláveis. "É mais uma iniciativa louvável da Prefeitura de Fortaleza para ampliar a conscientização da população para a necessidade de manter limpos os recursos hídricos da nossa cidade", destacou a titular da Seuma, Luciana Lobo.

Em relação à coleta de lixo, somente no dia da ação, foram recolhidos 600 litros de resíduos, que foram separados e entregues à equipe do Re-ciclo. 

Caminhos Verdes e Azuis

O projeto Caminhos Verdes e Azuis é uma intervenção urbana, ambiental e social de alta qualidade no espaço público, inicialmente em riacho no Grande Bom Jardim, contemplando pedagogia urbana, soluções baseadas na natureza e geração de dados para medir e avaliar o impacto das transformações, considerando as perspectivas de gênero e idade.

O trecho selecionado para a iniciativa é um piloto. Espera-se expandir as metodologias do projeto para outros cursos d’água na Capital. Fortaleza possui, ao todo, 37 km de rios canalizados.

De 05 a 07 de junho, o Ipplan Fortaleza participou de uma série de reuniões acerca do projeto. Os encontros reuniram membros do Instituto, da Cooperação Brasil-Alemanha GIZ, das consultorias GOPA Worldwide e Grupo MYR e de outras entidades envolvidas na iniciativa, além de moradores.

Estefanie reside no entorno da localidade e participou de alguns momentos. Ela ressaltou a importância do projeto para toda a comunidade. “Esse projeto vem com um sonho. Quem mora dentro da comunidade, sabe que é muito importante. É um sonho poder dar um lazer para as nossas crianças, mais qualidade de vida, e possibilitar empreendimento para as mulheres da comunidade”.

Publicado em Meio ambiente

A Prefeitura de Fortaleza agora faz parte da rede global C40 Cities, organização que reúne mais de 100 cidades do mundo para o enfrentamento à crise climática. A conquista foi divulgada nesta terça-feira (19/03). A assinatura do acordo ocorre no início do mês de abril, em evento no auditório do Paço Municipal, com a presença do diretor regional da C40 para a América Latina, Ilan Cuperstein.

O grupo de prefeituras está empenhado em utilizar uma abordagem inclusiva e colaborativa, baseada em evidências, para reduzir as emissões de gases de efeito estufa até 2030, a fim de limitar o aumento da temperatura do planeta a 1,5ºC, conforme orienta o Acordo de Paris.

Segundo o prefeito José Sarto, Fortaleza dá mais um grande passo no compromisso com o enfrentamento à crise climática. “Já temos empenhado esforços para avançar no plano de arborização de Fortaleza, para melhorar a gestão de resíduos sólidos, para incentivar cada vez mais o uso de bicicletas, para estimular uma economia cada vez mais justa e sustentável, para monitorar a qualidade do ar e também para pensar e implantar novas políticas. Isso é zelar pela qualidade de vida da população e também promover a inclusão social. Integrar essa rede global de cidades vai fortalecer nossas ações com esse objetivo, engajando diversas áreas da gestão sob a liderança do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor)".

Para a adesão, são avaliados o avanço do município quanto às ações implementadas e aos acordos climáticos firmados, além da governança climática da cidade. Também é considerada a capacidade de articulação com secretarias, órgãos, fundações e autarquias municipais. Esse trabalho é realizado pelo Iplanfor e pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Seuma), que conduzem iniciativas com foco na justiça climática desde 2021, quando Fortaleza aderiu ao Fórum de Ações Climáticas Inclusivas (ICA) da C40. Receberam destaque projetos e ações da Prefeitura de Fortaleza nos setores de mobilidade ativa, energias renováveis, qualidade do ar e gestão de resíduos sólidos.

“O Iplanfor e toda a Prefeitura de Fortaleza estão empenhados em garantir bem-estar e qualidade de vida para a população. Integrar a rede global C40, portanto, é mais uma demonstração desta gestão com o fortalecimento da diplomacia entre cidades e com a redução de desigualdades. Promover a integração de políticas públicas resilientes ao clima é o caminho para prosperar na economia, na inclusão social e na sustentabilidade ambiental”, afirma o vice-prefeito e superintendente do Iplanfor, Élcio Batista.

"Nós temos a certeza de que Fortaleza, com sua representatividade, como hoje a maior cidade do nordeste brasileiro, que vem crescendo de forma integrada à agenda climática, pensando em adaptação em zonas vulneráveis, em ações contra grandes impactos climáticos, como enchentes, inundações urbanas e avanço do nível do mar, é uma liderança importante em mobilidade ativa, energias renováveis, áreas verdes e soluções baseadas na natureza", complementa Ilan Cuperstein. 

Além da capital cearense, outras quatro cidades brasileiras integram a rede mundial: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR) e Salvador (BA). Todos os municípios são avaliados periodicamente conforme os padrões de liderança da C40.

Padrões de liderança C40

Para fomentar a participação ativa e o engajamento de lideranças em questões climáticas por parte das cidades-membro da C40, foi elaborado um conjunto de princípios para orientar o cumprimento das políticas estabelecidas pela rede. As diretrizes são organizadas em cinco eixos: Planejamento, Execução, Promoção, Inovação e Liderança.

Para assegurar a adesão aos padrões de liderança, as cidades-membro devem cumprir todos os requisitos anuais e predefinidos até o término de 2024. Para os novos membros da rede, como é o caso de Fortaleza, no entanto, será concedido um prazo de dois anos a partir da data de anuência.

A adesão à rede C40 não implica em custos para a cidade e oferece benefícios como acompanhamento das ações climáticas, acesso a novas parcerias externas, assistência técnica regional ou global e oportunidades de financiamento, além da possibilidade de concorrer a uma posição no Comitê Diretor da rede global ou participar de eleições para este comitê.

Planejamento e enfrentamento à emergência climática

Para desenvolver e acompanhar as políticas de enfrentamento à emergência climática, o Iplanfor criará a Assessoria de Planejamento Climático na estrutura da autarquia. Outra ação, ainda em 2024, será a elaboração do Plano Municipal de Adaptação e Resiliência às Mudanças Climáticas, dentro da revisão do Plano Fortaleza 2040, com cenários e previsões estratégicas para orientar os tomadores de decisões em ações de médio e longo prazo. Este dispositivo terá como base a Análise de Riscos e Vulnerabilidade Climática de Fortaleza (ARVC), que também será elaborada neste ano, por meio de parceria com organizações como o ONU-Habitat.

Outras pastas da gestão municipal também estão envolvidas no tema, como a Defesa Civil e a Agência de Desenvolvimento da Economia do Mar de Fortaleza (Ademfor), que devem abordar os principais riscos climáticos, especialmente aqueles relacionados a alagamentos e ao aumento do nível do mar. A Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) garantirá o alinhamento com o Plano Local de Ações Climáticas (PLAC).

De acordo com Dalila Menezes, que assumirá a Assessoria de Planejamento Climático do Iplanfor, é urgente o enfrentamento à crise climática. Segundo a engenheira ambiental, deve haver um planejamento estratégico robusto, baseado em dados científicos e focado na adaptação de Fortaleza a eventos extremos. “O desafio que temos pela frente é enorme, portanto, é crucial que o Iplanfor articule o trabalho em cooperação com as demais secretarias municipais, além de buscar ativamente parcerias internacionais que nos apoiem nessa missão.”

Políticas públicas como o Re-Ciclo (plataforma gratuita de coleta de recicláveis), os microparques em áreas mais sensíveis da cidade, a implementação de equipamentos para monitorar a qualidade do ar e o projeto Caminhos Verdes e Azuis (requalificação de riacho no Grande Bom Jardim) são exemplos do compromisso da gestão com o desenvolvimento urbano sustentável, a redução de desigualdades e a promoção de justiça climática.

A adesão à campanha global Race to Zero, para zerar as emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050; ao programa Cidades Resilientes 2023 e ao Pacto de Prefeitos pelo Clima e Energia também são algumas iniciativas de destaque, além dos acordos de cooperação com o ONU-Habitat.

“Os riscos afetam todos nós, e do mesmo jeito que estão diretamente vinculados à vulnerabilidade dos territórios, também estão relacionados às nossas capacidades de resposta e de mudança cultural enquanto poder público e sociedade”, destaca a diretora de Planejamento do Iplanfor, Laura Janka.

Publicado em Meio ambiente
Registro fotográfico mostra, à esquerda, o vice-prefeito de Fortaleza, Élcio Batista; e, à direita, o presidente da Câmara Municipal de Sines, Nunu Mascarenhas. Ambos estão em pé, atrás de uma bancada de madeira, e seguram os documentos que simbolizam o acordo firmado. Élcio usa um paletó de cor azul-claro, quadriculado, e Nuno usa um terno de cor azul-escuro. Atrás dos dois, há uma parede de mármore, cinza. Em cima da bancada, há garrafas e copos com água.
Parceria foi firmada na última sexta-feira (23/02), encerrando agenda institucional do vice-prefeito Élcio Batista por cidades lusófonas (Foto: Câmara Municipal de Sines)

A Prefeitura de Fortaleza assinou acordo de cooperação com a Câmara Municipal de Sines, em Portugal, para ações conjuntas com foco no desenvolvimento urbano sustentável e tecnológico. A parceria foi firmada na última sexta-feira (23/02), encerrando agenda institucional do vice-prefeito e superintendente do Instituto de Planejamento (Iplanfor), Élcio Batista, por cidades lusófonas.

“São duas regiões com características similares, ambas possuindo portos e um grande potencial para se tornarem centros tecnológicos e berços de talentos na economia criativa e tecnológica”, afirmou Batista.

Outras alianças também foram celebradas entre a Prefeitura de Fortaleza e as cidades de Lisboa e Luanda para o planejamento bilateral nas áreas de desenvolvimento urbano sustentável, habitação social, mobilidade urbana e microurbanismo experimental, entre outras.

Intercâmbio de boas práticas

A série de compromissos institucionais por municípios da Europa e da África foi iniciada na quinta-feira (18/02) e incluiu, ainda, reunião em Maputo, em Moçambique.

Segundo o gestor cearense, os acordos preveem intercâmbio de boas práticas, visitas técnicas e implementação de programas e projetos conjuntos.

Além de estabelecer cooperações, Élcio Batista e a assessora de Assuntos Institucionais, Joana Nogueira, apresentaram iniciativas inovadoras desenvolvidas na capital cearense, como os postos de saúde itinerantes e os Tuk-tuks dos Remédios, que fazem parte do programa Vem Saúde.

A agenda é fruto de diálogos iniciados em novembro de 2023, quando Fortaleza foi sede da XXXIX Assembleia Geral da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA).

Publicado em Meio ambiente
A fotografia mostra representantes de diversas instituições posando para a imagem. Alguns estão em pé, outros estão de cócoras. Alguns seguram dados coloridos que representam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Ao fundo, está o bosque do Paço Municipal de Fortaleza.
Grupo será responsável pelas deliberações sobre intervenções urbanas em território do Grande Bom Jardim (Foto: Beatriz Bley)

A Prefeitura de Fortaleza recebeu, segunda e terça-feira (22 e 23/01), membros do Ministério das Cidades e da Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, para a primeira visita técnica do Projeto Cidade Presente.

A capital cearense é um dos seis municípios brasileiros selecionados pela iniciativa, dentre 170 propostas de 23 estados inscritos, para receber consultoria técnica e aporte financeiro do programa, cujo objetivo é promover a integração de setores e atores urbanos para implementar soluções que melhorem a qualidade de vida nas cidades, especialmente de grupos vulneráveis, em prol de justiça climática.

Em Fortaleza, será desenvolvido o projeto Caminhos Verdes e Azuis - Microurbanismo experimental unindo pessoas, natureza e tecnologia por uma cidade mais justa, integrada, inclusiva e sustentável, liderado pelo Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor) e construído conjuntamente com outras pastas municipais e com a Universidade Federal do Ceará (UFC).

A iniciativa propõe melhorias urbanas, a partir do conceito de Soluções baseadas na Natureza (SbN), em uma nanobacia hidrográfica situada no Grande Bom Jardim. O local possui um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) de Fortaleza e apresenta alto adensamento e habitações vulneráveis.

As intervenções serão feitas junto ao Programa de Infraestrutura em Educação e Saneamento de Fortaleza (Proinfra). O objetivo é comparar indicadores em áreas que receberam as modificações realizadas pelo Proinfra (com pavimentação em piso intertravado, calçadas e sistema de drenagem) com trechos beneficiados tanto pelo programa como pelo projeto Caminhos Verdes e Azuis.

Segundo o vice-prefeito de Fortaleza e superintendente do Iplanfor, Élcio Batista, a proposta é inovadora. “Será uma experiência de laboratório urbano para a realização de intervenções com foco nas pessoas e na redução de desigualdades sociais, econômicas e territoriais. O Caminhos Verdes e Azuis tem como foco a promoção da justiça climática, com pequenas mudanças de alto impacto e com potencial de ser sistematizado e escalonado em território ampliado e/ou em outras regiões”, afirma.

Programação

No primeiro dia de visita, foi realizada uma reunião de apresentações institucionais no Paço Municipal. Participaram do encontro representantes do Gabinete do Prefeito, do Iplanfor e das secretarias municipais do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), da Infraestrutura (Seinf), do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), da Gestão Regional (Seger), da Executiva Regional 5 e da Coordenadoria Especial de Programas Integrados (Copifor). Também estiveram presentes membros da Secretaria Nacional de Periferias (Ministério das Cidades), da GIZ, da UFC e da Consultoria Myr. Em seguida, um pequeno grupo visitou o território onde o projeto será desenvolvido.

No dia seguinte, foram realizadas, na sede do Sebrae Ceará, no Centro da Capital, oficinas técnicas e a construção colaborativa de planos de trabalho e de ação. Um cronograma de atividades será definido posteriormente.

“A visita a Fortaleza consolida os laços da nossa cooperação e nos abre para construir caminhos conjuntos, a fim de enfrentar os desafios que se colocam nas cidades. O projeto Caminhos Verdes e Azuis, muito mais do que proporcionar infraestrutura para a comunidade do Bom Jardim, elucida a necessidade de aprimorar a coesão social, o trabalho em grupo e a economia local”, avalia a cientista ambiental e assessora técnica da GIZ Brasil, Ana Luísa Silva.

Projeto Cidade Presente

A seleção das propostas foi iniciada ainda em 2023. Numa primeira fase, foram escolhidas 12 de 170 inscrições, oriundas de 23 estados brasileiros. Depois, foram selecionadas as seis ganhadoras. Além de Fortaleza, foram contemplados os municípios de Canaã dos Carajás (PA), Palmas (TO), Nova Friburgo (RJ), Santo André (SP) e Uberaba (MG).

Publicado em Meio ambiente
Operação Tira-Treco
As rotas do caminhão  são pré-definidas, com base em pontos de descarte irregular do lixo monitorados pela Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos (SCSP)

Dando continuidade ao serviço de coleta de materiais de grande volume nas residências, comércios e vias públicas, a Prefeitura de Fortaleza realiza a operação Tira-Treco sexta-feira e sábado (03 e 04/11), percorrendo 35 vias da Capital. As ruas e avenidas fazem parte das Regionais 2 e 7 e proximidades, e o caminhão cumpre rotas pré-definidas, com base em pontos de descarte irregular do lixo monitorados pela Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos (SCSP). Abaixo, confira as ruas que o caminhão vai percorrer.

O projeto é uma das iniciativas do Programa Mais Fortaleza, a nova política municipal de gerenciamento da limpeza urbana, lançada em agosto pelo prefeito José Sarto. Além de contar com o caminhão Tira-Treco, a população pode destinar o seu lixo de maior volume, que não pode ser descartado junto ao lixo comum, a um dos 90 Ecopontos instalados na cidade em todas as Regionais.

A operação Tira-Treco teve início em março deste ano, e recolheu, até o momento, aproximadamente 35 toneladas de resíduos.

Confira a rota do caminhão

Sexta-feira (03/11)

Rua Antônio Augusto (da Av. Heráclito Graça até a Av. Antônio Sales) – Aldeota
Rua Rocha Lima (da Rua Ildefonso Albano até a Av. Dom Manoel) – Aldeota
Rua General Tertuliano Potiguara (da Av. Senador Virgílio Távora até a Rua Leonardo Mota) – Aldeota
Av. Dolor Barreira ( da Rua Cel. José Aurélio Câmara até a Av. Santos Dumont) – De Lourdes
Rua Dr. Manoel Rodrigues Monteiro (da Rua Hermínia Bonavides até a Av. Clóvis Matos) – Vicente Pinzón
Rua Ismael Pordeus – Vicente Pinzón
Rua Novo Farol – Vicente Pinzón
Av. Dolor Barreira (da Rua Novo Farol até a Rua Prof. Álvaro Costa ) – Vicente Pinzón
Rua Professor Álvaro Costa – Vicente Pinzón
Rua Josias ´Paulo de Sousa – Vicente Pinzón
Rua Dr. Antônio Carneiro – Vicente Pinzón
Rua Dr. Francisco Matos (da Av. Santos Dumont até a Rua Des. Lauro Nogueira) – Papicu
Rua Des. Lauro Nogueira (da Rua Prisco Bezerra até a Rua Dr. Ribamar Lobo) – Papicu
Rua Dr. Ribamar Lobo (até a Av. Santos Dumont) – Papicu
Rua Delmiro Gouveia (da Rua Tavares Coutinho até a Av. Antônio Justa) – Papicu
Travessa Paris – Papicu
Rua José Justa (Rua do Trilho até Rua Monsenhor Salazar) – São João do Tauape
Av. Pontes Vieira – São João do Tauape
Rua Eduardo Bezerra – São joão do Tauape
Rua Monsenhor Salazar – São João do Tauape

Sábado (04/11)

Av. Zezé Diogo – Praia do Futuro
Av. Dioguinho – Praia do Futuro
Av. Dr. Aldy Mentor – Praia do Futuro 2
Av. Santos Dumont – Cocó
Rua Andrade Furtado – Cocó
Av. das Graviolas – Cidade 2000
Av. Central – Cidade 2000
Av. Arterial – Manoel Dias Branco
Rua 21 – Manoel Dias Branco
Rua Sagrada Família – Salinas
Av. Washington Soares – Guararapes
Av. Rogaciano Leite – Luciano Cavalcante
Av. Hil de Moraes – Edson Queiroz
Av. Dr. Waldemar de Alcântara – Sapiranga
Av. Conselheiro Gomes de Freitas – Sapiranga
Rua Pedro Mamede – Sabiaguaba

Publicado em Meio ambiente
Caminhão da Operação Tira-Treco
Resíduos grandes, como móveis e eletrodomésticos velhos, restos de madeira, ferragens e pneus, são o foco da Operação Tira-Treco (Foto: Daniel Calvet)

A Operação Tira-Treco, iniciativa da Prefeitura de Fortaleza implementada pela Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos (SCSP), passa pelos bairros das Regional 4 nesta sexta-feira (22/09) e segue para a Regional 8 no sábado (23/09). O trabalho consiste em recolher resíduos grandes, que não podem ser descartados junto ao lixo comum, das vias, residências e comércios, e ocorre a partir das 9h.

Na Regional 4, os seguintes bairros estão contemplados: Aeroporto, Bairro de Fátima, Benfica, Jardim América, Itaoca, Montese, Parangaba, Parreão, Vila Peri e Vila União. Já na Regional 8, abrange os seguintes bairros: Parque Dois Irmãos, Passaré, Planalto Ayrton Senna e Prefeito José Walter. A população deve ficar atenta ao carro de som que passa pelas ruas da rota programada, previamente definida com base no monitoramento de pontos de lixo feito pela SCSP, avisando sobre a operação.

Programa Mais Fortaleza

A operação faz parte do programa Mais Fortaleza, lançado pela gestão municipal para concentrar ações e projetos de gerenciamento do lixo e incentivar o comportamento correto da população quanto ao descarte de resíduos sólidos, promovendo educação ambiental e a coleta seletiva de materiais recicláveis.

O Tira-Treco teve início em março deste ano, com foco no recolhimento de resíduos grandes como móveis e eletrodomésticos velhos, restos de madeira, ferragens e pneus. Além de buscar eliminar os pontos de descarte irregular de lixo pela Capital, o trabalho evita consequências dessa prática inadequada, como alagamentos e proliferação de focos de doenças.

A Prefeitura de Fortaleza também oferece 90 Ecopontos em todas as Regionais da cidade para o recebimento desse tipo de material, assim como de materiais recicláveis. E dispõe de ilhas ecológicas, para armazenar exclusivamente material reciclável, e lixeiras subterrâneas, para o descarte de lixo comum.

Rotas do caminhão Tira-Treco 

Sexta-feira (22/09)

Av. General Osório de Paiva, 310;
Rua Cônego Lima Sucupira;
Rua Topógrafo Sales, 139;
Av. Silas Munguba, 108;
Av. dos Expedicionários;
Av. Treze de Maio;
Rua Marechal Deodoro;
Av. Domingos Olímpio;
Rua Padre Miguelino;
Rua Mário Mamede.

Sábado (23/09)

Rua Pompílio Gomes, 163;
Av. Presidente Costa e Silva, 1481;
Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2;
Av. da Saudade;
Av. dos Paroaras, 175;
Cond. Edifício Raimundo Girão;
Rua Matadouro, 1265;
Rua D - Conj. Veneza Tropical, 301;
Av. Bernardo Manuel, 6240;
Rua Dois, 800;
Av. Costa e Silva;
Av. I, 1990;
Av. João de Araújo Lima, 21;
Av. A, 810;
Av. B, 811;
Av. C, 760a;
Av. D, 740;
Av. F;
Av. dos Marinheiros, 165;
Av. Nova Fortaleza, 340.

Publicado em Meio ambiente

Durante todo o mês de junho, dedicado aos cuidados e boas práticas relacionadas ao meio ambiente, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), tem intensificado ações contra a instalação de publicidade irregular nos logradouros públicos, árvores e mobiliário urbano, e dará início, nesta quarta-feira (21/06), ao projeto de requalificação de viadutos e tuneis na capital, tendo como piloto, o viaduto da Av. Governador Raul Barbosa, no bairro São João do Tauape.

A operação realizada pela Agefis em parceria com a Secretaria Regional 2, e com o apoio da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), promoverá a remoção das placas, faixas e pinturas, instaladas de forma irregular, a revitalização do espaço, com a limpeza do local e a pintura, bem como realizará a autuação das empresas responsáveis pela publicidade irregular.

Diariamente, equipes de fiscais e auxiliares de Plantões e Atividades Especiais da Agefis fiscalizam e atuam na remoção de faixas, placas, banners e cavaletes instalados irregularmente em diversas áreas. De acordo com o Código da Cidade, é proibida a instalação irregular de anúncios de qualquer natureza em túneis, viadutos, pontes e semelhantes, em logradouros públicos, em árvores, dentre outras proibições previstas no art. 121 do Código.

Balanço

Em 2022, a Agefis realizou cerca de sete mil remoções de publicidades encontradas fora das condições de conservação e segurança permitidas, instaladas em locais proibidos ou sem a devida autorização. Neste ano, já foram retiradas cerca de 14,5 mil faixas e placas indevidas das ruas da cidade.

Placas imobiliárias

Além das placas e faixas irregulares já retiradas, a Agefis segue reforçando as fiscalizações de propagandas imobiliárias instaladas de forma indevida nas árvores e nos postes de iluminação pública. De janeiro a junho deste ano, mais de 11 mil placas foram removidas pela fiscalização.

Empréstimos indevidos em cartões de crédito

Ao longo do mês de junho, a Agefis também tem fortalecido a busca ativa por faixas que anunciam empréstimos indevidos em cartões de crédito instalados nos canteiros centrais e demais logradouros públicos. Ao todo, 190 faixas sobre a temática já foram retiradas pela fiscalização municipal.

Denúncias

A população pode acionar a fiscalização por meio dos canais de denúncia da Agefis: o aplicativo Fiscalize Fortaleza (disponível para Android e iOS), o site Denúncia Fortaleza e o telefone 156.

 

Publicado em Fiscalização
grupo de pessoas posa para a foto
Iniciado em 2022, o projeto-piloto já visitou nove escolas da Rede Municipal, beneficiando mais de 1.780 alunos

Nesta quarta-feira (14/6), às 8h30, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) lançará o projeto Agefis nas Escolas, voltado para os alunos do ensino fundamental I e II da Rede Pública Municipal de Ensino. A programação, que acontecerá na Escola Municipal de Tempo Integral Roberto Cláudio Frota Bezerra, contará com a presença da superintendente da Agefis, Laura Jucá, e da titular da Secretaria Municipal da Educação (SME), Dalila Saldanha.

Visando contribuir com a formação cidadã, ética e social das crianças e adolescentes, o projeto Agefis nas Escolas se propõe a debater de forma lúdica as temáticas envolvendo os cuidados com o meio ambiente, a coibição das atitudes erradas e dicas de como proteger o ecossistema. Por meio de gravuras, desenhos e pinturas, jogos, entre outras dinâmicas, a equipe de fiscais compartilha práticas educativas de como preservar os espaços públicos e respeitar o próximo.

Iniciado em 2022, o projeto-piloto já visitou nove escolas da Rede Municipal, beneficiando mais de 1.780 alunos. Conforme ressaltou a titular da Agefis, o trabalho do órgão vai além das operações efetivas de ordenamento dos espaços públicos e a garantia de direitos. “O nosso compromisso é também atuar e incentivar projetos e ações de cunho educativo e social. O Agefis nas Escolas tem despertado o interesse das crianças e jovens em cuidar do lugar onde vivem, e é isso o que buscamos, incentivar as crianças a serem protagonistas na preservação do espaço coletivo e multiplicadores desse conceito”, frisou Laura Jucá.

Idealizado pelas fiscais de Atividades Urbanas e Vigilância Sanitária, Ruth Vieira, Wanessa Silva e Eluciene Carvalho, a proposta é estender o trabalho para todas as escolas do município. “Nossa meta é atender os vários Distritos de Educação da cidade e explorar as temáticas de atuação da Agefis, a sua relevância e o papel do fiscal como agente ativo na promoção da convivência harmônica e equilibrada entre os munícipes. Neste ano, ampliamos nossas visitas e já atendemos mais de mil crianças, além de estabelecer uma rede de parcerias com outros órgãos da Prefeitura Municipal a fim de contribuir com a educação cidadã, comentou a fiscal, Ruth Vieira”.

Saiba mais

Pensado e desenhado no final de 2021, o Agefis nas Escolas tem como base três prerrogativas principais: difundir a importância do cuidado com a cidade, colaborar com a formação de cidadãos mais conscientes do seu protagonismo sobre o ambiente que habita e disseminar o papel da Agência de Fiscalização, como órgão que contribui para que o cuidado com a cidade seja efetivo.

Em 2022, a Agefis iniciou o projeto-piloto, que tem como principal fundamento, a formação social e ética dos pequenos cidadãos e a perpetuação do aprendizado no ambiente sociocultural em que eles estão inseridos. Nessa primeira etapa, o público-alvo foi crianças do ensino fundamental I e II da Rede Municipal de Ensino.

Serviço
Lançamento do Projeto Agefis nas Escolas
Data: 14/06 (quarta-feira)
Horário: 8h30
Local: Escola Municipal de Tempo Integral Roberto Cláudio Frota Bezerra (Rua Cônego de Castro, 8617 - Parque Pres. Vargas)

Publicado em Fiscalização
criança recolhendo resíduos na praia
Os resíduos recolhidos serão destinados à reciclagem pela Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP)
Em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) realizou um mutirão de limpeza na Praia do Náutico, com a participação dos filhos dos fiscais municipais e demais colaboradores da pasta, neste domingo (04/06) de manhã. A ação, de cunho educativo e social, teve como objetivo, sensibilizar a população sobre o correto descarte do lixo produzido.  

Durante o trabalho de coleta dos resíduos, os servidores, as crianças e demais voluntários participaram de uma gincana visando à identificação dos tipos de resíduos coletados e o tempo de decomposição desses. Os resíduos recolhidos serão destinados à reciclagem pela Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP). A atividade, voltada para os cuidados com o meio ambiente, compõe uma programação especial pensada para o mês de junho.
 
De acordo com a superintendente da Agefis, Laura Jucá, a atividade lúdica e de conscientização é uma forma de despertar o olhar da criança e da população como um todo sobre a importância de cuidar do lugar onde se vive. “Nosso principal objetivo é enfatizar para os munícipes sobre a importância de preservar as nossas praias e a natureza em geral. O descarte incorreto nesses locais e em outros pontos da cidade causa um grande impacto ambiental e prejuízos para o nosso ecossistema”, destacou. 
 
No decorrer de todo o mês, ações voltadas para a preservação do ecossistema e fiscalizações relacionadas aos diversos protocolos de poluição (visual, sonora e hídrica) serão realizadas.
Publicado em Fiscalização
Página 1 de 8